Julia Moraes – Estagiária da Assessoria de Comunicação UEMG Passos

O projeto “Aplicações de tijolos ecológicos de solo-cimento, fabricados com rejeitos de mineração e resíduos de construção e demolição, para construção de moradias para famílias de baixa renda-uma alternativa para o déficit habitacional”, aprovado no edital PAEX 01/2019 busca promover a atuação da Engenharia Civil no âmbito social.

O objetivo do projeto é desenvolver tijolos a partir de rejeitos da construção civil e também de rejeitos de mineração, após esta etapa a ideia é repassar este processo de fabricação para programas como Associação de Proteção e Assistência aos Condenados.

Todo o trabalho realizado pelos bolsistas acontece no Laboratório de Materiais da Construção Civil, o responsável pela coordenação do local é o mesmo professor coordenador do projeto, o docente João Vicente Zampieron.

“Fazemos ensaios e testamos novos materiais para a indústria da construção civil, temos parcerias com empresas como a Ecoterm e também apoiamos órgãos como o CAPP (Centro de aprendizagem pró menor de Passos) que é uma entidade religiosa sem fins lucrativos”, comenta Zampieron sobre o trabalho realizado no Laboratório.

Atualmente a equipe do projeto está prestando suporte ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), onde o objetivo é organizar mutirões para a construção de casas populares. Para a realização desta atividade foi desenvolvida uma cartilha na qual se apresenta passo a passo o processo de fabricação dos tijolos, como também a forma de uso deles.

Os mutirões serão supervisionados pelos estudantes bolsistas e os tijolos disponibilizados de forma gratuita para o uso do CRAS. No dia 24 de outubro aconteceu na sede do Centro de Referência de Assistência Social uma reunião para discutir o trabalho realizado pelo projeto. Estiveram presentes representantes da Prefeitura de Passos, do Clube Lions e também dos assistentes sociais do CRAS.

“É interessantíssimo ver a Engenharia Social acontecendo e poder fazer parte disso, levando o conhecimento às pessoas e quebrando preconceitos gerados pela falta do mesmo”, afirma a estudante Vivianne Januário Correia, bolsista do projeto.

Na ocasião, ocorreu uma apresentação, que contou coma presença de representantes da Prefeitura, do Clube Lions e assistentes sociais do CRÁS, além de representantes da Comunidade e alunos da Universidade do Estado de Minas Gerais, Unidade Passos, acompanhados pelo professor coordenador do projeto e responsável pelo Laboratório de Materiais de Construção Civil da Uemg Passos,.

“No Laboratório são realizados ensaios e testes com novos materiais para essa indústria.  Hpa parcerias com empresas como a Ecoterm e também apoio a órgãos como o CAPP (Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos), que têm uma fábrica de blocos e é ajudada por meio alunos de graduação que fazem estágio e iniciação científica para melhorar os produtos que fabricam”, explica João Vicente.

A renda da venda dos tijolos é revertida para as famílias carentes do bairro Novo Horizonte. No CRÁS, há alunos de extensão que estão desenvolvendo tijolos a partir de rejeitos da construção civil e também de rejeitos de mineração.

O projeto consiste, para esta instituição, na reunião da comunidade para fazer casas populares, contribuindo com o déficit habitacional da região. Foi desenvolvida uma cartilha onde foi descrito,  passo a passo, o processo tanto para a fabricação dos tijolos como também o assentamento destes na construção de casas.

“Tais tijolos viriam gratuitamente para o CRÁS e através de um mutirão ,sob a supervisão dos alunos, construiríamos as primeiras casas. Após a transferência deste conhecimento para os moradores da região, eles atuarão como agentes multiplicadores”, pontua o coordenador do projeto.

Além da apresentação, com uma palestra rica em informações e conhecimentos, os presentes colocaram a mão na massa, participando de forma dinâmica, realizando tarefas que facilitaram todo o conteúdo técnico que aprenderam.

 Para a aluna do projeto, , discente do 8º período de Engenharia Civil, atividades e iniciativas como esse a permitem ter a oportunidade de pesquisar e implantar materiais renováveis na construção civil: