Texto: Jehnyfer Silva Vaz – Estudante de Jornalismo

Imagens: Rogério Medeiros de Souza e Bruno Daher Lima – Estudantes de Jornalismo

 

A 5ª Semana Integrada de Enfermagem, evento promovido pela Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Passos e Instituto Federal – Campus Passos, contou com uma palestra dedicada exclusivamente à prevenção ao HIV. Os profissionais da área de Saúde e docentes da UEMG, Josely Pinto de Moura e Policardo Gonçalves da Silva, apresentaram a palestra “Conhecendo mais sobre as tecnologias de prevenção ao HIV – PrEP/PEP”.

O público conheceu diferentes formas de prevenção ao HIV e procedimentos necessários no caso de possível contaminação. Em sua apresentação, Josely falou sobre a PEP (Profilaxia Pós-Exposição), que é indicada como medida preventiva após o risco de infecção pelo HIV, como por exemplo: relações sexuais sem uso de preservativo ou rompimento do mesmo, violência sexual, acidente com material perfurocortante ou com material biológico.

            A palestrante explicou detalhes sobre o uso da PEP e o procedimento para conseguir o medicamento, a pessoa com risco de contaminação deve procurar o Serviço de Saúde entre 02 a 72 horas após ter sido exposta ao risco. O tratamento tem a duração de 28 dias e precisa de acompanhamento de uma equipe médica. A docente realizou perguntas aos discentes abordando o assunto apresentado e frisou que o uso da PEP é uma medida preventiva de emergência.

            Policardo iniciou sua fala sobre a Profilaxia Pré-Exposição explicando que o termo “DST” não deve ser utilizado quando o assunto é HIV, a sigla correta é “’IST”, já que o vírus não é uma doença e sim uma infecção. O palestrante frisou os grupos que formam o público-alvo para o uso da PrEP. A palestra aconteceu dia 07 de maio, no Bloco 01 da UEMG.

 

Conheça os públicos prioritários para o uso da PrEP

·         Gays 

·         Homens que fazem sexo com homens (HSH) 

·          Pessoas Trans 

·          Trabalhadores (as) do sexo 

·         Parcerias sorodiferentes (quando uma pessoa está infectada pelo HIV e a outra não).