25/10/2017

Convidado a participar da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra e Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo (CEVENB), o professor Maurício Mello, que leciona nos cursos de jornalismo e publicidade e propaganda da UEMG Unidade Passos, participou entre os dias 20 e 21 de outubro, do 1º Simpósio de pesquisadores e colaboradores do CEVENB, que ocorreu na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Belo Horizonte.

Durante o evento, Maurício Mello apresentou sua pesquisa acerca das expressões da cultura popular de matriz africana, com o olhar para o folguedo da congada e a dança dramática do moçambique, que ocorrem em cidades do sul de Minas Gerais, a exemplo de São Tomás de Aquino, São Sebastião do Paraíso e Passos. “Faço o mapeamento das manifestações e suas fontes”, afirmou o professor. “Pretendemos deixar esse material disponível a todos que consultarem a Comissão da Verdade”.

Formado por pesquisadores e estudantes das áreas de Ciências Sociais, Pedagogia, História, Geografia, Direito, Letras e Comunicação, a Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra e Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo possui um acordo de cooperação técnica firmado em outubro de 2016 entre a OAB/MG e a UEMG para apoio às atividades de produção de pesquisas.

Integrado ao projeto “Escravidão, Cidadania e Identidade”, de autoria da professora Beatriz Bento de Souza, vice-diretora acadêmica da UEMG Unidade Leopoldina e articuladora da Comissão da Verdade, foram definidos em torno dos pesquisadores nove eixos/grupos de trabalho temáticos:
1. Levantamento e Mapeamento dos Acervos de Natureza Jurídica: Processos Civis e Criminais das Comarcas do Estado de Minas Gerais.
2. Cultura Afro brasileira: História e Memória –  da Escravidão à Contemporaneidade.
3. Comunidades Quilombolas e Territórios de Religiosidades Afro-brasileiras.
4. Crimes, Marcas e Vestígios da Escravidão de Pessoas Negras no Brasil.
5. História e Memória da Mulher Negra em Minas Gerais: da Escravidão ao Momento Atual.
6. Trabalho Escravo Contemporâneo no Brasil.
7. Educação e Políticas  Afirmativas.
8. Justiça e Reparação.
9. Saúde, Sanitarismo e Etnicidade

Informações da Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra e Combate ao Trabalho Escravo Contemporâneo (CEVENB):
sonia.pires@uemg.br
beatrizbento17@hotmail.com
cvescravidaonegra@oabmg.org.br

PASSOS