28/08/2017

Texto: Bárbara Navarro Rezende – 2º período de Jornalismo
Fotografia: Paulo Henrique Mozer – 2º período de Jornalismo

Durante a 5ª semana UEMG ocorreu a abertura do acervo e espaço artístico do pintor e professor Wagner de Castro. O acervo está localizado na Casa da Cultura, onde também se encontra o ateliê do artista, local que permanece intacto, do jeito que o artista deixou antes de sua morte, em 2015.

Para a aluna de Ciências Biológicas da UEMG, Bruna Borges, que também é estagiária da Casa da Cultura e responsável pelo acervo do artista, a população passense tem consciência da obra que o pintor deixou à cidade e visita frequentemente a sala. O professor Wagner de Castro nasceu em Franca-SP, mas se mudou para Passos e ficou encantado pela cor da cidade, o que refletia em seus quadros, que por consequência eram mais coloridos.

Os quadros pintados pelo artista retratam o espiritismo, base de sua crença. Suas habilidades de pintura começaram já na infância, logo aos 11 anos de idade; aos 20, foi ouvinte livre da Escola de Belas Artes de São Paulo, mas depois de dois meses abandonou a escola por não concordar com seus métodos de ensino, já que era autodidata e possuía a habilidade de aprender técnicas sem um professor ensinando.

Antes de falecer, o professor Wagner doou seus quadros para Passos, registrando inclusive seu amor pela cidade na tela “Irmandade I” (1991), obra em que retrata a população e a cidade. O único quadro doado pelo autor que não está em Passos se encontra em Londres.

Para conhecer as obras do artista, basta visitar seu acervo na Casa da Cultura de Passos, localizada na Praça Geraldo Silva Maia, s/n, no centro da cidade.

PASSOS