07/07/2017

Texto e fotos: Ligia Miranda e Laura Abreu
PASSOS – A plataforma da Estação Cultura recebeu tapete vermelho e se transformou em passarela para receber modelos nada convencionais. Nada de mulheres altas e magrelas. Mulheres reais. Estas foram as escolhas dos alunos de Design – Moda da UEMG Unidade Passos para a realização da primeira Mostra Fairjob 2017 UEMG Passos que aconteceu de 27 a 29 de junho, das 14h às 20h, e teve como tema questionamentos referentes ao trabalho escravo promovido pelo mercado de moda. A mostra apresentou peças feitas pelos alunos e, na quinta- feira (29) à noite, ocorreu o desfile com roupas elaboradas e confeccionadas por eles.

O desfile contou com um público eclético, com alunos da UEMG de vários cursos e também convidados e pessoas que se interessaram pelo evento.

Com base na temática Cultura e Desenvolvimento, o evento foi elaborado com o intuito de promover o desenvolvimento sustentável e estimular as competências criativas. Relacionou-se o desenvolvimento de serviços criativos, não apenas nas dimensões culturais, mas também nos âmbitos sociais, ambientais e até econômicos. A política da sustentabilidade e do compartilhamento tão em alta no cenário mundial foram aspectos utilizados para promover o evento.

A mostra tem como objetivo promover o acesso à cultura criativa desenvolvida pelo curso de Design-Moda, compartilhar com a população local e integrar os demais cursos, como por exemplo os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, que fizeram fotos para os editoriais e realizaram a cobertura fotográfica e jornalística para divulgação na imprensa, sob a coordenação da professora mestre Adriana Dias, dentro das disciplinas Redação Jornalística e Laboratório de Iniciação ao Jornalismo, os demais cursos participam como convidados.


De acordo com a coordenadora do curso de Design-Moda, Bel Silveira, é por meio de uma abordagem qualitativa, com pesquisa bibliográfica, exploratória e documental com trabalho de campo que os alunos do curso desenvolveram trabalhos com temáticas variadas e aliando de maneira multidisciplinar as disciplinas estudadas aos questionamentos do mundo contemporâneo.

“Esse evento de maneira peculiar, não poderia ocorrer em outro lugar que não a Estação Cultura, já que não haveria lugar mais apropriado para tal mostra, um ambiente totalmente voltado para a difusão da cultura e do conhecimento”, disse a coordenadora.

A mostra tem trabalhos dos alunos do 1º, 3º e 4º períodos do curso Design-Moda. Os alunos do 1º período apresentaram o trabalho Percepção Visual, no qual retratam um ao outro, abordam aspectos de desenho de observação como linha, traço e também atribuem caráter pessoal à obra. Através desse trabalho foram estudados aspectos do desenho de observação, luz e sombra, proporções, enquadramento e os diversos traços do rosto humano, trazendo uma visão de conceitos como subjetividade da beleza, bem como, raça, cor, diversidade e igualdade.


Os alunos do 3º período apresentaram As Faces do Concretismo no qual através da confecção de um vestuário retratam características como estudo de formas e cartela de cores dos artistas da escola de arte concretista. Com isso foi possível trabalhar o olhar por meio da metodologia visual utilizando elementos do design, por exemplo, linhas, formas, cores entre outros aspectos.

“Ainda do 3º período, os alunos mostraram o trabalho intitulado WerableArt e Art Nouveau que questiona os problemas do cenário nacional (corrupção, violência, tráfico de animais, miséria, analfabetismo). Esses problemas nacionais são retratados através de um desfile de vestuários, empregado de características do estilo artístico Art Nouveau e aspectos de cunho ecológico. O referido trabalho foi realizado com o intuito de retratar e expor à sociedade os problemas do cenário brasileiro, demonstrando-os de maneira artística e sustentável empregando aspectos da Art Nouveau”, explica Bel.

Os alunos do 4º período apresentam “A sua história, a nossa história” que questiona a “beleza em todas as fases da vida”, e tem como parceira a Unabem (Universidade Aberta para Maturidade).

“Os alunos da Unabem foram produzidos e fotografados com inspiração nas décadas de 1910 a 1980 com o intuito de promover a inserção do idoso na sociedade e no mercado da moda, garantindo que seus anseios e opiniões sejam atendidos. Todos esses trabalhos buscam divulgar e trazer visibilidade para os alunos do curso de Design-Moda que tratam de maneira realista e até como forma de protesto os problemas que afligem a humanidade”, salienta a coordenadora.

Os alunos Izabela Ferreira e Leonardo Pereira, a partir de novas contextualizações e releituras, criaram figurinos para a personagem da obra Mulher com vestido amarelo de Max Kurzweil, transitando pela moda e arte.

“Analisamos que a esposa do pintor serviu de modelo para sua inspiração. Por estar descansando em uma poltrona, que possui sua estampa floral, nos remetem a um jardim e chegamos à conclusão que o mar também tem o seu jardim onde é representado pelos corais, por isso a ideia de uma raia, animal marinho que ao nadar passa por corais de cores e formatos diferentes, mostrando a leveza e a liberdade da mulher naquela época, fazendo alusão à liberdade da raia dentro do mar, ela se entrega diante aquela imensidão de água e Martha faz o mesmo na hora de posar, ela se deixar levar”, disse Izabela.

PASSOS