Foi divulgada a lista dos aprovados para o primeiro Mestrado Profissional da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP). O processo seletivo, o qual envolveu a análise do pré-projeto, análise de currículo e entrevista, selecionou os 15 candidatos que começam o curso nesta sexta-feira (04).

O diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da FESP disse que o Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, que já recebeu a recomendação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), é uma oportunidade de estender o alcance da pesquisa científica no meio acadêmico. “Nas entrevistas conhecemos melhor os candidatos e pudemos ver que formam um grupo promissor, pois muitos deles são experientes em suas áreas de atuação. Acreditamos que juntos poderemos desenvolver ótimos trabalhos e contribuir para o avanço científico e para o desenvolvimento regional”, defendeu o professor Eduardo Goulart Collares.

O curso será iniciado nesta sexta-feira (04) com a realização de um Workshop, onde os professores pesquisadores do mestrado vão apresentar os seus projetos e as propostas futuras de trabalhos para os alunos aprovados. “Será um momento de interação e diálogo entre professores e os novos alunos”, justificou a coordenadora da nova modalidade disponibilizada na FESP, professora Dra. Rita de Cássia Ribeiro Carvalho.

O Mestrado tem duração estimada de 2 anos, sendo o primeiro ano dedicado às disciplinas e o segundo ao desenvolvimento da pesquisa.

Os aprovados devem fazer matrícula nos dias 03 e 04 de abril e, no caso da existência de vagas remanescentes será realizada uma 2ª chamada.

O Mestrado Profissional 

No final de 2013, a FESP recebeu a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (CAPES) e teve como aprovada a proposta do Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Na avaliação, os representantes da CAPES destacaram o comprometimento e a infraestrutura da FESP; a dimensão e regime de trabalho dos docentes com doutorado e experiência em orientação; e a alta produtividade em relação à pesquisa e extensão.

De acordo com a ementa, o curso com titulação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente tem o propósito de formar mestres com consciência crítica e capazes de compreender a relação entre ciência, sociedade, natureza e desenvolvimento econômico. Sendo estes profissionais capazes de elaborar, acompanhar e avaliar planos de gestão pública e privada com propósitos de desenvolvimento sustentável e de preservação ambiental, bem como realizar diagnósticos e prognósticos das inter-relações entre as atividades antrópicas e os meios físico e biótico. Deverão ser capazes, também, de desenvolver e aplicar técnicas agro-sustentáveis que contribuam para melhorias na produção agropecuária regional.

Como ainda detalhou o diretor Eduardo Collares, o Mestrado Profissional é exatamente igual ao Mestrado Acadêmico em relação à titulação. “A diferença é que o primeiro é mais direcionado aos profissionais que estão atuando no mercado. Este Mestrado tem por objetivo formar pessoas para trabalharem dentro das novas políticas públicas que estão em vigor no país, como o Estatuto da Cidade, a Política Nacional de Recursos Hídricos e, mais recentemente a Política Nacional de Saneamento de Resíduos e de Sólidos, por exemplo. Outro foco está voltado ao setor privado e envolve novas tecnologias para serem aplicadas no planejamento urbano e no desenvolvimento rural sustentável”, reforça.

Consulte a lista de aprovados AQUI.