A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP) inaugura nesta quarta-feira (26) o primeiro prédio do seu grandioso Campus Universitário no Centro Integrado de Recreação e Esporte (CIRE), localizado no bairro Eldorado. A solenidade acontece a partir das 18h00.

O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas destaca o significado desta conquista e convida todos os cidadãos passenses para receberem esta obra concretizada. “A FESP tem sido, ao longo de sua história, um desafio para todos que assumiram a gestão desta escola, cada um no seu tempo e com suas dificuldades. Nós estamos iniciando 2014 com a realização de um sonho que é a construção de mais um prédio próprio com uma estrutura invejável, com uma capacidade extraordinária sendo oferecida aos nossos alunos e isso faz com que nós tenhamos uma forte esperança no futuro. Devemos partilhar esta conquista com todos os professores e funcionários da FESP, que contribuíram cada um na sua função, e com a comunidade para que todos reforcem a percepção de pertencimento que é devida. A FESP não é de alguns, é da nossa cidade e da região. Estamos cumprindo nosso papel de qualificação de pessoas de maneira muito nobre e convidamos todos para estarem conosco neste momento histórico que é a entrega do Prédio 01 do Campus Universitário”.

Responsável por contar a história de Passos e região nos últimos anos, o jornalista Carlos Antônio Alonso Parreira acompanha, desde o início, o avanço da FESP e define a inauguração do Campus como um divisor de águas. “Já tive a oportunidade de expressar, através de pronunciamentos e também de artigos na Folha da Manhã, que nos últimos anos a FESP e pouquíssimas outras instituições conseguiram participar do desenvolvimento da cidade de Passos. A própria história da FESP alternava períodos de aperfeiçoamento educacional com uma modesta evolução patrimonial. Nos últimos anos, no entanto, o professor Fabio Pimenta Esper Kallas conseguiu reunir nessa evolução as duas frentes e, além delas, ofereceu à cidade e região uma gama de serviços que nem de longe é acompanhada, por exemplo, pela administração pública. Criou mais cursos e construiu mais obras que a soma de todos os anos de existência da Fundação. E, além disso, ainda deu uma expressiva contribuição, como Subsecretário de Ensino Superior da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, para a implantação do processo de estadualização. A inauguração do Campus é, portanto, o coroamento de uma administração competente e rara na cidade de Passos, um exemplo que deveria despertar principalmente nos agentes públicos, dirigentes classistas e lideranças em geral um referencial a ser seguido”, declarou Carlos Parreira, da Folha da Manhã.

A construção foi coordenada pelo Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, sob a responsabilidade do engenheiro professor Manoel Reginaldo Ferreira, vice-presidente do Conselho Curador, que destacou o valor econômico motivado pela obra. “Neste projeto investimos quase 10 milhões de reais e conseguimos gerar em torno de 300 empregos diretos. Ambos os fatores movimentaram a economia do setor da construção civil e colaboraram para que alcançássemos este ambiente moderno, arejado e com um acabamento de alto padrão. É um benefício imensurável para toda nossa região”, constatou o professor, que se graduou pela FESP em 1998.

A obra

O acesso ao Campus pode ser feito pela Rodovia MG-050, pela Avenida Arlindo Figueiredo, Rua São Francisco e Avenida Eldorado. O espaço para estacionamento externo tem a capacidade para atender até 500 automóveis.O CIRE está numa área residencial composta pelos Bairros Eldorado, Jardim Cidade, Muarama e São Francisco. Na região estão localizados o Fórum da Comarca de Passos, o Terminal Rodoviário Tancredo Neves e a sede da Polícia Militar Ambiental, o que faz do local um espaço valorizado.A obra do Campus da FESP foi projetada pelo arquiteto Sérgio Loureiro, professor da Instituição, e conta com um segundo prédio idêntico ao Prédio 01, com o terceiro prédio - que receberá o setor administrativo - além do auditório a ser construído num quarto prédio, planejado para acomodar confortavelmente 1300 pessoas. “Todo o trabalho foi feito no esforço de criar um ambiente integrado à natureza, com vista para o Parque Dr. Emílio Piantino e para a cidade. Passos ganha uma grande obra, um passo significativo rumo a uma nova etapa de desenvolvimento sustentável da cidade. No primeiro dia de aula, quando recebemos alunos aqui neste primeiro prédio, eu senti uma grande satisfação. Foi gratificante participar deste momento tão marcante”, declarou o arquiteto.

O projeto ainda prevê a instalação de sistemas de reuso de água, com a inclusão de sistemas hidráulicos modulados de separação de águas, a ser aplicado no futuro em toda a cidade, realizando a recuperação energética dos resíduos sólidos, entre outros.

Segundo o encarregado pela obra do Campus, Gilson Henrique Martins, o Prédio 01 está sendo entregue concluído, tendo também encaminhados 60% do segundo prédio e 30% do terceiro. 

O técnico em segurança do trabalho da FESP, Wesley Nascimento de Paula disse que durante todo o período da obra não houve nenhum acidente de trabalho. “É uma grande satisfação dizer que as mais de 200 pessoas que passaram por aqui desempenharam suas funções com segurança e não tivemos nenhuma ocorrência de acidente”.

Valor simbólico

A FESP é referência no ensino de toda a região do Sudoeste Mineiro. Com 25 cursos de graduação, 15 de pós-graduação, Mestrado Profissional e atividades de pesquisa e extensão, a Fundação funciona em 12 blocos espalhados pela cidade onde funcionam além das salas de aula, departamentos administrativos, biblioteca e laboratórios.

De acordo com o professor Waldemar Gianini, graduado e pós-graduado pela FESP, docente na Fundação desde 1969, sendo Diretor da Faculdade de Filosofia de 1985 a 1987 e presidente do Conselho Curador de 1992 até o ano seguinte, a FESP avançou muito em termos de estrutura física, expandindo seu alcance e agora dá um próximo passo na sua evolução. “A Faculdade de Filosofia funcionou no Colégio Estadual (Escola Estadual Prof Júlia Kubitscheck), depois no Colégio das Irmãs (Colégio Imaculada Conceição – CIC) e também na Escola Estadual Lourenço de Andrade. Anos depois vimos a Fundação se desenvolver e ter vários blocos e muitos novos cursos. Hoje vamos ter a oportunidade de juntar todos e agregá-los é muito interessante. O ambiente Universitário é muito bom tanto para os alunos quanto para os professores”.

A mesma opinião é compartilhada pelos funcionários: Esdras Azarias de Campos, que tem 29 anos de trabalho na FESP; Mário Gomes de Oliveira, que está na Fundação desde 1975; Benedito Régis Silveira Teodoro, registrado em 1969; e Antônio José Lemos, há 35 anos trabalhando na FESP. Para eles a inauguração do Campus é um sonho antigo sendo realizado. “Outros presidentes cogitaram, mas nesta gestão, com a criação do CIRE, é que foi possível essa realização, que representa um triunfo para a FESP porque com todo este desenvolvimento que tivemos nestes últimos tempos, o Campus se tornou uma necessidade. Agregar todos os cursos e toda a administração facilita o contato. Outro significado é que o Campus reafirma o status de Universidade. Para nós funcionários significa até mesmo uma união maior. Vamos ter um melhor entrosamento, um melhor trânsito de contato, o diálogo. Mudaremos o conceito de administração”, relata o responsável pela Secretaria Acadêmica, Esdras Azarias.

Presente

Alunos do Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia, desde Agosto do último ano, e os estudantes do curso de Sistemas de Informação e Educação Física, desde Janeiro deste ano, já utilizam o espaço de 78 mil metros quadrados, sendo 13889,54 m² de área construída e aproximadamente 60 mil metros quadrados de área verde. O Prédio 01 tem 40 salas, cada uma com capacidade para 50 alunos e mais 10 laboratórios.

Thiago Ribeiro Cruz, presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) reforça que os estudantes enxergam esta inauguração como uma conquista coletiva. “A FESP concretiza hoje um projeto de grande magnitude e certamente coloca a nossa cidade em uma posição bem mais evidente no cenário educacional brasileiro. Nós como jovens estudantes de Passos e regiões só temos mesmo é que agradecer toda equipe da FESP por mais este triunfo. Além disso, estudar em um prédio com toda estrutura nova é uma grande vantagem. O prédio é um local amplo, tem retroprojetores de ultima geração, salas com uma ótima acústica, sem falar que estamos ao lado do Parque Emilio Piantino”, reforçou o representante dos alunos da FESP.

A caloura do curso de Sistemas de Informação Thamires Santos Silva começou sua graduação já no Prédio 01 do Campus e conta que ao cruzar as portas do CIRE pela primeira vez sentiu que estava ali uma grande chance de fazer um futuro melhor. “Eu estudei, passei no vestibular e quando cheguei aqui para começar meu curso eu fiquei deslumbrada pensando que eu tive sorte de ter uma estrutura enorme destas a minha disposição e na minha cidade. É muito bom saber que aqui eu vou ter o melhor para me formar e terei as melhores oportunidades. Quando eu terminar meu curso eu não tenho dúvidas de que estarei preparada para competir por boas posições no mercado. Até lá eu vou ter esse ambiente confortável e agradável para aproveitar. Um presente que a FESP oferece pra nós”, comentou.

Responsabilidade Social

A obra vem sendo desenvolvida a todo vapor e contou com mais de 150 trabalhadores, sendo parte deles internos da Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC), participantes do projeto de utilização de mão de obra em função de ações educativas e de responsabilidade social.

Foram capacitados serventes de pedreiro, armadores, pintores, carpinteiros, e montadores de ferragens e andaimes em cursos oferecidos pela FESP. Para o gerente administrativo da APAC, Luiz Alves, o convite da para a realização do curso e participação dos internos nas obras foi um dos melhores empreendimentos feitos em prol dos condenados. “Na APAC entra o homem. O crime fica do lado de fora. Sou testemunha de que esse projeto foi uma das coisas mais importantes que tivemos lá até hoje porque, além de ajudar a mente dos recuperandos, ainda possibilita a profissionalização deles. Já podemos ver o resultado porque teve recuperando que entrou aqui como servente e hoje é pedreiro contratado. Isso prova que a iniciativa funciona e vale a pena”, conta.

“Nós fizemos o curso e foi uma boa ideia porque a gente aprendeu e vai melhorando. Eu comecei aqui e agora eu já fui contratado. Foi bom pra mim e também para os meus amigos que ainda estão na APAC. Eu fiquei satisfeito em poder ter um trabalho que é muito digno e eu devo isso tudo a FESP pelas portas que me abriram. Esta oportunidade foi o que mudou a minha vida”, disse um dos ex-recuperandos, que já foi liberado da APAC e atualmente está inserido no mercado.

“Aprendi a montar as ferragens e andaimes e quando eu sair eu vou poder ter um serviço como profissional. Eu achei uma alegria porque a gente passa por um momento de dificuldade e agora a gente está tendo uma oportunidade de ter uma profissão. Agradeço a credibilidade, a confiança que tiveram na gente. Nós estamos agarrando essa chance de poder melhorar”, completou outro integrante do projeto. 

Futuro

Para 2015 a FESP planeja inaugurar os prédios 02 e 03 do Campus Universitário. Além de aguardar a abertura do curso de Medicina ainda para 2014, a FESP se prepara também para um novo desafio que é a construção da Cidade do Saber e da Saúde, grande complexo arquitetônico que vai concentrar toda a área d

a saúde da FESP - cursos de graduação, pós-graduação, cursos tecnológicos e projetos de pesquisa e extensão – juntamente com um Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Passos.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG