Começou nesta terça-feira (22), o III Congresso de Ecologia do Sudoeste Mineiro, evento bianual do curso de Ciências Biológicas e que integra o III FESP Inova. Durante o primeiro dia de atividades, o biólogo Sérgio Rangel, que há 17 anos trabalha na televisão, falou sobre as diversas possibilidades do trabalho do biólogo e sobre seus projetos em defesa dos animais e da biodiversidade.

Conhecido por fazer parte do programa da apresentadora Eliana, no SBT, o biólogo é um dos maiores conhecedores de animais e já viajou o mundo em expedições para conhecer e divulgar diversas espécies. Sérgio Rangel foi recebido por um público numeroso e entusiasmado que o ouviu atentamente expor sua paixão pela sua profissão. Na sua fala o biólogo atribui sua jornada de sucesso ao esforço em adquirir conhecimento e ao amor e determinação. “Quando eu ainda estudava, muitos profissionais mais experientes acreditaram em mim e me deram uma força, um apoio, e hoje a minha contribuição é viajar pelo Brasil inteiro descobrindo novos talentos e disseminando o valor do biólogo e suas potencialidades. Tenho visto muita gente desmotivada e eu tento mostrar pra eles que o que importa é a satisfação pessoal, o prazer em trabalhar com o que gosta. Tudo que consegui até hoje é porque eu sempre tive paixão e verdade pelo que faço e isso foi o que eu vim passar pra essa galera que vai me substituir no futuro”, defendeu Rangel.

Além dos trabalhos na TV, Sérgio tem projetos em defesa de animais e realiza palestras de Educação Ambiental. Em sua exposição o também professor apresentou a importância da conscientização sobre o convívio possível e saudável com animais. “Tenho 60 animais em casa, todos pets legalizados. Quando saio para trabalhar educação ambiental eu levo alguns deles para demonstrar que é possível a convivência harmônica com animais e para aproximar as pessoas do trabalho do biólogo”, declarou.

Sérgio trouxe para o Congresso uma Iguana, um lagarto Teiú, do gênero Tupinambis, e uma cobra, esta que ele escolheu para acompanhá-lo nas poses para as lentes dos presentes. Após o clique com o biólogo, o estudante Carlo Tavares Silveira, do 8º período de Ciências Biológicas deu sua opinião acerca do que ouviu na palestra. “Achei muito interessante porque ele um cara com experiência em vários segmentos e mostrou um pouco do que o biólogo pode fazer. Eu já me decidi por seguir a minha carreira no controle biológico, mas alguns colegas ainda estão em dúvida, por isso com certeza essa palestra foi importante, pra dar um direcionamento e abrir as possibilidades”.

Para o professor doutor Juliano Fiorelini Nunes, do curso de Ciências Biológicas da FESP, a presença de um biólogo da competência e visibilidade que o Sergio Rangel tem é uma forma de motivar os alunos. “Este momento é importante porque quem tem espaço na mídia tem uma exposição muito grande e pode levar informação para um público muito amplo e pra nossa área isso é raro. Então quando existe essa possibilidade de trazer pessoas que tem essa abertura e influencia para motivar os alunos da nossa Instituição é maravilhoso. Estou muito feliz e satisfeito”, completou.

A coordenadora do Congresso, Odila Rigolin de Sá, reafirmou o sucesso da vinda de Rangel e o destacou o ainda está no cronograma do evento. “Tinha uma expectativa muito grande por esta palestra do Sérgio. Os alunos me pressionaram e conseguimos trazê-lo no último momento e foi excelente. Ele é um grande conhecedor dos animais e foi uma riqueza tê-lo aqui. Os alunos ganharam um gás enorme! E temos uma programação extensa com palestras e mini cursos no Congresso que acontece até quinta-feira. Vamos continuar com discussões ambientais, com as partes de botânica e ecologia, e também a traremos temas de genética com pesquisadores da UFSCar, USP, UNESP, UFV e UNICAMP”, declarou a professora que é a coordenadora do curso de Ciências biológicas da FESP.

Na noite de abertura também palestrou o professor Carlos Augusto Martins Filho, professor da UFSCar. A temática abordada foi a perícia ambiental, área de sua atuação que segundo ele é um campo de trabalho extremamente positivo para os profissionais de biologia. O professor justificou a sua presença no Congresso e ainda ressaltou a importância de eventos como o FESP Inova. “É nesse momento que há a possibilidade de manter contato com outras instituições que produzem conhecimento. Essa troca de experiência, essa pluralidade de informações é muito rica e todos nós ganhamos com isto”, finalizou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG