O curso de Medicina da Fundação de Ensino Superior de Passos recebeu nesta quarta-feira a aprovação do Ministério da Educação (MEC) com nota 4. Este resultado significa que a FESP preencheu todos os requisitos avaliados pelo MEC com excelência e o resultado segue agora para o Conselho Nacional de Saúde que determina a abertura do processo seletivo, com portaria publicada no Diário Oficial. A notícia foi comemorada em Passos e em toda a região, pois o curso em médio prazo possibilitará crescimento local e regional.

 “É com orgulho e honra que damos esta notícia. A FESP e a Santa Casa de Passos ousaram buscar, com este projeto pedagógico inovador, melhoria de vida para a nossa população. Foi com muita dedicação que cumprimos todos os trâmites e esta aprovação vem coroar o enorme esforço que fizemos. Além disso, este curso vem suprir uma necessidade de profissionais da área de saúde viabilizando mais atendimento para a população de Passos e região e ainda pesquisas na área médica", comemora o presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

O projeto do curso começou a ser desenvolvido há pelo menos três anos e contou com a participação fundamental da Santa Casa de Misericórdia de Passos. A equipe de profissionais, formada por médicos doutores de várias especialidades, integrou o Núcleo Docente Estruturante, responsável pela elaboração da proposta enviada ao MEC e acompanhou passo a passo esta conquista. “Como todas as grandes idéias, houve muitos instantes de comemoração, de antecipação da alegria, sobretudo por sabermos que seria um projeto que iria marcar a história de Passos. Nesse momento, em que o Brasil demonstra ter necessidade de médicos, a alegria torna-se ainda maior”, avalia o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Passos, Vivaldo Soares Neto.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) e o Conselho Nacional de Saúde (CNS) requerem a disponibilidade de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) para que os alunos de Medicina possam cumprir a parte prática do curso. Esta obrigatoriedade foi cumprida pela FESP através do convênio firmado com a Santa Casa de Misericórdia de Passos, representada pelo seu provedor, Dr. Vivaldo Soares Neto, pelo seu diretor executivo Daniel Porto Soares, pelo presidente do Conselho Superior da Irmandade, Dr. Wellington Venâncio de Andrade e outros médicos. O hospital regional filantrópico tem 230 leitos do SUS que serão disponibilizados para processo de educação continuada da FESP. 

Além disso, a FESP fez um estudo intenso em relação às diretrizes curriculares e requisitos de qualidade exigidos pelo MEC e novas parcerias foram realizadas com instituições de Passos e também da região. Entre elas as Santas Casas de São Sebastião do Paraíso e de Piumhi, Fundação Beneficente São João da Escócia (que engloba o Hospital Otto Krakauer e Recanto Geriátrico) e ainda a Sociedade São Vicente de Paulo, além do Hospital Regional do Câncer. 

O curso conta ainda com as unidades de atendimento já existentes na FESP, como o Ambulatório Escola e Núcleo de Atendimento e Pesquisa em Hanseníase e o PSF escola, vinculados a outros cursos da área da saúde, como Enfermagem, Biomedicina e Nutrição, Educação Física e Ciências Biológicas.

APOIO

O Deputado Federal Odair Cunha (PT/MG), teve um papel fundamental para que o MEC realizasse a visita in loco.  Segundo ele, seu apoio se deu no sentido de conseguir demonstrar junto ao Ministério da Educação, que a FESP teria condições de oferecer um curso de excelência. “Nossa preocupação foi mostrar que a FESP já estava preparada para este curso”, declarou Odair destacando a visão empreendedora do professor Fabio Kallas ao propor a criação do curso. “As pessoas têm o tamanho de seus sonhos e só grandes gestores têm competência para tornar grandes sonhos realidade e este é o perfil do professor Fabio Kallas. Este resultado é uma prova de que a FESP e toda a sua equipe desenvolveram um trabalho sério que culminou neste resultado. Nós vamos ter agora uma sinergia muito importante na cidade de Passos, juntando especialidades médicas e especialidades acadêmicas. Vamos continuar trabalhando para que a aprovação da abertura do processo seletivo aconteça o mais rápido possível”, declarou o deputado Odair Cunha.

O provedor da Santa Casa também reconheceu o trabalho do gestor da FESP. “Não há dúvida, a FESP tem tido um papel decisivo no desenvolvimento de Passos. O Professor Fábio Pimenta Esper Kallas é um visionário, excelente articulador e estrategista. Um homem com talento para promover a educação. Quantos cursos e projetos nascem a cada dia, na FESP. Chegam para acrescentar à nossa comunidade, novas e melhores perspectivas. Ganha o mercado. Ganha a economia. Ganha a cultura. Ganham especialmente nossos jovens que passam a ter novos sonhos e esperança”, afirma Dr. Vivaldo. 

MEDICINA MUDARÁ REALIDADE SOCIAL 

O curso de Medicina vai transformar significativamente a vida da população regional, com o afluxo de um crescente número de estudantes de municípios próximos e também muito distantes de Passos. Provocará também o afluxo de profissionais relacionados à área, principalmente professores médicos, o que eleva a qualidade dos serviços de saúde prestados, uma vez que esses profissionais também atuam no atendimento à população, seja via Santa Casa ou consultórios particulares. 

Ainda, no tocante à melhoria nos serviços de saúde, segundo critérios do MEC para a abertura do curso, deve se oferecer pelo menos três programas de residência médica em especialidades definidas como prioritárias para a região e hospital com leitos exclusivos para o curso. Isso aumenta significativamente a qualidade e a quantidade dos atendimentos à população.

O presidente da AMEG, a Associação dos Municípios do Médio Rio Grande e prefeito de São Sebastião do Paraíso Rêmolo Aloise, comemorou a notícia. “É com muita alegria e satisfação que recebo esta notícia da aprovação do curso de Medicina da FESP. Este é, com certeza, um marco histórico para a nossa região da AMEG e, de suma importância, pois vemos a Saúde como prioridade. Esse fato também tem muita importância para as entidades que, direta e indiretamente, se beneficiam sobremaneira com a abertura do curso. Como presidente da AMEG, posso afirmar que, com essa conquista, nossa região poderá chegar ao ápice de cursos universitários e se tornar um pólo”, declarou.

O prefeito de Passos, Ataíde Vilela, recebeu com satisfação a notícia da aprovação do curso de medicina da FESP pelo Ministério da Educação, pois acredita que a formação de médicos em Passos será importante para a cidade e toda a região, uma vez que muitos municípios são carentes desses profissionais da saúde. "É muito bom! Tudo que for feito no sentido do nosso desenvolvimento é muito bom! O curso de medicina é um sonho de Passos e da região. Essa aprovação, com o futuro funcionamento do curso, a gente acredita que irá resolver a questão de falta de oferta de médicos na região", disse o prefeito.

Thiago Ribeiro Cruz, presidente do Diretório Central dos Estudantes e aluno de Engenharia Civil, diz que os estudantes ficaram satisfeitos com a notícia. “Já esperávamos uma nota de excelência, pois nossa estrutura ficou perfeita, sem falar que tínhamos tirado nota 4 no curso de Engenharia Civil e nota 5 no curso de Cosmética consolidando a FESP como escola de qualidade É notável as mudanças que vem sendo feitas para melhorar a qualidade de nosso ensino. Temos certeza que os cursos da FESP já autorizados e os que vierem terão notas de excelentes”, declarou. 

De acordo com o professor Itamar Teodoro de Faria, Historiador e professor de Antropologia e Sociologia na FESP, o fenômeno de fundo que precisa ser considerado é o das cidades médias. As cidades médias são centros urbanos que concentram em si serviços e condições que, anteriormente, somente eram disponíveis nas capitais ou grandes centros. Passos é uma cidade média que já concentra e disponibiliza diversos serviços de Educação, Hotelaria, Turismo, Concessionárias de Serviços Públicos, Atendimento Especializado em Saúde, etc. No tocante à Educação, o Ensino Superior provoca o afluxo de estudantes de largo raio geográfico, que, ou vem morar em Passos ou se deslocam diariamente para cá.  Esse simples afluxo já provoca impactos imediatos no setor imobiliário e no de transporte e alimentação.

O CURSO

Serão 60 vagas disponibilizadas e os alunos atuarão nas áreas básicas obrigatórias para formação - que são clínica médica, cirúrgica, ginecológica, obstétrica, pediatria e saúde coletiva- e também terão disponíveis as especialidades como oftalmologia, pneumologia e outras. O objetivo do curso é formar o médico generalista voltado para o atendimento primário, contribuindo sobremaneira para as ações do SUS, tanto na qualidade do serviço prestado, quanto na promoção da saúde por meio da educação continuada.  

De acordo com Tânia Maria Delfraro Carmo, diretora de Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde da FESP, os novos profissionais em médio prazo virão somar o atendimento e, sobretudo o trabalho de prevenção de doenças. “Acreditamos que vamos conseguir diminuir os índices de mortalidade materna e infantil, aumentar nossos números de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), e, sem dúvidas, melhorar a qualidade de vida da população por meio da prevenção, que é o fator que mais tem contribuído para melhoras na condição da saúde no Brasil. Nós temos uma sólida tradição na formação de profissionais na área da saúde com 31 anos experiência” declarou. 

Para a ginecologista Maria Paula Moraes Vasconcelos, médica da Santa Casa de Passos e escolhida para ser a coordenadora do curso de Medicina, a aprovação vem afirmar a responsabilidade e credibilidade que a FESP e os profissionais envolvidos têm. “É uma conquista extremamente importante porque mostra que a FESP tem grande capacidade de formação. Temos estrutura física, corpo docente qualificado e todas as unidades hospitalares necessárias para oferecer aprendizado prático, com as instituições parceiras que inclusive já realizam a Residência Médica para cursos de outras universidades. A gente acredita que nós vamos poder oferecer mais médicos com a nossa filosofia humanista e técnica apurada no acompanhamento da nossa comunidade. Estamos satisfeitos e preparados para promover uma grande melhora na saúde da nossa população”, defendeu.

A coordenadora do curso de Enfermagem da FESP, professora Maria José Pessoni Goulart, destacou o perfil do médico que será formado pela FESP: “Temos uma rede de atenção à saúde em Passos suficientemente ampla e diversificada (em todos os níveis de atenção) para permitir o aprendizado da Medicina ao longo de todo o curso. Ou seja, os profissionais formados pelo curso da FESP serão preparados para enfrentar os desafios contemporâneos, o que contribuirá para o desenvolvimento social e da saúde na nossa cidade e região. 

ESTRUTURA

A FESP se preparou para receber os avaliadores do MEC investindo mais  de R$ 1,5 milhões em infraestrutura, aquisição de equipamentos e livros que serão dedicado aos cursos da área da Saúde. As obras começaram em 2012, com os primeiros laboratórios do curso de Medicina, localizados no Prédio Principal (Bloco 01) da FESP.

“Nossa equipe do Departamento de Obras trabalhou sete dias por semana para viabilizar este sonho. E o resultado está ai. Temos uma obra belíssima que abrigará com qualidade e conforto nossos futuros estudantes do curso de Medicina e nossos alunos dos demais cursos da área de saúde. É com orgulho que a equipe do obras entregou este prédio”, destacou o Vice-presidente do Conselho Curador, Engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira que foi o responsável pela obra e é também o Diretor do Núcleo de Engenharias da FESP.

O projeto, assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro tem uma área de 800m², englobando ambientes de aprendizado na área de anatomia; microscopia; bioquímica, farmacologia, biofísica, informática, fisiologia; técnica cirúrgica, biotério, além do laboratório de habilidades - um dos mais complexos da região com quatro salas para práticas de ginecologia e obstetrícia, urgência e emergência, clínica geral, atendimento ao recém-nascido e pediatria.

O Diretor Executivo da FESP, Dacio lemos Martins destacou o trabalho de toda a equipe para o sucesso do projeto. “Foi um trabalho feito de mãos dadas. Todos os setores da instituição envolvidos trabalhando com dedicação como sempre fazem. Toda a estrutura administrativa em favor da realização deste grande sonho confirmando que somos acima de tudo uma família”, destacou.

CRONOLOGIA

Fevereiro de 2010

Prof. Fabio Kallas, convoca sua Diretora de núcleo de saúde - professora Tânia Delfraro para iniciarem a elaboração do projeto do curso de Medicina, já percebendo as dificuldades de contratação de médicos pelos municípios em geral, especialmente o de Passos.

Julho de 2011 

O professor Fábio Kallas apresenta a proposta de criação do curso de Medicina aos representantes das instituições de saúde de Passos: Dr. Vivaldo Soares Neto, Dr. Pedro Messias da Silva, Dra. Maria Paula Moraes Vasconcelos, Dr. Marcos Antônio de Oliveira, Dr. Walter Alvarenga Oliveira, Dr. Cleiton Piotto Assunção, Dr. Eurípedes José da Silva (representante do CRM - Subseção de Passos), Dr. Devanir Silva Prado, Prof. Marcelo Soares de Oliveira, Vanessa Luzia Queiroz da Silva, Daniel Porto Soares, e Dr. Geraldo Brasileiro Filho (médico atuante em Belo Horizonte e professor da UFMG)

Agosto de 2011

Foi constituído o Núcleo Docente Estruturante (NDE) formado não só pelos professores da FESP, mas também por profissionais das instituições parceiras e conveniadas. O grupo teve o acompanhamento especial do médico passense e professor Geraldo Brasileiro Filho, que é também avaliador do MEC.

Dezembro de 2012 

A proposta foi postada no Sistema do MEC

Maio de 2013

O MEC requisitou a comprovação das práticas e foram enviados os documentos relativos aos convênios com as instituições e secretarias de saúde de Passos, São Sebastião do Paraíso e Piumhi.

12 de Agosto de 2013 

Foi aberto o último formulário solicitando um resumo de tudo o que os avaliadores observarão. Os documentos foram enviados no dia 25 de Agosto.

13 e 14 de Setembro de 2013

Realizada a visita in loco

18 de Setembro de 2013

Divulgada a aprovação com nota quatro. 

Curso nasce em bom momento para segmento da saúde 

A aprovação do curso de Medicina em Passos vem em um momento em que o Governo Federal está desenvolvendo um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, expansão do número de vagas de Medicina e de residência médica, e com o aprimoramento da formação médica no Brasil, além de levar profissionais para regiões carentes, com o programa “Mais Médicos”.  

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde em Fevereiro deste ano mostram que a relação de médicos por habitantes no Brasil é muito baixa em comparação a outros países. 

A média brasileira é 1,83 médico para cada mil habitantes, enquanto no Uruguai, por exemplo, o índice é 3,7 e na Espanha 4.