A comissão do Ministério da Educação (MEC) visitou a Fundação de Ensino Superior de Passos para realizar a avaliação in loco que autoriza a instalação do curso de Estética e Cosmética na FESP. O laudo da visita será encaminhado ao MEC com a nota dada pelas representantes do órgão do governo e ficará sobre responsabilidade do Ministério da Educação determinar a abertura do curso.

O presidente do conselho curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas recebeu a visita como mais uma conquista que a Fundação alcança. “O projeto para o curso de Estética e Cosmética, desenvolvido pelo núcleo de saúde, coordenado pela professora Tânia Delfraro e sua equipe, foi apresentado ao MEC no final de 2012. A comissão enviada pelo MEC fez a avaliação das nossas instalações, do projeto pedagógico, do corpo docente proposto e conseguimos mostrar nosso trabalho. Agora vamos aguardar a aprovação do MEC para a liberação de mais um curso de graduação para nossa escola”, disse.

A Professora Glaucia Pereira Braga, representante do MEC, disse que a estrutura que a FESP oferece a surpreendeu. “Chamou minha atenção o comprometimento da equipe para que se realize um bom trabalho e para que a faculdade possa formar profissionais que venham atender a demanda de mercado da cidade que é eminentemente de prestação de serviço e carente desse profissional do curso que nós viemos fazer o ato avaliatório de autorização. Não posso adiantar o resultado, mas posso parabenizar a Fundação pelo seu compromisso com a educação”, declarou.

Ainda segundo Glaucia, o curso de Estética e Cosmética é interessante pelo fato de que seu mercado consumidor tem crescido consideravelmente nos últimos anos. 

A professora Anete Maria Lucas Veltroni Schiavinatto, também avaliadora do MEC afirmou que a FESP está apostando em um mercado promissor. De acordo com ela “Sem inovação não dá para atender a expectativa de um novo século. A área de estética e cosmética vem mexer não só com a saúde, ela vem agregar valores de qualidade de vida e envolve auto-estima, por isso eu acredito que pela proposta de instalação deste curso a FESP está sendo visionária”, destacou.

Em relação à avaliação feita pelas representantes do MEC, Anete Schiavinatto foi positiva em relação ao que viu na FESP. “Pela nossa experiência de avaliação em visitas a Instituições, confesso que o perfil de ensino de extensão e de pesquisa que a FESP tem realmente é uma oportunidade para que saia daqui um profissional extremamente bem formado. Esse profissional tem espaço no mercado de trabalho e esse curso vem agregar possibilidades porque é uma tendência, o que o mercado está precisando”, afirmou a avaliadora.

A diretora do núcleo acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, professora Tânia Delfraro explicou que o futuro profissional formado pelo curso poderá atuar em centros de estética, salões e institutos de beleza, academias de ginástica, consultórios, casas de repouso, estâncias hidrominerais e SPAs. Esse amplo mercado inclui ainda consultorias, indústrias de equipamentos, instituições educacionais e de pesquisa, empresas públicas e ONGs vinculadas à estética. Ao final do curso o tecnólogo estará apto a definir e aplicar, com segurança, tratamentos estéticos corporais, faciais e anexos, terá grande facilidade em buscar as novas tecnologias, equipamentos e produtos, e também vai dominar fundamentos de marketing e visão gerencial, essenciais para o sucesso profissional.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG