A professora dos cursos de Enfermagem, Nutrição e Biomedicina da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e integrante da equipe do Ambulatório Escola, Raquel Dully Andrade, acaba de defender sua tese de Doutorado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP). A tese teve como título “Em defesa da saúde da criança: o cuidado de enfermagem e o direito à saúde no contexto da atenção primária” e consistiu em um estudo dentro da área de concentração de “Saúde Pública” e da linha de pesquisa “Atenção à criança e ao adolescente”.

Orientado pela Profa. Dra. Débora Falleiros de Mello, o trabalho teve como objetivo compreender as experiências de enfermeiros que atuam em unidades de saúde da família na perspectiva do cuidado e da defesa do direito à saúde, buscando novos subsídios para a constituição de práticas e saberes no contexto da atenção primária em saúde da criança. Raquel desenvolveu a pesquisa utilizando entrevistas semi-estruturadas com 14 enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família em Passos.

Os resultados podem ser utilizados para a melhoria e o aperfeiçoamento do atendimento na atenção primária às crianças. Nas experiências narradas pelos enfermeiros foi demonstrada a necessidade de fortalecimento do apoio entre profissionais e serviços, diminuindo assim a condição de maior vulnerabilidade para as crianças. Os potenciais da relação entre as áreas da saúde e do direito foram destacados. Entre os componentes da competência do enfermeiro destacaram-se as habilidades de comunicação e interação, envolvimento e empatia, responsabilidade e conhecimento teórico-prático. Os resultados mostraram ainda a importância do território e a necessidade de sua valorização na rede municipal, com vistas à articulação dos serviços e políticas públicas. “Na saúde da criança os enfermeiros devem ser agentes públicos imbuídos de observação e intervenção para respeitar, proteger e efetivar os direitos humanos na proteção da saúde da criança”, descreveu a Doutora Raquel Dully.

A professora teve bolsa da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) e ajuda de custo da FESP. Ela ressaltou a importância do apoio da FESP principalmente na oportunidade de desenvolver pesquisas e projetos de extensão colocando em prática os conhecimentos adquiridos durante o curso de Doutorado.  “A FESP teve toda importância, uma vez que cursar o Doutorado envolve um processo árduo, que ganhou sentido na minha atuação como docente nesta instituição, tanto no ensino, quanto na pesquisa e extensão. Acredito que os resultados desta vivência, bem como o título conquistado, trazem contribuições importantes nas diversas ações docentes, abrangendo, ensino, pesquisa e extensão”, disse a professora Raquel.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG