Dep. Federal Nilton Lima, Glaucius Oliva (presidente do CNPq) e Aloísio Mercadante (ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação) em reunião em Brasília.

A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), por ser uma instituição de pesquisa credenciada junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) irá participar do Programa Ciência sem Fronteiras do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. O programa disponibiliza uma cota de bolsas “sandwich” na graduação que promove o intercâmbio do aluno com diversos países inseridos com universidades participantes. O objetivo é apoiar alunos formalmente matriculados em cursos de graduação no Brasil nas áreas de prioridades do programa.

O diretor do Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, professor Eduardo Goulart Collares esteve em Brasília na semana passada em reunião com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante Oliva, para assinar a inclusão da FESP junto ao Ciência sem Fronteiras.

Nesta primeira concessão pelo CNPq, as bolsas são destinadas a alunos envolvidos em programas de iniciação científica e tecnológica e visam aperfeiçoar sua formação no exterior e estimular suas competências e habilidades para o desenvolvimento científico e tecnológico, o empreendedorismo e inovação, conforme informou o ofício enviado pelo ministério para a FESP. Posteriormente, outras bolsas serão concedidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior (CAPES) para alunos com bom desempenho no ENEM e os premiados em olimpíadas científicas e concursos temáticos, incluindo os ingressantes no ensino superior pelo PROUNI, SISU ou vestibulares. “Informamos que as bolsas devem ser dirigidas para as melhores universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica do mundo e preferencialmente, para as que incluam estágios em laboratórios de pesquisa ou empresas inovadoras”, diz o documento que é assinado pelo próprio ministro Mercadante e pelo presidente do CNPq, Glaucius Oliva.

A conquista da participação da FESP nesse programa é motivo de orgulho para toda a comunidade acadêmica. A instituição só conseguiu a adesão a um programa deste porte devido ao credenciamento junto ao CNPq como uma instituição de tradição em pesquisa e extensão. “Essa conquista é uma demonstração de que somos uma instituição de pesquisa séria e que desenvolve pesquisas de qualidade”, comemorou o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

De acordo com o professor Collares neste ano a FESP receberá duas bolsas de intercâmbio e para os próximos anos este número poderá ser bem maior. Num primeiro momento serão ofertadas 2 mil bolsas para alunos de graduação de todo o país com o período de duração de 6 meses a um ano nas principais universidades do mundo. “Já estamos credenciados ao CNPq e de agora em diante iremos receber todos os anos uma cota de bolsas de intercâmbio para o exterior, assim como também poderemos receber alunos de diversas universidades do mundo para estudar na FESP”, destacou Collares.

Até o ano de 2014 serão oferecidas 35 mil bolsas para a graduação e 75 mil somando as de graduação e as de doutorado e pós-doutorado.

A seleção dos candidatos para a bolsa será um processo rigoroso interno que irá avaliar se o aluno participa de projetos de iniciação científica, se tem um bom histórico curricular e desenvolve trabalhos acadêmicos relevantes. O Programa Ciência sem Fronteiras tem 18 áreas prioritárias e a FESP participará dentro das áreas de Engenharia e demais áreas tecnológicas; Ciências Exatas e da Terra; Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde; Computação e Tecnologias da Informação; Produção Agrícola Sustentável; Energias Renováveis e Tecnologia Mineral.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing