Equipe nas filmagens

A equipe do Festival Selton Mello de Vídeo, promovido pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Fundação de Ensino Superior de Passos, deu início aos trabalhos da terceira edição. Depois do convite às escolas, foram selecionadas 10 participantes, mas somente 9 puderam efetivar a participação, pois uma das escolas não compareceu às oficinas teóricas já realizadas.

Coordenam o projeto os professores Diego Vasconcelos, Diovany Rodrigues e Paulo Henrique Vallim com o apoio do ator passense que dá nome ao festival Selton Mello.

Cada escola pode participar com propostas para a produção de um curta-metragem com o apoio da equipe da FESP. Para a seleção, porém, caso a escola seja selecionada somente uma proposta será desenvolvida. A mostra competitiva, na qual são apresentados os resultados do projeto, será realizada no mês de novembro.

De acordo com o professor e um dos idealizadores do projeto Paulo Henrique Valim a expectativa para este ano é animadora. As escolas selecionadas para a disputa do festival são: E.E. Nossa Senhora da Penha, Colégio Imaculada Conceição, E.E. São José, E.E. Dulce Ferreira de Souza, E.E. Neca Quirino, Colégio Del Rey, E.E. Profª. Júlia Kubitschek, Colégio São Francisco, Colégio Status e Colégio Tiradentes da Polícia Militar. Todas as equipes selecionadas, são compostas de 6 estudantes.

Durante o início do festival são realizadas oficinas teóricas abordando fases do processo de produção de um curta desde roteiro, direção de fotografia e iluminação e direção de arte às temáticas de cinegrafia, figurino, produção e produção de áudio.

No próximo dia 2 de julho acontece a última oficina teórica que vai trabalhar a direção geral, edição e pós-produção, direção de atores e finalização do processo de produção dos curtas. Depois disso começam as gravações que serão no mês de agosto. “As gravações tem o prazo máximo de 8 horas. Os alunos escolhem um ponto de referência e tem 100 metros de raio para distribuírem suas locações. A equipe de apoio do festival acompanha todo o processo, seja auxiliando na direção, iluminação ou na cinegrafia”, explica Paulo Henrique.

Os alunos são orientados durante todo o processo do festival através dos encontros semanais com os idealizadores e monitores da FESP. “Os alunos vão elaborando os roteiros durante todas as oficinas. A cada oficina eles recebem orientações e dicas para conduzirem o enredo. Após o último encontro ainda há uma etapa de correção e sugestões a respeito dos roteiros, completa Paulo Henrique.

O júri é composto por pessoas ligadas à produção audiovisual e ao cinema. No fim de semana que antecede a mostra, o júri irá avaliar os vídeos enviar a votação em envelope lacrado. Este ano também haverá um júri popular.

Fonte: Agência Escola