Profº Fábio Kallas, Helvio Maia e Cláudia Arouca

A noite de lançamento do livro “A realidade pública do esporte nos municípios da região médio Rio Grande do Estado de Minas Gerais” que aconteceu na última quinta-feira (9) no Auditório do Bloco 1 (Prédio Principal) foi um sucesso de público com a presença de diversas autoridades e estudantes da FESP. O evento contou com a presença do presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas e representantes da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (AMEG). O livro é o resultado da pesquisa homônima que apresenta alguns apontamentos referentes à realidade da gestão esportiva nos municípios da AMEG. A pesquisa foi realizada em um convênio entre o Ministério do Esporte, por meio da Secretaria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer, com a FESP através do curso de Educação Física. O convênio aconteceu mediante uma chamada pública para fomento de pesquisas a serem desenvolvidas na Rede CEDES (Centro de Desenvolvimento do Esporte e do Lazer). Foram impressos mil exemplares do livro e a obra será enviado ao Ministério do Esporte e a órgãos da área do esporte.

Assinam a pesquisa os professores Claudia Arouca Queiroz, Liane Mendes Santos e Marcelo Campos Machado. Os estudantes que participaram da pesquisa são Marlean Kelli Aparecida Silveira e Walquiria Paiva Costa, ambas do curso de Educação Física, Miriele Gracini, do curso de Serviço Social e Victor Henrique dos Reis, do curso de Sistemas de Informação.

De acordo com a coordenadora do curso de Educação Física e pesquisadora Claudia Arouca Queiroz, o objetivo geral foi traçar um panorama do desenvolvimento das políticas públicas para o esporte e lazer e a abrangência dos projetos e ações de incentivo às práticas esportivas, por parte dos gestores da AMEG, com vistas ao esclarecimento público da realidade da gestão esportiva na região. “Programas de políticas públicas de esporte têm sido objeto de várias pesquisas, buscando atender a uma demanda da sociedade, quanto à necessidade de atividades esportivas e de lazer para o tempo livre da população urbana. O ócio nas cidades é resultado de uma nova configuração do trabalho na reestruturação do capitalismo, em que cada vez mais o tempo é controlado pelas necessidades do mercado, motivo pelo qual vêm sendo geradas mudanças culturais na população. Como conseqüência, o esporte vem ganhando um novo papel na organização pública, ao relacionar-se com o bem-estar das populações. As políticas públicas esportivas, para atingir os diversos segmentos sociais, devem primar pela distribuição democrática dos recursos existentes, incorporando à dinâmica da cidade as práticas corporais e esportivas como direito assegurado de afirmação cultural e de cidadania”, explica Claudia.

As fontes de informação da pesquisa foram os próprios gestores esportivos municipais da AMEG, por meio de questionário próprio, fazendo as indicações de locais em que as políticas públicas efetivamente aconteceriam, para que os pesquisadores coletassem outras informações pertinentes ao tema central, como visual, por exemplo.

Fonte: Agência Escola