Yan de Melo Vasconcelos

O jovem enxadrista Yan de Melo Vasconcelos, 18 anos, está sendo apoiado pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e vai desenvolver um projeto denominado Clube de Xadrez Gigante com o objetivo principal de disseminar o esporte para um público maior.

O patrocínio da FESP iniciou em julho do ano passado. Yan participa constantemente de torneios de xadrez por todo o Brasil e tem conquistado muitas vitórias. Em julho de 2010, o esportista participou do Classificatório Mineiro Pensado Sub-18, realizado em Itajubá e Itaú de Minas e venceu a competição, acumulando o bicampeonato. O torneio teve a participação de 68 competidores.

Yan é filiado a Federação Mineira de Xadrez (FMX), órgão vinculado à Confederação Brasileira de Xadrez (CBX). Em suas conquistas o jovem acumula o título de bicampeão municipal do Clube de Xadrez de Passos, mantido pela prefeitura, 4º lugar no Torneio Internacional de Xadrez (Ribeirão Preto-SP), Campeão Sudoeste Mineiro Sub-16 (Nova Resende-MG), 5º lugar no Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar (Poços de Caldas-MG). Yan ressalta a importância do apoio da FESP pois, antes da parceria, as despesas com as competições eram muito altas. “Agora, além da ajuda de custo conto também com o incentivo, uma forma de apoio moral mesmo. Representando a FESP, minha credibilidade aumenta”.

Amante do xadrez desde os 13 anos de idade, Yan começou no esporte por indicação de amigos. Frequentou por muito tempo o Clube de Xadrez de Passos e logo no primeiro dia que jogou uma partida, mesmo sem saber muito as regras, venceu o seu adversário. Ele explica que naquele momento o conhecimento era apenas sobre o xadrez didático, uma forma mais fácil do jogo. “Com o xadrez didático, as regras não são tão intensas. Com o passar do tempo fui me aprofundando e conhecendo as regras e hoje jogo um xadrez esportivo que é a modalidade disputada nas competições. Com a FESP tive mais incentivo para continuar aprendendo os fundamentos do jogo”, explica.

Para Yan, apesar de ser o segundo esporte mais praticado do mundo (perdendo apenas para o futebol) o xadrez ainda é pouco divulgado no Brasil e considerado um esporte de elite. “Estamos trabalhando para mudar esse conceito. Desde julho de 2010, quando fiquei sabendo do apoio da FESP a esportistas individuais procurei o presidente do Conselho Curador e propus um trabalho, uma parceria, que foi aceita”, disse.

Origens

Estudioso não só das regras do jogo, mas também de sua história pelo mundo Yan lembra que o caráter elitista concedido ao xadrez se deve ao fato de ter sido um esporte praticado por reis e rainhas. A admiração pelos jogadores famosos fez com que Yan criasse um codinome para ser usado nas competições. Ele uniu o seu primeiro nome com parte do sobrenome de Garry Kasparov, famoso enxadrista russo, surgindo assim Yansparov, bem característico da jovialidade do atleta. Ele cita ainda outro enxadrista russo de quem também é fã: Alexander Alekhine.

Com uma bagagem ampla sobre o xadrez ele vai ser o responsável pelo projeto do Clube de Xadrez Gigante, criado pela FESP. O tabuleiro de xadrez gigante é uma modalidade especial com peças de aproximadamente um metro e meio e que é destinada ao lazer. O jogo será levado nos mais variados eventos esportivos e pedagógicos que a FESP promove em várias ocasiões durante o ano, como o Praça Viva. Além disso serão oferecidas aulas de xadrez para estudantes da FESP e alunos de escolas públicas e privadas de Passos.

Modalidade Esportiva estimula raciocínio

A dedicação ao jogo é grande. Yan ressalta que está sempre estudando, fazendo exercícios de raciocínio, estudando novas estratégias. Com o avanço da internet, os jogos on-line possibilitam um estudo mais profundo do xadrez e o contato com competidores de vários lugares do mundo. “Já fiz muitas amizades com pessoas de outros lugares devido ao fato de estar jogando o xadrez on-line e sempre sou convidado para jogar torneios reais em diversas cidades do Brasil”, lembra o enxadrista.

Todo esse empenho de Yan se deve ao fato de que ele está certo dos benefícios promovidos pelo xadrez. Ele cita alguns dos valores resgatados pelo esporte: “auto-controle, paciência, tomada de decisão, organização metódica dos estudos, interesse por línguas estrangeiras e o principal deles que é o desenvolvimento do raciocínio”, conclui.

Fonte: Agência Escola