Começou hoje de manhã, na FESP, o curso de capacitação do projeto “O Caráter Conta”. Os educadores do Virginia Polytechnic Institute and State University – Virginia Tech, de Blacksburg, Estado da Virginia (EUA) Glenda Snyder, Brian Hairston, John Blakenship, Jocelyn Dailey e Jeremy Johnson vão capacitar cerca de 200 pessoas. As aulas começaram hoje e terminam amanhã, com palestra aberta ao público.

A abertura oficial foi feita no auditório Armando Righetto (bloco 08 da FESP) que ficou completamente lotado. Professores, estudantes e profissionais de diversas áreas participaram do primeiro dia de capacitação para o desenvolvimento do programa.

O projeto “O Caráter Conta” é uma proposta educacional que tem como fio condutor seis valores morais considerados fundamentais ao desenvolvimento humano: Sinceridade, Respeito, Responsabilidade, Zelo, Senso de Justiça e Cidadania. As aulas estão sendo ministradas no prédio principal da FESP em seis salas de aulas.

A FESP é parceira do projeto e vai contribuir com uma rica programação durante todo o decorrer do ano, com várias atividades educativas coordenadas pelo Professor Mestre Itamar Faria, através do curso de Serviço Social e com a participação de vários outros cursos. A Banca da Honestidade da FESP também foi incorporada ao programa americano e vai percorrer escolas e instituições de Passos.

A ONG Deus Proverá também é parceira no projeto e na promoção do curso de capacitação.Os professores capacitados serão responsáveis pela implantação do programa em seus locais de trabalho.

Nesta terça-feira (28) a professora Glenda Snyder, vai ministrar palestra aberta ao público a partir das 19h30, na Câmara Municipal de Passos. Quem quiser participar basta comparecer ao local (Avenida Perimetral, 151) levando um quilo de alimento não perecível.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A construção do campus unificado da FESP vai envolver uma grande ação social na cidade de Passos com a participação de presidiários condenados que serão capacitados com curso profissionalizante e vão trabalhar no canteiro de obras. O projeto “Educar e Construir” da FESP será lançado nesta segunda-feira à noite, durante a solenidade de lançamento oficial do Projeto de Construção do Campus da FESP. “Mais uma vez a FESP promove um projeto de reinserção social. Estamos otimistas com a parceria com a administração do Presídio de Passos. Ao mesmo tempo em que contribuímos para o problema da falta de mão de obra especializada na construção civil, daremos oportunidade para que esses jovens possam adquirir uma profissão para o futuro”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

A participação do presídio de Passos vai contribuir para a redução da pena dos presos condenados que participarem do projeto. “A cada três dias trabalhados, um a menos na condenação. Esta é uma grande oportunidade porque envolve também a capacitação dos detentos que vão sair com uma profissão”, explica a psicóloga Nágila Medeiros Couto, diretora de Atendimento e Ressocialização do Presídio de Passos.

Para o Diretor Geral do Presídio de Passos, José Vicente de Souza, a ação vai atingir positivamente toda a comunidade. “Com esta proposta de ressocialização pela qualificação, o preso já sai com uma profissão, com um futuro melhor”, avalia.

“Através da Educação e do Trabalho conseguimos contribuir não só com o futuro dos presidiários, mas de toda a nossa sociedade que hoje passa por uma onda de violência e que vai receber este preso depois do cumprimento da pena”, reforça a coordenadora do Núcleo de Ensino e Profissionalização do Presídio de Passos, Kátia Pereira.

Segundo o coordenador do projeto, o engenheiro Ivan Francklin Júnior, a parceria entre FESP, o Governo do Estado, o CREA-MG (Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais), o setor industrial/empreendedor representado pela Construtora CMP e o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil resultou na elaboração de um projeto para formação e capacitação de mão de obra regional, para fomentar o desenvolvimento do setor no sudoeste mineiro. “O objetivo geral é contribuir para o desenvolvimento regional da indústria da construção civil através da formação e capacitação de profissionais de mão de obra para atuação nas diferentes áreas da construção civil  como: servente de obras, pedreiro, carpinteiro, armador de estruturas de concreto armado, ladrilheiro, pastilheiro, encanador, eletricista de instalação de edifícios de baixa tensão, pintor de obras”, explica.

O curso será dividido em 18 módulos e contempla aulas teóricas, práticas em laboratório da FEP (Faculdade de Engenharia de Passos) e práticas em canteiro de obra. Cada módulo contempla uma apostila que será entregue ao aluno. Além dos conteúdos específicos da construção civil, serão oferecidas também disciplinas de segurança do trabalho, meio ambiente, cidadania, inclusão social e inclusão digital.

Inicialmente o projeto será aplicado aos detentos condenados do presídio de Passos-MG em parceria com a SEDS – Secretaria de Estado de Defesa Social e a funcionários do setor de obras da FESP, posteriormente será aberto para funcionários do setor regional da construção civil, priorizando os funcionários da Construtora CMP. “Não haverá separação entre os presidiários e os funcionários, todos assistirão aulas práticas e teóricas em conjunto, usando, inclusive as mesmas roupas de prevenção a acidentes de trabalho quando já estiverem no canteiro de obras”, afirma o engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, diretor do Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, responsável pela construção do campus, ressaltando a importância social da integração da equipe.

Estarão envolvidos neste projeto 14 professores da FESP, além de técnicos e funcionários administrativos e pelo menos cinco estagiários de Engenharia Civil. “Para os alunos será uma grande oportunidade de participar de uma obra histórica para a FESP e para toda a região, eles poderão acompanhar todas as etapas e atividades da produção da edificação, desenvolvendo também o que nós chamamos de diário de obra, um relatório de aproveitamento de cada dia de trabalho. O trabalho no campo é muito importante para o aluno desenvolver a capacidade de interpretar o que é visto na teoria e aplicar na prática”, ressalta o engenheiro Leandro Mendes, professor e coordenador de estágio do curso de Engenharia Civil.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos, FESP, lançará oficialmente nesta segunda-feira (19) o projeto de construção do Novo Campus Universitário que vai abrigar no futuro todas as unidades da FESP, hoje espalhadas por 14 blocos diferentes pela cidade. Inicialmente, a FESP construirá 3 prédios com 24 salas de aula cada um, totalizando 72 novas salas de aula para 2013. “A FESP tem uma necessidade urgente de salas de aula, visto que estamos com novos cursos e o número de alunos vem aumentando ano a ano devido à credibilidade que nossa instituição conseguiu com esforço de seus professores e  funcionários administrativos ao longo destes últimos anos. Também será lançada a Caixa da Pedra Fundamental do Novo Campus, onde serão depositados documentos que estabelecem os fatos atuais de nossa cidade e região, comentários e mensagens dos presentes no evento.

A solenidade comemorativa será nesta segunda-feira, dia 19 de dezembro de 2011, no Clube Passense de Natação, com a presença de diversas autoridades. Este é um marco na história da FESP e de todo o sul e sudoeste do Estado. Vamos atender a este grande anseio de toda comunidade em dar à FESP um Campus que nossa escola merece, onde possamos  concentrar nossos alunos em suas atividades de aprendizado, as salas de aula, a biblioteca, os laboratórios. Esta nova estrutura oferecerá aos nossos estudantes uma condição especial de aprendizado. É um momento de grande comemoração”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

O campus universitário será construído onde hoje é o Centro Integrado de Recreação e Esporte, CIRE. A obra terá início em janeiro de 2012 sob coordenação do Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, sob responsabilidade do engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, vice-presidente do Conselho Curador.

O investimento inicial será de aproximadamente R$9 milhões para viabilizar os 3 prédios que começarão a ser construídos imediatamente. Possivelmente, através de linha de crédito automático do BNDES, “A operação já foi estudada no âmbito do  Banco do Brasil e foi protocolada junto ao BNDES. Provavelmente será liberada no mẽs de janeiro”, explica o Gerente de Governo do Banco do Brasil, Welington Morais Lima.

A FESP, por entender sua missão de educação e formação de pessoas na sua integralidade, optou por utilizar também mão de obra de presidiários que serão capacitados por seus professores, através do Projeto Educar e Construir, coordenado pelo professor Ivan Francklin Júnior, ganhando assim, além do aprendizado de uma profissão, salário e redução de pena a ser cumprida.

O Projeto

O Novo Campus tem projeto assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro também professor da escola de Engenharia da FESP. O entorno de cada prédio será destinado a pátios e estacionamentos e será preservado ao máximo o patrimônio verde do local.

“A forma do Edifício nasceu de uma avaliação do local, a situação geográfica especifica para o volume, o parque Dr Emilio Piantino com que faz divisa e a exuberância das árvores que formam a paisagem a ser ocupada pelas novas Edificações. A leve curvatura das fachadas imprime movimento que pretende adicionar um timbre diferenciado para uma solução modular simples”, explica o arquiteto.

Cada prédio consta de 3 pisos – Térreo, 1º pavimento e 2º pavimento com acesso através de rampa e entrada em 2 níveis.

A maquete eletrônica, com detalhes do projeto será apresentada para a comunidade na segunda-feira à noite, durante o lançamento oficial do Projeto do Novo Campus.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O arquiteto Paulo Esper Pimenta, o Paulinho Pimenta, também recebeu homenagem pelo projeto arquitetônico da Fundação de Ensino Superior de Passos.

:A placa com os dizeres: “Este prédio teve projeto arquitetônico assinado por Paulo Esper pimenta e Maristela Silva Pimenta. A construção iniciou-se em 1968 e foi inaugurada em 1974, em terreno doado pelo Município de Passos, na gestão do Dr. José Pereira dos Reis” foi descerrada nesta terça-feira, em solenidade com a presença de familiares do arquiteto, falecido em dezembro de 2000.

O prédio principal da FESP é considerado um marco da arquitetura moderna em Passos e abriga cursos e setores administrativos da Fundação.

Confira as fotos do evento na galeria de imagens da FESP AQUI.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Um projeto de alunos e professores do curso de Agronomia da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) está promovendo o cultivo de uma horta comunitária e oito hortas domiciliares na comunidade do Conjunto Habitacional Antonio Souza e Silva (COHAB IV) em parceria com a Assosciação Amigos do Bairro, a ONG Deus Proverá, Casmil, Agromap, Emater, Consep e Prefeitura de Passos.

Com foco na promoção da qualidade de vida das famílias envolvidas e os objetivos principais de promover a alimentação de qualidade e o exercício da educação ambiental, a horta foi reinaugurada no dia 27 de outubro, durante o I FESP INOVA, evento científico e tecnológico promovido pela FESP.

A horta é localizada à Rua Vereador Nadra Esper Kallas, em um terreno acima do armazém da Casemg/Casmil, bem próxima à comunidade da Rua Imaculada Conceição onde está situada a ONG Deus Proverá.

Além da horta comunitária acontece um projeto paralelo desde maio de 2011, desenvolvido pelos alunos do sexto período de agronomia. Em oito residências são aproveitados jardins e quintais no desenvolvimento de hortas comunitárias.

Sob a responsabilidade dos estudantes Henrique Pereira Leite e Ricardo Miranda de Oliveira, do 6º período de Agronomia, orientados pelos professores Frederico Ozanam de Souza e João Vieira Monteiro, a ideia nasceu do anseio dos mantenedores da ONG Deus Proverá em trabalhar com a comunidade local em uma horta comunitária. Segundo a coordenadora pedagógica da ONG, Letícia Leandra de Oliveira, ao tomar conhecimento que alunos do curso de Agronomia da FESP estavam desenvolvendo projetos de horta em quintais de famílias carentes, a ONG procurou a FESP e solicitou a ajuda para desenvolver o trabalho com a inclusão das crianças e adolescentes que são atendidos no Projeto Jornada para a Cidadania.  “Logo após fizemos contato com o presidente da Associação de Moradores do Bairro, Ailton Donizete Ferreira, responsável pelo terreno da horta, que é cedido pela Casemg. A ideia foi tomando corpo e crescendo e novos parceiros foram aderindo à proposta. Estamos muito contentes com a reinauguração da horta”, disse Letícia.

O projeto fornece atividades pedagógicas diárias às crianças e adolescentes que se encontram em vulnerabilidade social, buscando também a inserção de seus familiares e outros adultos. Com a participação da comunidade, o projeto colabora para a diminuição da ociosidade e contribui para a inclusão e o resgate da cidadania.

Conforme o professor da FESP Frederico Ozanam, para os estudantes de Agronomia é uma excelente oportunidade de observar, avaliar e acompanhar a importância da agricultura urbana e de uma alimentação adequada, vivenciando a sua realidade, além da aprendizagem sobre técnicas de produção de olerícolas (hortaliças).  “O projeto tem como foco as áreas ambiental, social e econômica, visto que servirá como instrumento de aprendizagem, como fonte de renda e emprego, aproveitamento de áreas não construídas no setor urbano, e disponibilizar alimento para população carente”, disse Frederico.

Os alunos de Agronomia estão satisfeitos com a parceria e acreditam que os resultados serão promissores. “Para nós, alunos, é uma boa oportunidade de sairmos da sala de aula e efetivarmos os conhecimentos adquiridos por meio da extensão, em prol do exercício de cidadania e, acima de tudo, contribuir para o desenvolvimento da comunidade local”, disse o estudante Ricardo Miranda de Oliveira. “O mais importante desse projeto é o seu lado social. Com essa ideia de implantar a horta comunitária, esperamos que a comunidade desperte a vontade de colaborar, sendo que como o próprio nome diz ‘horta comunitária’, não é restrita somente para uma pessoa e sim para toda a comunidade envolvida”, acrescentou o estudante Henrique Pereira Leite.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678