O professor do curso de Direito da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), Manoel Ilson Cordeiro Rocha, acaba de lançar o livro “Direito Internacional Público”, pela Editora Ribeirão, da cidade de Franca (SP). Manoel é mestre em Direito Internacional pela UNESP e cursa doutorado em Direito Administrativo pela Universidade de Lisboa (Portugal). O livro que acaba de lançar vem completar um trabalho voltado para a disseminação do conhecimento da área do Direito, com uma linguagem simplificada. Completa as publicações de Manoel o livro “Curso de Ciência Política e Teoria Geral do Estado”, pela mesma editora. Além das duas obras, Manoel possui uma série de artigos científicos publicados em periódicos de renome internacional.

O professor atua na FESP há 14 anos, onde leciona as disciplinas de Direito Internacional e Direito Administrativo. As obras do professor já estão disponíveis na biblioteca da FESP, que desenvolve uma política de apoio a escritores não só professores da instituição, mas autores da cidade e região, em todas as áreas. Os livros são adotados no curso de Direito da FESP como bibliografia utilizada nas aulas.

Para Manoel as obras surgiram da experiência com o magistério que fez com que ele encontrasse condições para poder produzir os livros que tem um teor didático. O professor tem autoridade no assunto já que leciona Ciência Política e Teoria Geral do Estado há 12 anos e Direito Internacional há 14 anos. “Com o material produzido pelo próprio professor, como resultado da minha experiência no magistério, eu consigo dinamizar o ensino, o aluno tem um material orientado, um material condizente com o trabalho em sala de aula. Ele consegue desenvolver melhor a disciplina”, destaca o professor.

O primeiro livro, o “Curso de Ciência Polítcia e Teoria Geral do Estado”, que foi lançado no início do ano passado, já está com a primeira edição praticamente esgotada. Dentro de oito meses será lançada a segunda edição, a qual Manoel já está preparando. “Comecei a escrever os livros há um bom tempo. Tenho pretensões de publicar outros livros, provavelmente algo referente às minhas pesquisas do mestrado e do doutorado. Também da disciplina de Direito Administrativo já tenho algo em produção, dois livros sendo preparados. Algo para os próximos dois anos ou três anos. Tenho um grande gosto por escrever, também escrevo em Literatura tenho alguns escritos em prosa e poesia”, contou Manoel.

Os livros têm um preço acessível já que o objetivo maior é a divulgação do conhecimento acadêmico e podem ser encontrados nas principais livrarias jurídicas. Em “Direito Internacional Público”, foi publicado um texto introdutório voltado para a preparação em concursos. Conforme Manoel, ele é um livro de leitura básica dentro do assunto. O “Ciência Política e Teoria Geral do Estado” faz referência a uma disciplina introdutória do curso de Direito que traz discussões não só do campo do Direito, mas da Ciência Política em geral. São apresentados temas como: Democracia, Cidadania, Opinião Pública, República entre outros. “É um livro que apesar de ter dicas para uma linguagem jurídica é de fácil compreensão e pode ser utilizado por profissionais de áreas afins”, acrescenta Manoel.

Para a FESP ter em seu corpo docente professores que se dedicam à pesquisa e à publicação de obras importantes para a disseminação do conhecimento é uma confirmação do nível de excelência do ensino oferecido. Com as publicações dos professores da FESP, os alunos podem ter acesso ao conteúdo e ainda discuti-los em sala de aula com os autores das obras.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O Vice-presidente do Conselho Curador da FESP, o engenheiro civil Manoel Reginaldo Ferreira é o representante de Minas Gerais no Conselho Federal de Engenharia Civil (Confea). O professor da FESP foi escolhido entre 30 membros do Conselho Regional do CREA-MG como Coordenador da Engenharia Civil no Estado de Minas Gerais.

O engenheiro já é Conselheiro Regional do CREA/MG há dois mandatos e foi eleito por unanimidade entre os membros mineiros para representar os profissionais em esfera federal. Manoel acumulará o cargo e participará de reuniões bimestrais com representantes da engenharia civil de todos os demais estados da federação.

Manoel já participou de dois encontros em Brasília este ano e na pauta, entre os assuntos de destaque, estiveram a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Ao longo dos trabalhos, os encontros entre os profissionais representantes da categoria de cada estado também discutirá a grade curricular das universidades e as novas tendências do mercado.

De acordo com o engenheiro, a responsabilidade do conselheiro é muito grande e dentre as suas atribuições está a de fiscalizar o exercício do profissional da engenharia nos estados, além de cobrar e propor mudanças na lei para garantir a qualidade na prestação dos serviços, bem como resguardar os direitos do profissional da engenharia civil, agronômica e ambiental. “É uma honra muito grande não só para mim como também para a FESP que entre tantos profissionais e instituições gabaritadas no estado, teve justamente a FESP, em um dos seus professores de engenharia, escolhidos para discutir os avanços do país”, disse Manoel fazendo um agradecimento especial ao Presidente do Conselho Curador e atual Subsecretário de Ensino Superior de Minas Gerais, Fabio Kallas, que segundo ele deu total apoio para que o profissional assumisse tal empreitada juntamente com o professor do curso de Engenharia Agronômica Heberson Silva que integra o CREA-MG.

Outro assunto na pauta dos conselheiros é a invasão de profissionais da engenharia vindos de outros países com destaque para China, Índia, Bolívia, Venezuela, Argentina e até dos Estados Unidos.

“Antes o profissional do Brasil sonhava em trabalhar fora, mas hoje com a crise internacional o país mantém uma economia sólida e está em plena expansão tornando-se assim um campo promissor para qualquer profissional que chega em nosso país e sem dificuldade nenhuma, conquista seu espaço no mercado de trabalho. Não somos contra a vinda de mão de obra externa, mas e quanto aos nossos profissionais que vão pra fora? Será que são recebidos com a mesma facilidade no mercado de trabalho destes países?” questionou ele.

Profissão em Alta

Falando um pouco sobre as linhas de atuação do profissional da engenharia civil no estado, Manoel foi enfático ao afirmar que falta mão de obra no mercado de trabalho. “Hoje o estudante antes mesmo da conclusão do curso já está com contrato assinado com alguma empresa no país. Faltam engenheiros nas mais diversas áreas. Posso afirmar com tranqüilidade que 70% da produção nacional depende do engenheiro, então você pode imaginar a falta de ele faz”, afirmou.

O engenheiro acredita que a boa maré da profissão vá continuar até pelo menos 2030. “Precisamos investir na infra-estrutura do nosso país se quisermos continuar crescendo, e para isso é necessário melhorarmos nossos portos, aeroportos, ferrovias, hidrovias e rodovias, e tudo isso se resume ao trabalho do engenheiro civil que tem um campo magnífico para percorrer”, disse.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) promoveu uma reunião no dia 2 de fevereiro, no auditório da Biblioteca Engº Oto Lopes de Figueiredo, para anunciar a instituição do título de professor-pesquisador. Comandada pelo presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas e pelo diretor do Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, professor Eduardo Goulart Collares e com a presença e participação de todos os diretores de Núcleos Acadêmicos, o encontro reuniu professores da FESP que já trabalham com a prática da pesquisa.

Os participantes conheceram os requisitos que o docente precisa ter para ser intitulado como professor-pesquisador. À medida que a proposta for sendo implementada, os professores que receberem o título poderão dedicar parte da carga horária para o desenvolvimento de pesquisas e a FESP apoiará sua qualificação e capacitação.

O presidente Fábio Kallas destacou que a FESP tem se fortalecido a cada ano na área de pesquisa, com participação nos editais mais importantes de instituições e empresas que investem em Pesquisa e Desenvolvimento, como FAPEMIG, FINEP, FURNAS e outras. “Entendemos que a instituição de ensino superior que investe em pesquisa constantemente, faz com que seu aluno adquira o espírito investigativo, tornando-se um profissional mais preparado e empreendedor. A FESP entende que o desenvolvimento de uma cidade e de uma região passa pela universidade. Portanto, é dever de uma escola como a FESP assumir o desafio de transformação, de desenvolvimento, de empreendedorismo e de inovação. O professor pesquisador é um professor diferenciado dentro da FESP, pois, além de suas incumbências na docência, ele tem a missão de ensinar desafiando, pesquisando, descobrindo, inovando, juntamente com seu alunado. O professor pesquisador é o professor que eleva o nome da universidade, colocando-a como uma universidade diferenciada”, disse Fabio.

De acordo com o professor Collares, inicialmente serão cerca de 40 docentes de todas as áreas do conhecimento que receberão o título de professor-pesquisador. O grupo será renovado a cada ano e novos professores serão indicados pelas diretorias. O professor terá metas para cumprir e aqueles que não cumprirem as regulamentações deverão ceder os seus lugares. “A idéia é antiga e surgiu da necessidade de estabelecer uma política de desenvolvimento científico para a FESP, reconhecendo o trabalho já realizado por nossos pesquisadores e os valorizando e qualificando para que possamos galgar novos desafios na realização de pesquisas científicas. Desde muito tempo, a FESP possui um grupo de pesquisadores que sempre se dedicaram à pesquisa. Com o apoio do Fabio e a nova estruturação administrativa da FESP, por meio de Núcleos Acadêmicos por área de conhecimento, está sendo possível colocar em prática este antigo sonho de criar uma política institucional para a pesquisa e o desenvolvimento”, destacou Collares.

Capacitação

Durante os dia 6 e 7 (segunda e terça-feira) foi realizado um workshop de elaboração de projetos para fontes de fomento, como uma primeira atividade de capacitação do professor pesquisador. Para ministrar a atividade foram convidados o engenheiro agrônomo Marcelo Franco, que é graduado pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e que atualmente ocupa o cargo de Coordenador do Programa de Energia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais (SECTES); o professor-doutor Pedro Castro Neto, engenheiro agrônomo pela Escola Superior de Agricultura de Lavras, com mestrado em Engenharia Agrícola pela UFV e doutorado em Agronomia pela UNESP e o professor-doutor Antônio Carlos Fraga, engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e com mestrado e doutorado em Fitotecnia pela UFV. Marcelo Franco e Antônio Carlos Fraga são professores titulares da UFLA.

Os convidados ministraram a palestra “Elaboração de projetos científicos”, na segunda-feira e a oficina “Submissão de projetos em agências de fomento”, na terça-feira. "Não é possível trabalhar o conhecimento de forma isolada. Temos que atuar em equipes interligadas e desfrutar do sucesso em conjunto. Se nós queremos ser uma nação forte, temos que investir na pesquisa e no conhecimento”, frisou Marcelo Franco durante as palestras.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O professor dos cursos de Comunicação (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), o fotógrafo profissional Diego Vasconcelos, conquistou dois prêmios na campanha #eufaçoaMostra da 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes (MG). Diego foi contemplado em primeiro lugar na categoria Mostra em Movimento com o vídeo “Interferências urbanas – 12ª Mostra” e em terceiro lugar na categoria Mostra em Foco com a fotografia “Caminhos de Tiradentes – 11ª Mostra”.

A campanha foi realizada por meio das redes sociais na internet nos últimos meses. Foram postadas 85 fotos, três vídeos e 12 textos com temática voltada à comemoração dos 15 anos da Mostra de Cinema de Tiradentes, segundo informações da Assessoria de Imprensa do evento. Através do site da campanha, 1230 pessoas avaliaram os conteúdos com notas de 1 a 5. Os vencedores foram aqueles que receberam as melhores notas dos internautas. O professor Diego recebeu 167 pontos para o vídeo e 346 para a foto.

A 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes acontece a partir desta sexta-feira (20) e vai até o dia 28. A cidade de Tiradentes com apenas 7 mil habitantes prepara em cada edição da mostra uma grande infra-estrutura para sediar a programação cultural que é abrangente e gratuita reunindo diversas manifestações da arte.

O 1º lugar de cada categoria da campanha ganhou duas diárias de hospedagem em Tiradentes, com direito a acompanhante, durante o evento além de um kit com bolsa, camiseta e catálogo e mais uma credencial de convidado da Mostra.

Os trabalhos do professor Diego, que possui ampla experiência na área de audiovisual e é o responsável pelas disciplinas de Fotografia dos cursos de Comunicação da FESP, foi produzido individualmente.  “As imagens foram produzidas durante as edições anteriores da mostra. O vídeo eu mesmo produzi, gravei e editei. Estou muito contente com a premiação”, disse Diego.

Para a FESP a conquista de Diego engrandece as atividades do corpo docente da instituição e coloca a escola em evidência no cenário nacional. Diego estará em Tiradentes nos próximos dias e destacou que as ideias para outras produções não param de surgir. As informações gerais sobre a 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes podem ser conferidas no site www.mostratiradentes.com.br

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos e a Folha da Manha promoveram nesta quinta-feira a noite de homenagens do projeto Projeto Professor Nota A. Professores de todas as escolas públicas e particulares de Passos, além de representantes de todos os cursos da FESP foram homenageados.

“O professor é o responsável pela formação de nossos profissionais e acima de tudo dos cidadãos que têm o poder de transformar a realidade de nosso país”, disse o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

O evento está em sua terceira edição e é organizado pelas professoras Leila Maria Suhadolnik Pádua Andrade e Sílvia Maria Oliveira Soares Maia.

Os professores homenageados foram escolhidos pelas escolas e coordenadores de cursos da FESP, com critérios próprios. Todas as escolas de Passos foram convidadas para participar.

O evento emocionou o público e contou com a participação dos vencedores dos festivais promovidos pela FESP. Interpretação de música, poesia além da animação dos dançarinos e compositores do Festival de Hip Hop, com suas criativas performances. O aluno Vinícius Freitas Oliveira do terceiro ano do ensino médio do Colégio Tiradentes recepcionou os convidados tocando saxofone.

Professores Nota A de 2011

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  dezembro 2020  >>
seteququsedo
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910