A segunda edição do Congresso de Ecologia realizada dentro do I FESP INOVA, evento científico e tecnológico promovido pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), está promovendo o debate de temas interessantes durante esta semana. A abertura oficial do evento aconteceu ontem (26) às 9h no Centro de Ciências Profa. Dra. Sônia Lúcia Modesto Zampieron. 

O evento promove um intercâmbio entre as pesquisas realizadas na FESP e o conhecimento de diversos pesquisadores da área de instituições de ensino superior renomadas de todo o país. Estão sendo debatidos diversos assuntos que envolvem desde ecologia de insetos, de peixes, até ecologia humana. Para a organizadora do evento professora-doutora Odila Rigolin de Sá os três dias serão de fundamental importância para o curso de Ciências Biológicas e demais cursos da FESP como o curso de Engenharia Ambiental. “Nosso curso de Ciências Biológicas tem um enfoque especial na Ecologia. Então é uma oportunidade que os alunos têm de discutir com diversos pesquisadores de várias instituições de ensino renomadas, podendo ter um incentivo e abrir novos campos de pesquisa e estudos. Esse congresso é uma homenagem aos 12 anos do curso de Ciências Biológicas e que este ano acontece junto com o I FESP INOVA”, disse Odila.

A Ecologia é o estudo das interações na natureza, analisando o ambiente e o equilíbrio entre as espécies. “Nós vivemos num ambiente e esse ambiente tem que estar equilibrado para que a gente possa ter qualidade de vida. Então desde os animais até o homem tem que haver um equilíbrio entre o meio biótico (vivo) e o meio abiótico (não-vivo)”, explica a professora.

O estudo do ambiente dos seres vivos inclui o homem. No Congresso de Ecologia várias palestras debatem a Ecologia Humana refletindo sobre o comportamento do homem no ambiente em que vive. 

Além das palestras e mini-cursos aconteceu na quarta-feira a apresentação de 40 trabalhos em formas de painel que abrange todos os tipos de seres vivos desde aqueles que vivem em ambientes sem luz, o fundo mar, por exemplo, até seres terrestres que vivem em contato com a luz. “Muitos trabalhos sobre o cerrado, sobre os recursos hídricos da região, biodiversidade, zooplâncton, entre outros”, completa Odila.

A abertura oficial do evento foi abrilhantada com a apresentação da Banda de Música do 12º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais. O Soldado Robson Augusto Domingos, da Polícia Ambiental esteve presente na abertura e na primeira palestra do dia e constata a fundamental importância do evento para toda a comunidade. “É um evento muito importante, porque hoje Passos é uma regional e temos vários municípios que são atendidos por Passos. É importante estudar a conservação e a preservação ambiental não só por nós da Polícia Ambiental, mas por toda a comunidade”, disse o militar.

Ecologia e comportamento social

A primeira palestra do dia abordou a biodiversidade de aves que vivem em ambientes ameaçados de extinção principalmente o cerrado e a mata-atlântica. Intitulada “Padrões sociais interespecíficos em aves nos hotspots brasileiros de biodiversidade”, a palestra foi proferida pelo professor-mestre Matheus Gonçalves dos Reis, que é doutorando em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Para Matheus o estudo da Ecologia é extremamente relevante na atualidade em vista dos problemas que o ser humano vivencia, devido ao uso incorreto da natureza. “É importante para prever o futuro, por exemplo, se pragas não vão atacar a produção alimentícia”, ressaltou.

O trabalho de Matheus estuda o mutualismo ou a convivência de aves de diferentes espécies. “É um exemplo para nós, seres humanos. Se na natureza não é só o predador atacando, há também o mutualismo, um colaborando com o outro. Estudar o comportamento de algumas espécies pode ser a salvação delas”, disse Matheus. 

O aluno Murilo Soares Ferreira do curso de Engenharia Ambiental desenvolveu um trabalho com o objetivo de fazer um diagnóstico da qualidade da água de abastecimento no município de Passos. “A FESP a cada dia que passa ela cresce, não só em reconhecimento regional, mas a nível nacional. É importante que os alunos desenvolvam projetos, trabalhos, lutem por bolsas de pesquisa e extensão. Estou satisfeito com o Congresso de Ecologia”, disse Murilo.

Durante toda a semana os participantes convivem com experiências diversificadas, inclusive um estudo diferente e inovador apresentado ontem: a palestra do professor-doutor Eraldo Medeiros Costa Neto, professor da Universidade Estadual de Feira de Santa (UEFS – Bahia) que tratou o tema “Antropoentomofagia: insetos na alimentação humana”. Durante a palestra foi realizada uma atividade para produzir uma pizza de grilo. A nutrição por meio de insetos é uma oportunidade, por exemplo, para países que sofrem a escassez de alimentos, já que a reprodução dos insetos é fácil e com uma grande proliferação.

Para a professora-doutora Sônia Zampieron, coordenadora do Centro de Ciências da FESP a oportunidade para os alunos participarem de um congresso científico é muito importante e os trabalhos apresentados são de extrema qualidade. “Esse congresso tem uma importância muito grande em nível regional. Ele está tratando de questões expressamente relevantes não só dentro da Ecologia, mas dentro da questão ambiental de uma maneira geral”, disse Sônia.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Sessenta estudantes se inscreveram Concurso de Fotografia do II Congresso de Ecologia que está sendo realizado no Parque Adolfo Coelho Lemos, dentro do I FESP INOVA. O objetivo foi despertar e estimular o interesse pela fotografia e incentivar sua utilização nas profissões das áreas ambientais. "O objetivo foi incentivar os estudantes de biologia a usar a fotografia no trabalho de campo, na catalogação de espécies de fauna e flora, o que de certa forma auxilia na preservação porque eles não precisam retirar amostras do meio ambiente. Além disso, despertar também o olhar, o biólogo tem que estar muito atento a tudo que está ao redor e a fotografia estimula esta percepção", avalia a coordenadora do concurso, professora Neuci Stripari.

A imagem de uma "perereca raspa-cuca", do biólogo Domício Pereira da Costa Júnior, estagiário do Centro de Ciências da FESP, foi a escolhida pelos examinadores como 1º Lugar. A segunda colocada foi a fotografia da estudante Roberta Amâncio  Vieira, de um pôr-do-sol  de cores fortes na Fazenda Beira Rio, em São João Batista do Glória e o 3ª colocada foi a foto de um beija-flor da espécie "Heliotrix auritus", em um flagrante de polinização. "A primeira chama atenção pela composição perfeita, alem de ser um sapo muito bonito por si só, a segunda me encantou pelas cores, que parecem uma obra de arte e a terceira foto foi um flagrante", avalia o biólogo Marcelo Boccia Leite, doutorando em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos - Ufscar - e um dos examinadores do concurso. 

Palestra 

No período da manhã, o biólogo Marcelo Boccia Leite proferiu palestra sobre as "Funções básicas e recursos de máquinas digitais no dia a dia de um Biólogo" em que ressaltou as possibilidades da fotografia no registro de espécies. "Além de transmitir o trabalho para o público, a fotografia também ajuda a cativar as pessoas para que tenham mais contato com a natureza", explica.

1º lugar - Domicio Pereira da Costa - reprodução 

2º lugar - foto Roberta Cristina Amancio Vieira - reprodução 

3º lugar - Domicio Pereira da Costa - reprodução 

--

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Santa Casa de Misericórdia de Passos está participando do II Congresso de Ecologia que começou nesta quinta-feira, dentro da programação do I FESP INOVA. Em um stand no Espaço Tropeiro, no Parque Adolfo Coelho Lemos, a equipe da Santa Casa apresentou o programa de gerenciamento de resíduos e o uso de material reciclável em terapias ocupacionais. "Nossa intenção é fazer com que os próprios funcionários e nossos clientes, tanto pacientes quanto acompanhantes, possam levar esse conhecimento para casa e propagar para a comunidade", explica uma das representantes da Santa Casa, Hilda Machado Faria.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O auditório do Bloco 01 da FESP mais uma vez ficou lotado para a Semana da Engenharia, que integra a programação do I FESP INOVA, nesta quarta-feira. A palestra "Concepção sobre a Construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte" foi proferida pelo engenheiro Alberto Anholon Neto que atuou na UHE Itaipu, Taquaruçu, Xingo, Foz do Areia e varias outras obras importantes. O engenheiro falou sobre as várias etapas da sofisticada construção de uma hidrelétrica, do preparo do solo e terreno para as construções das barragens e medidas para minimizar e compensar o impacto ambiental às interferências socioeconômicas nos municípios próximos ao local. 

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O I Seminário de Pesquisa e Extensão da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) teve início ontem (25), às 19h30, com a palestra “A pesquisa e extensão na FESP/UEMG” proferida pelo diretor do Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, professor-doutor Eduardo Goulart Collares. O seminário compõe a lista de eventos do I FESP INOVA, o maior evento de ciência e tecnologia da região. A palestra mostrou como é o processo de desenvolvimento de pesquisas e projetos de extensão na FESP fazendo um paralelo com a realidade da pesquisa científica em Minas Gerais, no Brasil e no mundo.

Antes de iniciar a palestra estudantes de diversos cursos apresentaram trabalhos científicos na modalidade de painéis. Após a palestra do professor Collares houve a apresentação oral de 8 trabalhos científicos de diferentes áreas. As atividades aconteceram no Espaço Tropeiro, no Parque de Exposição Adolpho Coelho Lemos que é a base principal de eventos do FESP INOVA.

Collares enfatizou a importância das pesquisas desenvolvidas na FESP e da importância da instituição desenvolver o I Seminário de Pesquisa e Extensão próprio. “Com a participação de nossos alunos em diversos projetos, inclusive muitos deles com bolsas de iniciação científica pelos órgãos de fomentos, todos os anos participamos do Seminário de Iniciação Científica da UEMG. Por termos um número elevado de pesquisas sentimos a necessidade de fazer um seminário nosso, que é até uma exigência dos órgãos fomentadores”, disse.

De 1999 até 2009 o Brasil praticamente triplicou o número de pesquisas. Porém o investimento feito em estudos científicos ainda deixa a desejar e a cultura da pesquisa é muito restrita a universidades. No Brasil o financimaneto de pesquisas científica está ligado ao Estado geralmente por meio de agências fomentadoras. Em países desenvolvidos a iniciativa privada, ou seja, empresas, investem maciçamente em ciência e tecnologia. Conforme dados apresentados por Collares Minas Gerais está em quarto lugar no ranking de pesquisas do Brasil ficando atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

A participação dos alunos da FESP em pesquisa ou extensão pode acontecer nas formas de iniciação científica, extensão universitária ou projeto com recursos externos, os quais são projetos maiores que muitas vezes resultam em altos investimentos para laboratórios, centros de estudos e materiais de pesquisa para a FESP. Collares frisou que mesmo que o aluno não tenha uma bolsa de estudos ele pode desenvolver um projeto científico e para isso deve procurar o professor orientador pretendido com antecedência.

Conheça os trabalhos apresentados na noite de ontem

Pesquisas no Laboratório de Análises Ambientais e Produtos Alimentícios

A primeira apresentação foi realizada pela professora-doutora Odila Rigolin de Sá que apresentou do Laboratório de Análises Ambientais e Produtos Alimentícios onde são realizados 6 projetos com análises de leite. Depois de Odila, a orientanda Neilma Campos Souza, estudante do curso de Ciências Biológicas, apresentou o trabalho “Avaliação da qualidade microbiológica do leite bovino em propriedades leiteiras do sudoeste mineiro”. O trabalho em co-autoria com Talita Maria de Jesus Silva, Deidiane Rodrigues da Silva, Cristiane Coelho Sifolelle Mendes, Laís Dias Ribeiro, João Pedro Franco Tomé e Norival Franca analisou a presença de bactérias em amostras de leite de fazendas da região. O laboratório está capacitado para além de estudos e pesquisas, fornecer a certificação do leite a produtores da região devido à exigências da Normativa 51, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, que regulamente a qualidade do leite no Brasil. O laboratório foi recentemente equipado com o Sistema Comb 2300 da Bentley, que passou a realizar em segundos testes que antes demoravam semanas.

Pesquisas realizadas com rejeitos de quartzitos (pedra mineira)

A segunda apresentação foi do estudante de Engenharia Civil Rômulo Gaspar da Costa, em co-autoria com Igor Reis Veloso, Eduardo Goulart Collares e José Eduardo Rodrigues sob a orientação do professor-mestre Ivan Francklin Junior. O trabalho intitulado “Estudo do Potencial Reativo Alcali-Agragado em Rejeitos de Quartzitos Provenientes de Minerações do Estado de Minas Gerais.

Pesquisa associadas a metais pesados

O trabalho apresentado nessa categoria foi o do estudante de Agronomia Alex da Silva Ribeiro, orientado pelo professor João Vicente Zampieron. O trabalho intitulado “Estudo de plantas sensíveis à presença dos elementos constituintes da escória de níquel”, e que tem como parceiro a empresa Homeopassos, promove um levantamento da contaminação do solo por atividades de extração de minério, mais precisamente o níquel e a sensibilidade de algumas plantas a esses metais.

Experiências da FESP/UEMG na elaboração de planos diretores

O trabalho da aluna Andéa Janaine Lopes Félix, orientando do professor Mauro Ferreira é um projeto de extensão que tem o título “O plano diretor de mobilidade urbana de São Sebastião do Paraíso – MG”. O trabalho aborda a mobilidade urbana por meio do transporte coletivo.

Apresentação do Centro de Ciências “Profa. Dra. Sônia Lúcia Modesto Zampieron”

A professora-doutora Sônia Lúcia Modesto Zampieron que é coordenadora do Centro de Ciências da FESP apresentou o trabalho desenvolvido no núcleo e logo em seguida a orientanda Tainá Nunes Santos apresentou o trabalho “Educação em Ciências: desenvolvimento de material didático e lúdico para crianças e adolescentes”.

Pesquisas no Ambulatório Escola da FESP/UEMG

As autoras Nycole Israel do Nascimento, Larissa Eduarda Pinto, Cleide Augusta Queiroz sobre a orientação da professora-doutora Tânia Maria Delfraro Carmo apresentaram os trabalhos que são desenvolvidos no Ambulatório Escola da FESP que desenvolve um trabalho referência com pacientes HIV positivos, hepatites virais e outros. O trabalho teve como título “Comportamento de risco e soroconversão para HIV e hepatites B e C dos privados de liberada atendidos pelo Ambulatório Referência em Passos MG”.

Projetos relacionados a políticas de saúde e doenças transmissíveis.

O penúltimo trabalho apresentado na noite de ontem é intitulado “Análise sobre o conhecimento dos agentes comunitários de saúde em relação à tuberculose no município de Passos-MG”. A autoria do trabalho é de Adriana Torres e Lucimara Pereira Gonçalves sob a orientação da professora-doutora Maria Ambrosina Cardoso Maia.

Atividades do Escritório-Escola Jurídico-Social

Completando o rol de trabalhos apresentados na noite de ontem o trabalho “Paijus – Programa de Atendimento Jurídico-Social Itinerante: a conciliação como instrumentação de educação jurtídica”. Sob a orientação da professora Liliane Cristina de Oliveira Hespanhol, o projeto de extensão é desenvolvido com os alunos Francesco Carlos Messias, Hayrane Costa Andrade e Stephany de Souza Oliveira.

Na noite desta quarta (26) acontecem mais oito apresentações de trabalhos. O FESP INOVA está marcando a presença da FESP na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que acontece em todo o Brasil, com estudos de qualidade.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  março 2020  >>
seteququsedo
2425262728291
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345