Começou nesta terça-feira (22), o III Congresso de Ecologia do Sudoeste Mineiro, evento bianual do curso de Ciências Biológicas e que integra o III FESP Inova. Durante o primeiro dia de atividades, o biólogo Sérgio Rangel, que há 17 anos trabalha na televisão, falou sobre as diversas possibilidades do trabalho do biólogo e sobre seus projetos em defesa dos animais e da biodiversidade.

Conhecido por fazer parte do programa da apresentadora Eliana, no SBT, o biólogo é um dos maiores conhecedores de animais e já viajou o mundo em expedições para conhecer e divulgar diversas espécies. Sérgio Rangel foi recebido por um público numeroso e entusiasmado que o ouviu atentamente expor sua paixão pela sua profissão. Na sua fala o biólogo atribui sua jornada de sucesso ao esforço em adquirir conhecimento e ao amor e determinação. “Quando eu ainda estudava, muitos profissionais mais experientes acreditaram em mim e me deram uma força, um apoio, e hoje a minha contribuição é viajar pelo Brasil inteiro descobrindo novos talentos e disseminando o valor do biólogo e suas potencialidades. Tenho visto muita gente desmotivada e eu tento mostrar pra eles que o que importa é a satisfação pessoal, o prazer em trabalhar com o que gosta. Tudo que consegui até hoje é porque eu sempre tive paixão e verdade pelo que faço e isso foi o que eu vim passar pra essa galera que vai me substituir no futuro”, defendeu Rangel.

Além dos trabalhos na TV, Sérgio tem projetos em defesa de animais e realiza palestras de Educação Ambiental. Em sua exposição o também professor apresentou a importância da conscientização sobre o convívio possível e saudável com animais. “Tenho 60 animais em casa, todos pets legalizados. Quando saio para trabalhar educação ambiental eu levo alguns deles para demonstrar que é possível a convivência harmônica com animais e para aproximar as pessoas do trabalho do biólogo”, declarou.

Sérgio trouxe para o Congresso uma Iguana, um lagarto Teiú, do gênero Tupinambis, e uma cobra, esta que ele escolheu para acompanhá-lo nas poses para as lentes dos presentes. Após o clique com o biólogo, o estudante Carlo Tavares Silveira, do 8º período de Ciências Biológicas deu sua opinião acerca do que ouviu na palestra. “Achei muito interessante porque ele um cara com experiência em vários segmentos e mostrou um pouco do que o biólogo pode fazer. Eu já me decidi por seguir a minha carreira no controle biológico, mas alguns colegas ainda estão em dúvida, por isso com certeza essa palestra foi importante, pra dar um direcionamento e abrir as possibilidades”.

Para o professor doutor Juliano Fiorelini Nunes, do curso de Ciências Biológicas da FESP, a presença de um biólogo da competência e visibilidade que o Sergio Rangel tem é uma forma de motivar os alunos. “Este momento é importante porque quem tem espaço na mídia tem uma exposição muito grande e pode levar informação para um público muito amplo e pra nossa área isso é raro. Então quando existe essa possibilidade de trazer pessoas que tem essa abertura e influencia para motivar os alunos da nossa Instituição é maravilhoso. Estou muito feliz e satisfeito”, completou.

A coordenadora do Congresso, Odila Rigolin de Sá, reafirmou o sucesso da vinda de Rangel e o destacou o ainda está no cronograma do evento. “Tinha uma expectativa muito grande por esta palestra do Sérgio. Os alunos me pressionaram e conseguimos trazê-lo no último momento e foi excelente. Ele é um grande conhecedor dos animais e foi uma riqueza tê-lo aqui. Os alunos ganharam um gás enorme! E temos uma programação extensa com palestras e mini cursos no Congresso que acontece até quinta-feira. Vamos continuar com discussões ambientais, com as partes de botânica e ecologia, e também a traremos temas de genética com pesquisadores da UFSCar, USP, UNESP, UFV e UNICAMP”, declarou a professora que é a coordenadora do curso de Ciências biológicas da FESP.

Na noite de abertura também palestrou o professor Carlos Augusto Martins Filho, professor da UFSCar. A temática abordada foi a perícia ambiental, área de sua atuação que segundo ele é um campo de trabalho extremamente positivo para os profissionais de biologia. O professor justificou a sua presença no Congresso e ainda ressaltou a importância de eventos como o FESP Inova. “É nesse momento que há a possibilidade de manter contato com outras instituições que produzem conhecimento. Essa troca de experiência, essa pluralidade de informações é muito rica e todos nós ganhamos com isto”, finalizou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


A Semana Acadêmica do curso de Direito da FESP trouxe para os estudantes da Fundação a exposição do tema “Tráfico de pessoas para fins de prostituição”, ministrada pelo professor Doutor Paulo César Correa Borges, Promotor de Justiça de Franca e coordenador do curso de Mestrado da UNESP. 

O professor apresentou o panorama mundial sobre os crimes de tráfico de pessoas, segundo o qual pelo menos dois milhões e meio de pessoas, originárias de 127 países, são vítimas de tráfico. O número que pode ser tímido perto da realidade, uma vez que as estatísticas são baseadas apenas nos registros de vítimas que conseguiram denunciar os crimes.

De acordo com as pesquisas apresentadas pelo professor, o tráfico humano tem se caracterizado por ser a 3ª atividade criminosa do mundo - tendo antes apenas o tráfico de drogas e o tráfico de armas - e envolve várias finalidades, como exploração sexual, trabalho escravo, matrimônio forçado, mendicância infantil e até trafico de órgãos. 

Durante a palestra o professor explicou a importância da união de esforços para o combate ao crime de tráfico de pessoas e alertou sobre a escravidão moderna. “A grande questão é essa nova consciência de que a escravidão não é só aquela que a gente imagina da época da nossa escravidão: dos negros sendo acorrentados, recebendo chibatadas. A escravidão hoje inclui em seu conceito inclusive a exploração sexual”, esclarece o professor. 

O sonho de sair do país, as promessas de empregos diferenciados e as carreiras bem sucedidas são as principais formas de atrair possíveis vítimas de tráfico humano. “As pessoas precisam ficar atentas porque muitas vezes a sedução e a forma de induzir uma pessoa a ir para o exterior acontecem por mecanismos normais, de agenciamento de pessoas para trabalhar em locais não tão certos, inseguros, como garçonetes em boates, babysitter. Tem que se tomar muito cuidado porque isso pode induzir a vítima a cair na malha das organizações criminosas especializadas no tráfico de pessoas, que é a terceira maior fonte de renda ilícita do mundo”, alerta. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


Na manhã de hoje alguns cursos já deram início às atividades programadas para as semanas acadêmicas que integram o FESP Inova.

O curso de Enfermagem trouxe o presidente do Conselho Regional de Enfermagem (COREN-MG), Rubens Schröder Sobrinho e representantes de oito câmaras técnicas do conselho. “O FESP INOVA é um evento extraordinário, o próprio nome diz. É muito gratificante ser parceiro desta inovação para os enfrentamentos éticos e legais do exercício de cada profissão, seja ela a Engenharia, Enfermagem, Biomedicina ou qualquer outra área”, declarou Rubens que expôs as conquistas, perspectivas e avanços da gestão do COREN-MG 2012/2014.

O curso de Biomedicina também começou o evento com atividades relacionadas ao tema: Metodologia Ativa. Os alunos socializaram seus trabalho integradores apresentando painéis para professores avaliadores e outros alunos do curso. “Esta atividade vai proporcionar ao aluno vivenciar uma experiência científica, ponto importante do FESP Inova. O evento é de grande relevância para toda a comunidade acadêmica porque é uma forma de atualização em todas as áreas”, afirma a coordenadora do curso, professora Alessandra Cheraim.

Alunos de Direito tiveram a sua semana acadêmica iniciada com palestra do professor Rivo de Paula Assis sobre os desafios jurídicos do século XXI: caminhos e obstáculos.

A abertura oficial do III FESP Inova acontece hoje às 19h no Estação Eventos. Após a solenidade, o coordenador do Centro de Referência em Inteligência Empresarial da COPPE/UFRJ, doutor Marcos Cavalcanti, ministra a palestra “Inovação: e eu com isto?”, que vem instigar as pessoas a identificar a importância da informação, do conhecimento e da inovação, apontando soluções inovadoras para casos reais na região de Passos.

Marcos Cavalcanti é doutor em Informática pela Université de Paris XI; professor da COPPE/UFRJ, no Programa de Engenharia de Produção; coordenador do CRIE - Centro de Referência em Inteligência Empresarial da COPPE/UFRJ; membro do Board do New Club of Paris; editor da Revista “Inteligência Empresarial”; co-autor dos livros “O Conhecimento em Rede” e “Gestão de Empresas na Sociedade do Conhecimento” pela Editora Campus, e “Gestão Eletrônica de documentos” e “Que ferramenta devo usar”, pela Editora Qualitymark; coordenador do curso de Pós-Graduação em Gestão do Conhecimento e Inteligência Empresarial – MBKM (Master on Business and Knowledge Management); coordenador do projeto que revisão da metodologia de avaliação de empresas utilizado desde 2010 pelo BNDES, incorporando os ativos intangíveis nesta avaliação.

Consulte os detalhes da programação aqui.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, criada em 2006 e posteriormente ajustada por leis complementares, foi o tema da palestra realizada na noite da última quarta-feira (28).  Mais de 200 alunos compareceram ao evento voltado para  estudantes dos cursos de Administração de Empresas, Tecnologia em Gestão Comercial e Ciências Contábeis da FESP.

A apresentação foi solicitada ao escritório local do Sebrae-MG, habitual parceiro na realização de palestras e cursos para os estudantes da área de Administração da FESP. Rogério Trigueiro da Cunha, consultor técnico do Sebrae na macrorregião Sul de Minas, encontrou o auditório Prof. Armando Righetto lotado para apresentar o tema, que é relevante para os futuros administradores, gestores comerciais e contadores.

O palestrante apontou a importância da formalização dos negócios pertencentes a pequenos empreendedores e do compromisso dos municípios em implantar a Lei Geral, alavancando assim a geração de trabalho e renda e favorecendo todos os envolvidos. Instituído pela Lei Complementar n. 123, de 14 de dezembro de 2006, o novo Estatuto Nacional das Microempresas (ME) e das Empresas de Pequeno Porte (EPP) estabelece normais gerais relativas ao tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às MEs e EPPs, no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Esta lei sofreu importantes ajustes pelas Leis Complementares 127/2007, 128/ 2008, 133/2009 e pela LC 139/2011 e ficou conhecida como a “Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte” ou, mais sucintamente, “Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas”.

A Lei será o tema de atividade acadêmica para alunos de Administração e Tecnologia em Gestão Comercial neste semestre. Os professores César Aquino, Marise Bertolaccini e Vanessa Cassoli, durante as aulas denominadas Projeto Integrador, conduzirão os estudantes no aprofundamento de pesquisas sobre o assunto, aplicando-o à realidade local, com o propósito de gerar dados e recomendações que auxiliem o município na consolidação dos microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte.

Para o consultor do Sebrae-MG, entre os benefícios da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, merecem destaque a desburocratização na abertura da empresa, o regime tributário diferenciado e as condições especiais para o pequeno empreendedor na participação em licitações governamentais. Com uma empresa formal, o empreendedor tem, ainda, mais fácil acesso a tecnologias de produção e de gestão, fundamentais para a sobrevivência do seu negócio.

O consultor Cunha enfatizou a modalidade de Microempreendedor Individual (MEI), que possibilita que empreendedores cujos negócios faturem até R$ 60 mil por ano possam formalizar sua empresa para emitir notas fiscais e ter acesso a crédito, entre outros benefícios.

Lucilene de Moura, técnica do Sebrae em Passos, também falou aos estudantes e colocou o escritório da instituição à disposição para esclarecer dúvidas e atender aos empreendedores interessados em formalizar seu negócio. 

Outro desdobramento da palestra foi proposto pelo professor Adm. Olney Bruno da Silveira Júnior, da FESP, para o próximo dia 9 de setembro. Nesta data, em que se comemora oficialmente o Dia do Administrador, a Câmara Municipal realizará homenagem aos profissionais da área pelo seu dia, oportunidade para que os estudantes e demais interessados, além de prestigiar a data, reivindiquem ao Legislativo o apoio para que o município implante as leis para a efetivação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A prevenção a acidentes provocados por embriaguez foi tema de palestra na FESP, durante o último sábado (15), com Manuel Fernandes, o coordenador do movimento “Não foi acidente”, que propõe punições mais rígidas para quem dirige alcoolizado. A violência no trânsito é uma das maiores causas de mortes entre jovens no país e está relacionada diretamente à imprudência. 

O coordenador da ONG apresentou os números assustadores da violência no trânsito no Brasil. “O trânsito no Brasil mata o equivalente a quatro ’11 de setembro’ por mês”. Segundo ele, os números são bem superiores aos 40 mil por ano, apontados pelo Ministério da Saúde que considera morte no trânsito apenas quando a pessoa morre no local. “Os que morrem nos hospitais não entram nesta estatística, mas, de acordo com a seguradora que paga todos os DPVATs do país, a Líder Seguros, são cerca de 59mil por semestre”, afirma.  

Fernandes também chamou a atenção para os efeitos do álcool no organismo. “Pesquisas mostram que apenas uma lata de cerveja é suficiente para diminuir o senso crítico do motorista. Toda pessoa que ingere bebida alcoólica e dirige assume o risco de matar”, disse.

Além do prejuízo incalculável para as famílias das vítimas, o problema também atinge a esfera econômica. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o país desembolsa 22 bilhões de reais com acidentes nas rodovias.

O movimento “Não Foi Acidente” foi criado em 2011, pelo professor Rafael Baltresca, que perdeu a mãe e a irmã atropeladas por um carro em alta velocidade que invadiu a calçada onde elas estavam, na saída de um shopping em São Paulo. De acordo com testemunhas e policiais que atenderam a ocorrência o motorista apresentava sinais de embriaguez. 

A meta do movimento é conseguir 1 milhão e 350 mil assinaturas para mudar as leis que favorecem a impunidade nestes casos. A petição completa está disponível aqui.

Atualmente, uma pessoa que bebe, dirige e mata em um acidente é indiciada por homicídio culposo, sem intenção de matar. De acordo com o projeto de autoria do presidente da comissão de trânsito da OAB-SP, Dr. Maurício Januzzi, o crime de trânsito continuaria como homicídio culposo, porém, a pena seria aumentada caso fosse provada a embriaguez do motorista (de 5 a 9 anos de reclusão). Ainda de acordo com a proposta, mesmo que não houver homicídio a pena seria aumentada quando provado a embriaguez do condutor do veículo.

 

Mobilização 

A palestra com do movimento foi organizada pelo Centro Acadêmico do curso de Direito para envolver os estudantes e toda a comunidade acadêmica na mobilização. Todos os estudantes e professores que participaram da palestra se comprometeram a divulgar e ajudar a colher assinaturas para a petição. 

A coordenadora do Curso de Direito da FESp, professora Ana Paula Coelho, sugeriu também que os próximos Trotes Solidários (que substituem o trote tradicional aos estudantes ingressantes por ações sócio-educativas) sejam sair às ruas para pedir assinaturas. 

O palestrante distribuiu camisetas e ainda concedeu uma entrevista ao programa de TV FESP em Ação. 

Para conhecer mais sobre o movimento acesse o site do movimento.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  dezembro 2020  >>
seteququsedo
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910