A FESP investiu cerca de 200 mil reais na compra de manequins simuladores para o Laboratório de Habilidades, centro que irá funcionar no Prédio Principal da Fundação, atendendo diversas atividades dos cursos da área de Saúde. Professores receberam treinamento específico com profissional enviado pela empresa ANATOMIC, que fabrica e comercializa os manequins, a fim de capacitar os docentes e potencializar o uso dos modernos simuladores.

“A mais avançada tecnologia e a qualidade reconhecida foram os fatores decisivos no momento da escolha dos melhores modelos anatômicos, microscópios e da ampla linha de simuladores ginecológicos/obstetrícios e de emergências que vão proporcionar aos nossos estudantes o contato clínico mais próximo da realidade. Como é tudo muito moderno e de alta precisão a gente teve um curso ministrado pelo técnico André Alvez Costa e a professora responsável foi a Dra. Evânia Nascimento. Participaram também as professoras, Camila Piantino, Raquel Dully, Odila Rigolin, Tânia Delfraro e Maria José Goulart, além do professor Luiz Camilo Teodoro. Estamos todos aprendendo e nos dedicando para conseguirmos explorar ao máximo o novo material que temos para trabalhar e podermos oferecer um diferencial de alto nível nas nossas aulas”, declarou a professora e coordenadora do curso de Biomedicina, Alessandra Cheraim.

Dentre as aquisições incluem cinco manequins capazes de responder a estímulos químicos, biológicos e radiológicos, permitindo simular situações clínicas, tais como: sangramento, pulso para aferição de pressão, ataques cardíacos, politraumatismos, descompensações respiratórias e o processo de gestação, desde o início até o parto normal. 

Segundo o técnico da ANATOMIC, André Alvez Costa, os programas que controlam os bonecos simulam as mais diversas situações clínicas e emergenciais em diferentes níveis de dificuldade, funcionando em módulos de treino ou de prática, este sendo extremamente rigoroso em relação à avaliação dos procedimentos aplicados. “Estes manequins permitem uma grande preparação porque o programa simula as funções reais, assim, acaba sendo a melhor forma mecânica de aprender protocolos, como, por exemplo, o treinamento de RCP, manipulação de medicações, o uso do desfibrilador, entre outros”, explicou o representante da empresa, que além de cursos, disponibiliza vídeos online com demonstrações, instruções de uso, e manutenção dos manequins simuladores.

Sobre as vantagens de se ter a disposição uma fonte de ensino e aprendizagem tão moderna a professora Alessandra Cheraim ainda ressalta que “a prática nestes simuladores permite que os estudantes se familiarizem com as patologias de urgência e tenham ciência das medidas a serem tomadas em uma situação emergencial ao se deparar com um paciente fora do ambiente hospitalar, aumentando sua capacidade de ter eficiência e sucesso em socorro a vítimas de acidades, por exemplo”.

O Laboratório de Habilidades, onde serão ministradas as aulas com uso dos novos manequins está sendo finalizado no Prédio Principal da FESP e será dividido em vários ambientes de aprendizado. A diretora do Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, Tânia Delfraro, disse que “o espaço é uma das estruturas mais importantes do curso de Medicina, para o desenvolvimento de habilidades específicas, de modo que os estudantes possam se aperfeiçoar na prática hospitalar”, finalizou a professora.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, recebeu o Deputado Federal Odair Cunha (PT/MG), na noite da última quinta-feira. A visita foi motivada pelo interesse do deputado em acompanhar de perto os preparativos para a abertura do curso de medicina na FESP, projeto desenvolvido em parceria com a Santa Casa de Misericórdia de Passos, que ele vem defendendo prontamente.

Para Fabio Kallas é da maior importância o apoio que Odair Cunha tem manifestado em favor deste projeto das duas maiores instituições de Passos, FESP e Santa Casa. “Para nós é extremamente importante este apoio pessoal que o deputado tem mostrando para agilizar os tramites do projeto em Brasília para recebermos in loco a comitiva de avaliadores do MEC e liberar nosso tão sonhado curso de medicina. Ele acompanha de perto nosso esforço diário, contribuindo para o alcance deste objetivo que é dele também. Esta visita só demonstra que nós estamos trabalhando na medida e no caminho certo e estamos cada vez mais perto de alcançar a nossa meta”, destacou Fábio Kallas.

Odair Cunha declarou que defende todas as iniciativas que fomentam a produção de conhecimento e por isso valoriza seu trabalho no que se trata da FESP. “Nós sabemos que a FESP colabora na construção do saber de inúmeras pessoas e isso merece nosso apoio, nosso incentivo e este é o sentido da minha visita aqui hoje. Queremos que a cidade cresça e se desenvolva, que FESP e a Santa Casa tenham a oportunidade de darem o melhor de si. Queremos um ambiente onde as pessoas trabalhem juntas pela nossa querida Passos. Nossa função é de reforçar o trabalho da FESP, da Santa Casa, das instituições, e de homens e mulheres de bem que acreditam em Passos, no seu potencial e sabem que a cidade pode ser mais e melhor”, declarou.

Sobre o seu empenho quanto à abertura do curso de medicina na FESP, Odair Cunha comentou que é um grande passo em direção a uma melhora na qualidade da saúde da população. “O grande desafio hoje é ampliar, de maneira significativa, a quantidade de médicos formados no Brasil. Nós estamos fazendo um grande esforço no país inteiro para garantir qualidade e um número maior de médicos e a FESP vem ao encontro deste objetivo estratégico para Passos e para o Brasil todo”, disse o deputado acrescentando que acredita na aprovação do curso ainda este ano.

Desde 2011 a Fundação está trabalhando no intuito de atender às exigências do MEC que é esperado para fazer visita in loco em Setembro. Dentre os preparativos finais para receber os avaliadores está a conclusão da reforma e ampliação do Prédio Principal da FESP, obra de 1.300 m², com investimento de mais de 1 milhão e meio de reais. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


Mais um passo em direção à aprovação do curso de Medicina na FESP foi dado com a notícia da abertura, no próximo dia 12 de agosto, do formulário para visita de avaliação in loco. Após o preenchimento do formulário, cujo prazo máximo é o dia 25 deste mês, a próxima etapa será o agendamento da visita dos avaliadores do MEC. A abertura representa um grande avanço para a vinda do curso para Passos.  “É um sonho que está sendo concretizado. Nós nos preparamos durante os últimos 3 anos para a chegada deste momento”, comemora o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, responsável  pela união professores e médicos da Santa Casa de Misericórdia de Passos e das instituições de saúde da região para a criação do curso.

Desde 2010, foram realizadas reuniões, convênios e parcerias para a formação de um grande grupo multidisciplinar para conseguir trazer para Passos e região o curso de Medicina. “Em tempo, nós percebemos a demanda pelo profissional de medicina e adiantamos o nosso planejamento de abertura do curso e foi no momento certo. Prova disso é que, da nossa região, somente o nosso projeto será avaliado porque nós conseguimos apresentar a proposta no ano passado. Este novo curso vai reforçar o nome de Passos como pólo de excelência em educação superior e práticas de saúde. Temos a certeza de que nosso projeto é inovador e foi construído por pessoas do mais alto gabarito na área. Agora nosso desafio é finalizar toda a estrutura para receber o MEC. É nossa essa responsabilidade. Teremos outra Passos depois da abertura do curso de Medicina”, declarou o presidente da FESP.

Para a ginecologista Maria Paula Moraes Vasconcelos, médica da Santa Casa de Passos e escolhida como coordenadora do Curso de Medicina da FESP, a abertura do formulário para solicitação da visita in loco representa um grande avanço no processo de avaliação que já sinaliza a aprovação pelo MEC. “É uma conquista extremamente importante porque mostra que a FESP é capaz de receber o curso e a proposta da FESP é realmente muito boa, o projeto está completo. Temos estrutura física, corpo docente qualificado e todas as unidades hospitalares necessárias para oferecer aprendizado prático, com as instituições parceiras que inclusive já realizam a Residência Médica para cursos de outras universidades”, afirma.

Segundo ela, o projeto apresentado ao MEC tem a parceria das Santas Casas de Misericórdias de Passos, São Sebastião do Paraíso e Piumhi; do Hospital São José, Hospital Otto Krakauer e Hospital Regional do Câncer, em Passos além de unidades de atendimento já existentes na FESP, como o Ambulatório Escola e Núcleo de Atendimento e Pesquisa em Hanseníase, vinculados a outros cursos da área da saúde, como Enfermagem, Biomedicina e Nutrição, Educação Física e Ciências Biológicas.

Na avaliação do médico e professor Geraldo Brasileiro Filho, docente da Faculdade de Medicina da UFMG, a proposta da FESP tem plenas condições de ser aprovada pelo MEC. “Do ponto de vista pedagógico, o projeto contempla todas as diretrizes curriculares exigidas para a formação médica no Brasil”, disse Brasileiro. O médico é um dos principais apoiadores da FESP na elaboração do projeto do curso e ressaltou que o curso vai agregar importantes instituições em um verdadeiro pólo regional na área da saúde.

A proposta de abertura do curso veio do presidente Fabio Kallas e foi abraçada por uma grande equipe de acadêmicos e profissionais da área da saúde que se responsabilizaram pelo desenvolvimento do projeto pedagógico e por toda a estrutura exigida pelo MEC para que a avaliação seja feita e que tenha um resultado positivo. 

Para o diretor executivo da FESP, Dácio Lemos Martins, o professor Fabio Kallas acertou no momento do seu esforço para trazer o curso de Medicina para Passos sendo um grande investimento na saúde, na educação e um vetor de união da nossa região em função da necessidade de toda a comunidade. “A FESP completa 50 anos e o presente para a comunidade será a conquista do tão esperado curso de Medicina. É o esforço de toda a equipe FESP, cada funcionário é responsável por esta conquista. O Fabio conseguiu unir todos para trabalhar pela nossa região. É com lideranças que se realizam os sonhos e ele trabalha reunindo pessoas para o benefício comum”.  

A diretora do Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, professora Tânia Maria Delfraro Carmo, também está otimista. Ela destaca que a equipe responsável pela elaboração do projeto contou que a com a colaboração imprescindível da Professora Doutora Sônia Vilela da USP, que também ajudou na formatação do projeto, além do Doutor Geraldo Brasileiro, da UFMG. 

A procuradora institucional da FESP, professora Maria Ambrosina Cardoso Maia, explicou que provavelmente em Setembro a FESP já deve recebe a visita in loco. “O MEC fez uma análise documental depois da postagem do projeto pedagógico e deu parecer satisfatório na apreciação. Agora o processo está no INEP que vai abrir o formulário para preenchimento até o dia 25 de Agosto. Logo depois deste passo será agendada a visita in loco, que nós acreditamos que deve acontecer em até 20 dias depois do prazo final, então, provavelmente receberemos os avaliadores do MEC muito em breve”, contou Ambrosina que também é membro do NDE.

Maria Laura de Freitas Krieck e Regina Célia Francklin Pereira, administrativas da FESP no setor de assessoria educacional, disseram que receberam a notícia da abertura do formulário com muita alegria. Para Regina e a colega a torcida é para que o processo seja aprovado o mais breve possível: acompanhamos todos os passos e tivemos retorno positivo em todos os procedimentos e vemos mais próximo a realização de um sonho da nossa cidade. A FESP está de parabéns pela aposta neste planejamento que vai ser uma conquista, um marco na história

Falta de profissionais

Em pesquisa de dados oficiais, a diretora do Núcleo da Saúde e a coordenadora do curso de Enfermagem da FESP, professora Maria Jose Pessoni Goulart observaram a necessidade do curso de Medicina na região com base na necessidade de melhorar a qualidade da saúde da população. Segundo elas, o índice encontrado é de 1.8 médicos para cada grupo de 1.000 habitantes, o que é considerado insatisfatório. “Incentivados pelo professor Fabio Kallas, começamos em 2010 um grande levantamento de dados para que pudéssemos propor mais cursos na FESP e pela nossa observação, era pertinente e necessário o de Medicina. Desde então estamos trabalhando arduamente para conseguirmos atender a todas as diretrizes exigidas pelo MEC”, explicou a coordenadora da Enfermagem que ainda complementou dizendo que uma delas, a relação entre ensino, serviço e comunidade, já acontece na FESP. “Temos o Ambulatório Escola, o PSF Escola e o Programa de Hanseníase que atendem a um bom contingente da nossa cidade e região. Temos a responsabilidade de manter esse vínculo com a população e de prestar um serviço gratuito de qualidade. Nós trabalhamos para formar profissionais preocupados com seu papel profissional e social. Ganhamos pontos por isso”, apontou.

Em busca da metodologia ativa que contemplasse o relacionamento próximo entre academia e prática, o Núcleo Docente Estruturante (NDE) procurou afinar a parceria com os órgãos de saúde de Passos e região. De acordo com a diretora Tânia Delfraro “seguimos o conselho do professor Geraldo Brasileiro e estreitamos os laços com a Santa Casa, com a Prefeitura e com o Hospital São José de Passos a fim de disponibilizar os serviços tanto de atenção primária e secundária, quanto da terciária, que é o Hospital. Daí passamos a ter médicos destas instituições integrando ao nosso NDE e estamos trabalhando juntos desde 2011. A Santa Casa de Misericórdia de Passos conseguiu vagas para residências que vão atender nossos alunos nas áreas de pediatria, clínica médica, clínica cirúrgica, urgência e emergência e oncologia. Então temos um hospital que atende a todas as diretrizes exigidas pelo MEC para oferecer a residência médica”.

Ainda segundo Tânia é importante ressaltar o acompanhamento do representante do Conselho Regional de Medicina de Passos, Dr. Eurípedes José da Silva, que acreditou na seriedade e na qualidade do nosso trabalho. “Investimos no nosso projeto pedagógico e acadêmico, trazendo para nossa equipe os nomes mais bem capacitados para trabalharmos juntos. Em outra frente também atentamos para nossa estrutura física, nos laboratórios e equipamentos”, disse.

O vice-presidente do Conselho Curador da FESP, professor e engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, afirmou que em 20 dias está prevista a finalização da reforma e ampliação que está sendo feita no Prédio Principal da FESP. Em palavras do professor “será concluída a obra de 1.300 m², investimento de mais de 1 milhão e meio de reais para que tenhamos uma infra-estrutura de excelência”.

Apoio político ao curso de Medicina 

A FESP ganhou o importante apoio do Deputado Federal Odair Cunha (PT/MG), que recebeu o presidente do Conselho Curador da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP), professor Fabio Pimenta Esper Kallas, em seu gabinete e o acompanhou até o MEC para agilizar todos os procedimentos.  

O deputado, em reunião com o MEC, acompanhado do presidente da Fundação, solicitou agilidade no andamento do processo, pedindo que tudo fosse resolvido para que o vestibular aconteça neste final de semestre para o início em 2014, com a primeira turma do curso de Medicina da FESP. 

Ontem à tarde, o deputado também comemorou a novidade: “O credenciamento do curso de medicina da FESP é uma luta antiga e necessária, é uma instituição que tem estrutura adequada e um bom projeto. Vivemos um bom momento, o cenário é favorável, estamos acompanhando de perto esse processo. Com o seu credenciamento daremos mais um importante passo rumo à um sistema de saúde universal e de qualidade”, declarou o deputado. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A decisão do Governo Federal de abrir 1800 vagas em cursos novos de Medicina aumentou a expectativa para a criação do curso em Passos, na FESP. Desde o início de 2011, a Fundação está trabalhando no intuito de atender às exigências do MEC nos requisitos para a aprovação do curso.

A proposta já tem o apoio das autoridades em saúde e também de lideranças políticas como o Deputado Federal Odair Cunha, que se prontificou em acompanhar e colaborar para que o processo seja aprovado.  "Trata-se de um projeto importante para a instituição e, sem dúvida nenhuma, para nossa região. O grande desafio do Brasil é fazer um sistema de saúde, que seja público, universal e de qualidade e para isso é essencial que tenhamos mais médicos. Com este curso de medicina, a FESP vai fazer parte desse grande esforço nacional de termos mais médicos atuando em Passos e no Brasil inteiro", afirmou Odair. 

Santas Casas serão parceiras do curso de Medicina da FESP

As Santas Casas de Misericórdia de Passos, São Sebastião do Paraíso e Piumhi são parceiras no projeto de criação do curso, o que aumenta ainda mais a viabilidade do projeto, uma vez que a parceria abre um vasto campo de atuação acadêmica que vai contribuir tanto para a melhora do atendimento público quanto para o aprendizado dos estudantes. 

A Santa Casa de Passos, por exemplo, é um hospital regional, filantrópico, com 270 leitos, que já participa de um processo de educação continuada, oferecendo estágio para pelo menos 73 estudantes de Medicina de Alfenas. “Trabalhamos no sentido de dar o melhor da saúde para a população de Passos e região. Com diversas ações executadas pela Santa Casa, como a construção do Hospital Regional do Câncer, diminuímos os gastos com o envio de pacientes para tratamentos em outras cidades, como por exemplo, Barretos (SP). Somos entusiastas desse processo e iremos apoiar e oferecer a estrutura, mas também precisamos de uma ajuda mútua para que possamos nos fortalecer e melhorar ainda mais nossa estrutura para que esse projeto do curso de Medicina em Passos se torne uma realidade”, disse o provedor da Santa Casa, Vivaldo Soares Neto, na ocasião. 

Equipe da FESP desenvolveu estudo intenso para elaboração do projeto

O Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso, formado não só pelos professores da FESP, mas também por profissionais das instituições parceiras, desenvolveu um importante estudo para que as diretrizes exigidas pelo MEC fossem cumpridas desde a proposta. A diretora de Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, Profª Tânia Maria Delfraro Carmo juntamente com as professoras Maria José Pessoni Goulart e Vanessa Luiza Queiroz Silva do curso de Enfermagem participaram diretamente no estudo, que teve o acompanhamento especial do médico e professor Geraldo Brasileiro Filho, atuante em Belo Horizonte e professor da UFMG. “Acredito no potencial da FESP para criar um curso de qualidade. Conheço escolas de Medicina que não têm a estrutura que a FESP hoje apresenta. Assim, para que este projeto se concretize são necessárias algumas competências acadêmicas como: estrutura física adequada, boa proposta pedagógica, corpo docente qualificado e corpo discente com bom nível de conhecimento. A FESP já cumpre diversas competências exigidas e o restante poderá ser conquistado com trabalho e esforço de toda comunidade acadêmica”, disse Geraldo Brasileiro.

Ainda em 2011, o projeto foi apresentado em um encontro dos municípios da AMEG, a Associação dos Municípios do Médio Rio Grande e entregue ao Governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia e, em 2012, o projeto foi inscrito para avaliação, junto ao MEC.

Ministro da Saúde diz que as chances de liberação do curso são grandes 

Em junho de 2012, o sonho da implantação do curso de Medicina deu mais um importante passo com a visita do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, à Santa Casa de Misericórdia de Passos. Padilha recebeu das mãos de representantes da FESP o projeto de criação do curso de Medicina. “Temos todo interesse na expansão de novos cursos de Medicina no interior do país, mas é fundamental que as faculdades apresentem um projeto de qualidade e que garantam uma estrutura hospitalar de atenção básica à saúde onde os médicos obtenham experiência prática para atenderem com qualidade. Precisamos aumentar o número de médicos no país e principalmente no interior. Temos que ampliar o acesso ao curso de Medicina nas pequenas cidades e para isso contamos com o FIES que banca os estudos de quem não tem condições de pagar”, comentou o ministro acrescentando que a falta de médico em cidades distantes e regiões mais pobres só será amenizada com a formação de médicos que saiam destas comunidades.

De acordo com Padilha, as chances de liberação de um curso de Medicina em Passos são grandes. “Uma das exigências do Ministério da Saúde e da Educação para liberação de novos cursos é que para cada vaga disponibilizada existam cinco leitos do SUS. O aluno precisa ter a experiência prática médica concreta durante a faculdade”, afirmou o ministro destacando que a Santa Casa de Passos já conta com dezenas de leitos do SUS podendo inclusive ser ampliados.

Laboratórios para curso de Medicina

A FESP aguarda a aprovação do MEC investindo em infra-estrutura para a área da Saúde. Em 2012, começaram as obras para construção dos primeiros laboratórios do curso de Medicina. O projeto, assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro, é um conjunto de laboratórios que estão sendo construídos junto ao Prédio Principal da FESP, em uma área de 800m², englobando ambientes de aprendizado na área de anatomia; microscopia; bioquímica, farmacologia, biofísica, informática, fisiologia; técnica cirúrgica, biotério, além do laboratório de habilidades, um dos mais complexos com  quatro salas para a prática nas áreas de ginecologia e obstetrícia, urgência e emergência, clínica geral, atendimento ao recém-nascido e pediatria. 

Curso de Medicina terá uma “Cidade do Saber e da Saúde”

O curso de Medicina da FESP vai contar também com um grande complexo arquitetônico que vai concentrar toda a área da saúde da FESP - cursos de graduação, pós-graduação, cursos tecnológicos e projetos de pesquisa e extensão - juntamente com um Hospital-Escola da Santa Casa de Misericórdia de Passos. A FESP e a Santa Casa firmaram uma Sociedade Parceira de Apoio Mútuo para a construção da obra que será um marco histórico para Passos e região.  A FESP disponibilizou uma área de 540 mil metros quadrados localizada na Rodovia MG 050 (no km 202) dos quais 200 mil serão de área construída. 

O planejamento arquitetônico foi executado pelo arquiteto Ivan Vasconcelos e prevê a construção de dezessete unidades: Hospital do Câncer; Hospital Geral; Reabilitação; UPA; Centro Comercial; Atendimento à Saúde; Centro Mais Vida; Pós-graduação; Cursos Tecnológicos; Graduação; Pesquisa e Extensão; Laboratórios; Biblioteca; Centro de Convenções; Teatro Arena; UNABEM; Vila da Maturidade além de ser acoplado ao Centro Integrado de Recreação e Esportes da FESP (CIRE).

Na parte acadêmica da FESP está prevista uma ampliação de 5 cursos de graduação para 11 cursos e de 10 pós-graduações para 29, além de 9 cursos tecnológicos e 3 mestrados até 2015 e muito mais no futuro. 

Relação de médicos por habitantes é baixa

Dados do Governo Federal mostram que a relação de médicos por habitantes no Brasil é muito baixa em comparação a outros países. De acordo com o MEC, a média brasileira é de 1,8 médico por mil habitantes, enquanto no Uruguai, por exemplo, o índice é 3,7 e na Espanha 4.

Tanto o Conselho Nacional de Educação (CNE) quanto o Conselho Nacional de Saúde (CNS) precisam autorizar esses processos e um dos pré-requisitos é a disponibilidade de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) para que o aluno possa cumprir a parte prática do curso. 



No último sábado, um grupo de profissionais da área da saúde envolvidos com o projeto que propõe a instalação do curso de Medicina na FESP participaram de uma visita institucional guiada para conhecerem os blocos da Instituição.

O tour começou pelo Bloco 2, onde está situado o Conselho Curador, seguindo para a Biblioteca. Depois passaram pelo Bloco 01, Bloco 06 - onde fica o Restaurante Comunitário - Bloco 07 - onde pararam no Ambulatório Escola (AMBES) - Bloco 13, Bloco 09, e, finalizando, conheceram as obras do novo campus da FESP no CIRE, onde foram recepcionados com um café da manhã.

Durante a passagem pelo Prédio Principal, os visitantes lembraram-se do dia da inauguração da antiga Faculdade de Filosofia de Passos e do momento no qual foi reaberta a pedra fundamental da Fundação, descoberta em tempos de reforma. A lembrança foi emocionante e curiosa, dado que conseguiram trazer à memória a música que cantaram nas ruas no dia “em que o sonho tornou realidade”, em 1965. 

O fisioterapeuta Dr. José Alexandre Bachur, de veio de Franca (SP), considerou a visita uma forma de ter a real dimensão da Instituição. “É interessante porque a gente conhece não somente a estrutura física, mas também do alcance do seu trabalho. Na medida em que a gente vai sendo informado sobre os locais e os projetos que são realizados ali, a gente consegue perceber a rede de capilaridade da FESP, o quanto ela está permeada na sociedade. Eu não sou daqui e não conhecia tudo, mas acredito que tem muita gente que mora aqui que também não conhece e deveria conhecer a amplitude de ação da Fundação”, contou o médico.

O Dr. Alexandre Bachur, que é integrante da comissão que defende a proposta de abertura do curso de Medicina na FESP está positivo em relação ao resultado final do esforço que está sendo feito. “Por vários motivos eu acredito muito na vinda do curso de Medicina pra cá. Primeiro pela necessidade que nós temos no país, neste momento em especial, e também pela condição favorável em que se encontra a Instituição. O projeto foi muito bem elaborado e fiquei encantado com ele. A região precisa, a FESP está empenhada e o projeto está ótimo, então pelos três motivos o resultado será, muito provavelmente, positivo para todos”, justificou.

A ginecologista e obstetra Drª. Maria Paula Moraes Vasconcelos, futura coordenadora do curso de Medicina da FESP, disse ao final do passeio que se surpreendeu com o andamento da obra do novo campus. “Eu estou acostumada a ver o desenvolvimento da FESP pelas informações veiculadas, mas ver inloco é bem diferente. Tem os locais que eu frequento, os projetos que participo e por isso eu conheço de perto, mas visitar os outros lugares é interessante. Sem contar que é uma grande surpresa ver o quanto a obra está adiantada”, declarou.

Participaram também da visita o cirurgião plástico Dr. Pedro Messias da Silva, a enfermeira e professora Vanessa Luzia Queiroz Silva, o ginecologista e obstetra Dr. Wellington Venâncio de Andrade, o cirurgião geral Dr. Eurípedes José da Silva, os professores Djalma Reis do Carmo e Luiz Camilo Silveira Teodoro, e a diretora do Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, professora Tânia Maria Delfraro Carmo.

A visita institucional é coordenada pela relações públicas Paula Monteiro e procura apresentar a excelência de ensino e o trabalho desenvolvido pela FESP, além de sua estrutura e projetos. Toda comunidade está convidada a conhecer a Fundação de Ensino Superior de Passos e os interessados podem agendar uma data entrando em contato pelo telefone (3529-6015) ou pelo e-mail: paula.monteiro@fespmg.edu.br

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678