Representantes do Programa Ciência sem Fronteiras, da CAPES, CNPq e Embaixada dos Estados Unidos se reuniram em Belo Horizonte no dia 20 de abril na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Campus Pampulha com os coordenadores deste programa das instituições de ensino. Como representante da coordenação deste programa na FESP, tivemos a participação do Jornalista/Assessor do setor de Relações Internacionais da CPEX/FESP, Étory Zaghi.

Étory relata que o objetivo do encontro foi discutir temas relacionados aos aspectos acadêmicos do retorno dos alunos bolsistas no exterior como: integração no campus universitário, créditos das disciplinas cursadas no exterior, relacionamento com o colegiado da instituição brasileira, informações sobre o regresso do aluno, reinserção universitária, aspectos operacionais como o apoio da instituição no Brasil, das agências financiadoras, do IIE e das universidades americanas integradas ao programa.

Estiveram presentes o Diretor do Departamento de Cultura, Educação e Imprensa da Embaixada dos Estados Unidos da América, John A. Matel, a Assessora Cultural Senior da Embaixada dos Estados Unidos da América, Vera Galante, a Coordenadora de Orientação Educacional Regional da América do Sul – Education USA, Rita Moriconi, a Consul para Minas Gerais, Merry Miller, Coordenadores e Representantes de Relações Internacionais do Programa Ciência sem Fronteiras em Universidades e Instituições mineiras e os bolsistas representantes do estado de Minas Gerais que acabaram de retornar dos Estados Unidos. 

A avaliação dos alunos foi positiva quanto à participação no Programa Ciências sem Fronteiras. Agradeceram as instituições e ao Governo Federal, que juntos proporcionaram novas possibilidades educacionais no país, motivando o desenvolvimento acadêmico e pessoal dos estudantes. Os dirigentes comentaram que o programa por estar em fase inicial, ainda é necessário realizar alguns acertos para que o funcionamento e intenções sejam acolhidos de forma rápida e operacional. De acordo com Vera Galante, representante da CAPES, o Programa Ciências sem Fronteiras está aperfeiçoando suas atividades e irá melhor a cada ano para atender a todas as solicitações e condições implicadas nos editais.

Referente aos aspectos acadêmicos abordaram as necessidades de um relacionamento maior entre os alunos e suas instituições. A ideia é que o aluno não saia do país sem um plano de trabalho, e que esteja totalmente alinhado com o colegiado de sua instituição para quando retornar seja fácil inserir os créditos das disciplinas cursadas no exterior. Sendo assim, a sugestão é reconhecer e integralizar as atividades realizadas em outros países e aplica-las no currículo do aluno. 

Eduardo Viana Vargas, Diretor de Relações Internacionais da UFMG, a instituição comenta que a instituição não autoriza a ida do aluno para o exterior sem antes ter um plano de trabalho prévio constituído, mesmo que este plano possa ser alterado no futuro. A integração entre aluno e a universidade é importante para o andamento das atividades. Comenta que os alunos da primeira chamada seguiram viagem sem plano de trabalho e encontraram algumas dificuldades pelo caminho.

Ao chegar ao país de destino os alunos terão um representante do Programa Ciência sem Fronteiras para recebê-los e orientá-los quanto as suas instalações, atividades acadêmicas, entre outras ações. Ele será o interlocutor social do aluno com a instituição no exterior. O objetivo é facilitar a integração entre as partes. Alguns alunos comentaram sobre que o retorno ao Brasil o calendário acadêmico americano termina em setembro, já no Brasil as aulas iniciam-se em agosto, mas todos conseguiram flexibilidade das instituições para reiniciar suas atividades.

Durante a reunião, Étory Zaghi, apresentou ao grupo que a instituição (FESP) possui o controle dos alunos que estão no exterior. Atualizamos e alinhamos os planos de trabalho, fazemos um diagnóstico acadêmico e pessoal das experiências vividas por eles através de questionários mensais enviados por email, utilizamos uma comunicação quase que diária através das redes sócias e grupos de discussões. Estas ações são fundamentais para o desempenho acadêmico positivo destes estudantes no exterior. 

A Capes lembra também que o programa está possibilitando a troca de conhecimentos entre o Brasil e outros países. A apresentação de novas universidades favorece o crescimento de experiências inéditas e aperfeiçoamento profissional. A intensão é adaptar métodos criativos para as nossas instituições e mercado profissional, afirma a representante da CAPES, Vera Galante. Para John A. Matel representante da Embaixada dos Estados Unidos, o diagnóstico do programa é positivo. Comenta que os resultados são surpreendentes e a integração realizada através da Presidente Dilma Rousseff com alunos e instituições parceiras são fundamentais para a concretização dos objetivos do programa.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP e Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras na FESP relata que a participação da FESP nesta reunião foi de fundamental importância para que possamos orientar nossos alunos com as experiências vividas no exterior pelos bolsistas participantes deste programa.

A FESP acredita que o encontro esclareceu pontos importantes para o desempenho dos alunos no exterior. O Diretor de Núcleo Acadêmico de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Eduardo Goulart Collares, reafirma o compromisso da FESP com os seus graduandos em relação ao Programa Ciências sem Fronteiras; estamos muito empenhados em encaminhar o maior número possível de alunos para o exterior, está é uma oportunidade única e não podemos perder o “bonde”, por isto estamos capacitando cada vez mais o nosso pessoal para cumprir todos os requisitos do CNPq e orientar adequadamente os nossos alunos. 

FONTE: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP - CPEX



Acontece neste sábado e domingo (27 e 28), a quinta edição do FESP Open de Tênis, torneio promovido pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP) através do curso de Educação Física. O evento será realizado no CIRE e começa às 9h da manhã de hoje.

A quinta edição do FESP Open de Tênis, já tradicional em Passos, terá a participação de aproximadamente 60 inscritos de todo o país, competindo em 13 categorias divididas em: principiante; até 10 anos; até 14 anos; de 17 a 34 anos; 35 a 44; 45 a 54; acima de 55 anos; masculino/feminino; e simples/dupla.

Durante o sábado todos os jogos são classificatórios e no domingo acontecerão as semifinais e finais, premiando com troféus os dois primeiros colocados de cada categoria.

A novidade desta edição, segundo o organizador do evento, Duerdete dos Santos (Dudu do Tênis), é que a competição será um aquecimento para a participação, em 2014, dos atletas passenses na Liga Alta Mogiana de Tênis. “Nosso evento é especial e tem o propósito de organizar e qualificar o esporte na região sudoeste de Minas além de preparar os atletas para o maior evento do tênis na região de São Paulo”.

Dudu conta ainda que há uma grande quantidade de atletas do tênis em Passos. No CIRE há aproximadamente 70 tenistas assíduos, que usam as dependências para seus treinamentos. De acordo com Vicente Campeiz, que também faz parte da equipe organizadora representando a FESP, a infraestrutura do CIRE, com quatro quadras de saibro e duas de lisonda, todas iluminadas e com a disposição de banheiros, vestiários e área de lazer faz a diferença para quem pratica este esporte.

A entrada no evento é gratuita e a FESP convida a todos para assistirem aos jogos. No local os presentes terão serviço de bar e restaurante. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A primeira reunião com os Bolsistas de Iniciação Científica da FESP ocorreu no dia 16 de abril, no auditório do Bloco Principal. Os trâmites avaliativos dos projetos submetidos nos programas, a seleção de bolsistas e processos organizacionais para se desenvolver as atividades de pesquisa e extensão foram apresentados na reunião. O objetivo deste encontro foi também esclarecer aos estudantes participantes e orientadores de projetos quais são suas obrigações e responsabilidades para com os programas de bolsas. Os órgãos financiadores dos programas de iniciação cientifica na instituição são: CNPq, FAPEMIG, UEMG e FESP. A apresentação destes programas foi realizada pela Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP – CPEX. 

A FESP disponibilizou 96 bolsas através destes programas. Este ano a instituição alcançou o recorde de 164 inscritos. Primeiramente o Diretor do Núcleo Acadêmico de Pós – Graduação, Pesquisa e Extensão, Eduardo Goulart Collares, fez uma apresentação institucional dos programas e explicou quais são os objetivos e responsabilidades dos participantes com os órgãos financiadores e com a FESP. De acordo com Eduardo Goulart Collares “esta é uma oportunidade impar na vida acadêmica de cada um dos bolsistas; a participação em um projeto de iniciação científica ou extensão significa um divisor de águas e, certamente, a partir de hoje passarão a encarar a universidade de outra forma. É a vida estudantil além da sala de aula!”

A FESP informa que os estudantes estão participando mais dos projetos de Iniciação Científica. Desta forma, a CPEX esclareceu a distribuição de bolsas em cada programa associado: são 30 bolsas para os alunos de Pesquisa da FAPEMIG, 19 bolsas para os alunos do Programa UEMG / PAPq, 20 bolsas para o Programa PAEX e 12 bolsas para o Programa PIBIC / FESP. 

O processo de seletivo PIBIC 2013 foi formado por uma comissão interna de seleção de projetos (CISP/CPEX), contendo 06 Coordenadores de Câmara Técnica, 18 Membros da Equipe Técnica de Avaliação e 03 Apoios Administrativos. Os processos de avaliação e seleção dos candidatos foram concebidos por uma comissão avaliadora e a classificação divulgada através do site da FESP.

Durante a reunião os responsáveis por administrar as atividades dos projetos de Iniciação Científica solicitaram a todos os alunos que fizessem a leitura obrigatória do manual do Programa Institucional de Apoio à Pesquisa e Extensão das instituições financiadoras. Lembraram, também, da importância em produzir o relatório mensal, conforme as regras do contrato do termo de compromisso e as assinaturas dos atestados de frequência. Os candidatos selecionados para o programa Bic Júnior / FAPEMIG foram orientados quanto ao processo seletivo e das normas de acompanhamento e aplicações para participação do programa.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, Marisa da Silva Lemos, o aumento da participação dos nossos alunos nos programas de incentivo a pesquisa demonstra uma conscientização dos mesmos da importância desta participação na vida acadêmica, na melhora de seus currículos e no futuro de suas carreiras profissionais.

A FESP declara que o objetivo dos programas é promover a pesquisa e a extensão de modo a contribuir para a formação de cidadãos comprometidos com o desenvolvimento e a integração dos setores da sociedade e das regiões do estado.

Fonte: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP - CPEX



A nona edição do Festival de Interpretação de Música Popular Brasileira – Canta FESP acontece na próxima sexta-feira, dia 26, no CIRE (Centro Integrado de Recreação e Esportes). O evento realizado anualmente pela Fundação de Ensino Superior de Passos terá início às 19 horas e receberá em seu palco intérpretes de 14 Escolas competindo pelo prêmio principal.

Já tradicional na cidade e região, o Canta FESP tem como objetivo difundir o conhecimento da MPB entre estudantes de escolas de ensino fundamental e médio, da rede pública e privada, contribuindo para o enriquecimento do repertório desse público e também revelar talentos estudantis.

Este ano, mais de 30 estudantes irão apresentar músicas de artistas como Roberto Carlos, Luiz Gonzaga, Belchior, Cazuza e Lulu Santos. O corpo de jurados, composto por pessoas da comunidade com notório conhecimento musical, vai avaliar com notas de 05 a 10 os seguintes critérios: qualidade de voz, afinação, interpretação e presença de palco. 

Serão concedidos prêmios aos sete primeiros colocados e todas as escolas participantes receberão troféus. Além disso, a torcida considerada mais alegre, numerosa, educada e criativa também será premiada com kit de informática e um banner de “Melhor Torcida do IX Festival de Interpretação 2013”.

As professoras Leila Maria Suhaldolnik Oliveira de Andrade e Sílvia Maria Oliveira Soares Maia, organizadoras do Canta FESP, esperam com entusiasmo mais uma edição do Festival que é sempre muito concorrido. “Nós sempre esperamos o melhor porque sabemos que existe uma carência deste tipo de evento na cidade. As escolas que participam têm muito a ganhar já que o objetivo é o incentivo à cultura, à arte, à cidadania, à política. Temos que pensar que a escola é um lugar de aprendizagem do ser humano no seu todo”, declarou Leila Maria Suhaldolnik Oliveira de Andrade.

A entrada para assistir ao Festival de Interpretação é gratuita e, no segundo semestre, a FESP realiza também o Festival de Composição, para canções inéditas. O Projeto Canta FESP é um incentivo à cultura, ao lazer e ao conhecimento da história musical brasileira.

 

Confira as escolas participantes: 

 

Núcleo Dercio Andrade - Educandário Educafro - Proibida pra mim (Zeca Baleiro)

E.M. Jalile Barbosa Calixto - Olhos Coloridos (Sandra de Sá)

Colégio São Francisco - Encontros e Despedidas (Milton Nascimento/Fernando Brant)

Colégio Tiradentes - Ainda Bem (Marisa Monte)

E.E. Júlia Kubitschek - Entre a Serpente e a Estrela (Zé Ramalho)

Colégio Del Rey - Disparada (Geraldo Vandré)

E.E. Caetano M. da Silveira - Meu Erro (Hebert Vianna)

E.E. Abraão Lincoln - Se Você Pensa (Roberto e Erasmo Carlos)

Colégio Objetivo - A Vida do Viajante (Luiz Gonzaga)

E.E. Tancredo Neves - Como Nossos Pais (Belchior)

E.E. Prof. Jair Santos - Malandragem (Cazuza)

E.E. São José - João de Barro (Leandro e Leo)

E.E. D. João VI (Alpinópolis) - Pra Você Guardei o Amor (Nando Reis)

Colégio Imaculada Conceição - Tempos Modernos (Lulu Santos)

 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos participou, no último sábado, na Praça Monsenhor Messias Bragança, do lançamento da Campanha de Desarmamento Infantil “Troque uma arma de brinquedo por uma Revista”, realizada pela Editora Abril e implantada em Passos através de parceria entre FESP, Folha da Manhã e Radio Jovem Pan. A campanha terá duração de dois meses e já conta com a participação de estudantes de escolas públicas e particulares de Passos. 

A Campanha do Desarmamento Infantil é direcionada a crianças de seis a 12 anos de idade e será encerrada no dia 29 de junho. As trocas das armas de brinquedo por revistas da Editora Abril serão feitas em postos de coleta disponíveis nas escolas, no prédio principal da FESP, na recepção do Jornal Folha da Manhã e nas Bancas de Revistas localizadas na Praça Geraldo da Silva Maia e Praça Monsenhor Messias Bragança.

O distribuidor regional da Editora Abril, Aparecido Donizette Jacinto, ressaltou a importância da FESP, Folha da Manhã e Jovem Pan que prontamente aceitaram parceria. A Campanha da Editora Abril começou em junho de 2011, na cidade de Barueri, São Paulo, e já tirou de circulação mais de 75 mil armas de brinquedo. Segundo Donizette Jacinto, ao final da coleta em Passos o material recolhido será destinado para reciclagem. 

O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, acredita que as demonstrações de adesão à campanha, o comprometimento das escolas envolvidas e dos parceiros, durante o lançamento, indicam que a campanha vai superar as expectativas e mostrar para as crianças que só por meio da educação é que se pode prover a melhora da segurança pública. “Muito mais do que a simples troca, a iniciativa é uma ação em prol da educação. Quando lançamos a campanha temos o intuito de apontar o caminho certo. Participando, as crianças vão entender que a leitura é a única arma que eles vão usar contra a violência”, afirmou Fabio Kallas.

O evento contou com a participação do diretor do Núcleo Acadêmico de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, professor Vivaldo Silvério de Souza Filho; do diretor da Folha da Manhã, jornalista Carlos Antônio Alonso Parreira e do diretor da Jovem Pan Passos, Ney Bueno Júnior. 

A FESP promoveu uma edição do projeto “Praça Viva”, que leva recreação e lazer através do curso de Educação Física, especialmente para o lançamento da campanha. Além de trocar as armas de brinquedo por revistas, as crianças puderam se divertir com Escalada, Xadrez Gigante, Pula-Pula e muitas outras atrações, com acompanhamento de estudantes e professores.  

A primeira troca oficial foi feita pelo aluno do 4º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Francina de Andrade, Flávio Gabriel Garcia Oliveira que, após receber a Revista Recreio e posar para foto, disse que não gostava da sua “arminha” de brinquedo e que a troca é “bem-vinda, já que gosta muito de ler”.

A cerimônia também foi palco de apresentações de grupos de dança e de interpretação musical dos estudantes passenses, além do ato simbólico das meninas da Escola Municipal Professor Hilarino de Moraes, que soltaram balões com uma placa pedindo paz. “A gente precisa acreditar e ter esperança em um mundo melhor”, disse a pequena estudante Lívia Aparecida Ferreira. 

O mesmo apelo foi feito pela mãe de João Vitor, Kátia dos Santos. Segundo ela, seu filho, os irmãos e os amiguinhos “brincavam” de matar um ao outro com as armas de brinquedo. “Eu não acho isso interessante. Eu acho que a violência já está demais, então, basta!”. Frisou Kátia.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678