Representantes do seminário.

O 1º Seminário sobre os Recursos Hídricos do Médio Rio Grande e 3º Workshop do Projeto Grande Minas União pelas Águas reuniu mais de 200 pessoas no bloco 08 da FESP na última sexta-feira. Até o fim do evento, estudantes, professores e autoridades ambientais discutiram questões referentes à sustentabilidade e ao futuro da Bacia do Médio Rio Grande. A equipe de pesquisadores da FESP que realizam o Grande Minas apresentou a primeira etapa de diagnósticos realizados sobre a bacia e os primeiros mapas produzidos. O trabalho é uma importante contribuição para o futuro dos recursos hídricos na região e é desenvolvido com a parceria entre FESP, ADEBRAS, Comitê CBH-GD7 e Governo de Minas.

"Contamos com uma equipe técnica numerosa, multidisciplinar e muito eficiente que está permitindo a produção de dados e documentos conclusivos e de alta precisão", avalia o coordenador do projeto Prof. Eduardo Goulart Collares. Segundo ele, nesta primeira fase do projeto foram realizados levantamentos sobre hidrografia, hidrologia, clima, geologia, geomorfologia, flora e unidades de preservação, aspectos socioeconômicos, uso e ocupação do solo, saneamento básico, usuários dos recursos hídricos e qualidade das águas nos principais afluentes. "Nesta primeira fase (diagnóstico), estão sendo produzidos mapas básicos, posteriormente serão produzidas cartas interpretativas, como suscetibilidades e adequabilidades", explica Collares.

Todos os dados estão sendo reunidos para dois tipos de publicações: o primeiro será no formato digital, na rede mundial de computadores, através de um software que permitirá a disponibilização pública dos dados que são processados no Sistema de Informações Geográficas (SIG); o segundo será impresso, no formato de um Atlas, com os principais mapas, gráficos e dados tabulados, referentes a aspectos dos meios físico, biótico e socioeconômico da bacia do Médio Rio Grande.

O evento para apresentação desta primeira etapa de diagnósticos da Bacia reuniu autoridades de todo o Estado como a Gerente Regional do Igam, Vanessa Coelho Neves, representando Dra. Cleide Melo, membros do GD-7, prefeitos e vereadores, secretários de meio ambiente, membros do Comitê GD-7, AMEG, além da comunidade acadêmica FESP.

O Deputado Estadual Antônio Carlos Arantes participou do evento e ressaltou a importância da captação de recursos financeiros para projetos ambientais na região. "Este projeto serve de modelo como boa aplicação de recursos públicos. Temos de continuar neste caminho", afirma.
O presidente da AMEG, José Martins, prefeito de Delfinópolis, ressaltou a importância da pesquisa para a região. "Com este estudo, teremos uma base técnica para traçar novas ações de trabalho para a bacia", afirma.

O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas, Subsecretário de Ciência Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, abriu o evento mostrando satisfação em iniciar o ano com mais uma ação socioambiental. "É com muita alegria que damos início a mais um ano letivo com um evento importante como o Grande Minas., um trabalho sério que se soma a muitos projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos pela FESP que colocam nossa instituição na vanguarda da pesquisa cientifica de Minas Gerais. Graças a trabalhos sérios como este, a FESP foi contemplada recentemente com uma unidade do VerdeMinas, um braço do Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas, o Instituto Hidroex, com chancela da UNESCO. Tenho certeza de que estamos no caminho certo em nossa missão de colocar o conhecimento acadêmico a serviço da preservação ambiental", afirma o secretário fazendo referência ao projeto criado pelo Secretário Nárcio Rodrigues.

O Grande Minas resultará em um abrangente banco de dados que será apresentado ao Comitê das Bacias Hidrográficas do Médio Rio Grande (CBH-GD7), como uma base para o desenvolvimento de um Plano Diretor para a Bacia. "Com este estudo vamos desenvolver um Plano Diretor coerente, com ações planejadas para promover efetivamente o desenvolvimento sustentável", afirma o presidente do comitê Francisco Pereira Landi.

O projeto tem recursos de cerca de R$1milhão, viabilizados através do FHIDRO, Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais e será concluído em janeiro de 2012.

Galeria



fev
04

Por FESP | Tags:

A área pesquisada abrange 22 municípios da região: Alpinópolis, Bom Jesus da Penha, Cássia, Capetinga, Claraval, Delfinópolis, Fortaleza de Minas, Ibiraci, Itamoji, Itaú de Minas, Jacuí, Monte Santo de Minas, Nova Resende, Passos, Pratápolis, São João Batista do Glória, São José da Barra, São Pedro da União, São Roque de Minas, São Sebastião do Paraíso, São Tomás de Aquino e Sacramento. Ainda estão inseridos dois grandes reservatórios administrados por Furnas Centrais Elétricas: o reservatório de Peixoto (231 km2) e parte do reservatório de Estreito (48 km2) em uma área total de 9.800 Km2, com população estimada de 400 mil habitantes.

 

Conheça o que está sendo pesquisado e a equipe do Projeto Grande Minas:

Levantamento Hidrografico e Hidrológico:
Daniela Marchete Gomes e Camila Cerdeira - sob a orientação dos Profs Ana Carina Collares e Eduardo Goulart Collares;

Levantamento Climático:
Camila Cerdeira - sob a orientação da Profª Ana Carina Collares;

Levantamento Geológico e Geomorfológico:
Rômulo Faustino Magri, Daniela Marchete Gomes e Liz Abreu Danúbila - sob a orientação dos Profs Eduardo Goulart Collares e Tereza Cristina Krauss Pereira;

Levantamento Floristico, Unidades de Conservação e APPS:
Fernanda Oliveira Reis e Marcelo Silveira Ribeiro - sob a orientação do Prof Alessandro Francisco dos Santos;

Levantamento Socioeconômico:
Joyce - sob a orientação da Prof. Tereza Cristina Krauss Pereira)

Uso e ocupação do solo:
Camila Cerdeira - sob a orientação do Prof. Eduardo Goulart Collares;

Gestão dos resíduos sólidos:
Fernanda Resende Vilela - sob a orientação do Prof. Eduardo Goulart Collares;

Captação pública de água e esgoto municipal:
Roberlei Dal Sasso - sob a orientação da Prof. Natália Ulhoa)

Usuários dos recursos hídricos:
Camila Natália - sob a orientação do Prof. Eduardo Goulart Collares;

Qualidade as águas:
Roberta T. A. Vieira - sob a orientação dos Profs Odila Rigolin de Sá, Norival França e Fernando Spadon.

Mapa área



fev
04

Visitas FESP

Por FESP | Tags: , ,

A FESP recebeu, no dia 04 de fevereiro, a empresária Celina Discini Vasconcelos, nova proprietária do Vila Rica Hotel e Gladston Geraldo Bastos, presidente da Associação Espírita Santo Agostinho. O diretor da Faculdade de Administração de Passos, Vivaldo Silvério Filho e o coordenador do Núcleo de Atendimento ao Estudante da FESP, Márcio Valadão, acompanharam a recepção dos visitantes.




Profº Fábio Pimenta Esper Kallas.

O presidente do Conselho Curador da FESP, Profº Fábio Pimenta Esper Kallas, aceitou o convite do Secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino superior de Minas Gerais, Narcio Rodrigues, para ocupar a Subsecretaria de Ensino Superior do Estado.

Kallas afirmou que continua a frente da FESP desenvolvendo projetos. "Estamos modernizando e ampliando todo o setor administrativo e pedagógico da faculdade, que vai resultar num tremendo salto de qualidade. Ainda temos o projeto de construir um auditório para 1,3 mil pessoas e iremos construir também três novos prédios que irão abrigar 57 novas salas de aula. Além disso, já estamos caminhando para oferecermos em Passos dois cursos de mestrado, sendo um na área de meio ambiente e outro na área de educação, e temos muito mais pela frente".

Ele ressaltou que o grande desafio na subsecretaria será a construção do Campus da UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais, e o encampamento das instituições ligadas ao sistema UEMG (Campanha, Carangola, Diamantina, Ituiutaba, Divinópolis e Passos).

Fábio afirma que acompanhará de perto o processo de estadualização das unidades associadas a UEMG, hoje composto por seis instituições.

Fonte: Agência Escola



O resultado das eleições de 2010 em Minas Gerais criou um cenário promissor para o desenvolvimento de Passos e região na Educação. À frente da Secretaria de Estado Ciência e Tecnologia, está o deputado Narcio Rodrigues, que viabilizou obras importantes em Passos, como o Pronto Socorro Municipal, o Restaurante Comunitário da FESP e Centros Vocacionais Tecnológicos. Ao seu lado, na Subsecretaria de Ensino Superior, Fábio Pimenta Esper Kallas, educador há 20 anos e presidente do Conselho Curador da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP), cuja gestão transformou a instituição em referência estadual em ensino superior e cuja passagem pela administração pública municipal de 2001/2004 resultou em grandes projetos como a Vara de Justiça Federal e a obtenção de recursos para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto de Passos.

Tais nomeações não poderiam ser melhores para a região uma vez que a secretaria de Estado Ciência Tecnologia e Ensino Superior é uma das pastas mais estratégicas do Governo de Minas, responsável por toda área do desenvolvimento científico e tecnológico e de Ensino Superior e embute, na sua competência para os próximos quatro anos, a tarefa de promover a tão sonhada e prometida “estadualização” das entidades associadas a Universidade Estadual de Minas Gerais, entre elas, a FESP. “O ensino superior é alavanca da cidadania na medida em que aperfeiçoa profissionalmente e qualifica a pessoa para o exercício de servir. Nenhum país do mundo conseguiu dar salto na qualidade de vida de seu povo sem resolver a educação e sem investir pesado na oferta de ensino superior público, gratuito e de qualidade. A educação melhora as pessoas para que elas possam ter uma convivência melhor consigo mesmas, com a família e contribuir para o desenvolvimento da sociedade”, avalia Narcio Rodrigues.

A indicação do presidente da FESP, Fábio Kallas, abre novas portas para Passos e todo o Sudoeste Mineiro criando mais uma condição para o crescimento da região. Para ele, a nomeação é fruto do empenho pela transformação e fortalecimento da FESP nos últimos anos. “A FESP teve de se adequar aos novos tempos, teve que vencer o sucateamento de sua estrutura, dar um basta nas divisões de grupos, procurar fazer com que os alunos tivessem orgulho em estudar aqui e resolver suas dificuldades financeiras. Respeitando a proporção, a FESP fez em sua estrutura o que o Estado de Minas Gerais fez nestes últimos anos: foi saneada, criou estrutura física e tecnológica para crescer, acabou com os grupos de interesses diferentes e se uniu em torno de uma missão única: crescer. A inovação deve ser a palavra chave de uma administração universitária. O Governador Anastasia e o Secretário Narcio Rodrigues sabem de nosso compromisso com a educação e com o crescimento de Passos, da região e do estado”, avalia.

Fonte: Agência Escola



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  agosto 2019  >>
seteququsedo
2930311234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678