08/11/2018

Gabriela Andreazi – Estagiária Redação Agência Escola
Rita Reis – Estagiária  Assessoria de Comunicação


Entre os dias 5 e 7 de novembro aconteceu a Terceira Semana do curso de Biomedicina da UEMG - Unidade Passos. Palestras e minicursos foram as principais atrações do evento, as atividades aconteceram no Bloco 01 da Universidade. 

A presidenta do Centro Acadêmico do curso de Biomedicina, Iara Arcolino, que participou da organização da Semana, conta a importância de trazer este tipo de evento para os estudantes “As palestras oferecem uma visão maior sobre todas as possibilidades que o curso oferece para os alunos”, ressalta a estudante que destacou a ideia de sempre ampliar a abrangência temática da programação, trazendo profissionais da área especializados em diferentes assuntos, apresentando possibilidades de atuação profissional.

Uma das convidadas do evento foi a Professora e Bioquímica Maria Luiza Vilela Olivia, que apresentou aos estudantes a palestra "Dilema de um cientista: Publicar ou patentear?".  A docente atua na Escola Paulista de Medicina – UNIFESP. "Este tipo de evento é muito importante, uma vez que ressalta que você pode ter seus resultados científicos para gerar conhecimentos novos ou, então, patentear seu produto, proporcionando que sua pesquisa pode vire um medicamento" explicou.

"É necessário entendermos como se chega de um produto natural até um fármaco. É um processo longo e doloroso, mas que deve ser efetivado pelo profissional da área", respondeu a professora quando questionada sobre a importância de uma palestra que leve aos estudantes a realidade de mercado.

Marlon Vilela de Brito, docente do curso de Biomedicina, responsável pelo convite à professora, comentou que já conhecia Maria Luiza de sua pós-graduação, o professor utilizava o laboratório coordenado por ela como meio de pesquisa para seu mestrado, doutorado e primeiro pós-doutorado.

"A semana foi muito proveitosa, pois os palestrantes são de diversas áreas do conhecimento, o que abre mais o leque de oportunidades para os alunos que estão iniciando o curso, assim como para os formandos, uma vez que a Biomedicina compreende várias áreas da atuação. As palestras despertaram a curiosidade desses jovens, o que é de extrema importância para a formação acadêmica e intelectual" comentou Marlon.

 

 

PASSOS



06/11/2018

 

Estão abertas até o dia 6 de dezembro deste ano as inscrições para o Vestibular UEMG 2019. Serão oferecidas 3.226 vagas em 115 cursos presenciais, distribuídos em 16 municípios do estado de Minas Gerais.

Estão aptos a participar do processo seletivo aqueles candidatos que já concluíram ou estejam cursando o último ano do Ensino Médio, em quaisquer modalidades.

O Vestibular UEMG 2019 será composto por duas etapas: Provas de Habilidades Específicas e Provas Gerais. 

As Provas de Habilidade serão aplicadas somente para os candidatos aos cursos de Artes Plásticas e de Música, oferecidos respectivamente em Belo Horizonte pela Escola Guignard e Escola de Música.

Já as Provas Gerais, comuns aos candidatos de todos os cursos, serão realizadas no dia 20 de janeiro de 2019, das 14h às 18h30, em todas as cidades nas quais a UEMG oferece cursos presenciais. Serão compostas por 54 questões objetivas, relativas às disciplinas correntes do Ensino Médio, e uma questão de redação.

As obras literárias indicadas para a realização das Provas Gerais são A Barca dos Amantes, de Antônio Barreto e O Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto.

A empresa responsável pela organização do processo seletivo será o Instituto Brasileiro de Gestão e Pesquisa (IBGP). As inscrições, no valor de R$ 125, e o edital podem ser acessados no site da empresa vestibular.uemg.br.

RESERVA DE VAGAS

Para a edição de 2019, a UEMG reserva 50% de suas vagas no Vestibular para aqueles que se enquadrem nas seguintes categorias: negros, indígenas, egressos de escola pública e pessoas com deficiência. 

Para concorrer por essa modalidade, conhecida como PROCAN (Processo de Seleção Socioeconômica), os candidatos devem encaminhar documentos comprobatórios de seu pertencimento às categorias informadas, sendo avaliados por uma equipe de assistentes sociais. 

Com exceção da última categoria, as demais devem adicionalmente comprovar carência financeira ou serem egressos de escola pública, conforme termos do edital de lançamento do Vestibular.

Os candidatos que forem considerados habilitados poderão concorrer ao Vestibular com outros candidatos em situação socioeconômica análoga, democratizando o acesso ao Ensino Superior gratuito no estado de Minas Gerais.

SiSU

Quem participou da última edição das provas do Exame Nacional do Ensino Médio também pode pleitear uma vaga na UEMG. Basta acompanhar a abertura das inscrições no site sisu.mec.gov.br e oportunamente migrar as notas do ENEM para o SiSU.

Metade das vagas disponíveis em 110 cursos de graduação da UEMG são oferecidas nesta modalidade (com exceção aos cursos de Artes Plásticas e Música, oferecidos em Belo Horizonte e que dependem de Provas de Habilidades Específicas).

Os interessados podem participar tanto do Vestibular quanto do SiSU, ampliando assim suas chances de ingresso no Ensino Superior oferecido pelo Estado de Minas.


PRINCIPAIS DATAS

06/11/2018 - Início das inscrições para o Vestibular e PROCAN

06/12/2018 - Término do período de inscrições para o Vestibular

20/01/2019 - Realização das Provas Gerais

INFORMAÇÕES

  vestibular.uemg.br
  3003-0437





UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS



Texto – Gabriela Andreazi (estagiária – RAE)

 

No dia 29 de outubro aconteceu no bloco 6 da UEMG-Passos, uma reunião entre os representantes da Redação Agência Escola (Jornalismo e Comunicação Social – Publicidade e Propaganda) e representantes do Gapop-R (Grupo de Apoio a Pacientes Oncológicos de Passos e região). O intuito dessa reunião foi promover uma parceria entre a Universidade e a instituição.

 As análises para o desenvolvimento de um  trabalho conjunto foram apresentadas pelos estagiários da Redação, sob a orientação da supervisora técnica a jornalista Larisa Cavalcante.

 Os estudantes falaram sobre a importância de manter as redes sociais da entidade ativas, uma vez que, por meio delas, o público pode acompanhar e conhecer o trabalho desenvolvido pela instituição.

 A coordenadora geral do Gapop, Clélia Candido Monteiro, e a presidente da entidade, Maria das Graças Freire Oliveira, destacaram, por sua vez, a importância da parceria oferecida pela Universidade por meio da Redação Agência Escola. “Nós acreditamos, que haverá um conhecimento maior dessa casa de apoio e consequentemente nós esperamos que as pessoas possam nos apoiar mais”, afirmou Clélia.

 Frederico Daia, coordenador do curso de Comunicação social – habilitação em Publicidade e Propaganda ressaltou a importância dessa relação dos alunos com a instituição: “É da máxima relevância que a redação opere a partir daí, de situações reais, concretas, para que o estudante tenha a experiência de atuar na área de sua formação”.

 O Gapop-R foi a primeira instituição a firmar parceria com a Redação Agência Escola. O objetivo é acompanhar mais entidades filantrópicas que precisem desse tipo de atendimento, para que o ganho seja benéfico de todos os lados, além de proporcionar essa interação com os estudantes.

 



08/11/2018

Está pronto para votação no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em 1º turno, o Projeto de Lei (PL) 5.429/18, do governador Fernando Pimentel, que autoriza o Estado a assumir o passivo financeiro das fundações associadas à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg).

Nesta quarta-feira (7/11/18) o projeto foi analisado por três comissões parlamentares e todas recomendaram sua aprovação na forma original. Na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o parecer pela constitucionalidade foi apresentado pelo relator e presidente, deputado Leonídio Bouças (MDB).


O deputado Cássio Soares (PSD) foi o relator nas outras duas comissões: de Administração Pública e de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO). Em ambas, apresentou parecer favorável à proposta do governo.

De acordo com o projeto, o valor total da dívida a ser assumida pelo Estado está estimado em R$ 100.712.425,09. O valor corresponde ao passivo de seis fundações de ensino superior da Uemg, cujas atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão acadêmica foram absorvidas pela Uemg, em decorrência da Lei 20.807, de 2013.

As seis unidades de que trata o projeto são: Fundação Educacional de Carangola, Fundação Educacional do Vale do Jequitinhonha, Fundação de Ensino Superior de Passos, Fundação Educacional de Ituiutaba, Fundação Cultural Campanha da Princesa e Fundação Educacional de Divinópolis.

O projeto de lei também autoriza a extinção da personalidade jurídica dessas fundações, absorvidas pela universidade.

Impacto – Nas três comissões nas quais a proposta foi analisada, os relatores apoiaram o argumento do governador, presente em mensagem encaminhada à Assembleia, de que o Estado deve assumir a dívida para cumprir o que determina a Lei 20.807 e para evitar que o passivo das fundações cresça ainda mais.

Apesar de a proposta gerar uma despesa de aproximadamente R$ 100 milhões para o Estado, Cássio Soares acatou o argumento do Executivo de que a dívida a ser paga é inferior ao valor patrimonial das fundações, avaliado em R$ 150 milhões, ou seja, R$ 50 milhões a mais do que o montante devido. De acordo com essa interpretação, não haveria prejuízo para o Estado, mas sim um crescimento patrimonial.

Por Assessoria da ALMG

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS



set
10

UEMG

Por FESP | Tags:

UEMG



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  janeiro 2019  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910