Yan de Melo Vasconcelos

O jovem enxadrista Yan de Melo Vasconcelos, 18 anos, está sendo apoiado pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e vai desenvolver um projeto denominado Clube de Xadrez Gigante com o objetivo principal de disseminar o esporte para um público maior.

O patrocínio da FESP iniciou em julho do ano passado. Yan participa constantemente de torneios de xadrez por todo o Brasil e tem conquistado muitas vitórias. Em julho de 2010, o esportista participou do Classificatório Mineiro Pensado Sub-18, realizado em Itajubá e Itaú de Minas e venceu a competição, acumulando o bicampeonato. O torneio teve a participação de 68 competidores.

Yan é filiado a Federação Mineira de Xadrez (FMX), órgão vinculado à Confederação Brasileira de Xadrez (CBX). Em suas conquistas o jovem acumula o título de bicampeão municipal do Clube de Xadrez de Passos, mantido pela prefeitura, 4º lugar no Torneio Internacional de Xadrez (Ribeirão Preto-SP), Campeão Sudoeste Mineiro Sub-16 (Nova Resende-MG), 5º lugar no Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar (Poços de Caldas-MG). Yan ressalta a importância do apoio da FESP pois, antes da parceria, as despesas com as competições eram muito altas. “Agora, além da ajuda de custo conto também com o incentivo, uma forma de apoio moral mesmo. Representando a FESP, minha credibilidade aumenta”.

Amante do xadrez desde os 13 anos de idade, Yan começou no esporte por indicação de amigos. Frequentou por muito tempo o Clube de Xadrez de Passos e logo no primeiro dia que jogou uma partida, mesmo sem saber muito as regras, venceu o seu adversário. Ele explica que naquele momento o conhecimento era apenas sobre o xadrez didático, uma forma mais fácil do jogo. “Com o xadrez didático, as regras não são tão intensas. Com o passar do tempo fui me aprofundando e conhecendo as regras e hoje jogo um xadrez esportivo que é a modalidade disputada nas competições. Com a FESP tive mais incentivo para continuar aprendendo os fundamentos do jogo”, explica.

Para Yan, apesar de ser o segundo esporte mais praticado do mundo (perdendo apenas para o futebol) o xadrez ainda é pouco divulgado no Brasil e considerado um esporte de elite. “Estamos trabalhando para mudar esse conceito. Desde julho de 2010, quando fiquei sabendo do apoio da FESP a esportistas individuais procurei o presidente do Conselho Curador e propus um trabalho, uma parceria, que foi aceita”, disse.

Origens

Estudioso não só das regras do jogo, mas também de sua história pelo mundo Yan lembra que o caráter elitista concedido ao xadrez se deve ao fato de ter sido um esporte praticado por reis e rainhas. A admiração pelos jogadores famosos fez com que Yan criasse um codinome para ser usado nas competições. Ele uniu o seu primeiro nome com parte do sobrenome de Garry Kasparov, famoso enxadrista russo, surgindo assim Yansparov, bem característico da jovialidade do atleta. Ele cita ainda outro enxadrista russo de quem também é fã: Alexander Alekhine.

Com uma bagagem ampla sobre o xadrez ele vai ser o responsável pelo projeto do Clube de Xadrez Gigante, criado pela FESP. O tabuleiro de xadrez gigante é uma modalidade especial com peças de aproximadamente um metro e meio e que é destinada ao lazer. O jogo será levado nos mais variados eventos esportivos e pedagógicos que a FESP promove em várias ocasiões durante o ano, como o Praça Viva. Além disso serão oferecidas aulas de xadrez para estudantes da FESP e alunos de escolas públicas e privadas de Passos.

Modalidade Esportiva estimula raciocínio

A dedicação ao jogo é grande. Yan ressalta que está sempre estudando, fazendo exercícios de raciocínio, estudando novas estratégias. Com o avanço da internet, os jogos on-line possibilitam um estudo mais profundo do xadrez e o contato com competidores de vários lugares do mundo. “Já fiz muitas amizades com pessoas de outros lugares devido ao fato de estar jogando o xadrez on-line e sempre sou convidado para jogar torneios reais em diversas cidades do Brasil”, lembra o enxadrista.

Todo esse empenho de Yan se deve ao fato de que ele está certo dos benefícios promovidos pelo xadrez. Ele cita alguns dos valores resgatados pelo esporte: “auto-controle, paciência, tomada de decisão, organização metódica dos estudos, interesse por línguas estrangeiras e o principal deles que é o desenvolvimento do raciocínio”, conclui.

Fonte: Agência Escola





Terá início no dia 9 (sábado) a terceira edição do FESP Open de Tênis, torneio promovido pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) por meio do curso de Educação Física que conta ainda com o apoio da Enfermagem e Nutrição no suporte técnico. As inscrições podem ser feitas no Serviço de Atendimento ao Estudante (SAE) e também no dia do evento, que acontecerá no Centro Integrado de Recreação e Esportes (CIRE).  As taxas têm os valores de R$ 25,00 para crianças até 10 anos, R$ 40,00 simples e R$ 50,00 duplas.

O evento acontece em dois finais de semana nos dias 9 e 10 e também 16 e 17. O torneio já está se transformando em um atrativo para Passos, com a vinda de tenistas das mais variadas localidades.

Organizado pelo professor de tênis, Duerdete dos Santos, o Dudu do Tênis e Maurício Esper com o apoio do coordenador do CIRE-FESP, Vicente de Paula Campeiz, o FESP Open de Tênis corresponde à segunda etapa de 2011 da Liga São Paulo/Minas Gerais. A liga organiza os eventos durante o ano todo e este ano serão sete etapas distribuídas nas cidades de Franca – onde já aconteceu a primeira etapa, Batatais, Passos, Orlândia, Ituverava, São Sebastião do Paraíso, Guaxupé. Após o término de todas as etapas identifica-se o campeão geral da Liga de 2011.

Qualquer participante pode competir desde que seja praticante do esporte e conheça as regras. As categorias variam de 10 a 70 anos, masculino e feminino. As partidas acontecem em melhor de três sets. Quando há empate em 1x1 o desempate é feito no set longo de 10 pontos – tie break. As disputas são em forma de eliminatória simples. Os vencedores vão seguindo a frente até chegar ao campeão da categoria. Ao perder uma partida o jogador é eliminado da competição. Os três primeiros colocados de cada categoria receberão troféus.

Vicente Campeiz destaca que as duas edições anteriores do FESP Open de Tênis levaram centenas de participantes ao CIRE com a presença de muitas pessoas para assistirem os jogos. “O local é muito agradável e isso chama muitos atletas de fora para o nosso evento. O torneio faz com que surjam cada vez mais adeptos desta modalidade em Passos e região”, ressalta.

Além de movimentar o esporte, o torneio que acontece em dois finais de semana, movimenta também a economia local.  “Os participantes gastam com alimentação, hotel, aproveitam para fazer compras. Oferecemos um evento de entretenimento para toda a comunidade passense que ainda movimenta a economia do município”, lembra Campeiz.

Apesar de ser um esporte não tão massificado, há uma grande quantidade de tenistas em Passos. No CIRE há aproximadamente 70 tenistas assíduos, que frequentam o espaço para os treinamentos. De acordo com Campeiz, a infraestrutura do CIRE com quatro quadras de saibro e duas de lisonda, todas iluminadas com a disposição de banheiros, vestiários e área de lazer faz a diferença para quem pratica este esporte.

Fonte: Agência Escola



O tenista Aramis Brandão, que tem o apoio da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), por meio do Centro Integrado de Recreação e Esportes (CIRE-FESP) venceu a primeira etapa da Liga São Paulo-Minas de Tênis, realizada na semana passada, na Academia República do Tênis, em Franca (SP).

Com a vitória nesta competição, o atleta atingiu a primeira posição no ranking interestadual na categoria 11 a 12 anos. A conquista de Aramis vem somar e fortificar o trabalho realizado pela FESP na modalidade esportiva do tênis. As quadras bem estruturadas disponíveis no CIRE-FESP têm possibilitado o aumento da popularidade do esporte na cidade.
Completando o quadro de participações dos tenistas da FESP em torneios de renome nacional, os atletas Samuel Ranieri e Marcus Vinícius Oliveira participaram da primeira etapa da Liga SP/MG, no dia 26 e 27 de março na categoria principiante masculino. Os tenistas ficaram com a segunda posição pois venceram a primeira partida, mas a segunda não.

Duerdete dos Santos, o Dudu do Tênis, responsável pelo projeto de tênis da FESP, juntamente com Maurício Esper, lembra que mesmo não conseguindo a vitória a participação foi muito importante e que também vem somar às conquistas dos tenistas. “Participar é o mais importante, alguns atletas estão no início e já fizeram um ótimo trabalho. A cada dia a equipe de tênis da FESP fica mais sólida”, destacou Dudu.

A FESP já está organizando para dois finais de semanas consecutivos, nos dias 9 e 10 e também 16 e 17 de abril, o 3º FESP Open de Tênis, que corresponde à segunda etapa da Liga SP/MG de Tênis. O torneio já está se transformando em um atrativo para Passos, com a vinda de tenistas das mais variadas localidades. O incentivo ao esporte é marca característica da fundação que está preocupada em aliar o conhecimento com a prática de uma vida saudável e equilibrada.

Fonte: Agência Escola



Um total de 258 alunos realizaram as provas da Olimpíada Brasileira de Informática, que aconteceram no último sábado (26), na Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG). Dos concorrentes, uma metade participou no Nível Iniciação 1 e a outra no Nível Iniciação 2.

Foram inscritos 322 alunos (nível 1) e 275 (nível 2) totalizando 597 inscrições. Muitos que se inscrevem costumam não comparecer no dia da prova, mas o índice de ausência foi pequeno segundo o delegado regional da OBI, o professor Gualberto Rabay. Apenas as cidades de Araxá e Belo Horizonte tiveram alunos inscritos nessas categorias, porém com número muito inferior a Passos. Em Araxá, foram 166 inscritos e em Belo Horizonte, apenas 35.

O bom resultado da FESP é garantido graças ao esforço da instituição, na pessoa do delegado da OBI e professor do curso de Sistemas de Informações, que todo ano visita cada escola de Passos divulgando pessoalmente a competição.

Em Passos 10 escolas participaram inscrevendo seus competidores. O Colégio Tiradentes foi a escola que teve maior número de inscritos, com 189 competidores no total, seguida da Escola Estadual Nossa Senhora da Penha, com 101 inscritos. “O comparecimento dos alunos surpreendeu este ano com 258 alunos fazendo provas, um recorde na história das olimpíadas em Passos”, comemora Rabay completando que a prova transcorreu tranquilamente com os competidores ansiosos para saber dos resultados.

Foram mobilizadas 12 pessoas que colaboraram na organização e aplicação das provas. A maior parte são alunos do curso de Sistemas de Informação. A FESP presenteou os 200 primeiros competidores com squeezes (garrafinhas de água) que inclusive foram utilizados pelos alunos no momento da prova.

A OBI é realizada pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e a FESP coordena o evento na região de Passos. A competição é organizada nos moldes das outras olimpíadas científicas brasileiras, como Matemática, Física e Astronomia. O objetivo é despertar nos alunos o interesse pela informática, uma ciência muito importante na formação básica hoje em dia, através de uma atividade que envolve desafio, engenhosidade e uma saudável dose de competição.

Os alunos melhor classificados nessa primeira fase farão a prova da segunda etapa no dia 14 de maio. A lista de classificados para a segunda fase provavelmente será divulgada num período de 30 dias. Todos os participantes recebem certificado e os melhores recebem medalhas de ouro, prata e bronze. No ano passado Passos teve quatro medalhas de bronze e quatro estudantes classificados em 4º lugar nacionalmente.  “Passos está se tornando referência na Olimpíada de Informática. Nossa maior alegria é dar oportunidade para todos e ver o brilho nos olhos dessa garotada quando estão fazendo a prova", conclui o professor Rabay que se considera um entusiasta do evento.

Fonte: Agência Escola




Comissão

A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) é a primeira instituição do município a criar uma Comissão Permanente de Combate a Focos de Mosquito Transmissor da Dengue (CPCD). Essa comissão é uma exigência da lei estadual 19.482/2011, aprovada em 12 de janeiro pelo governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, mas que ainda não entrou em vigor. A FESP está antecipando as exigências de lei, pensando em exercer a prevenção da dengue em uma ação de cidadania.

Na semana passada, membros da comissão – formada por um representante de cada bloco da FESP, reuniram-se com o Agente de Controle de Endemias/Mobilizador da Vigilância Ambiental de Passos, Gabriel Patrick de Jesus Abreu. O representante entregou um certificado que marca o pioneirismo da FESP na criação desta comissão e apresentou aos participantes os principais objetivos e metas a serem cumpridos.

A lei estadual que prevê a criação da CPCD exige que a pessoa, física ou jurídica, pública ou privada, que desenvolva atividade que resulte em acúmulo de material ou em outra condição propícia à proliferação de mosquito transmissor da dengue, adote medidas para o controle estabelecidas pelo órgão competente. De acordo com a lei toda empresa com mais de 50 funcionários ou que ocupe uma área física a partir de 500 metros quadrados deve criar uma comissão.

Para a FESP, contribuir com o combate à dengue é uma missão que será desenvolvida com muita responsabilidade. O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas destaca que o papel de uma instituição de ensino de importância regional não pode ser apenas a de orientação técnica em salas de aula, mas também de colocar professores e alunos em contato com a problemática de sua comunidade, orientando, criando e desenvolvendo políticas que melhorem a vida de todos. “Apoiar e desenvolver ações de prevenção e combate à dengue faz parte de uma série de atividades nas quais colocamos nossos alunos, professores e funcionários com esta missão. A FESP é exemplo e deve buscar através de suas ações, mostrar o caminho para que outras instituições e famílias tenham um bom exercício de cidadania”, enfatizou.

Segundo Fábio, a Comissão criada na FESP busca colocar um grupo da comunidade acadêmica com a responsabilidade de desenvolver ações de prevenção e orientação sobre a questão da dengue apoiando e servindo de exemplo para outras instituições e empresas que também necessitem criar essas comissões. “A FESP percebe que cada empresa, cada instituição e cada residência através das pessoas nelas envolvidas possam promover uma ação coletiva que culminará na diminuição substancial deste problema que tanto nos preocupa”, disse

O papel de cada membro da CPCD é fiscalizar o setor em que atua e comunicar ao responsável ou coordenador da comissão as situações de risco as quais podem se tornar possíveis focos do mosquito transmissor da dengue. “Por exemplo, se um representante da comissão detecta em seu setor uma calha de telhado entupida, ele deve comunicar ao responsável para que elimine este problema evitando o acúmulo de água e a possível formação de um foco do mosquito. Ele é um fiscalizador devendo ficar atento aos possíveis focos e notificá-los sempre”, explica o agente Gabriel.

O responsável geral pela comissão da FESP é o técnico de Segurança do Trabalho, Wesley Nascimento de Paula. A CPCD vai trabalhar para que não haja dentro da instituição nenhum tipo de foco que possa contribuir para a proliferação do mosquito. A FESP vai atuar com 17 funcionários e em geral será um para cada bloco. Há blocos que terão dois representantes por possuírem setores separados.

Segundo Wesley o controle já vem sendo feito há algum tempo por meio de um trabalho permanente através do Departamento de Segurança do Trabalho. “Semanalmente visitamos todos os blocos para ver a situação, para verificar se há algum objeto que possa ser foco do mosquito, entre outros. O que devemos ficar mais atentos é a questão de caixas d’água, telhados, calhas, onde a visibilidade é menor e de difícil acesso. Nestes casos, os membros da CPCD poderão a qualquer momento, comunicar o departamento para que providencie a verificação e consequentemente resolver o problema. O departamento de obras, juntamente com a equipe de manutenção da FESP, já esta fazendo essas verificações, com limpeza das calhas, limpeza das caixas d’água e telhados”, salientou o técnico de Segurança.

Para Wesley além de promover o controle da dengue dentro da instituição a CPCD ajuda a criar uma consciência de que o combate desta doença é dever de todos. “Seja em casa ou no trabalho, não dá para esperar. Temos todos que nos unir e trabalhar em prol do combate à dengue, independente de ser da comissão ou não. Esperamos que haja uma conscientização de todos os funcionários”, disse.

Depois de organizado todo o trabalho a CPCD da FESP pretende realizar reuniões com os membros uma vez por mês para um balanço dos trabalhos e estabelecimento de novas metas.

Confira os integrantes da CPCD - FESP

Bloco 1: Raimundo Martins Rodrigues  (Manutenção) Barracão: Átila Vilela Franco (Almoxarifado)
Bloco 2: Lindomar Antonio de Melo (Departamento de Compras)
Bloco 3: Rita Maria Formágio de Lima (Secretaria de Registro Acadêmico)
Bloco 4: Gesiane Patricia de Souza (Biblioteca) / Olinda Silva Sebastião Rosa (Transportes)
Bloco 5: Gabriel Reis Moraes Machiaveli  (Comunicação)
Bloco 6: Kely Renata Silva Pinto (Laboratório de Informática) / José Eustáquio da Silva (Obras)
Bloco 7: Edna Aparecida Silveira (Atendimento)
Bloco 8: Adriano Antonio Santos  (Empréstimo)
Bloco 9: Sebastião Eustáquio da Silveira (Núcleo de Pratica Jurídica)
Bloco 11: Vicente de Paula Campeiz (Centro Integrado de Recreação e Esportes – CIRE)
Bloco 12: Evandro Lemos (Fazenda Experimental)
Bloco 13: Vera Lucia Alves Oliveira (Centro de Ciências)
Bloco 14: Thaís Silveira Lemos (Restaurante Comunitário)
Projeto Amar: Camila Silva Machado (Núcleo Interdisciplinar de Ação Social)

Continue lendo...

Fonte: Agência Escola



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  fevereiro 2020  >>
seteququsedo
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728291
2345678