Yára Oliveira, aluna da UNABEM – Universidade Aberta para a Maturidade da FESP – lançou na última quinta-feira (20), mais uma obra literária, desta vez, dirigida ao público infantil. Com o título Uma Floresta de Canetas, da editora São Paulo, a escritora conta nas 35 páginas a estória de um planeta chamado “Cintilante”, que se destacou dentre os demais planetas devido às diferentes espécies de florestas que nasciam em seu solo: as Florestas de Canetas.

A autora explica que a ideia de escrever o livro infantil surgiu durante uma oficina de literatura da UNABEM anos atrás. “No decorrer de uma oficina de literatura o professor falou as palavras ‘floresta e caneta’. Naquele momento veio a ideia de escrever alguma coisa sobre com esta temática e agora, quatro anos depois, nasce este livro”, explicou a escritora orgulhosa.

Feliz com o resultado do trabalho, a aluna da UNABEM explicou que a família inteira foi envolvida no projeto. “Tive o apoio do meu esposo e dos meus filhos para que o livro fosse editado e de maneira muito especial a ajuda da minha neta, Magda Joele, na ilustração e editoração e do meu neto Othon José Ribeiro Pereira, que fez a digitação do livro quando tinha apenas 14 anos”, comentou.

Para uma das coordenadoras da UNABEM, a historiadora e professora da FESP Leila Maria Suhaldonik Pádua Andrade, a literatura infantil é importante porque auxilia as crianças na personalização dos sonhos e imagens que elas têm permitindo que vivam isso através do livro. “O livro leva a criança a pensar, porque todos os livros infantis têm uma moral. Através da literatura as crianças podem aprender valores de amor ao próximo e respeito. A literatura infantil vai ajudar nesta educação moral das crianças”, observou.

“O livro já te convida a ler a partir das cores e ilustração, porque é muito atrativo para as crianças. Quando eu li fiquei apaixonada, é maravilhoso, é completo! A Yára foi muito feliz em escrever esta estória”, afirmou a Professora da UNABEM Regina Piotto, responsável pelo projeto Sala do Conto, da prefeitura de Passos, onde crianças da rede municipal de ensino se encontram na Casa da Cultura para aprenderem estórias infantis com toda ambientação do local. “Sem dúvida nenhuma este será o próximo livro que trabalharei com as crianças na Sala do Conto a partir do próximo semestre”, revelou Regina. 

Durante o lançamento do livro, o garoto Tiago Freire Ribeiro, 9 anos, que acompanhava a avó nas atividades da UNABEM aproveitou para folhear o livro e em poucos minutos leu todas as páginas. “Achei muito bonito, muito legal. Gostei de tudo”, disse o menino que ganhou um beijo emocionado da escritora e o exemplar que acabara de ler autografado.

Yára Oliveira nasceu em Cássia e foi radicada em Passos. É artista plástica e trabalha com pintura a óleo sobre tela e técnicas mistas. Tem aproximadamente 890 telas pintadas espalhadas por todo o Brasil, além de uma obra exposta no museu Arco de La Victoria em Madrid, Espanha. Já escreveu três livros, verso-prosa, contos e pesquisas: Simplesmente Yára I, II e III, além de duas cartilhas sobre prevenção às drogas para a ONG Amigos da Vida. Atualmente é membro da Associação dos Escritores e Cia, em Passos.

Desta primeira edição, foram impressos mil exemplares sendo que 362 livros, 30% do total, foram distribuídos nas escolas municipais, biblioteca municipal da Câmara e da FESP, APAE e Hospital Regional do Câncer. O livro pode ser adquirido na papelaria Lemma, livraria Mar de Minas, APAE e na loja do Hospital Regional do Câncer.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) dando continuidade à iniciativa de incentivar escritores de Passos e região promoveu na noite de ontem (31) o lançamento da obra “Educa Ação” de autoria do professor e empresário do ramo da Educação, Décio Martins Cançado. A sessão de autógrafos aconteceu na Biblioteca Engenheiro Oto Lopes de Figueiredo, às 19h. Décio é o diretor e fundador do Colégio Status Positivo.

O livro surgiu de uma seleção de 460 artigos escritos para a coluna semanal de Décio no jornal Folha da Manhã. Segundo o autor, ele foi pensado primeiramente para comemorar os 10 de participação nessa coluna jornalística. Dos 460 artigos, foram escolhidos 97. O projeto da obra teve início em janeiro de 2011 e ganhou um impulso maior com a realização da 1ª Feira Literária de Passos (FLIPASSOS), promovida pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SECEL). A FESP apoiou o lançamento e a realização da noite especial de lançamento teve o objetivo de apresentar a toda a comunidade acadêmica o trabalho do professor Décio que tece reflexões sobre comportamentos, hábitos e relacionamentos na família, escola e sociedade. “São reflexões que analisam a Educação como um processo, que tem início, mas não tem fim. É transformação, aprendizado, mudança. Tem a ver com a forma de falar, de se portar em determinados lugares, à mesa, em sociedade, de se vestir, de se relacionar. A Educação está ligada à família, em primeira instância, que ensina e solidifica seus valores, crenças e hábitos”, pontua o escritor na sinopse do livro.

Décio comentou que a trajetória na coluna do jornal Folha da Manhã foi sendo construída tendo como foco os leitores. Primeiramente foram pensados artigos que fossem voltados para uma parte técnica e pedagógica. “Mas, eu percebi que o público-leitor de um jornal é muito diversificado. Então, embora muitos professores, orientadores, supervisores gostassem dos artigos, resolvi falar mais da Educação em termos de família, de relacionamento, de ética, de qualidade de vida. Acabou ficando bem eclético, bem diversificado. A palavra Educa Ação é porque a Educação se manifesta através das atitudes, da ação. Muita teoria, muito curso não adianta se não tiver a ação efetiva no dia a dia”, explica Décio.

Para a FESP receber os autores regionais é um momento de propiciar trocas de experiências e de estimular a cultura de uma forma geral. O presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas, durante seu pronunciamento no lançamento enfatizou a importância de realçar os pontos fortes da cidade de Passos na cultura e na educação. “Ter o professor Décio lançando sua obra aqui é um prazer muito grande para nós. Comecei minha carreira acadêmica no Colégio Status e hoje estamos aqui na FESP. Passos tem escritores, é uma terra com muita coisa boa e precisamos difundir essa cultura. Ficamos felizes de termos hoje aqui alunos e professores da FESP num momento em que em todo o mundo o assunto ‘Educação’ está em pauta. A obra do professor Décio tem um valor enorme”, comentou o presidente Fabio Kallas.

Estiveram presentes o diretor do Núcleo Acadêmico de Educação, Professor Anderson Jacob Rocha, o diretor do Núcleo de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, Vivaldo Silvério de Souza Filho, o professor do curso de Letras Paulo Felipe Pereira e a bibliotecária-chefe da FESP, Gesiane Patrícia de Souza.

A carreira de Décio na Educação começou na cidade de Alpinópolis, há 39 anos. Em Passos, ele fundou o Colégio Status que surgiu como um curso pré-vestibular há 37 anos. Ele agradeceu o apoio da FESP e comentou a importância de ter o aval de uma instituição desse porte para o seu livro. “Não é preciso dizer a força que a FESP tem, não só em Passos, mas na região e até no Estado. A qualidade dos cursos é surpreendente. Quando temos uma retaguarda, um aval para qualquer escritor, temos que se sentir honrados, envaidecidos e principalmente com profundo agradecimento”, concluiu.

Confira as fotos do envento na galeria de imagens do Portal FESP AQUI

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Diversos cursos da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) participaram na semana passada da I Feira Literária de Passos (FLIPASSOS) promovida pela Secretaria Municipal de Educação Cultura, Esporte e Lazer (SECEL).

O curso de Nutrição levou informações, serviços como aferição de pressão arterial e orientações nutricionais para os participantes da feira. Juntamente com o curso de Enfermagem, a Nutrição montou stands na Praça Geraldo da Silva Maia (Praça do Rosário). As atividades tiveram participação ativa dos estudantes universitários.

O curso de Enfermagem participou da feira com o apoio da equipe do Ambulatório-Escola (AMBES) que divulgou o trabalho realizado e forneceu orientações sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)/AIDS e Hepatites virais, distribuição de preservativos e folhetos informativos. O AMBES esteve presente na FLIPASSOS na quarta, quinta e sexta-feira.

O Professor Gilberto Andrade de Abreu proferiu uma palestra no dia 11 de maio (sexta-feira), às 19h no Anfiteatro da Casa da Cultura. A palestra foi direcionada, entre outros públicos, para os alunos do curso de Direito da FESP. O tema tratado por Gilberto Abreu foi: “A crise geral do capitalismo”.

Para a FESP, participar de atividades como a Feira Literária, coloca em evidência as atividades desenvolvidas pela fundação, contribuindo para o trabalho de extensão junto à comunidade socializando o conhecimento desenvolvido pelos diversos cursos.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O professor do curso de Direito da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), Manoel Ilson Cordeiro Rocha, acaba de lançar o livro “Direito Internacional Público”, pela Editora Ribeirão, da cidade de Franca (SP). Manoel é mestre em Direito Internacional pela UNESP e cursa doutorado em Direito Administrativo pela Universidade de Lisboa (Portugal). O livro que acaba de lançar vem completar um trabalho voltado para a disseminação do conhecimento da área do Direito, com uma linguagem simplificada. Completa as publicações de Manoel o livro “Curso de Ciência Política e Teoria Geral do Estado”, pela mesma editora. Além das duas obras, Manoel possui uma série de artigos científicos publicados em periódicos de renome internacional.

O professor atua na FESP há 14 anos, onde leciona as disciplinas de Direito Internacional e Direito Administrativo. As obras do professor já estão disponíveis na biblioteca da FESP, que desenvolve uma política de apoio a escritores não só professores da instituição, mas autores da cidade e região, em todas as áreas. Os livros são adotados no curso de Direito da FESP como bibliografia utilizada nas aulas.

Para Manoel as obras surgiram da experiência com o magistério que fez com que ele encontrasse condições para poder produzir os livros que tem um teor didático. O professor tem autoridade no assunto já que leciona Ciência Política e Teoria Geral do Estado há 12 anos e Direito Internacional há 14 anos. “Com o material produzido pelo próprio professor, como resultado da minha experiência no magistério, eu consigo dinamizar o ensino, o aluno tem um material orientado, um material condizente com o trabalho em sala de aula. Ele consegue desenvolver melhor a disciplina”, destaca o professor.

O primeiro livro, o “Curso de Ciência Polítcia e Teoria Geral do Estado”, que foi lançado no início do ano passado, já está com a primeira edição praticamente esgotada. Dentro de oito meses será lançada a segunda edição, a qual Manoel já está preparando. “Comecei a escrever os livros há um bom tempo. Tenho pretensões de publicar outros livros, provavelmente algo referente às minhas pesquisas do mestrado e do doutorado. Também da disciplina de Direito Administrativo já tenho algo em produção, dois livros sendo preparados. Algo para os próximos dois anos ou três anos. Tenho um grande gosto por escrever, também escrevo em Literatura tenho alguns escritos em prosa e poesia”, contou Manoel.

Os livros têm um preço acessível já que o objetivo maior é a divulgação do conhecimento acadêmico e podem ser encontrados nas principais livrarias jurídicas. Em “Direito Internacional Público”, foi publicado um texto introdutório voltado para a preparação em concursos. Conforme Manoel, ele é um livro de leitura básica dentro do assunto. O “Ciência Política e Teoria Geral do Estado” faz referência a uma disciplina introdutória do curso de Direito que traz discussões não só do campo do Direito, mas da Ciência Política em geral. São apresentados temas como: Democracia, Cidadania, Opinião Pública, República entre outros. “É um livro que apesar de ter dicas para uma linguagem jurídica é de fácil compreensão e pode ser utilizado por profissionais de áreas afins”, acrescenta Manoel.

Para a FESP ter em seu corpo docente professores que se dedicam à pesquisa e à publicação de obras importantes para a disseminação do conhecimento é uma confirmação do nível de excelência do ensino oferecido. Com as publicações dos professores da FESP, os alunos podem ter acesso ao conteúdo e ainda discuti-los em sala de aula com os autores das obras.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) promoveu na noite da última quinta-feira (12) uma noite de lançamento do livro “A Grande Virada”, da escritora e professora Hilda Mendonça. A obra foi lançada na Biblioteca Engº Oto Lopes de Figueiredo com um grande público que esteve presente para prestigiar mais essa publicação da literatura regional. “A Grande Virada” marca a estreia de Hilda no gênero romance.

A escritora, que é natural de Alpinópolis, e passou boa parte de sua vida em Brasília, retornou a Passos no final dos anos 1990. Em Brasília, Hilda construiu uma sólida carreira como professora e teve ao longo de sua vida 19 livros lançados, sendo “A Grande Virada”, o vigésimo. Depois de aposentada sentiu falta da cultura mineira, das experiências vividas no sudoeste mineiro e retornou para Passos. “Eu vim buscar em Passos o que nunca em mim deixou de existir”, disse a escritora em seu pronunciamento.

A solenidade de lançamento teve início às 19h e contou com a presença do presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas, dos diretores de Núcleo Acadêmico, coordenadores de curso, estudantes, autoridades, familiares e amigos da escritora.

Hilda Mendonça foi aluna da FESP no curso de Letras. Na instituição ele teve acesso às teorias e consolidou o seu dom para a escrita. A FESP tem incentivado a publicação de livros de autores de toda a região com a convicção de que oportunizar aos escritores e a todos que promovem cultura é fundamental para o crescimento de um povo. “Estar aqui na FESP uma ex-aluna que há alguns anos cursou um de nossos cursos e que foi ao mundo levando o seu conhecimento e toda a sua potencialidade e que volta para a casa nesse momento, trazendo algumas de suas obras e hoje, especialmente, lançando mais uma é fundamental para que nós possamos colocar a missão da FESP em atividade, que é desenvolver homens e mulheres que estejam preparados para o mundo. Para isso não basta apenas colocar a técnica para que eles possam absorver. É necessário colocar sabedoria, cultura, respeito e uma gama de valores. É com orgulho que recebemos a professora Hilda e queremos que outros autores também possam usar do espaço da FESP para apresentar o seu trabalho”, disse o Professor Fabio Kallas.

Enredo romântico

Publicado pela Scortecci Editora, “A Grande Virada” tem como tempo cronológico o ano de 1999, ano da virada para 2000. O cenário é parte em uma pequena cidade de Minas Gerais e Brasília. É a história da médica Paula e do músico Fernando, casal por amor (Eros) e depois vivenciam o amor perdão (Ágape). Hilda já tinha se aventurado na escrita como contista, folclorista, cronista e poeta. Escreveu também livros infantis e juvenis. Possui três trabalhos publicados em Espanhol na Revista Presencias (Argentina). Publicou também uma novela em Inglês. Hilda veio para Passos ainda na adolescência e na cidade fez seus estudos secundários. Estudou no Colégio Imaculada Conceição (CIC) e na Escola Estadual Professora Júlia Kubitschek (Colégio Estadual). É membro fundador da Academia de Letras de Taguatinga (DF), ocupando a cadeira de número 4.

Segundo Hilda, a obra surgiu a partir de uma observação, como professora de Literatura, de que os autores não possuem o hábito de registrar as passagens de século, ou passagens de anos. “Então eu pensei: ‘vou escrever um livro’ na virada do século XX para o XXI. Havia muitas profecias como de mil passará, 2 mil não chegará. O tempo cronológico portanto é 1999 e o enredo se passa num cenário real, Alpinópolis, que eu conheço muito bem. Mas também minha personagem inicia sua trajetória em Brasília e depois vem para Alpinópolis e ao final vai para a África, pois na infância tive uma amiga descendente de escravos e então minha personagem vai para África também. A ‘grande virada’ do ano, da personagem e também da minha vida, porque mudei de Brasília para cá. Gosto muito de recomeçar e estou recomeçando mais uma vez”, descreveu.

Para a autora estar na FESP lançando o livro é um momento muito especial, pois ela considera que recebeu uma bagagem muito boa na instituição. “Aqui é como eu disse para o professor Paulo Felipe e Pedro Junqueira que hoje estiveram presentes. Aqui eu levei a chave para abrir a porta. Eu sempre fui da turma do gargarejo, ali da frente, e sempre assisti a todas as aulas, mesmo se estivessem poucos alunos”, contou.
Todas as quartas-feiras Hilda e um grupo de pessoas interessadas em Literatura, arte e cultura se reúnem na residência da escritora e do marido Antonio Vicente, onde desenvolvem bate-papos e recitação de poesias, obras literárias e outros. O grupo tem o nome de “Escritores e Companhia” e esteve presente no lançamento. Para o também autor e sapateiro aposentado Sebastião Wenceslau Borges, que participa do grupo, o lançamento é um dia muito especial para o escritor e é um momento em que se reúnem os amigos. “Como ela falou é o vigésimo livro e ela ainda fica emocionada e ansiosa ao lançá-lo. Fico muito alegre por estar com a amiga Hilda e sabendo que o público prestigiou sua obra. Ela deve estar muito satisfeita”, disse Sebastião.

Iara de Oliveira, também participante do grupo, também prestigiou o lançamento e ficou satisfeita por poder estar presente apreciando a obra de Hilda. Segundo Iara, que é artista plástica, ela esteve presente no lançamento do primeiro livro da autora e prestigiar o momento dessa apresentação do vigésimo livro é um momento para ficar registrado. “Há pouco tempo ela disse: ‘Iara quero ser sua amiga’  e eu disse ‘e eu muito mais’. A Hilda é uma ótima escritora. A obra parece que flutua, é gostosa de se ler. Então, os livros infantis eu li todos. Parece que você volta ao tempo de criança. Estou ansiosa para ler ‘A Grande Virada’, a temática é muito interessante e tenho certeza que vou adorar a Hilda romântica, nessa estreia nesse gênero”, contou Iara.

Estudantes do curso de Letras e de outros cursos da FESP também prestigiaram o evento. Para a escritora o apoio da FESP foi fundamental, já que a fundação esteve com ela desde o lançamento da primeira obra. O diretor do Núcleo Acadêmico de Educação, Professor MsC. Anderson Jacob Rocha, acredita que para a FESP e principalmente para os alunos ter um contato com um escritor e vivenciar esse momento com o contato com uma obra nova é de fundamental importância. “Esse grupo que a Hilda mantém, que conversa sobre Literatura, declama poesias, cantam, já fui convidado para esses encontros e deve ser muito agradável. O lançamento, e sendo na FESP, é um dia muito importante. È gostoso saber que há pessoas que conseguem passar com a escrita as questões da vida como o amor, a fé, a amizade através de belas palavras.

A coordenadora do curso de Letras, Professora MsC. Gisele Ribeiro, também concorda com o Professor Anderson e acredita que a FESP cumpre um papel primordial quando oferece o apoio a escritores. “É muito interessante ter uma ex-aluna que retorna para mostrar o seu trabalho. Quando a FESP apoia uma ação como essa, ela está se mostrando interessada nas questões culturais e que colaboram para a vida de uma sociedade melhor”, frisou Gisele.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  setembro 2020  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829301234
567891011