O sonho da implantação do curso de Medicina da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) deu mais um importante passo no início do mês de junho, durante a visita do Ministro da Saúde Alexandre Padilha à Santa Casa de Misericórdia de Passos, que aconteceu no dia 9 de junho, para anúncio da liberação de recursos para aquisição de um segundo acelerador linear para o Hospital Regional do Câncer.

Para o Presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas a FESP entrou com o projeto de criação do curso de Medicina no momento certo. “Tempos atrás ninguém falava em novos cursos, pelo contrário se dizia em fechar aqueles que não atendiam as exigências do MEC, mas hoje a Presidente Dilma observando a falta de médicos no país mandou abrir novos cursos e vigiar de perto a qualidade dos mesmos”, explicou Fabio Kallas otimista com a aprovação de 50 vagas por vestibular para Medicina em Passos.

O Ministro chegou acompanhado do Deputado Federal Odair Cunha autor da emenda que solicitou o repasse ao hospital. Durante a visita, Padilha recebeu das mãos de representantes da FESP o projeto de criação do curso de Medicina.

Após receber o documento, o Ministro Alexandre Padilha lembrou que formar novos médicos é um grande desafio dos Ministérios da Saúde e da Educação. “Temos todo interesse na expansão de novos cursos de Medicina no interior do país, mas é fundamental que as faculdades apresentem um projeto de qualidade e que garantam uma estrutura hospitalar de atenção básica à saúde onde os médicos obtenham experiência prática para atenderem com qualidade”, frisou o Ministro.

Segundo Padilha é preciso aumentar o número de cursos de Medicina no interior além de democratizar o acesso a estas faculdades. “Precisamos aumentar o número de médicos no país e principalmente no interior. Temos que ampliar o acesso ao curso de Medicina nas pequenas cidades e para isso contamos com o FIES que banca os estudos de quem não tem condições de pagar”, comentou o ministro acrescentando que a falta de médico em cidades distantes e regiões mais pobres só será amenizada com a formação de médicos que saiam destas comunidades.

Dados do Governo Federal mostram que a relação de médicos por habitantes no Brasil é muito baixa em comparação a outros países. De acordo com o MEC, a média brasileira é 1,8 médico por mil habitantes, enquanto no Uruguai, por exemplo, o índice é 3,7 e na Espanha 4.

Tanto o Conselho Nacional de Educação (CNE) quanto o Conselho Nacional de Saúde (CNS) precisam autorizar esses processos e um dos pré-requisitos é a disponibilidade de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) para que o aluno possa cumprir a parte prática do curso. De acordo com o ministro, as chances de liberação de um curso de Medicina em Passos são grandes. “Uma das exigências do Ministério da Saúde e da Educação para liberação de novos cursos é que para cada vaga disponibilizada existam cinco leitos do SUS. O aluno tem que ter a experiência prática médica concreta durante a faculdade”, afirmou o ministro destacando que a Santa Casa de Passos já conta com dezenas de leitos do SUS podendo inclusive ser ampliados.

Segundo o Presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas, o desejo de oferecer para estudantes da região um curso de Medicina começou há dois anos. “O projeto do curso de Medicina da FESP vem sendo construído pela equipe de saúde da FESP há mais de dois anos. Este curso vem suprir uma necessidade de profissionais da área de saúde viabilizando mais atendimento para a população de Passos e região e ainda pesquisas na área médica. A FESP ousa buscar com este projeto pedagógico inovador melhoria de vida para a população de Passos e região", disse Fabio.

Uma das responsáveis pela elaboração do projeto do curso de Medicina da FESP, a Diretora do Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, Professora Tânia Delfraro, explicou que o projeto já está praticamente pronto faltando apenas a definição das disciplinas para ser encaminhado para o MEC. “A Santa Casa de Passos já é nossa parceira do projeto desde o início e recentemente recebemos apoio também das Santas Casas de Piumhi e São Sebastião do Paraíso”, explicou.

Considerado um triunfo da FESP, auxilia na proposta de criação do curso de Medicina em Passos, o renomado médico passense Dr. Geraldo Brasileiro Filho, ex-diretor da Escola de Medicina da UFMG e avaliador do Ministério da Educação (MEC).

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing