Um grande público esteve presente na última sexta-feira, 23 de março, na quadra do 12º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais (12º BPMMG), em Passos, para prestigiar a segunda edição do Festival Hip Hop da paz, promovido entre a Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e a PMMG.

O evento disponibiliza as três modalidades do movimento Hip Hop que são grupos de dança, produções de painéis em grafite e composições de músicas inéditas. Nessa edição além da cidade de Passos, houve a participação de inscritos das cidades de Itaú de Minas, Conceição da Aparecida e Fortaleza de Minas.

A continuidade do projeto mostra o incentivo e o empenho que a FESP está oferecendo para tentar resgatar e estimular a cultura Hip Hop no sudoeste mineiro que há até pouco tempo tinha pouca evidência.

Para Fabio Pimenta Esper Kallas, presidente do Conselho Curador da FESP, “o objetivo do festival é divulgar e propagar a cultura de rua, quebrando os preconceitos da marginalização dessa arte”.

O destaque desse ano foi o grupo Space Dance, grupo do CAPP (Centro de Aprendizagem Pró-menor de Passos), que venceu na categoria melhor grupo de dança (Breack). No ano passado o mesmo grupo ficou com o vice-campeonato. O segundo lugar ficou para Jean Carlo Ramos e o terceiro para Anderson Donizete do Nascimento (Dandinho), o qual é B-boy e dança há mais de 6 anos. “Amo essa arte, essa cultura. A dança de rua serviu como um resgate me tirando de coisas ruins do mundo e me abrindo os olhos para coisas belas”, conta Dandinho.

As melhores composições musicais inéditas ficaram classificadas da seguinte forma: 1° e 2º lugares: João Paulo da Silva Ribeiro com a música “Racismo” e “Uma ideia pra te conscientizar”, respectivamente. O compositor já participa do movimento Hip Hop há bastante tempo e inclusive possui um CD gravado de forma independente. O 3º lugar ficou para Guilherme de Castro Paiva com a música “Estudar sim, drogas tô fora!”. Os inscritos para a produção de painéis de grafite não compareceram e, consequentemente, não houve classificação para essa categoria.

Todos os participantes em todas as categorias, além de troféus, receberam prêmios. Para o primeiro lugar, uma caixa de som USB; para o segundo, um mini-system e para o terceiro um MP4. Além desses prêmios cada grupo irá ganhar 10 cópias do DVD de registro do Festival que será produzido e entregue pelo Departamento de Comunicação e Marketing da FESP. “Premiando expressões culturais como essas, estaremos valorizando como arte uma expressão artística que até pouco tempo era muito discriminada”, explica uma das coordenadoras do festival, professora Leila Maria Suhadolnik.

Matéria produzida pelo estudante Rodrigo Castanho, 7º período de Jornalismo*

Confira as fotos na galeria de imagens do Portal FESP AQUI

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e a Polícia Militar realizam nesta sexta-feira (23) a segunda edição do Festival Hip Hop da Paz. A noite de apresentações acontece na quadra do 12º Batalhão de Passos a partir das 19h30. Depois do grande sucesso da primeira edição realizada no ano passado, a FESP colocou o festival em seu calendário anual de eventos. Entre as apresentações estão 14 grupos de dança, 3 produções de painéis em grafite e 5 composições de músicas inéditas.

O projeto inclui uma série de atividades que são realizadas em semanas antes da noite de apresentação com a participação dos alunos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. Na edição do ano passado as atividades resultaram em um vídeo em formato de DVD cuja produção foi coordenada pelo Departamento de Comunicação e Marketing da FESP e pela professora Luciana Ricardino que é uma das responsáveis pelo evento juntamente com as professora Leila Maria Suhadolnik Pádua Andrade e Sílvia Maria Soares Maia.

Os painéis que foram produzidos na noite de apresentação do ano passado estão expostos em alguns blocos da FESP como o Bloco 6 e a entrada da Biblioteca. Os trabalhos levam uma mensagem de paz e combate à violência e ao uso de drogas. A arte aliada à educação contribui para os objetivos de promover a responsabilidade social que uma instituição como a FESP tem.

A parceria com a Polícia Militar e a escolha da quadra do Batalhão como local para as apresentações contribuem para acabar com o preconceito de que a Polícia é apenas uma instituição repressora mostrando o papel social e educativo da corporação no combate à violência e no estímulo do resgate social e da promoção humana. O projeto promove a valorização de talentos e aptidões artísticas com a certificação de que o Hip Hop é um movimento de rua que reforça a busca por um mundo melhor.

As apresentações são abertas ao público e esse é mais um evento da FESP que contribui para a promoção da cultura e da arte em Passos.

Hip Hop

O Hip Hop surgiu na década de 1970 como uma cultura de protesto popular que se divide em três modalidades de expressão, o rap (relato musical), o grafite (manifestações gráfico- plásticas) e a dança de rua (expressão corporal). O rap tem como características principais a temática social, o vocabulário e a rima marcando a linha rítmica. No festival são mantidas as três expressões originais.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Estão abertas até o dia 16 de março as inscrições para o II Festival FESP Hip Hop da Paz, uma promoção da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e do 12º Batalhão de Polícia Militar de Passos (12º BPMMG). Nesta terça-feira, 28 de fevereiro, será realizada uma reunião no Auditório da Biblioteca Engenheiro Oto Lopes de Figueiredo (Avenida Juca Stockler, 1001), às 20h, onde será apresentada a edição deste ano do festival e os vencedores da edição do ano passado receberão um DVD com imagens do Festival e reportagens sobre o Hip Hop produzido pelo Departamento de Comunicação e Marketing da FESP. Podem participar da reunião todos os interessados em conhecer ou participar do projeto.

Este ano a noite de apresentação será no dia 23 de março na quadra do 12º BPMMG. As categorias são música inédita, grupo de dança (breack) e grafite. Todos os detalhes sobre a forma de participação estão descritos no regulamento que está disponível no site da FESP (www.fespmg.edu.br). As inscrições serão feitas através dos coordenadores e divulgadores, pelo email: hiphop@fespmg.edu.br, através do qual serão fornecidas fichas de inscrição; pelo preenchimento do verso do flyer de propaganda que pode ser entregue para os coordenadores ou na Ouvidoria da FESP que fica no Bloco 13 à Avenida dos Expedicionários, 333, telefone 3529- 8036.

O Festival tem objetivos educacionais e geradores de cultura promovendo o incentivo à dança, música e arte populares, com o intuito de que a juventude em idade escolar seja valorizada, tenha um programa cultural e envolva-se com atividades promovidas pela FESP e pela PMMG tornando-se uma ação de prevenção quanto à evasão escolar, ao uso de drogas e ao ócio.

Além da noite de apresentação serão desenvolvidas duas atividades culturais com os participantes promovidas pela Faculdade de Comunicação, Faculdade de Serviço Social e pela PMMG durante o mês de março. “Estamos trabalhando para que a edição deste ano seja um sucesso e que supere a edição do ano passado. Continuamos a contar com a parceria da Polícia Militar. O DVD produzido pelo Departamento de Comunicação da FESP registra a história do Hip Hop em Passos. Todos os vencedores receberão o DVD. O projeto só tende a crescer a cada ano. Estamos satisfeitos com os resultados que vem sendo alcançados”, disse a professora Leila Maria Suhadolnik Pádua Andrade uma das coordenadoras do projeto.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Festival Hip Hop da Paz

Acontece na noite desta sexta-feira (30) o I Festival Hip Hop da Paz promovido pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e o 12º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais (BPM-MG). O evento acontece a partir das 19h no Bloco 7 da FESP (antigo D.A.) com dança, música e arte levando diversão aos presentes numa noite agradável com muita cultura e conhecimentos até então não difundidos em Passos.

O evento terá apresentações de músicas inéditas estilo RAP, compostas por grupos de Hip Hop de Passos e ainda dança e pinturas em grafite. O festival é uma ação educacional com o objetivo de resgatar e difundir o Hip Hop como manifestação cultural e de revelar novos talentos. Estudantes dos cursos de Jornalismo e Publicidade da FESP participaram de atividades de divulgação do projeto que é também uma forma de aproximar as duas instituições (FESP e PMMG) da comunidade.

Para o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, a ação conjunta entre a FESP e a PMMG tem a intenção maior de valorização artística de todos os grupos sociais, incluindo os jovens que se dedicam à cultura hip hop. “O hip hop é muito discriminado e os jovens temem em participar. Nossa intenção é justamente fazer a inclusão de possíveis potenciais artísticos. É preciso que esses potenciais sejam perceptíveis e valorizados e é isso que queremos fazer a partir deste festival”, disse Fabio.

As professoras Leila Andrade e Sílvia Maia, organizadoras do festival juntamente com o representante da PMMG, Capitão Marcelo Coimbra acreditam que o festival pode promover a inclusão social e a melhoria da autoestima de jovens da comunidade de Passos.

Segundo o Capitão Coimbra essa é uma forma de atingir a comunidade, através da linguagem específica dos grupos ligados a cultura do hip hop. “A Polícia Militar terá a oportunidade de apresentar a instituição e o trabalho que vem realizando, voltado ao respeito dos Direitos Humanos e com a filosofia de Polícia Comunitária”, destacou.

Hip Hop

O Hip Hop surgiu na década de 1970 como uma cultura de protesto popular que se divide em três modalidades de expressão, o rap (relato musical), o grafite (manifestações gráfico- plásticas) e a dança de rua (expressão corporal). O rap tem como características principais a temática social, o vocabulário e a rima marcando a linha rítmica. No festival serão mantidas as três expressões originais.




A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e o 12º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais (BPM-MG) estão promovendo o Primeiro Festival Hip Hop da Paz, um concurso de rap, dança de rua e grafite em uma ação sócio-educativa que vai envolver estudantes dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. O objetivo é resgatar o movimento hip hop na cidade e valorizá-lo como manifestação cultural e de mobilização social. O projeto é também uma forma de aproximar FESP, PMMG - com todos os seus projetos e ações - da comunidade.

O festival tem a participação dos estudantes dos cursos de Comunicação Social – Jornalismo e Publicidade e Propaganda – que, além da própria divulgação do evento, produzirão pequenos vídeos e entrevistas com os concorrentes. “A idéia de envolver os alunos é ajudar a abrir espaços próprios de comunicação para mostrar o talento de pessoas que não conseguem espaço na mídia convencional”, explica a professora Luciana Ricardino, uma as coordenadoras do projeto e docente da disciplina de Jornalismo Comunitário.

O concurso é aberto e pode participar qualquer pessoa de Passos e região. Todos os concorrentes vão participar de atividades educativas que contarão pontos na hora da classificação. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de agosto, no Setor de Vestibular da FESP (Av. Juca Stockler, 1130, em frente ao prédio principal da FESP).
Serão selecionadas 15 músicas que serão apresentadas em um evento no dia 30 de setembro, no Bloco 7 da FESP que fica a Avenida da Moda, 3001 (Antigo DA) com o apoio da Prefeitura de Passos.

A seleção será feita pela comissão organizadora do 12º BPMMG em conjunto com a comissão da FESP dirigida pelas professoras Leila Maria Suhadolnik Oliveira de Pádua Andrade e Silvia Maria Oliveira Soares Maia. Enquanto as músicas forem apresentadas haverá o desenvolvimento de pinturas em grafite em painel e apresentação de grupos de street dance (dança de rua, característica do movimento hip hop).

O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, ressalta que a ação conjunta entre a FESP e a PMMG tem a intenção maior de valorização artística de todos os  grupos sociais, incluindo os jovens que se dedicam à cultura hip hop. “O hip hop é muito discriminado e os jovens temem em participar. Nossa intenção é justamente fazer a inclusão de possíveis potenciais artísticos. É preciso que esses potenciais sejam perceptíveis e valorizados e é isso que queremos fazer a partir deste festival”, disse Fabio.

Leila e Sílvia, professoras organizadoras do festival juntamente com o representante da PMMG, Capitão Marcelo Coimbra acreditam que o festival pode promover a inclusão social e a melhoria da autoestima de jovens da comunidade de Passos. “O hip hop de forma geral tem a capacidade de proporcionar ao jovem a sensação de liberdade, de autoestima e reconhecimento que pode e muito fazer crescer na nossa sociedade um espírito saudável de paz, companheirismo e disputa sadia e estabelecendo uma ligação positiva entre as diversas camadas sociais”, frisou Sílvia.

Para o Capitão Marcelo Coimbra essa é uma forma de atingir a comunidade, através da linguagem específica dos grupos ligados a cultura do hip hop. “A Polícia Militar terá a oportunidade de apresentar a instituição e o trabalho que vem realizando, voltado ao respeito dos Direitos Humanos e com a filosofia de Polícia Comunitária”, destacou. A expectativa dos organizadores é grande. “Que possamos, em conjunto com FESP, realizar um trabalho de inclusão social organizada pela cultura, exercendo o papel social da Polícia Militar e propiciando aos participantes uma oportunidade de utilizarem o hip hop para transmitirem suas mensagens de paz, organização, cidadania, respeito e valores”, completa Coimbra.

No último sábado, os estudantes de comunicação da FESP percorreram vários bairros da cidade para divulgar o projeto e entrar em contato com pessoas envolvidas com o movimento na cidade. “Já tivemos mais de 50 grupos de hip hop em Passos, hoje todos estão muito dispersos e distantes do movimento porque nunca tivemos reconhecimento. Será uma boa oportunidade para resgatarmos este pessoal”, avalia o rapper Márcio José, um dos integrantes do grupo Menny.

O Hip Hop surgiu na década de 1970 como uma cultura de protesto popular que se divide em três modalidades de expressão, o rap (relato musical), o grafite (manifestações gráfico- plásticas) e a dança de rua (expressão corporal). O rap tem como características principais a temática social, o vocabulário e a rima marcando a linha rítmica. No festival serão mantidas as três expressões originais

O regulamento completo do festival está no site da FESP (www.fespmg.edu.br) e mais informações podem ser obtidas pelos telefones: 0800 283 0336 – 3529 6010 – 3529 6003.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  novembro 2019  >>
seteququsedo
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829301
2345678