A FESP investiu cerca de 200 mil reais na compra de manequins simuladores para o Laboratório de Habilidades, centro que irá funcionar no Prédio Principal da Fundação, atendendo diversas atividades dos cursos da área de Saúde. Professores receberam treinamento específico com profissional enviado pela empresa ANATOMIC, que fabrica e comercializa os manequins, a fim de capacitar os docentes e potencializar o uso dos modernos simuladores.

“A mais avançada tecnologia e a qualidade reconhecida foram os fatores decisivos no momento da escolha dos melhores modelos anatômicos, microscópios e da ampla linha de simuladores ginecológicos/obstetrícios e de emergências que vão proporcionar aos nossos estudantes o contato clínico mais próximo da realidade. Como é tudo muito moderno e de alta precisão a gente teve um curso ministrado pelo técnico André Alvez Costa e a professora responsável foi a Dra. Evânia Nascimento. Participaram também as professoras, Camila Piantino, Raquel Dully, Odila Rigolin, Tânia Delfraro e Maria José Goulart, além do professor Luiz Camilo Teodoro. Estamos todos aprendendo e nos dedicando para conseguirmos explorar ao máximo o novo material que temos para trabalhar e podermos oferecer um diferencial de alto nível nas nossas aulas”, declarou a professora e coordenadora do curso de Biomedicina, Alessandra Cheraim.

Dentre as aquisições incluem cinco manequins capazes de responder a estímulos químicos, biológicos e radiológicos, permitindo simular situações clínicas, tais como: sangramento, pulso para aferição de pressão, ataques cardíacos, politraumatismos, descompensações respiratórias e o processo de gestação, desde o início até o parto normal. 

Segundo o técnico da ANATOMIC, André Alvez Costa, os programas que controlam os bonecos simulam as mais diversas situações clínicas e emergenciais em diferentes níveis de dificuldade, funcionando em módulos de treino ou de prática, este sendo extremamente rigoroso em relação à avaliação dos procedimentos aplicados. “Estes manequins permitem uma grande preparação porque o programa simula as funções reais, assim, acaba sendo a melhor forma mecânica de aprender protocolos, como, por exemplo, o treinamento de RCP, manipulação de medicações, o uso do desfibrilador, entre outros”, explicou o representante da empresa, que além de cursos, disponibiliza vídeos online com demonstrações, instruções de uso, e manutenção dos manequins simuladores.

Sobre as vantagens de se ter a disposição uma fonte de ensino e aprendizagem tão moderna a professora Alessandra Cheraim ainda ressalta que “a prática nestes simuladores permite que os estudantes se familiarizem com as patologias de urgência e tenham ciência das medidas a serem tomadas em uma situação emergencial ao se deparar com um paciente fora do ambiente hospitalar, aumentando sua capacidade de ter eficiência e sucesso em socorro a vítimas de acidades, por exemplo”.

O Laboratório de Habilidades, onde serão ministradas as aulas com uso dos novos manequins está sendo finalizado no Prédio Principal da FESP e será dividido em vários ambientes de aprendizado. A diretora do Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, Tânia Delfraro, disse que “o espaço é uma das estruturas mais importantes do curso de Medicina, para o desenvolvimento de habilidades específicas, de modo que os estudantes possam se aperfeiçoar na prática hospitalar”, finalizou a professora.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



A FESP oferece aos docentes dos cursos do Núcleo de Ciências Acadêmicas Biomédicas e da Saúde um treinamento de capacitação para uso dos equipamentos e produção científica em fisiologia do exercício e saúde no Laboratório de Cineantropometria e Fisiologia do Esforço (LaCiFE). 

O evento, que acontece hoje e amanhã, faz parte da parceria firmada entre o curso de Educação Física da FESP e os professores da UNESP de Rio Claro, que visa a intensificação das pesquisas no LaCIFE. O Laboratório da FESP possui sofisticados equipamentos para análise de lactato, glicemia e gases, servindo pesquisadores na área de saúde e performance humana (atletas).

De acordo com o docente do curso de Educação Física da FESP professor Jean Silva, que também é um dos coordenadores do evento, esta capacitação será oferecida, primeiramente, para nortear temas de possíveis pesquisas a serem desenvolvidas e também para qualificar professores na utilização dos equipamentos do laboratório. Em seguida o alvo será a produção de trabalhos científicos para publicação e a implantação de programas de saúde e qualidade de vida em Passos. “Uma vez instruídos sobre o uso dos equipamentos teremos a possibilidade de formar grupos de estudos e de pesquisa na área de saúde bem como construirmos projetos multidisciplinares para o crescimento da FESP em produção científica e prestação de serviços à comunidade”, explicou Jean.

Um dos convidados para ministrar o treinamento no LaCIFE é o professor mestre Leandro Pereira de Moura, da UNESP de Rio Claro. Mestre em Ciências da Motricidade e doutorando pela UNESP e UNICAMP de Limeira, o pesquisador atua na área das observações endócrino-metabólicas e moleculares dos benefícios trazidos pelos exercícios físicos contribuindo para a saúde do indivíduo.

Segundo Leandro Pereira de Moura o treinamento será uma forma de discutir temáticas emergentes em pesquisas científicas na área da saúde e acredita que é, também, uma oportunidade vantajosa para troca de conhecimento. “Tratando de ciências, a formação e união de grupos de pesquisas favorecem o desempenho intelectual de nós cientistas. Espero que este seja o primeiro encontro de muitos. Em conversa com alguns professores da FESP percebi que estão ávidos para transmitir seus conhecimentos e isso forma uma importante base para trabalhos científicos, a união: ter o trabalho e querer executá-lo”, declarou o professor.

No primeiro dia de treinamento serão feitas exposições de temas relacionados à pesquisa com lactato e glicemia em atletas, idosos e outros, expondo os avanços tecnológicos e suas perspectivas. Da mesma forma também será abordada a análise de gases respiratórios e suas relações com a prescrição de exercícios em diferentes condições. A parte prática do treinamento acontece no sábado, quando será realizada a coleta de dados utilizando os equipamentos do laboratório. As atividades do último dia serão livres para alunos e interessados em saber mais sobre exercícios físicos e obesidade. 

 

Confira a programação completa:

 

03/05 - Sexta-feira 

09h30 -12h - O uso da Lactacidemia e glicemia em pesquisas científicas - Prof. Me. Leandro Pereira de Moura 

14h – 16h - Perspectivas de pesquisas envolvendo análises de gases - Prof. Me. Bruno Smirmaul 

16h – 18h - Manejo do VO2000 e interpretação de parâmetros ventilatórios - Prof. Me. Inaian Teixeira 

19h – 20h40 – Palestra: Exercício Físico no combate à Obesidade e de seus transtornos cerebrais e hepáticos 

 

04/05 – Sábado 

09h30 – 12h - Parte prática com coleta de dados com protocolos incremental e retangular, subsequentemente análises e interpretação dos dados.

 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



O Núcleo de Assistência, Ensino e Pesquisa da Hanseníase (NAEPH) da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) está oferecendo treinamento sobre Hanseníase para médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde Básica de Passos. A programação teve inicio no dia 27 de fevereiro com treinamentos para enfermeiros e termina no dia 26 de março.

A primeira etapa destinada aos enfermeiros foi realizada do dia 27 de fevereiro ao dia 03 de março. A segunda etapa destinada aos médicos será realizada do dia 12 ao dia 26 de março. Para o coordenador do núcleo e professor da FESP, Dr. Carlos Alberto Faria Rodrigues, o objetivo do curso é capacitar médicos e enfermeiros para que o diagnóstico da doença seja feito precocemente. “É oferecer aos médicos e enfermeiros suporte para diagnósticos precoces, para impedir deformidades que podem acontecer com o diagnóstico tardio.”

Participam da capacitação médicos e enfermeiros que trabalham nas unidades de saúde básica de Passos, como os ambulatórios. Para a enfermeira Renata Marques, o treinamento ajuda a “prevenir as incapacidades de diagnóstico da doença”. “O treinamento é importante para que possamos fazer a detecção precoce da hanseníase para iniciar o tratamento o mais rápido possível”, afirma.

São aulas práticas e teóricas totalizando 20 horas de treinamento. O programa tem como suporte e conteúdo o padrão nacional de ensino do Ministério da Saúde. Segundo Rodrigues isso facilita o ensino e os cursos de capacitação. “A importância é fazer o treinamento com o conteúdo usado nacionalmente”. Ele afirma que antes o ensino era diferente, cada Estado utilizava seu próprio padrão.

As primeiras cidades a utilizarem o padrão nacional de ensino de hanseníase foram Maceió, no Alagoas e Palmas, no Tocantins. É a primeira vez que ele está sendo utilizado em Minas Gerais.

O núcleo oferece o treinamento gratuito com as parcerias da ONG Holandesa Nederlandse Stichting Voor Lepra Bestrijdt, do Governo de Minas Gerais e do Ministério da Saúde. O curso é realizado no NAEPH/FESP, localizado à Rua Con. Anibali Maria di Francia, nº 500.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O Portal da Hanseníase mantido pelo Núcleo de Assistência, Ensino e Pesquisa da Hanseníase (NAEPH) da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) foi divulgado em duas cidades do sul de Minas juntamente com um treinamento e capacitação de equipes.

Nos dias 1º e 2 de setembro a apresentação do Portal aconteceu em Itajubá e nos dias 18 e 19 em Poços de Caldas. Sobre a coordenação do médico dermatologista e coordenador do NAEPH, professor Carlos Alberto Faria Rodrigues, o objetivo do treinamento é capacitar profissionais de unidades básicas de saúde nas ações de controle da hanseníase.

Os treinamentos foram divididos em prática e teoria com 8 horas de duração cada, seguindo o modelo preconizado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Agentes da saúde como médicos, enfermeiros, bioquímicos, biomédicos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais participaram do curso. “É importante ressaltar que o Portal da Hanseníase, é de inestimável importância para a qualificação do profissional da saúde, pois além do conteúdo de altíssima qualidade é uma oportunidade de a educação chegar a todos”, comemora Nilza Reis responsável pelo Programa de Controle da Hanseníase de Pouso Alegre, responsável pela região.

O treinamento é um dos projetos que leva o nome da FESP pelo Brasil sendo um importante promotor de saúde e prevenção de doenças. “Esses deslocamentos nos ajuda a divulgar o Portal da Hanseníase da FESP”, destaca o médico Carlos Alberto Rodrigues.

A hanseníase, que há tempos era conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada por um bacilo que afeta os nervos e a pele. O portador da doença é muitas vezes visto de forma preconceituosa causando além do dano físico o dano moral.

Nilza destaca também que as cidades participantes recebem o projeto com bons olhos e o envolvimento da comunidade FESP na promoção de saúde no estado é muito importante. “Sempre que possível é bom contar com parceiros comprometidos no controle desse agravo de alto poder incapacitante”, completa Nilza.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Professora Odila operando o sistema Combi2300

A equipe do Laboratório de Análise Ambiental e Produtos Alimentícios (Laboratório de Análise de Leite) da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) iniciou nesta quinta-feira (19) um treinamento para a utilização dos equipamentos adquiridos pelo laboratório. O Sistema Combi2300, um conjunto de equipamentos utilizados para verificar a qualidade do leite com a quantificação de componentes e contagem de células somáticas, vai ampliar a capacidade de análises de leite. Com o sistema será possível atender a produtores da região, empresas que atuam no setor de laticínios e comunidade de modo geral.

A compra do equipamento foi feita com recurso da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), no valor de R$ 300 mil.

No ano passado, a FESP foi credenciada como instituição de pesquisa junto ao CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), graças ao volume de estudos científicos realizados anualmente. A partir deste credenciamento a instituição pode se utilizar de benefícios como a isenção de impostos para a compra de equipamentos usados em projetos de pesquisa.

Os recursos previstos para a compra de apenas parte dos equipamentos, com o credenciamento, foram suficientes para a aquisição do sistema combinado que aumenta ainda mais a capacidade de análises realizadas pela FESP.

De acordo com a coordenadora do Laboratório Ambiental e Produtos Alimentícios, professora Odila Rigolin de Sá a partir de agora, o laboratório está equipado com tecnologia moderna para realizar análises físicas, químicas e microbiológicas do leite, com o intuito de certificar a qualidade do leite e, principalmente, constatar a contaminação das vacas por mastite. “O Sistema Comb2300 vai ajudar os produtores de leite a adquirir a certificação baseada na Instrução Normativa 51”, ressaltou Odila.

“Nossa bacia leiteira já é uma das mais importantes do estado, a certificação do produto pela FESP vai aumentar ainda mais a credibilidade quanto a este produto”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

Minas Gerais é a maior bacia leiteira do país, de acordo com a Secretaria de Desenvolvimento do Estado, a produção de 7,2 bilhões de litros de leite por ano representa um terço do que é produzido em todo o Brasil.

A capacidade do equipamento da FESP é de 300 amostras por hora, realizadas com métodos reconhecidos pela Federação Internacional de Lacticínios (FIL/IDF).

Segundo a pesquisadora Odila, depois do treinamento que deve acabar no fim do mês a equipe estará preparada para efetuar as análises. “O trabalho com as análises terá início a partir de junho, logo que obtivermos o Alvará da ANVISA. Depois disso será iniciado  o credenciamento do laboratório no MAPA”, explica. O laboratório será utilizado por estudantes integrantes de projetos de pesquisa e extensão. “Os projetos aprovados do leite  atualmente envolvem os alunos de Ciências Biológicas e da Agronomia.  A prioridade é pesquisa, mas iremos atender os produtores também”, ressalta.

O presidente do Conselho Curador da FESP, ressaltou também a importância acadêmica do laboratório. “Além de atender uma das mais importantes demandas econômicas da nossa região, que é ajudar na certificação da nossa bacia leiteira, oferecemos aos nossos alunos a oportunidade de desenvolver sua formação em laboratórios de excelência em tecnologia”, afirma o subsecretário de Ensino Superior de Minas Gerais.

Fonte: Agência Escola



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678