A  proposta de Coleta Seletiva desenvolvida por docentes e alunos de graduação da Fundação de Ensino Superior de Passos – FESP, foi apresentada para o Plano Municipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da cidade de Itaú de Minas na manhã desta quarta – feira, 13 de novembro, na praça central do município. Estiveram no local o Diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, Professor Eduardo Goulart Collares, o Coordenador do Projeto Científico, Professor Wiliam Graciano e alunos de graduação da instituição envolvidos na pesquisa. Autoridades (Ilmo. Senhor Prefeito Norival Lima, Senhor Presidente da Câmara Municipal de Itaú de Minas Nélio dos Reis Amorim) do município compareceram também para prestigiar a proposta que será implementada. 

O projeto envolve a elaboração do Plano Municipal de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos de Itaú de Minas (PGRS) e a implantação da coleta seletiva no município. Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, (Lei 12.305/2010) todos os municípios brasileiros deverão ter o seu PGRS. Trata-se de um plano bastante complexo, que deve dar a destinação correta para todos os tipos de resíduos que um município pode gerar e a elaboração deste plano deve ter a participação da comunidade. Itaú de Minas saiu na frente, contratando a FESP para ajudar a elaboração do projeto. 

A FESP elaborou o Plano com o apoio da Prefeitura do Município. Na implantação da coleta seletiva a instituição parceira é a Fundação Israel Pinheiro, de Belo Horizonte. Os participantes e autores do Projeto Científico são: Coordenador: Professor Willian Graciano, Supervisor: Professor Eduardo Goulart Collares; Estagiários que participaram do projeto: João Evangelista de Paula Neto, Terência Garcia Reis, Gislaine Alves dos Reis, Rondinelle da Silva Figueiredo , Fernanda Elisa Gomes Miranda, Tiago Costa de Oliveira, Patrícia Naiara Santos Teodoro, Priscila Tamie Fernandes Barbosa. O projeto realizou um diagnóstico dos resíduos sólidos no município, coordenou diversas reuniões e audiências públicas e agora concluiu a proposta do Plano de Gerenciamento Integrado de Resíduos. A pesquisa é desenvolvida na cidade de Itaú de Minas e na Coordenação de Pesquisa e extensão da FESP – CPEX.

Professor Collares afirma que todo município deve ter o seu PGRS até 2014, não só por exigência legal, mas pela necessidade de dar a destinação correta para todos os tipos de resíduos. Hoje em dia a palavra de ordem com relação ao lixo que produzimos é a "Reciclagem", ou os famosos 3Rs. O PGRS contempla todos os passos para que o município possa se adequar a esta realidade e reaproveitar ao máximo os seus resíduos, evitando dispor diretamente no solo de forma incorreta. Envolve, também, uma questão social, que é a integração na sociedade e no mercado de trabalho dos catadores de lixo. A FESP possui uma larga experiência na elaboração de planos municipais participativos, uma vez que ajudou a elaborar muitos dos planos diretores dos municípios da região, e por outro lado, possui também experiência com o gerenciamento de resíduos, participando da implantação de coleta seletiva em diversos municípios e do licenciamento ambiental de áreas para o tratamento e disposição de resíduos.

Professor Willian complementa que, além de sua importância legal, o PGIRS é uma das ações mais democráticas que o Poder Público Municipal deve fazer. Todas suas etapas são abertas à sociedade civil que tem direito de expressar sua opinião. O plano de Itaú de Minas, após apresentação pública, se encontra em fase de redação final e nossa expectativa é que a partir de sua implementação a realidade dos resíduos sólidos no município, mude para melhor. Gostaria de agradecer a todos os estagiários e colaboradores que participaram do desenvolvimento do Plano de Itaú de Minas. Saibam que existe um pouco de cada um de vocês, neste Projeto que é pioneiro em nossa região, sintam-se orgulhosos por isso. 

TEXTO ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP - CPEX



O Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) realizou na última sexta-feira (16) mais uma reunião com o grupo de professores-pesquisadores instituído no início deste ano. O objetivo foi apresentar os projetos e as ideias que serão submetidos para apreciação das fontes de fomento à pesquisa e extensão como FAPEMIG, FINEP, CNPq e outros, para obtenção de recursos para o desenvolvimento de pesquisas e projetos de extensão que são voltados ao atendimento à comunidade com ações diversas.

O título de professor-pesquisador foi instituído pela FESP em 2012 com o objetivo de que um grupo de 40 professores possa dedicar parte da carga horária à prática da pesquisa científica.

De acordo com o coordenador do Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, Professor Dr. Eduardo Goulart Collares, a instituição está trabalhando com a execução de diversas reuniões em formatos de workshops para capacitar e orientar melhor os pesquisadores na submissão dos trabalhos às fontes de fomento. “O encaminhamento de projetos para as fontes de fomento à pesquisa faz parte das atribuições do "Professor Pesquisador da FESP", conforme previsto em portaria. Todos os professores pesquisadores devem encaminhar projetos para fontes de fomento à pesquisa periodicamente”, frisou Collares.

Além dos projetos que os pesquisadores estão preparando a FESP já tem uma tradição em conquistar anualmente um número recorde de bolsas dentro dos Programas de Iniciação Científica (PIBIC) com bolsas para alunos. Segundo Collares, os projetos que os professores-pesquisadores estão preparando são projetos maiores que envolvem solicitação de recursos para a condução da pesquisa como equipamentos para laboratórios, materiais de consumo e outros. “Existem editais específicos para este tipo de projeto nas agências que financiam pesquisa”, explica.

Além de buscar o financiamento das pesquisas outra atribuição do professor-pesquisador é divulgar os resultados dos projetos em andamento em periódicos qualificados pela CAPES.

A lista dos projetos que estão sendo preparados ainda não foi divulgada porque eles ainda estão em fase de construção. Assim que os projetos forem aprovados nas fontes de fomento a FESP eles serão apresentados para a comunidade acadêmica. Dentre as propostas são contempladas diversas áreas do conhecimento com temáticas e objetos de pesquisas interessantes e que propõem além da busca de novos conhecimentos, a inovação e a aplicação dos resultados em benefício da sociedade.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678