O Ambulatório Escola (AMBES) da FESP comemora nesta semana o “Dia Mundial de Combate à AIDS”. Desde segunda-feira o AMBES tem realizado atividades de conscientização e aconselhamento sobre prevenção, além de testagens rápidas de HIV e Hepatites Virais. Todos os serviços são gratuitos e até quinta-feira (28) de manhã já tinham sido feitos aproximadamente 300 atendimentos.

Dentro do cronograma também foram incluídos: palestra do projeto “Conhecer, debater e prevenir o uso de drogas lícitas e ilícitas entre dependentes químicos institucionalizados no Presídio de Passos”, pit stops em 17 pontos estratégicos de Passos, e uma Carreata, saindo da frente do Presídio (no Jardim Aclimação), às 14h30 desta sexta-feira e percorrendo as principais ruas e avenidas da cidade.

Internacionalmente o dia 1º de Dezembro foi escolhido para ser a data Mundial de Luta Contra a AIDS, buscando visibilidade para as ações de conscientização sobre a doença. “É quando o mundo une forças para mostrar que a AIDS está mais próxima de nós a cada dia, tornando-se uma realidade muito presente. Temos como objetivo realizar o maior número possível de testagem, oferecendo orientações e aconselhamento que possibilite o cliente a repensar suas atitudes e comportamento de vulnerabilidade para contaminação pelo vírus do HIV. Para estes aconselhamentos, contamos com a ajuda da Atenção Primária à Saúde de Passos, onde está acontecendo durante toda esta semana, as orientações nas salas de espera das unidades da ESF (Estratégia de Saúde da Família) e ambulatórios, e lá os usuários estão sendo orientados sobre a importância da testagem para interromper a cadeia de transmissão, bem como oferecer qualidade de vida à pessoa que vive com HIV/AIDS. Contamos também com a parceria das empresas e instituições de Passos, que estão mobilizando/incentivado seus colaboradores a procurar o AMBES/FESP”, explicou a coordenadora do Ambulatório Escola, Cleide Augusta de Queiroz.

A enfermeira ainda lembra que é muito importante a participação da população na carreata. “Dia 1º de Dezembro é apenas um dia do ano para repensar suas atitudes/vulnerabilidades e reeducá-las para o próximo ano, repensando a existência da AIDS e prevenindo nos 365 dias do ano. Vamos para as ruas lembrar que a AIDS não tem cara, não tem cor, não tem sexo, não tem idade e também não tem cura, mas tem prevenção”, pontuou Cleide.

O AMBES desenvolve um trabalho humanizado e é referência na região de Passos em prevenção e tratamento de pacientes portadores do vírus HIV e hepatites virais. A coordenação do Ambulatório lembra que durante todos os meses do ano há a distribuição gratuita de preservativos. Qualquer pessoa da cidade pode solicitar os serviços prestados na sede do ambulatório que fica a Rua Sabará, 164. O contato também poderá ser feito pelo telefone (35)3529-8030.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos participou no dia 20 de setembro do evento “Encontro Regional com os Coordenadores do Programa Ciência sem Fronteiras”, realizado na Universidade de São Paulo (USP). A FESP teve como representante a Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, Marisa da Silva Lemos.

A coordenação do programa Ciência sem Fronteiras através dos dirigentes das agências CNPq e Capes estiveram presentes com o objetivo de formalizar a participação das instituições de ensino superior participantes do programa e orientar os coordenadores quanto às novas diretrizes do programa para os próximos editais, que deverão ser lançados em outubro próximo.

Relata a coordenadora Marisa que o principal ponto do encontro foi a abertura da discussão dos métodos de ensino do sistema brasileiro. Vários alunos que vivenciaram experiências em outros sistemas de ensino estão fazendo reivindicações juntos as reitorias das universidades brasileiras para que o nosso sistema seja mais participativo do que informativo e com menos horas de sala de aula e mais tempo de estudos independentes, como na maioria das melhores universidades do mundo. Comenta a professora Marisa, que esta seja uma das maiores contribuições dos alunos que estão de volta ao Brasil.

Como citado pelo Presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CPES, Jorge Guimarães, “enquanto os professores estão escrevendo na lousa com giz os alunos estão estudando o tema da aula em seus tablets na rede mundial na sala de aula”. Completa o presidente, “a lousa é uma peça de ensino que já pode ser considerado pertencente ao século passado” e que os professores que não conseguirem acompanhar as novas tecnologias como prática de ensino serão eliminados do sistema.

As aulas devem ser interativas e ter a participação ativa dos alunos e as mesmas deverão seguir a metodologia de ensino como a praticada na iniciação científica, com a participação de tutor para orientação dos alunos. Aqueles que participam de iniciação científica terminam a sua graduação sabendo o que sabem, o que não sabem e sabem procurar as fontes de conhecimento quando não sabem. A proposta é que faça uma discussão sobre estas mudanças no sistema brasileiro de ensino. Para tal, serão enviados alguns coordenadores do programa para visitar as universidades no exterior com o objetivo de melhor entendimento da metodologia praticada. 

Atualmente a FESP contabiliza 9 alunos no exterior: 5 nos Estados Unidos, 2 no Canadá, 1 na Hungria e 1 na França. Tivemos a aprovação de mais 5 alunos para o próximo semestre; 4 para os Estado Unidos e 1 para Hungria.

Informamos que duas alunas da FESP já retornaram do intercâmbio internacional realizado entre os anos de 2011 e 2012. As alunas são Marina Rejane do Curso de Sistemas da Informação que cursou graduação na Universidade de Coimbra; e a aluna Thaís Elorde do Curso de Enfermagem, que cursou graduação na Universidade do Algarve, ambas em Portugal.

Os alunos da FESP interessados em estudar no exterior por meio do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, podem obter orientações e assessoria através da Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, a CPEX, localizado na Rua 3 de Maio, número 33, Centro de Passos – Telefone (35) 3529 – 8080.  

FONTE: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP



A Fundação de Ensino Superior de Passos participou no dia 20 de setembro do evento “Encontro Regional com os Coordenadores do Programa Ciência sem Fronteiras”, realizado na Universidade de São Paulo (USP). A FESP teve como representante a Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, Marisa da Silva Lemos.

A coordenação do programa Ciência sem Fronteiras através dos dirigentes das agências CNPq e Capes estiveram presentes com o objetivo de formalizar a participação das instituições de ensino superior participantes do programa e orientar os coordenadores quanto às novas diretrizes do programa para os próximos editais, que deverão ser lançados em outubro próximo.

Relata a coordenadora Marisa que o principal ponto do encontro foi a abertura da discussão dos métodos de ensino do sistema brasileiro. Vários alunos que vivenciaram experiências em outros sistemas de ensino estão fazendo reivindicações juntos as reitorias das universidades brasileiras para que o nosso sistema seja mais participativo do que informativo e com menos horas de sala de aula e mais tempo de estudos independentes, como na maioria das melhores universidades do mundo. Comenta a professora Marisa, que esta seja uma das maiores contribuições dos alunos que estão de volta ao Brasil.

Como citado pelo Presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CPES, Jorge Guimarães, “enquanto os professores estão escrevendo na lousa com giz os alunos estão estudando o tema da aula em seus tablets na rede mundial na sala de aula”. Completa o presidente, “a lousa é uma peça de ensino que já pode ser considerado pertencente ao século passado” e que os professores que não conseguirem acompanhar as novas tecnologias como prática de ensino serão eliminados do sistema.

As aulas devem ser interativas e ter a participação ativa dos alunos e as mesmas deverão seguir a metodologia de ensino como a praticada na iniciação científica, com a participação de tutor para orientação dos alunos. Aqueles que participam de iniciação científica terminam a sua graduação sabendo o que sabem, o que não sabem e sabem procurar as fontes de conhecimento quando não sabem. A proposta é que faça uma discussão sobre estas mudanças no sistema brasileiro de ensino. Para tal, serão enviados alguns coordenadores do programa para visitar as universidades no exterior com o objetivo de melhor entendimento da metodologia praticada. 

Atualmente a FESP contabiliza 9 alunos no exterior: 5 nos Estados Unidos, 2 no Canadá, 1 na Hungria e 1 na França. Tivemos a aprovação de mais 5 alunos para o próximo semestre; 4 para os Estado Unidos e 1 para Hungria.

Informamos que duas alunas da FESP já retornaram do intercâmbio internacional realizado entre os anos de 2011 e 2012. As alunas são Marina Rejane do Curso de Sistemas da Informação que cursou graduação na Universidade de Coimbra; e a aluna Thaís Elorde do Curso de Enfermagem, que cursou graduação na Universidade do Algarve, ambas em Portugal.

Os alunos da FESP interessados em estudar no exterior por meio do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, podem obter orientações e assessoria através da Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, a CPEX, localizado na Rua 3 de Maio, número 33, Centro de Passos – Telefone (35) 3529 – 8080.  

FONTE: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP

[BEgallery error: gallery does not exist]



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  janeiro 2021  >>
seteququsedo
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
1234567