O curso de Medicina da Fundação de Ensino Superior de Passos recebeu nesta quarta-feira a aprovação do Ministério da Educação (MEC) com nota 4. Este resultado significa que a FESP preencheu todos os requisitos avaliados pelo MEC com excelência e o resultado segue agora para o Conselho Nacional de Saúde que determina a abertura do processo seletivo, com portaria publicada no Diário Oficial. A notícia foi comemorada em Passos e em toda a região, pois o curso em médio prazo possibilitará crescimento local e regional.

 “É com orgulho e honra que damos esta notícia. A FESP e a Santa Casa de Passos ousaram buscar, com este projeto pedagógico inovador, melhoria de vida para a nossa população. Foi com muita dedicação que cumprimos todos os trâmites e esta aprovação vem coroar o enorme esforço que fizemos. Além disso, este curso vem suprir uma necessidade de profissionais da área de saúde viabilizando mais atendimento para a população de Passos e região e ainda pesquisas na área médica", comemora o presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

O projeto do curso começou a ser desenvolvido há pelo menos três anos e contou com a participação fundamental da Santa Casa de Misericórdia de Passos. A equipe de profissionais, formada por médicos doutores de várias especialidades, integrou o Núcleo Docente Estruturante, responsável pela elaboração da proposta enviada ao MEC e acompanhou passo a passo esta conquista. “Como todas as grandes idéias, houve muitos instantes de comemoração, de antecipação da alegria, sobretudo por sabermos que seria um projeto que iria marcar a história de Passos. Nesse momento, em que o Brasil demonstra ter necessidade de médicos, a alegria torna-se ainda maior”, avalia o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Passos, Vivaldo Soares Neto.

O Conselho Nacional de Educação (CNE) e o Conselho Nacional de Saúde (CNS) requerem a disponibilidade de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) para que os alunos de Medicina possam cumprir a parte prática do curso. Esta obrigatoriedade foi cumprida pela FESP através do convênio firmado com a Santa Casa de Misericórdia de Passos, representada pelo seu provedor, Dr. Vivaldo Soares Neto, pelo seu diretor executivo Daniel Porto Soares, pelo presidente do Conselho Superior da Irmandade, Dr. Wellington Venâncio de Andrade e outros médicos. O hospital regional filantrópico tem 230 leitos do SUS que serão disponibilizados para processo de educação continuada da FESP. 

Além disso, a FESP fez um estudo intenso em relação às diretrizes curriculares e requisitos de qualidade exigidos pelo MEC e novas parcerias foram realizadas com instituições de Passos e também da região. Entre elas as Santas Casas de São Sebastião do Paraíso e de Piumhi, Fundação Beneficente São João da Escócia (que engloba o Hospital Otto Krakauer e Recanto Geriátrico) e ainda a Sociedade São Vicente de Paulo, além do Hospital Regional do Câncer. 

O curso conta ainda com as unidades de atendimento já existentes na FESP, como o Ambulatório Escola e Núcleo de Atendimento e Pesquisa em Hanseníase e o PSF escola, vinculados a outros cursos da área da saúde, como Enfermagem, Biomedicina e Nutrição, Educação Física e Ciências Biológicas.

APOIO

O Deputado Federal Odair Cunha (PT/MG), teve um papel fundamental para que o MEC realizasse a visita in loco.  Segundo ele, seu apoio se deu no sentido de conseguir demonstrar junto ao Ministério da Educação, que a FESP teria condições de oferecer um curso de excelência. “Nossa preocupação foi mostrar que a FESP já estava preparada para este curso”, declarou Odair destacando a visão empreendedora do professor Fabio Kallas ao propor a criação do curso. “As pessoas têm o tamanho de seus sonhos e só grandes gestores têm competência para tornar grandes sonhos realidade e este é o perfil do professor Fabio Kallas. Este resultado é uma prova de que a FESP e toda a sua equipe desenvolveram um trabalho sério que culminou neste resultado. Nós vamos ter agora uma sinergia muito importante na cidade de Passos, juntando especialidades médicas e especialidades acadêmicas. Vamos continuar trabalhando para que a aprovação da abertura do processo seletivo aconteça o mais rápido possível”, declarou o deputado Odair Cunha.

O provedor da Santa Casa também reconheceu o trabalho do gestor da FESP. “Não há dúvida, a FESP tem tido um papel decisivo no desenvolvimento de Passos. O Professor Fábio Pimenta Esper Kallas é um visionário, excelente articulador e estrategista. Um homem com talento para promover a educação. Quantos cursos e projetos nascem a cada dia, na FESP. Chegam para acrescentar à nossa comunidade, novas e melhores perspectivas. Ganha o mercado. Ganha a economia. Ganha a cultura. Ganham especialmente nossos jovens que passam a ter novos sonhos e esperança”, afirma Dr. Vivaldo. 

MEDICINA MUDARÁ REALIDADE SOCIAL 

O curso de Medicina vai transformar significativamente a vida da população regional, com o afluxo de um crescente número de estudantes de municípios próximos e também muito distantes de Passos. Provocará também o afluxo de profissionais relacionados à área, principalmente professores médicos, o que eleva a qualidade dos serviços de saúde prestados, uma vez que esses profissionais também atuam no atendimento à população, seja via Santa Casa ou consultórios particulares. 

Ainda, no tocante à melhoria nos serviços de saúde, segundo critérios do MEC para a abertura do curso, deve se oferecer pelo menos três programas de residência médica em especialidades definidas como prioritárias para a região e hospital com leitos exclusivos para o curso. Isso aumenta significativamente a qualidade e a quantidade dos atendimentos à população.

O presidente da AMEG, a Associação dos Municípios do Médio Rio Grande e prefeito de São Sebastião do Paraíso Rêmolo Aloise, comemorou a notícia. “É com muita alegria e satisfação que recebo esta notícia da aprovação do curso de Medicina da FESP. Este é, com certeza, um marco histórico para a nossa região da AMEG e, de suma importância, pois vemos a Saúde como prioridade. Esse fato também tem muita importância para as entidades que, direta e indiretamente, se beneficiam sobremaneira com a abertura do curso. Como presidente da AMEG, posso afirmar que, com essa conquista, nossa região poderá chegar ao ápice de cursos universitários e se tornar um pólo”, declarou.

O prefeito de Passos, Ataíde Vilela, recebeu com satisfação a notícia da aprovação do curso de medicina da FESP pelo Ministério da Educação, pois acredita que a formação de médicos em Passos será importante para a cidade e toda a região, uma vez que muitos municípios são carentes desses profissionais da saúde. "É muito bom! Tudo que for feito no sentido do nosso desenvolvimento é muito bom! O curso de medicina é um sonho de Passos e da região. Essa aprovação, com o futuro funcionamento do curso, a gente acredita que irá resolver a questão de falta de oferta de médicos na região", disse o prefeito.

Thiago Ribeiro Cruz, presidente do Diretório Central dos Estudantes e aluno de Engenharia Civil, diz que os estudantes ficaram satisfeitos com a notícia. “Já esperávamos uma nota de excelência, pois nossa estrutura ficou perfeita, sem falar que tínhamos tirado nota 4 no curso de Engenharia Civil e nota 5 no curso de Cosmética consolidando a FESP como escola de qualidade É notável as mudanças que vem sendo feitas para melhorar a qualidade de nosso ensino. Temos certeza que os cursos da FESP já autorizados e os que vierem terão notas de excelentes”, declarou. 

De acordo com o professor Itamar Teodoro de Faria, Historiador e professor de Antropologia e Sociologia na FESP, o fenômeno de fundo que precisa ser considerado é o das cidades médias. As cidades médias são centros urbanos que concentram em si serviços e condições que, anteriormente, somente eram disponíveis nas capitais ou grandes centros. Passos é uma cidade média que já concentra e disponibiliza diversos serviços de Educação, Hotelaria, Turismo, Concessionárias de Serviços Públicos, Atendimento Especializado em Saúde, etc. No tocante à Educação, o Ensino Superior provoca o afluxo de estudantes de largo raio geográfico, que, ou vem morar em Passos ou se deslocam diariamente para cá.  Esse simples afluxo já provoca impactos imediatos no setor imobiliário e no de transporte e alimentação.

O CURSO

Serão 60 vagas disponibilizadas e os alunos atuarão nas áreas básicas obrigatórias para formação - que são clínica médica, cirúrgica, ginecológica, obstétrica, pediatria e saúde coletiva- e também terão disponíveis as especialidades como oftalmologia, pneumologia e outras. O objetivo do curso é formar o médico generalista voltado para o atendimento primário, contribuindo sobremaneira para as ações do SUS, tanto na qualidade do serviço prestado, quanto na promoção da saúde por meio da educação continuada.  

De acordo com Tânia Maria Delfraro Carmo, diretora de Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde da FESP, os novos profissionais em médio prazo virão somar o atendimento e, sobretudo o trabalho de prevenção de doenças. “Acreditamos que vamos conseguir diminuir os índices de mortalidade materna e infantil, aumentar nossos números de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), e, sem dúvidas, melhorar a qualidade de vida da população por meio da prevenção, que é o fator que mais tem contribuído para melhoras na condição da saúde no Brasil. Nós temos uma sólida tradição na formação de profissionais na área da saúde com 31 anos experiência” declarou. 

Para a ginecologista Maria Paula Moraes Vasconcelos, médica da Santa Casa de Passos e escolhida para ser a coordenadora do curso de Medicina, a aprovação vem afirmar a responsabilidade e credibilidade que a FESP e os profissionais envolvidos têm. “É uma conquista extremamente importante porque mostra que a FESP tem grande capacidade de formação. Temos estrutura física, corpo docente qualificado e todas as unidades hospitalares necessárias para oferecer aprendizado prático, com as instituições parceiras que inclusive já realizam a Residência Médica para cursos de outras universidades. A gente acredita que nós vamos poder oferecer mais médicos com a nossa filosofia humanista e técnica apurada no acompanhamento da nossa comunidade. Estamos satisfeitos e preparados para promover uma grande melhora na saúde da nossa população”, defendeu.

A coordenadora do curso de Enfermagem da FESP, professora Maria José Pessoni Goulart, destacou o perfil do médico que será formado pela FESP: “Temos uma rede de atenção à saúde em Passos suficientemente ampla e diversificada (em todos os níveis de atenção) para permitir o aprendizado da Medicina ao longo de todo o curso. Ou seja, os profissionais formados pelo curso da FESP serão preparados para enfrentar os desafios contemporâneos, o que contribuirá para o desenvolvimento social e da saúde na nossa cidade e região. 

ESTRUTURA

A FESP se preparou para receber os avaliadores do MEC investindo mais  de R$ 1,5 milhões em infraestrutura, aquisição de equipamentos e livros que serão dedicado aos cursos da área da Saúde. As obras começaram em 2012, com os primeiros laboratórios do curso de Medicina, localizados no Prédio Principal (Bloco 01) da FESP.

“Nossa equipe do Departamento de Obras trabalhou sete dias por semana para viabilizar este sonho. E o resultado está ai. Temos uma obra belíssima que abrigará com qualidade e conforto nossos futuros estudantes do curso de Medicina e nossos alunos dos demais cursos da área de saúde. É com orgulho que a equipe do obras entregou este prédio”, destacou o Vice-presidente do Conselho Curador, Engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira que foi o responsável pela obra e é também o Diretor do Núcleo de Engenharias da FESP.

O projeto, assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro tem uma área de 800m², englobando ambientes de aprendizado na área de anatomia; microscopia; bioquímica, farmacologia, biofísica, informática, fisiologia; técnica cirúrgica, biotério, além do laboratório de habilidades - um dos mais complexos da região com quatro salas para práticas de ginecologia e obstetrícia, urgência e emergência, clínica geral, atendimento ao recém-nascido e pediatria.

O Diretor Executivo da FESP, Dacio lemos Martins destacou o trabalho de toda a equipe para o sucesso do projeto. “Foi um trabalho feito de mãos dadas. Todos os setores da instituição envolvidos trabalhando com dedicação como sempre fazem. Toda a estrutura administrativa em favor da realização deste grande sonho confirmando que somos acima de tudo uma família”, destacou.

CRONOLOGIA

Fevereiro de 2010

Prof. Fabio Kallas, convoca sua Diretora de núcleo de saúde - professora Tânia Delfraro para iniciarem a elaboração do projeto do curso de Medicina, já percebendo as dificuldades de contratação de médicos pelos municípios em geral, especialmente o de Passos.

Julho de 2011 

O professor Fábio Kallas apresenta a proposta de criação do curso de Medicina aos representantes das instituições de saúde de Passos: Dr. Vivaldo Soares Neto, Dr. Pedro Messias da Silva, Dra. Maria Paula Moraes Vasconcelos, Dr. Marcos Antônio de Oliveira, Dr. Walter Alvarenga Oliveira, Dr. Cleiton Piotto Assunção, Dr. Eurípedes José da Silva (representante do CRM - Subseção de Passos), Dr. Devanir Silva Prado, Prof. Marcelo Soares de Oliveira, Vanessa Luzia Queiroz da Silva, Daniel Porto Soares, e Dr. Geraldo Brasileiro Filho (médico atuante em Belo Horizonte e professor da UFMG)

Agosto de 2011

Foi constituído o Núcleo Docente Estruturante (NDE) formado não só pelos professores da FESP, mas também por profissionais das instituições parceiras e conveniadas. O grupo teve o acompanhamento especial do médico passense e professor Geraldo Brasileiro Filho, que é também avaliador do MEC.

Dezembro de 2012 

A proposta foi postada no Sistema do MEC

Maio de 2013

O MEC requisitou a comprovação das práticas e foram enviados os documentos relativos aos convênios com as instituições e secretarias de saúde de Passos, São Sebastião do Paraíso e Piumhi.

12 de Agosto de 2013 

Foi aberto o último formulário solicitando um resumo de tudo o que os avaliadores observarão. Os documentos foram enviados no dia 25 de Agosto.

13 e 14 de Setembro de 2013

Realizada a visita in loco

18 de Setembro de 2013

Divulgada a aprovação com nota quatro. 

Curso nasce em bom momento para segmento da saúde 

A aprovação do curso de Medicina em Passos vem em um momento em que o Governo Federal está desenvolvendo um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, expansão do número de vagas de Medicina e de residência médica, e com o aprimoramento da formação médica no Brasil, além de levar profissionais para regiões carentes, com o programa “Mais Médicos”.  

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde em Fevereiro deste ano mostram que a relação de médicos por habitantes no Brasil é muito baixa em comparação a outros países. 

A média brasileira é 1,83 médico para cada mil habitantes, enquanto no Uruguai, por exemplo, o índice é 3,7 e na Espanha 4. 



A decisão do Governo Federal de abrir 1800 vagas em cursos novos de Medicina aumentou a expectativa para a criação do curso em Passos, na FESP. Desde o início de 2011, a Fundação está trabalhando no intuito de atender às exigências do MEC nos requisitos para a aprovação do curso.

A proposta já tem o apoio das autoridades em saúde e também de lideranças políticas como o Deputado Federal Odair Cunha, que se prontificou em acompanhar e colaborar para que o processo seja aprovado.  "Trata-se de um projeto importante para a instituição e, sem dúvida nenhuma, para nossa região. O grande desafio do Brasil é fazer um sistema de saúde, que seja público, universal e de qualidade e para isso é essencial que tenhamos mais médicos. Com este curso de medicina, a FESP vai fazer parte desse grande esforço nacional de termos mais médicos atuando em Passos e no Brasil inteiro", afirmou Odair. 

Santas Casas serão parceiras do curso de Medicina da FESP

As Santas Casas de Misericórdia de Passos, São Sebastião do Paraíso e Piumhi são parceiras no projeto de criação do curso, o que aumenta ainda mais a viabilidade do projeto, uma vez que a parceria abre um vasto campo de atuação acadêmica que vai contribuir tanto para a melhora do atendimento público quanto para o aprendizado dos estudantes. 

A Santa Casa de Passos, por exemplo, é um hospital regional, filantrópico, com 270 leitos, que já participa de um processo de educação continuada, oferecendo estágio para pelo menos 73 estudantes de Medicina de Alfenas. “Trabalhamos no sentido de dar o melhor da saúde para a população de Passos e região. Com diversas ações executadas pela Santa Casa, como a construção do Hospital Regional do Câncer, diminuímos os gastos com o envio de pacientes para tratamentos em outras cidades, como por exemplo, Barretos (SP). Somos entusiastas desse processo e iremos apoiar e oferecer a estrutura, mas também precisamos de uma ajuda mútua para que possamos nos fortalecer e melhorar ainda mais nossa estrutura para que esse projeto do curso de Medicina em Passos se torne uma realidade”, disse o provedor da Santa Casa, Vivaldo Soares Neto, na ocasião. 

Equipe da FESP desenvolveu estudo intenso para elaboração do projeto

O Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso, formado não só pelos professores da FESP, mas também por profissionais das instituições parceiras, desenvolveu um importante estudo para que as diretrizes exigidas pelo MEC fossem cumpridas desde a proposta. A diretora de Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, Profª Tânia Maria Delfraro Carmo juntamente com as professoras Maria José Pessoni Goulart e Vanessa Luiza Queiroz Silva do curso de Enfermagem participaram diretamente no estudo, que teve o acompanhamento especial do médico e professor Geraldo Brasileiro Filho, atuante em Belo Horizonte e professor da UFMG. “Acredito no potencial da FESP para criar um curso de qualidade. Conheço escolas de Medicina que não têm a estrutura que a FESP hoje apresenta. Assim, para que este projeto se concretize são necessárias algumas competências acadêmicas como: estrutura física adequada, boa proposta pedagógica, corpo docente qualificado e corpo discente com bom nível de conhecimento. A FESP já cumpre diversas competências exigidas e o restante poderá ser conquistado com trabalho e esforço de toda comunidade acadêmica”, disse Geraldo Brasileiro.

Ainda em 2011, o projeto foi apresentado em um encontro dos municípios da AMEG, a Associação dos Municípios do Médio Rio Grande e entregue ao Governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia e, em 2012, o projeto foi inscrito para avaliação, junto ao MEC.

Ministro da Saúde diz que as chances de liberação do curso são grandes 

Em junho de 2012, o sonho da implantação do curso de Medicina deu mais um importante passo com a visita do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, à Santa Casa de Misericórdia de Passos. Padilha recebeu das mãos de representantes da FESP o projeto de criação do curso de Medicina. “Temos todo interesse na expansão de novos cursos de Medicina no interior do país, mas é fundamental que as faculdades apresentem um projeto de qualidade e que garantam uma estrutura hospitalar de atenção básica à saúde onde os médicos obtenham experiência prática para atenderem com qualidade. Precisamos aumentar o número de médicos no país e principalmente no interior. Temos que ampliar o acesso ao curso de Medicina nas pequenas cidades e para isso contamos com o FIES que banca os estudos de quem não tem condições de pagar”, comentou o ministro acrescentando que a falta de médico em cidades distantes e regiões mais pobres só será amenizada com a formação de médicos que saiam destas comunidades.

De acordo com Padilha, as chances de liberação de um curso de Medicina em Passos são grandes. “Uma das exigências do Ministério da Saúde e da Educação para liberação de novos cursos é que para cada vaga disponibilizada existam cinco leitos do SUS. O aluno precisa ter a experiência prática médica concreta durante a faculdade”, afirmou o ministro destacando que a Santa Casa de Passos já conta com dezenas de leitos do SUS podendo inclusive ser ampliados.

Laboratórios para curso de Medicina

A FESP aguarda a aprovação do MEC investindo em infra-estrutura para a área da Saúde. Em 2012, começaram as obras para construção dos primeiros laboratórios do curso de Medicina. O projeto, assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro, é um conjunto de laboratórios que estão sendo construídos junto ao Prédio Principal da FESP, em uma área de 800m², englobando ambientes de aprendizado na área de anatomia; microscopia; bioquímica, farmacologia, biofísica, informática, fisiologia; técnica cirúrgica, biotério, além do laboratório de habilidades, um dos mais complexos com  quatro salas para a prática nas áreas de ginecologia e obstetrícia, urgência e emergência, clínica geral, atendimento ao recém-nascido e pediatria. 

Curso de Medicina terá uma “Cidade do Saber e da Saúde”

O curso de Medicina da FESP vai contar também com um grande complexo arquitetônico que vai concentrar toda a área da saúde da FESP - cursos de graduação, pós-graduação, cursos tecnológicos e projetos de pesquisa e extensão - juntamente com um Hospital-Escola da Santa Casa de Misericórdia de Passos. A FESP e a Santa Casa firmaram uma Sociedade Parceira de Apoio Mútuo para a construção da obra que será um marco histórico para Passos e região.  A FESP disponibilizou uma área de 540 mil metros quadrados localizada na Rodovia MG 050 (no km 202) dos quais 200 mil serão de área construída. 

O planejamento arquitetônico foi executado pelo arquiteto Ivan Vasconcelos e prevê a construção de dezessete unidades: Hospital do Câncer; Hospital Geral; Reabilitação; UPA; Centro Comercial; Atendimento à Saúde; Centro Mais Vida; Pós-graduação; Cursos Tecnológicos; Graduação; Pesquisa e Extensão; Laboratórios; Biblioteca; Centro de Convenções; Teatro Arena; UNABEM; Vila da Maturidade além de ser acoplado ao Centro Integrado de Recreação e Esportes da FESP (CIRE).

Na parte acadêmica da FESP está prevista uma ampliação de 5 cursos de graduação para 11 cursos e de 10 pós-graduações para 29, além de 9 cursos tecnológicos e 3 mestrados até 2015 e muito mais no futuro. 

Relação de médicos por habitantes é baixa

Dados do Governo Federal mostram que a relação de médicos por habitantes no Brasil é muito baixa em comparação a outros países. De acordo com o MEC, a média brasileira é de 1,8 médico por mil habitantes, enquanto no Uruguai, por exemplo, o índice é 3,7 e na Espanha 4.

Tanto o Conselho Nacional de Educação (CNE) quanto o Conselho Nacional de Saúde (CNS) precisam autorizar esses processos e um dos pré-requisitos é a disponibilidade de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) para que o aluno possa cumprir a parte prática do curso. 



Foi entregue na última semana o projeto que pretende implementar o curso de Psicologia na FESP.  A proposta, que agora segue para postagem no sistema e-MEC, foi elaborada pelos membros do Núcleo Docente Estruturante (NDE), coordenados pela professora Mestra e Psicóloga Carmem Aparecida Cardoso Maia Camargo.

A nova graduação irá integrar o Núcleo Acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, dirigido pela professora Tânia Maria Delfraro Carmo que justificou o projeto como resposta à demanda recebida. “Jovens de Passos e região têm nos procurado com interesse em cursar psicologia e, diante do cenário regional da saúde, da economia, social e educacional, a proposta de criação deste curso vem de encontro com esta demanda. O programa tem o compromisso de preparar o profissional qualificado para atuar em diferentes contextos de intervenção psicoterapêutica, no sentido de promover a saúde de pessoas e/ou grupos com dificuldades de ordem afetivo-emocional, comportamental e mental”, declarou.

Ainda segundo a diretora, o projeto pedagógico foi elaborado seguindo os pressupostos essenciais de um curso de Psicologia atualizado e com observância rigorosa das Diretrizes Curriculares Nacionais. “Está tudo de acordo com os princípios exigidos, como a formação de um psicólogo generalista - profissional com visão dos problemas e necessidades da comunidade com enfoque na educação e promoção da saúde mental, prevenção de doenças e recuperação da saúde psíquica nos níveis individuais e coletivos. Tenho certeza que os egressos do curso de psicologia formados pela FESP serão comprometidos na busca pela melhoria da qualidade de vida da nossa comunidade”, ressaltou.

A equipe que integra diretamente a comissão responsável pelo projeto tem, além da coordenadora Carmen Aparecida Cardoso Maia Camargo, a psicóloga Mestra Maria de Lourdes Carvalho de Souza Silveira, a também psicóloga Mestra Ana Carolina Lemos Pereira, a professora Doutora Maria Ambrosina Cardoso Maia e professora Mestra Vanessa Luzia Queiroz Silva. O docente é formado professores do corpo da FESP e a elaboração do projeto contou com o apoio e envolvimento de vários outros professores do Núcleo da Saúde da Fundação, que aguarda o agendamento da visita in loco, após apreciação da proposta pelos avaliadores do MEC

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



O novo curso da FESP, Tecnologia em Estética e Cosmética, recebeu conceito máximo em avaliação do Ministério da Educação (MEC).  A nota 5 coloca a FESP dentro do perfil de excelência em ensino e com mérito em todas as áreas avaliadas pelo órgão. Este é o 24º curso de graduação da FESP e sua abertura só espera a publicação da Portaria Oficial pelo MEC. 

O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, recebeu o relatório afirmando que a nota é consequência do árduo esforço comum que foi realizado. “Para nós da família FESP é uma honra recebermos a notícia da aprovação de mais um curso superior e, agora, com nota máxima junto ao MEC. O curso de Tecnólogo em Estética e Cosmética da FESP já nasceu entre os melhores do país graças à competência dos nossos docentes e a estrutura fornecida pela FESP”, pontuou o presidente, acrescentando que o Núcleo de Saúde foi o responsável pelo projeto aprovado. 

O curso foi avaliado em três dimensões distribuídas em Organização Didático-Pedagógica, Corpo Docente e Tutorial e Infraestrutura. No relatório final os avaliadores frisaram que o curso atende, com excelência, a todos os indicadores considerados e ainda destacaram os pontos fortes que observaram, como por exemplo, os conteúdos curriculares, o Plano Pedagógico do Curso - com ênfase na titulação do seu coordenador e professores - a produção científica, laboratórios, a biblioteca e a infraestrutura física de toda a instituição. 

A diretora do núcleo acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, professora Tânia Delfraro, comemorou o resultado do trabalho. “É uma alegria e orgulho esta notícia. Nossa equipe trabalhou de forma unida e cooperativa e procuramos atender a todos os requisitos exigidos pelo MEC para que os futuros alunos de Estética e Cosmética possam ter o melhor ensino e aprendizagem dentro das atividades realizadas. Fizemos convênios com as empresas de Passos envolvidas na área, como salões de beleza, clínicas, academias; o corpo docente é altamente qualificado - com quase 100% de professores mestres e doutores - então, todo este empenho e comprometimento agora resultam nesta conquista da nota 5, que é muito difícil de alcançar”, declarou Tânia.

A expectativa do Conselho Curador é de que a Portaria Oficial do MEC seja publicada o mais rápido possível para que o curso possa ser oferecido no processo seletivo de julho/2013 na modalidade presencial, com 50 vagas, no período noturno, com turmas teóricas e práticas. 

O professor Fabio Kallas finalizou declarando que esta nota é uma conquista da FESP ofertada para a comunidade de Passos e região. “Este é o jeito que todos nós da FESP gostamos de trabalhar. Como profissionais sérios, dedicados, competentes e que nunca medem esforços para tornar o sudoeste mineiro em referência em ensino superior de qualidade. Somos uma instituição séria com mais de 4 mil alunos que gera emprego e renda para mais de 700 famílias diretamente, e que trabalha para oferecer o bem mais precioso que podemos deixar para nossos filhos: conhecimento! É assim que respondemos na FESP: com trabalho, mais trabalho e, acima de tudo, resultados de uma gestão séria e compromissada com toda região e porque não dizer com nosso Estado”, reafirmou Fabio.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A comissão do Ministério da Educação (MEC) visitou a Fundação de Ensino Superior de Passos para realizar a avaliação in loco que autoriza a instalação do curso de Estética e Cosmética na FESP. O laudo da visita será encaminhado ao MEC com a nota dada pelas representantes do órgão do governo e ficará sobre responsabilidade do Ministério da Educação determinar a abertura do curso.

O presidente do conselho curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas recebeu a visita como mais uma conquista que a Fundação alcança. “O projeto para o curso de Estética e Cosmética, desenvolvido pelo núcleo de saúde, coordenado pela professora Tânia Delfraro e sua equipe, foi apresentado ao MEC no final de 2012. A comissão enviada pelo MEC fez a avaliação das nossas instalações, do projeto pedagógico, do corpo docente proposto e conseguimos mostrar nosso trabalho. Agora vamos aguardar a aprovação do MEC para a liberação de mais um curso de graduação para nossa escola”, disse.

A Professora Glaucia Pereira Braga, representante do MEC, disse que a estrutura que a FESP oferece a surpreendeu. “Chamou minha atenção o comprometimento da equipe para que se realize um bom trabalho e para que a faculdade possa formar profissionais que venham atender a demanda de mercado da cidade que é eminentemente de prestação de serviço e carente desse profissional do curso que nós viemos fazer o ato avaliatório de autorização. Não posso adiantar o resultado, mas posso parabenizar a Fundação pelo seu compromisso com a educação”, declarou.

Ainda segundo Glaucia, o curso de Estética e Cosmética é interessante pelo fato de que seu mercado consumidor tem crescido consideravelmente nos últimos anos. 

A professora Anete Maria Lucas Veltroni Schiavinatto, também avaliadora do MEC afirmou que a FESP está apostando em um mercado promissor. De acordo com ela “Sem inovação não dá para atender a expectativa de um novo século. A área de estética e cosmética vem mexer não só com a saúde, ela vem agregar valores de qualidade de vida e envolve auto-estima, por isso eu acredito que pela proposta de instalação deste curso a FESP está sendo visionária”, destacou.

Em relação à avaliação feita pelas representantes do MEC, Anete Schiavinatto foi positiva em relação ao que viu na FESP. “Pela nossa experiência de avaliação em visitas a Instituições, confesso que o perfil de ensino de extensão e de pesquisa que a FESP tem realmente é uma oportunidade para que saia daqui um profissional extremamente bem formado. Esse profissional tem espaço no mercado de trabalho e esse curso vem agregar possibilidades porque é uma tendência, o que o mercado está precisando”, afirmou a avaliadora.

A diretora do núcleo acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde, professora Tânia Delfraro explicou que o futuro profissional formado pelo curso poderá atuar em centros de estética, salões e institutos de beleza, academias de ginástica, consultórios, casas de repouso, estâncias hidrominerais e SPAs. Esse amplo mercado inclui ainda consultorias, indústrias de equipamentos, instituições educacionais e de pesquisa, empresas públicas e ONGs vinculadas à estética. Ao final do curso o tecnólogo estará apto a definir e aplicar, com segurança, tratamentos estéticos corporais, faciais e anexos, terá grande facilidade em buscar as novas tecnologias, equipamentos e produtos, e também vai dominar fundamentos de marketing e visão gerencial, essenciais para o sucesso profissional.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678