O Núcleo de Inovação Tecnológica NIT/FESP aprovou o projeto "Criação e Manutenção do Núcleo de Inovação Tecnológica das Faculdades Integradas do Sudoeste Mineiro FESP – NIT / FESP", na Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG. A proposta foi elaborada e submetida em maio de 2014 através da Coordenação do Núcleo, que foi instituído por portaria institucional em 2013.

O projeto aprovado receberá financiamento próprio durante 18 meses, estes recursos serão utilizados obrigatoriamente para o material de consumo e pagamento de uma Bolsa de Gestão em Ciência e Tecnologia. Esta vitória tem como objetivo incentivar a cultura de inovação e realização da proteção da propriedade intelectual do conhecimento científico produzido pela comunidade acadêmica na Fundação de Ensino Superior de Passos FESP.

De acordo com o Presidente do Conselho Curador da FESP, Fabio Pimenta Esper Kallas, é chegada a hora de colocarmos as universidades mais próximas do setor empresarial, oferecendo seu potencial para gerar tecnologia e soluções para o desenvolvimento de nossa cidade, estado e país. 

A proposta aprovada implementará medidas requeridas para dar sustentação aos processos e às ações de inovação tecnológica da FESP, acompanhar o processamento dos pedidos e a manutenção dos títulos de propriedade intelectual da instituição, zelar a manutenção da política institucional de estímulo à proteção das criações, licenciamento, inovação e outras formas de transferência de tecnologia.

Segundo Marisa da Silva Lemos, a evolução da criação do NIT/FESP se torna natural e necessária para a instituição, empresários e gestão pública da cidade de Passos e região. Através do Núcleo a FESP poderá oferecer apoio no que se refere à inovação tecnológica nestas três instâncias. 

O NIT/FESP tem como Coordenadora a professora Marisa da Silva Lemos, que é Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, como integrantes o professores Eduardo Goulart Collares, Diretor do Núcleo Acadêmico de Pós Graduação Pesquisa e Extensão, o professor acadêmico, Cesar Vilela de Aquino e a bolsista da FAPEMIG a advogada Nathália Lemos Vasconcelos.  Os interessados em obter maiores informações devem entrar em contato com a o Núcleo de Inovação Tecnológica / NIT FESP. Local: Rua Doutor Carvalho, nº 1147 - Bloco 2 – Bairro: Belo Horizonte / Passos - Telefones para contato: CPEX: (35) 3529 – 6032 – Sala NIT / FESP.

FONTE: Texto escrito pela COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP (CPEX)



A partir desta segunda-feira (18), uma equipe de professores e alunos da FESP vai ministrar palestras em 17 postos de saúde da família (PSF), em Passos, para levar informações sobre tipos de diabetes, prevenção, tratamento e cuidados com os pés dos pacientes. A ação faz parte da segunda fase do projeto de pesquisa “MONOFILAMENTOS DE SEMMES-WEINSTEIN: uma avaliação da sensibilidade protetora dos pés na prevenção da úlcera plantar e indicação do uso de palmilhas”, vinculado à Fundação de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG). 

A atividade educativa será desenvolvida até o dia 29 de agosto e, segundo a coordenação do projeto, sob responsabilidade da professora doutora Tânia Maria Delfraro Carmo e do professor, fisioterapeuta e acupunturista  Djalma Reis do Carmo, vai atingir mais de 2000 mil pessoas.

Ainda de acordo com os coordenadores, o projeto está sendo realizado em várias etapas e o objetivo principal é analisar os comportamentos de riscos associados à instalação de úlceras plantares nos portadores de Diabetes Mellitus, realizar o teste da perda da sensibilidade plantar, confeccionar e distribuir palmilhas protetoras, além de desenvolver ações educativas para diminuição dos riscos de instalação da úlcera plantar.

“Vamos contar com o apoio das equipes integrantes das unidades ESF’s e do NASF, da Prefeitura Municipal de Passos. As palestras acontecerão no período da manhã e da tarde, em diferentes bairros da cidade. Vamos exibir um vídeo de duração de 10 minutos, em seguida, a equipe executora do projeto falará sobre a temática e, depois teremos uma demonstração prática dos cuidados com os pés. Será servido no final de cada evento, um lanche com orientação nutricional para os participantes”, explicou a professora.

Fazem parte do projeto: quatro acadêmicas bolsistas dos cursos de Enfermagem e Biomedicina, três professoras, duas enfermeiras e uma nutricionista. Na primeira fase da pesquisa, foi levantado, junto aos portadores, o conhecimento sobre os fatores de risco para instalação de úlceras plantares e foi aplicado o teste dos monofilamentos de Semmes-Weinstein, que avalia a perda sensibilidade protetora dos pés. 

“Esta avaliação constitui um dos métodos mais simples, eficazes e de baixo custo para prevenção de lesões nos pés. Aplicamos em todos os portadores de diabetes cadastrados nas 17 ESF de Passos e que aceitaram participar da pesquisa. Vamos trabalhar o segundo passo e depois, na última fase do projeto, será realizado o teste de Plantigrafia Eletrônica ou Baropodometria para analisar as áreas de risco de instalação de úlcera plantar e deformidades nos pés. Aos portadores de áreas de risco de lesão plantar serão confeccionadas e distribuidas palmilhas de proteção dos pés”, elucida o coordenador Djalma Reis do Carmo.

Diabetes 

O pé diabético ou úlcera plantar é uma das complicações mais comuns entre portador de Diabetes Mellitus, tendo, como consequência, uma redução significativa na qualidade de vida dos indivíduos acometidos. “Isso acontece porque causa incapacidades e deformidades, podendo levar a amputação de dedos, do pé e de toda perna. A condição também gera elevado custo econômico para os serviços de saúde, problemas psicológicos e sociais para o indivíduo”, justificou a professora Tânia Delfraro, ainda comentando sobre o crescimento do número de atingidos pela diabetes no país. “O Brasil possui, atualmente, 5 milhões de portadores de diabetes, ocupando a 8ª posição em prevalência da doença no mundo, com estimativa de passar para a 6ª posição, chegando a alcançar 11,3% da população até 2030”.

Dessa forma, o projeto da FESP vem atender a necessidade de promover não somente a melhora na condição de pacientes que sofrem as consequencias da doença, mas também vem promover um alerta para a população acerca da gravidade das estatísticas.

“É preciso que os profissionais que integram as equipes das unidades das ESF’s estejam atentos aos sinais e sintomas da perda de sensibilidade a fim de tomarem medidas para evitar o risco de lesões nos pés. O diagnóstico precoce da diminuição da perda da sensibilidade, o tratamento oportuno e o autocuidado evitam a maioria das complicações”, completa Djalma.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Diretoria do Núcleo Acadêmico de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão, através da Coordenadoria de Pesquisa e Extensão da Fundação de Ensino Superior de Passos, informa à comunidade acadêmica a abertura do Edital 01/2014 - PIBIC/FAPEMIG/FESP - visando a seleção de candidatos para o preenchimento de 30 (trinta) bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o período que vai de março de 2014 até fevereiro de 2015.

Para participação neste edital, exige-se documentação e condições específicas para o professor orientador e para o aluno bolsista. Estas informações estão disponíveis no citado edital que está disponível no site da FESP. Vale ressaltar que o aluno deverá ter cursado um ano no curso de graduação, não estar cursando o último semestre do curso e não possuir vínculo empregatício. 

Informamos que conforme orientação do presidente do Comitê de Ética da FESP, professor José de Paula Silva, a partir deste ano todos os projetos deverão apresentar a declaração de “Parecer de Mérito” para que o projeto possa ser submetido à CPEX.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão, Marisa da Silva Lemos, existe uma expectativa de um número expressivo de projetos a serem submetidos este ano e acrescenta que o resultado de participação de professores e alunos em projetos de pesquisa traz como resultado publicações científicas e participação em congressos e seminários, o que resulta no diferencial do currículo dos mesmos.

O Diretor de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão, Eduardo Goulart Collares argumenta que a cada ano cresce o interesse dos alunos da FESP em participar de projetos de iniciação científica. Segundo o diretor, “o nosso aluno, a cada ano, compreende melhor o significado de um projeto de pesquisa na sua vida acadêmica e os inúmeros benefícios que trará não só a para a sua formação profissional, mas também, no seu amadurecimento enquanto cidadão”. 

Todas as orientações para participação estão disponíveis no edital e também de forma presencial na Coordenadoria de Pesquisa e Extensão da FESP, localizada no Bloco 02, na rua Dr. Carvalho, 1147, de 08h às 12h e de 14h às 18h. Telefones para contato são: (35) 3529-6033 / (35) 9811-8085 email: cpex@fespmg.edu.br

TEXTO ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP



A Fundação de Ensino Superior de Passos foi contemplada com um aporte financeiro da ordem de R$ 100mil, viabilizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG) para a criação de um Centro Regional de Triagem, Reuso e Descarte de Resíduo Eletrônico.  O projeto está em fase de licitação para compra dos equipamentos como bancadas, ferramentas e balanças e a previsão é de que comece a funcionar ainda este ano. “O local está praticamente definido, teremos uma área de aproximadamente 200 m² e vamos começar atendendo o público interno, em seguida será aberto para toda a região”, explica o professor Alessandro de Castro Borges, coordenador do curso de Sistemas de Informação da FESP. 

Dados da ONU apontam o Brasil como um dos maiores produtores de lixo eletrônico no mundo, com uma produção de 1 milhão de toneladas por ano, ficando próximo ao que é produzido na China, que produz 2,3 toneladas e aos Estados Unidos que produzem de 3 a 4 toneladas ao ano.

Além disso, a Política Nacional de Resíduos Sólidos determina uma logística reversa em apenas alguns produtos eletrônicos, cujo descarte deve ser feito pelas fábricas dos produtos, mas, na prática esta determinação não é eficiente, uma vez que depende da ação do consumidor, para devolver os produtos. 

O descarte incorreto do lixo eletrônico pode causar sérios impactos ambientais, como poluição do ar, contaminação de solo, lençóis freáticos, fauna e flora, além de representar riscos à saúde humana. “Muitas pessoas que sobrevivem de lixões muitas vezes fazem manejo inadequado, como, por exemplo, quando tentam derreter algumas peças, o que pode causar uma contaminação ainda mais grave”, alerta o professor. 

O desafio do que fazer com a sucata eletrônica foi tema de palestra do III FESP INOVA, evento científico realizado durante esta semana, que trouxe a Passos a professora Neuci Bicov Frade, responsável técnica pelo Centro de Reuso e Descarte de Resíduos de Informática (CEDIR) da USP.

Neuci chamou a atenção para a questão do consumismo desenfreado de equipamentos de informática que cresceu significativamente nas últimas décadas, um dos pontos principais a serem combatidos em ações voltadas para a redução do lixo produzido. “Se você continuar consumindo tudo o que se consome hoje, não tem planeta para tudo isso e não se consegue reciclar na mesma proporção em que se consome”, alerta a professora. 

O CEDIR é o único centro público do país a desenvolver ação voltada ao destino de lixo eletrônico e recebe 12 toneladas mensais de materiais. “A gente recebe o material, faz a verificação, a separação, os que têm condição a gente cede para entidades sociais para que eles nos devolvam depois e os eletrônicos que não têm condição de uso e a gente envia para os recicladores de cada tipo de material”, explica a coordenadora do centro da USP. 

O trabalho desenvolvido pelo CEDIR foi referência no projeto de criação do centro da FESP. No início do mês, estudantes e professores da FESP visitaram a USP para conhecer as etapas de funcionamento do centro, desde coleta e separação de componentes à remontagem de máquinas para reuso. “Da mesma forma, vamos coletar, identificar, separar as peças, montar os equipamentos que ainda podem ser reutilizados e separar o que for descarte e também vamos fazer o empréstimo de máquinas a instituições sociais de Passos e da Região, acompanhando o funcionamento dos computadores para que, quando estes também estiverem sem condições de uso, sejam devidamente descartados”, explica o professor Alessandro de Castro Borges. 

Máquinas de reuso serão usadas por entidades sociais

Além de reduzir o problema do volume de entulho, aumentar a sobrevida dos aterros e evitar impactos ambientais, a criação do Centro Regional de Triagem, Reuso e Descarte de Resíduo Eletrônico da FESP tem como objetivo ceder computadores remontados a instituições sociais. 

A exemplo do trabalho desenvolvido em São Paulo, a FESP também já realiza este tipo de doação-empréstimo de equipamentos a instituições regionais sociais e pretende ampliar este serviço através da remontagem que devera ter um aumento com o centro. “Nós já cedíamos nossos equipamentos usados em forma de comodato, agora com o centro, poderemos ajudar mais instituições sociais porque com o material a ser coletado com o centro”, explica o coordenador Alessandro. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Representantes de instituições de ensino superior de Minas Gerais estiveram em Belo Horizonte no dia 30 de abril, naFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG, para conhecer a implantação do novo sistema de acompanhamento dos bolsistas, Sistema de Gestão EVEREST. O novosistema será adotado para todas as bolsas financiadas pela Instituição. A reunião teve como objetivo apresentar o programa para as unidades gestoras associadoà FAPEMIG, assim, as mesmas terão um melhor resultado na implantação deste novo procedimento. O encontro foi no auditório da FAPEMIG às 14h00, Marisa da Silva Lemos, Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP e Maria Helena Soares, coordenadora do Departamento Contabilidade da FESP representaram a instituição e foram recebidas pelo Presidente da FAPEMIG professor Mário Neto Borges.

O novo sistema EVEREST estará ligado à gestão das atividades da FAPEMIG e o acesso será totalmente online. O gestor ao realizar o loginterá como escolher a instituição vinculada a gestora e em seguida disponibilizará a lista de Bolsas e Cotas de acordo a modalidade escolhida pela instituição. A FESP atualmente possui 30 bolsas de Iniciação Científica no Programa PIBIC/FESP e 15 bolsas no Programa BIC Júnior/FESP.

Os procedimentos de gerenciamento funcionam da seguinte maneira. O gestor indica os bolsistas no sistema para ocorrer o cadastramento final junto ao programa EVEREST, o processo é para que o mesmo possa ser reconhecido como “Bolsista FAPEMIG”. Confirmando esta implantação o aluno participante poderá obter um controle e acompanhamento do desenvolvimento do seu empenho no projeto de Iniciação Científica elogicamente a verificar a distribuição financeira. Através deste programa o gestor poderá também excluir o estudante caso não esteja atendendo ao desenvolvimento das atividades.O programa irá fornecer informações como o repasse de verbas aos bolsistas.

O EVEREST por ser informatizado facilitará para o gestor registrar e filtrar datas de repasse pela FAPEMIG, pagamento dos bolsistas ou até mesmo incluir registro de pagamentos, caso ainda não esteja registrado.

A coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, Marisa da Silva Lemos relata a importância da implantação deste sistema de gerenciamento de bolsas informatizado tanto para a agência financiadora (FAPEMIG) como para gestora (FESP) o que resultará em um controle mais eficiente de ambas aspartes no desempenho e presença dos alunos e também do controle financeiro de repasse de verbas para a instituição.

O objetivo da FAPEMIG é induzir e promover a pesquisa e a inovação científica e tecnológica para o desenvolvimento do Estado de Minas Gerais e ser reconhecida como o principal agente indutor do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação no Estado de Minas Gerais.

A FESP informa aos alunos interessados em Projetos de Iniciação Científica, que poderão obter mais orientações através da Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, o CPEX, na Rua 3 de Maio, número 33, Centro de Passos – Telefone (35) 3529 – 8080. 

Fonte: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP – CPEX



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678