Começou nesta segunda-feira, dia 27, o FESP INOVA 2014, evento de popularização do conhecimento acadêmico científico promovido pela FESP anualmente envolvendo todos os cursos de graduação e pós-graduação.  Durante toda a semana, serão promovidas palestras, minicursos, feiras, seminários e semanas acadêmicas de todos os cursos da FESP.

O evento que faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - instituída pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – e tem a participação de profissionais renomados, professores, estudantes e é aberto para toda a comunidade. 

“O FESP INOVA é a oportunidade de estudantes, professores e profissionais de diversas áreas do conhecimento se encontrarem e trocarem experiências. Antigamente cada curso realizava sua semana acadêmica ao longo do ano e isso de certa forma exigia uma logística muito grande. Agora com todos os eventos foram concentrados em uma só semana, todos os estudantes e professores da instituição são envolvidos e podem aproveitar melhor o cronograma de atividades”, destacou o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

Dentro da agenda de programação do FESP INOVA acontece o II Congresso Sul Mineiro de Iniciação Científica e o IV Seminário de Pesquisa e Extensão.

Segundo os organizadores do FESP INOVA, 240 artigos científicos produzidos por alunos da FESP e de outras universidades de Minas Gerais e do Estado de São Paulo serão expostos durante a semana. “A importância do evento para a comunidade é enorme, é um ganho científico muito grande. O papel da universidade é produzir conhecimento e não somente transmiti-los”, explicou a professora Dra. Marisa, ressaltando ainda que a publicação de artigos científicos produzidos pelos estudantes e professores contam pontos em seus currículos para aprovação em cursos de mestrado e doutorado. “É bom para o aluno, professor e principalmente a comunidade, porque através destes trabalhos científicos problemas apresentados pela comunidade são solucionados”, concluiu.

“Durante a semana teremos palestras, minicursos, feiras e workshops para acadêmicos das áreas de educação, tecnologias e engenharia, ciências biomédicas e saúde, e ciências humanas e sociais aplicadas”, explicou o Diretor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, professor Eduardo Goulart Collares. Segundo ele, a ideia de unificar as semanas acadêmicas em um só evento além de facilitar na logística de professores e alunos, deu maior relevância para o evento que pode contar com a presença de pesquisadores e cientistas renomados para ministrarem as palestras, disse.

A programação completa de atividades está disponível no portal da FESP no link www.fespmg.edu.br 

No site é possível conferir toda a programação, bem como a quantidade de vagas, horário e local de realização de minicursos, palestras, workshops e exposições dos pôsteres de artigos científicos.

Todos os auditórios e salas de estudos da FESP serão utilizados durante a semana que envolverá os 23 cursos de graduação. Além destes espaços, o II Congresso Sul Mineiro de Iniciação Científica e o IV Seminário de Pesquisa e Extensão serão realizados nas dependências do Espaço Capella, situado na Avenida Comendador Francisco Avelino Maia, 4500 das 18h às 22h.

Inscrições

Devido ao espaço físico e para um melhor aproveitamento dos participantes, a quantidade de vagas é limitada para várias atividades, por isso é importante que o estudante manifeste junto a secretaria de seu curso em quais atividades pretende participar para verificar a disponibilidade de lugar na sala. A ficha de inscrição bem como a programação completa do evento dividido por cursos está disponível no portal da FESP clicando no banner do evento.

“É importante frisar que a taxa de inscrição no valor de R$ 20,00 é para confecção dos certificados e para o recebimento da bolsa do FESP INOVA. Quem quiser apenas participar da programação e assinar a lista de presença para computar horas de ACG poderá fazê-lo sem problemas, mas precisa comunicar ao coordenador de seu curso para assinatura da lista”, explicou a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, professora Dra. Marisa da Silva Lemos. 

Clique aqui e veja as fotos.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A nutricionista Ana Carolina Brasil e Bernardes foi recebida na FESP durante a semana acadêmica do curso de Nutrição. A delegada titular do Conselho Regional da 9ª região, situado em Pouso Alegre veio expor o posicionamento do CRN9 em relação aos alimentos transgênicos e agrotóxicos.

Para a nutricionista o convite para participar do FESP Inova foi aceito com entusiasmo. “Achei interessantíssima o tema que me ofereceram. Somos convidados para falar dos mesmos assuntos sempre e aqui foi diferente porque transgênico e agrotóxico são coisas muito novas e que as pessoas não discutem muito, então eu achei a iniciativa fantástica. Tem muita coisa pra falar e colocar isso na cabeça desse pessoal que está se formando agora é ótimo. Quero que eles saiam daqui sabendo que ser nutricionista vai além de ensinar a comer”, declarou.

Segundo a nutricionista, alimentos transgênicos são todos aqueles que foram geneticamente modificados e, recentemente, estão sendo produzidos em larga escala. “O transgênico surgiu em 1970 com a insulina humana, porém, a alimentação com transgênicos no Brasil chegou em meados de 98, então tudo é muito novo. O que a gente tem muito aqui é a soja e o milho. Grandes marcas de mercado se utilizam destes transgênicos em bolos, cereais açucarados e sucos, por exemplo”, explica.

A delegada do Conselho expôs conceitos, discutiu estudos recentes que envolvem o assunto e tirou diversas dúvidas dos alunos e professores que estiveram presentes na palestra. “Atenção para o rótulo! Produtos importados costumam ter grande quantidade de alimentos transgênicos. Todo alimento que é transgênico tem que ter sinalização. No seu rótulo, por obrigatoriedade, tem que ter um T informando que ele é transgênico. Podemos evitar o consumo. O problema é está muito discriminado o uso dos transgênicos e às vezes a gente não sabe que aquele alimento é um deles”, alertou Ana Carolina.

A exposição também envolveu o debate sobre agrotóxicos e as questões que envolvem o consumo de alimentos produzidos com seu uso. A delegada defendeu que a alternativa é o consumo dos alimentos orgânicos que são muito mais saudáveis. “O número de vitaminas que você vai encontrar no orgânico é maior do que no alimento com agrotóxico e ainda tem a vantagem de você comer um alimento com agrotóxico e correr o risco de isso virar contra você como uma doença no futuro”.

A semana acadêmica do curso de Nutrição também teve palestras acerca de quebra de paradigmas, higiene profissional em restaurantes, controle de qualidade na indústria de alimentos, entre outros.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Mais de 3 mil pessoas, entre alunos de engenharia civil, professores e profissionais dos mais variados ramos da construção civil participaram da II Feira Tecnológica da Construção Civil de Passos e região, a ConstruFESP 2013. Além de sucesso de público, o evento foi bastante elogiado pelos participantes, que puderam conhecer as novidades do seguimento e ainda tiveram a oportunidade de trocar experiências e também promover novos negócios.

Para a aluna do 3º período do curso de Engenharia Civil, Débora Lopes Silva que participou dos três dias do evento, além de ter um contato direto com os profissionais da área e conhecer de perto os novos produtos que irão fazer parte do seu dia-a-dia profissional, o conteúdo das palestras ministradas serão muito importantes para sua formação.

“Foi tudo muito interessante. É difícil dizer o que mais chamou a atenção na feira, pois além das palestras, todos os estandes apresentaram muitas novidades utilizadas no dia-a-dia da construção civil. Enfim gostei de tudo”, diz as estudante.

A mesma opinião teve o mestre de obras, Washington Frank. Para ele, a ConstruFESP foi uma excelente oportunidade para conhecer os novos produtos e equipamentos e ficar por dentro do que existe de novo no mercado da construção civil.

“Foi muito bom. Gostei do sistema apresentado por Furnas, que detecta defeitos nas estruturas das obras, uma tecnologia inovadora para o mercado, e achei muito interessante a massa de cimento que já vem pronta pra uso”, disse.

O operador de vendas da Biomassa Brasil, Felipe Rodrigues Takehashi, que participou pela primeira vez da ConstruFESP, também elogiou a organização do evento e disse que ficou muito satisfeito com o resultado. 

“A principio pensávamos que a feira fosse voltada para o público universitário, mas ao chegar aqui tivemos a surpresa de consumidores finais, construtores e mestres de obras também estarem presentes. Um público bem maior e diferenciado do que esperávamos”, ressalta o operador, que apresentou na Feira a bisnaga que substitui a massa de cimento convencional para construção de paredes e muros. Um produto já pronto para a aplicação e que promete facilitar o trabalho do pedreiro, uma vez que não usa areia, cimento ou qualquer outro produto. 

O gerente do centro técnico de ensaios e suporte à manutenção, da empresa Furnas Centrais Elétricas, Jorge Eduardo Teles Azevedo, fala da importância da feira para a interação entre empresas, profissionais e alunos. Ele ressalta que a estatal tem uma bagagem extensa de conhecimento e a ConstruFESP possibilitou disseminar este conhecimento e as novas tecnologias nas mais diferentes áreas da construção civil. 

“É importantíssimo a oportunidade que está sendo dada aqui neste evento, para a divulgação do conhecimento e das novas tecnologias. Importante também é a interação que a faculdade faz em relação a produção, a questão da prestação de serviços e conhecimento de novos produtos”.

O integrante da comissão organizadora do evento, Anselmo Figueiredo e o Coordenador do curso de Engenharia Civil da FESP, Ivan Francklin Júnior, concordam ao falar que a feira cumpriu o seu papel na divulgação de novas tecnologias, na reciclagem e conhecimento para os profissionais da área e comunidade em geral.

“A feira este ano veio mais atraente, pois havia mais expositores e com isso muitas novidades para o setor foi apresentado. Mais uma vez conseguimos atingir os nossos objetivos nesses três dias da feira; com relação ao público participante, às atrações e a participação das empresas,” finaliza Francklin.

A ConstruFESP é evento integrante do FESP Inova 2013, organizado pela Fundação de Ensino Superior de Passos. O FESP Inova é um evento em inovação tecnológica, com difusão de conhecimento nas mais diversas áreas, com eventos paralelos que mobilizaram todos os cursos da fundação durante toda a semana passada. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos foi contemplada com um aporte financeiro da ordem de R$ 100mil, viabilizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG) para a criação de um Centro Regional de Triagem, Reuso e Descarte de Resíduo Eletrônico.  O projeto está em fase de licitação para compra dos equipamentos como bancadas, ferramentas e balanças e a previsão é de que comece a funcionar ainda este ano. “O local está praticamente definido, teremos uma área de aproximadamente 200 m² e vamos começar atendendo o público interno, em seguida será aberto para toda a região”, explica o professor Alessandro de Castro Borges, coordenador do curso de Sistemas de Informação da FESP. 

Dados da ONU apontam o Brasil como um dos maiores produtores de lixo eletrônico no mundo, com uma produção de 1 milhão de toneladas por ano, ficando próximo ao que é produzido na China, que produz 2,3 toneladas e aos Estados Unidos que produzem de 3 a 4 toneladas ao ano.

Além disso, a Política Nacional de Resíduos Sólidos determina uma logística reversa em apenas alguns produtos eletrônicos, cujo descarte deve ser feito pelas fábricas dos produtos, mas, na prática esta determinação não é eficiente, uma vez que depende da ação do consumidor, para devolver os produtos. 

O descarte incorreto do lixo eletrônico pode causar sérios impactos ambientais, como poluição do ar, contaminação de solo, lençóis freáticos, fauna e flora, além de representar riscos à saúde humana. “Muitas pessoas que sobrevivem de lixões muitas vezes fazem manejo inadequado, como, por exemplo, quando tentam derreter algumas peças, o que pode causar uma contaminação ainda mais grave”, alerta o professor. 

O desafio do que fazer com a sucata eletrônica foi tema de palestra do III FESP INOVA, evento científico realizado durante esta semana, que trouxe a Passos a professora Neuci Bicov Frade, responsável técnica pelo Centro de Reuso e Descarte de Resíduos de Informática (CEDIR) da USP.

Neuci chamou a atenção para a questão do consumismo desenfreado de equipamentos de informática que cresceu significativamente nas últimas décadas, um dos pontos principais a serem combatidos em ações voltadas para a redução do lixo produzido. “Se você continuar consumindo tudo o que se consome hoje, não tem planeta para tudo isso e não se consegue reciclar na mesma proporção em que se consome”, alerta a professora. 

O CEDIR é o único centro público do país a desenvolver ação voltada ao destino de lixo eletrônico e recebe 12 toneladas mensais de materiais. “A gente recebe o material, faz a verificação, a separação, os que têm condição a gente cede para entidades sociais para que eles nos devolvam depois e os eletrônicos que não têm condição de uso e a gente envia para os recicladores de cada tipo de material”, explica a coordenadora do centro da USP. 

O trabalho desenvolvido pelo CEDIR foi referência no projeto de criação do centro da FESP. No início do mês, estudantes e professores da FESP visitaram a USP para conhecer as etapas de funcionamento do centro, desde coleta e separação de componentes à remontagem de máquinas para reuso. “Da mesma forma, vamos coletar, identificar, separar as peças, montar os equipamentos que ainda podem ser reutilizados e separar o que for descarte e também vamos fazer o empréstimo de máquinas a instituições sociais de Passos e da Região, acompanhando o funcionamento dos computadores para que, quando estes também estiverem sem condições de uso, sejam devidamente descartados”, explica o professor Alessandro de Castro Borges. 

Máquinas de reuso serão usadas por entidades sociais

Além de reduzir o problema do volume de entulho, aumentar a sobrevida dos aterros e evitar impactos ambientais, a criação do Centro Regional de Triagem, Reuso e Descarte de Resíduo Eletrônico da FESP tem como objetivo ceder computadores remontados a instituições sociais. 

A exemplo do trabalho desenvolvido em São Paulo, a FESP também já realiza este tipo de doação-empréstimo de equipamentos a instituições regionais sociais e pretende ampliar este serviço através da remontagem que devera ter um aumento com o centro. “Nós já cedíamos nossos equipamentos usados em forma de comodato, agora com o centro, poderemos ajudar mais instituições sociais porque com o material a ser coletado com o centro”, explica o coordenador Alessandro. 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Empresários do Estado de Minas Gerais participaram de uma rodada de negócios promovida pela parceria entre SEBRAE e a FESP. A Agenda de Relacionamento aconteceu dentro da programação do III FESP Inova e contou com empresários de 15 cidades mineiras que vieram conhecer e fazer negócios com os lojistas do pólo de confecção da cidade. 

A responsável pelo SEBRAE para a microrregião de Passos, Fabiana Rodrigues Rocha, contou que essa é a primeira edição da agenda na cidade e que o resultado deve superar a expectativa de vendas. “Recebemos as empresas da indústria de confecção, que são as ofertantes, mostrando seus produtos para 15 empresas do estado. Tivemos moda feminina, masculina, infantil e lingerie já disponíveis para vendas de Natal. Recebemos empresários de Belo Horizonte, Varginha, Piumhi, Medeiros, Bambuí e diversas outras”, comenta a analista que justificou a importância do evento como sendo uma abertura de novas pontes de comércio. “É um momento de gerar negócios e trocar experiências. As empresas convidadas não conheciam o pólo de confecção de Passos, então, é uma oportunidade de expor a cidade e seus produtos e, também é a chance dos lojistas do estado aproveitarem o contato. O que estou percebendo é que eles estão gostando porque são produtos diferenciados e com preços competitivos. Tiramos as impressões de que os produtos das confecções da cidade têm altos preços.”, defendeu a analista.

Márcia Elen Lopes, empresária de Janaúba, comprovou a qualidade dos produtos e se surpreendeu com o potencial da região. A comerciante e saía da primeira parte do encontro com planos de compras. A empresária Elisabeth de Faria Namitala, da cidade de Medeiros (MG) também aproveitou a ocasião para conhecer os produtos passenses. “Abri meu próprio negócio e o SEBRAE foi a ponte para que eu chegasse aqui. Conheci os produtos mais cedo e estou visitando as lojas. Achei tudo muito bonito, as peças são bem acabadas e é barato. Vou voltar para comprar mais”.

A presidente da CDL São Francisco de Minas Gerais veio negociar a compra que vai dar início ao seu novo investimento. “Estou aqui como lojista hoje, procurando novidades porque eu tenho experiência com calçados, mas estou entrando no setor de confecção agora. Gostei da qualidade, da variedade e do preço. Já fechei alguns negócios e até o fim do dia ainda pretendo fazer mais uns 3 ou 4. O que eu acho mais interessante é a idéia de promover a cidade por parte dos comerciantes. Achei a iniciativa muito bonita e é um exemplo a ser seguido: vender a própria cidade”, disse Elaine Rodrigues Oliveira Santos.

A empresária, Daniana Silva Andrade Chacon, gerente da loja Dhamas, aprovou a iniciativa como uma forma de fomentar o comercio atacadista de Passos. “Eu achei ótima a iniciativa do SEBRAE de trazer novos clientes para gente. Fazemos preços especiais de atacado, fazemos cadastro para mandar os materiais da loja e esperamos manter este relacionamento”, avalia. 

A comerciante Andrea Simão Rocha, proprietária da Azarrara Lingerie, renovou a lista de contatos e definiu a Agenda de Relacionamento como um meio de conquistar um mercado variado. “Esta é uma oportunidade brilhante para fazer novos contatos, conseguir clientes e parceiros. Senti no olhar das pessoas uma recepção muito positiva e interesse, por exemplo, daqueles que não trabalham com lingerie e passaram a se interessar e fazer uma compra. Foi formidável e espero fechar bons negócios não só hoje, mas manter vínculo”, relata.

Ainda segundo Fabiana Rodrigues Rocha, o SEBRAE participa da jornada do III FESP Inova com o objetivo e reafirmar a relevância da postura inovadora das empresas para alcançar sucesso pleno. “Hoje, para que as empresas se tornem competitivas, elas precisam inovar o tempo todo. Esse evento grande que a FESP está realizando não é proveitoso só para os alunos, é também vantajoso porque dá essa abertura para o comércio local. Trouxemos empresários da região para expor suas trajetórias justamente para motivar o seguimento”.

Na terça-feira aconteceu o “Inovar para Crescer”, realizado pelo SEBRAE dentro do cronograma do III FESP Inova. O seminário discutiu com os empresários de Passos e região os mais avançados modelos de gestão, propondo novas estratégias de negócio no sentido de potencializar bons resultados.

Segundo a coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, esta é também uma oportunidade que os acadêmicos da FESP receberam para participarem de uma vivência real do mundo dos negócios. “Foram apresentados casos de sucesso de empresas que se sobressaíram no cenário comercial, como o Clube da Casa, RAPEH e Mazé Doces. Entendemos que esta exposição foi o primeiro contato com a realidade que muitos deles terão quando se formarem profissionais”, ressaltou a professora Marisa da Silva Lemos, mediadora da parceria com o SEBRAE.

O Seminário teve o seu painel de abertura moderado por Inocêncio Magela e a palestra “Endeavor”, seguido então pela exposição “Cultura de Inovação” feita por Charles Bezerra, um dos maiores cientistas da inovação do Brasil, Ph.D. pelo Illinois Institute of Technology, conhecido como “The New Bauhaus”. Bezerra trabalhou como executivo em empresas multinacionais, como Steelcase e Motorola, e representa uma nova onda de pensadores capazes de articular o conhecimento de várias disciplinas, sintetizar tudo de uma forma simples e lógica que nos ajuda a avançar com conforto em meio a tanta incerteza. Já lecionou sobre inovação e design em universidades no Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia. Charles é representante da America Latina no DMI Advisory Council e é autor dos livros “O Designer Humilde” lançado em 2008; e “A Máquina de Inovação: mentes e organizações na luta por diferenciação” – lançado em 2010 pela editora Bookman.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  novembro 2020  >>
seteququsedo
2627282930311
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30123456