Rita de Cassia Oliveira, graduada em ciências Biológicas pela FESP em 2012, começou, no ano passado, a sua pesquisa de Mestrado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). 

A bióloga estuda biomarcadores relacionados à angiogênese no carcinoma renal de células claras (câncer de rim). Utilizando amostras de biopsias de tumores renais, a pesquisadora analisa material genético, verificando a expressão de 7 genes e 12 micro RNAs (que são uma classe de RNAs não codificantes de função regulatória, que podem desencadear uma repressão ou superexpressão do gene). Após essa primeira fase, Rita vai correlacionar a expressão destes com o grau do carcinoma. 

“Meu trabalho é relevante pelo fato de que se conseguirmos fazer essa correlação poderemos estabelecer métodos menos invasivos para avaliar a progressão dessa doença, visto que os métodos atuais são invasivos. Se descobrirmos um marcador molecular eficiente para detectar o grau do tumor, e se ele vai invadir outros órgãos, isso poderia poupar o paciente de passar por uma biopsia na fase de investigação da doença, pois esses marcadores podem ser encontrados no sangue ou na urina”, explica.

A dissertação de mestrado deve ser defendida até o fim de 2015 e provavelmente a pesquisa será continuada na tese de doutorado da bióloga. “Meu projeto é apenas para identificar a expressão dos genes e dos micro RNAs nos tecidos tumorais a fim de correlacionar agressividade da doença. A conclusão da pesquisa estará em uma fase bem mais avançada da que eu gostaria de estudar no doutorado. Chamamos de prognóstico a capacidade de avaliar antecipadamente a progressão da doença, o impacto do meu trabalho será diretamente nesse ponto, já que nosso objetivo é poder prever a agressividade de acordo com a superexpressão ou subexpressão de determinados genes”.

A egressa esteve envolvida com pesquisa científica desde seu primeiro ano de graduação na FESP. “Sempre gostei muito e sempre soube que meu lugar era na bancada. Os meus professores da FESP me incentivaram e ajudaram muito. Eu incentivaria todos os alunos que tenham vontade de seguir essa linha de trabalho, já que é uma carreira promissora. As descobertas feitas podem ajudar muitos pacientes no futuro”, finalizou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



O professor Moisés Coelho Castro, vinculado ao curso de Serviço Social da FESP desde 2007, foi aprovado para Mestrado em Direito da Universidade Estadual Paulista (UNESP), no campus de Franca (SP). Começando as aulas em março, o professor tem a previsão de defender sua dissertação em 30 meses.

“Meu projeto de pesquisa tem como tema ‘A inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho: um estudo das normas brasileiras à luz do Direito Internacional’. Esse projeto se insere na linha de pesquisa da UNESP: ‘Direito, Mercado e Relações Internacionais’, e tem como orientador o Prof. Dr. Daniel Damásio Borges", explicou.

Segundo Moisés, o projeto tem como objetivo verificar se o Brasil tem cumprido as normas internacionais relativas ao trabalho da pessoa com deficiência e se o Judiciário, especificamente, o Supremo Tribunal Federal, em sua jurisprudência, tem contribuído para a efetivação do direito ao trabalho dessas pessoas no país. Toda a pesquisa tem como referência o tema da inclusão.

Sobre os próximos passos dentro do universo acadêmico, o professor considera que é de suma importância o desenvolvimento de sua dissertação. “O Mestrado em Direito é imprescindível para a minha formação, pois meu objetivo é dar prosseguimento à minha carreira, também na área do Direito. Meu propósito é continuar meus estudos, o que inclui um futuro Doutorado em Direito”.

Advogado, especialista em Direito e Processo do Trabalho pelo Mackenzie, teólogo pelo Seminário Presbiteriano do Sul, Mestre em Teologia pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (Mackenzie), e graduado em Direito pela FESP, o professor justifica que a Fundação é o berço de sua experiência. “Indubitavelmente a FESP tem sido imprescindível para a minha formação acadêmica e profissional”.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A professora do curso de Nutrição da FESP, Jussara de Castro Almeida, conquistou o título de Doutora em Alimentos e Nutrição pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), defendendo a tese intitulada “Padrão de consumo de álcool: estudo epidemiológico no município de Passos (MG)”. A defesa aconteceu no dia 17 do último mês, tendo como integrante da banca examinadora a professora Dra. Juliana Alvares Duarte Bonini Campos, orientadora do trabalho; a professora Dra. Patrícia Petromilli Nordi Sasso Garcia; a Dra. Marisa Veiga Capela; o Prof. Dr. Raul Aragão Martins; e a professora Dra. Tânia Maria Delfraro Carmo, diretora do Núcleo Acadêmico da Saúde e Ciências Biológicas da FESP.

Sobre a participação na banca e acerca da proeminência do trabalho da professora, Tânia Delfraro falou com entusiasmo. “Foi com imenso prazer que participei da banca da professora Jussara! Ela desenvolveu e conduziu, com muita propriedade, seu estudo que tem uma temática de grande relevância científica, podendo subsidiar políticas públicas que visem à redução dos problemas decorrentes do consumo excessivo do álcool.  Com os resultados da pesquisa, a professora pretende trabalhar nos Núcleos de Saúde da FESP fazendo o rastreamento para detecção dos grupos vulneráveis e realizar ações educativas, trazendo contribuições para a melhoria das condições de saúde  da população de Passos e região”, explicou.

Segundo a recém-titulada, a FESP contribuiu decisivamente para sua conclusão de sua pesquisa. “O doutorado me proporcionou um amadurecimento enquanto pesquisadora. Esta qualificação faz com que eu me sinta apta para executar e/ou orientar novos trabalhos e contribuir de forma significativa na melhoria da qualidade vida das pessoas, o que é de fundamental importância para qualquer educador da área da saúde. Gostaria de registrar, a minha eterna gratidão à FESP pelo apoio e, em especial, à professora Tânia, por integrar a minha Banca Examinadora e me acompanhar nesse momento tão especial e vitorioso”, declarou a professora Jussara.

Sua tese se justifica pelo elevado consumo mundial de bebidas alcoólicas e pelos problemas médicos, psicológicos, profissionais e familiares decorrentes do uso excessivo dessas substâncias. Assim, considerando a importância dos estudos epidemiológicos para o direcionamento de políticas públicas que visem à redução dos problemas decorrentes do uso de álcool - que atua no sistema nervoso central e provoca mudança de comportamento e dependência – a pesquisadora desenvolveu o estudo com o objetivo de identificar o padrão de consumo de bebidas alcoólicas entre os moradores do município de Passos (MG), maiores de 18 anos de idade e sua associação com características sociodemográficas. “Trata-se de estudo do tipo transversal, com delineamento amostral probabilístico estratificado. Como instrumento de medida para avaliar o padrão de consumo de bebidas alcoólicas utilizou-se o Teste de Identificação de Desordens Devido ao Uso de Álcool (AUDIT), aplicado por meio de entrevistas telefônicas. Participaram do estudo 842 indivíduos, com média de idade de 42,9 anos, sendo 51,9% do sexo feminino. Dos participantes, 34% eram abstêmios, 43% apresentaram comportamento de beber moderado, 18,9% de beber de risco, 2,3% de alto risco e 1,9% de possível dependência”, explicou.

A professora concluiu que a maior probabilidade de beber de risco (população vulnerável) foi encontrada entre homens, com idades entre 18 a 34 anos, sem religião e trabalhadores. “O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é um problema de saúde pública. No Brasil, 12% da população apresentam problemas decorrentes do consumo excessivo de álcool. Em Passos (MG), observou-se elevada prevalência de comportamento de beber de risco e entende-se que este estudo pode nortear os gestores municipais quanto à realização de ações educativas visando à prevenção dos transtornos decorrentes ao consumo de bebidas alcoólicas, assim como, a redução da ingestão de álcool”, ainda completou a nutricionista.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos – FESP informa a seus alunos que o Programa Ciência sem Fronteiras lançou editais para novas chamadas para graduação-sanduíche. Ao todo são 20 países de destino: Reino Unido, Bélgica, Canadá, Holanda, Finlândia, Austrália, Nova Zelândia, Coréia do Sul, Espanha, EUA, Alemanha, França, Itália, Suécia, Noruega, Irlanda, China, Hungria, Japão, Áustria. As inscrições vão até 29 de novembro.

É obrigatório para todas as chamadas que os participantes tenham nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) igual ou superior a 600 pontos, em exames realizados no período de 2009 a 2013, apresentar teste de proficiência no idioma aceito pela instituição de destino e ter integralizado no mínimo 20% e, no máximo, 90% do currículo previsto para seu curso, no momento do início previsto da viagem de estudos. É necessário também cursar uma das áreas contempladas pelo programa.

Conforme relata a coordenadora deste programa na FESP, Marisa da Silva Lemos, os alunos não podem perder esta oportunidade de cursar um ano do curso de graduação nas melhores universidades do mundo. Experiência esta que trará um diferencial na formação acadêmica e profissional de nossos alunos.

Os alunos interessados em estudar no exterior através do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, poderão obter orientações através da Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, a CPEX, na Rua 3 de Maio, número 33, Centro de Passos – Telefone (35) 3529 – 8080. 

ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP - CPEX



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2020  >>
seteququsedo
2829301234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678