Bel Silveira, professora do curso de Moda e Design da FESP, defendeu a tese “No vai e vem do tear manual, Carmo do Rio Claro por designers e artesãos”, conquistando o título de Mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi, situada em São Paulo (SP). A defesa aconteceu no dia 26 de março e participaram da banca a Dra. Sonia Regina Fernandes, da Universidade de São Paulo; a Dra. Agda Regina de Carvalho, da Universidade Anhembi Morumbi; e a Dra. Anna Mae Tavares Bastos Barbosa, orientadora e presidente da comissão avaliadora.

De acordo com a recém-titulada, a relevância de sua pesquisa consiste na discussão profunda de como o design tem influencia na vida das pessoas e suas formas de trabalho. A pesquisa retrata o saber artesanal, seu papel na vida das pessoas e as relações entre designers e artesãos. “O design não se limita somente a estética visual de um produto, é uma atividade projetual, portanto faz parte do nosso cotidiano. Com este estudo, buscou-se registrar o processo produtivo e criativo da artesã e do designer nos teares manuais, bem como as influências da cultura local e das infiltrações culturais no produto regional, desenvolvidos por eles com seus códigos estéticos e comunicativos”, explica a professora.

A designer acredita que a FESP abriu os caminhos para que ela conseguisse esse novo título para sua carreira acadêmica. “Além dos recursos operacionais, a FESP, por meio de seus dirigentes, em especial o presidente do Conselho Curador Fabio Pimenta Esper Kallas, o diretor  Vivaldo Silvério e a coordenadora da Faculdade de Estética, professora Tania Delfraro, sempre me deu suporte, apoiou e me deu suporte”.

Ainda segundo Bel, que também é administradora, o desenvolvimento e defesa da pesquisa somam à bagagem profissional mais conhecimento e experiência.  “Acredito que o mestrado é parte do amadurecimento de um professor, uma vez que ele nos oferece uma visão mais ampla sobre a pesquisa, o que facilita a investigação acerca de inúmeros assuntos que temos à nossa disposição. Isso facilita o conhecimento específico e estruturado de um determinado tema. Deste modo, é possível aprofundar as discussões sobre as temáticas de interesse dos alunos, bem como mostrar a eles que a pesquisa científica deixou de ser parte somente parte da academia, sendo hoje, parte da prática nas empresas”, finalizou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


A professora do Núcleo de Saúde da FESP, Doutora Raquel Dully, teve outorgada a sua Menção Honrosa do Prêmio CAPES de Tese 2013, pelo trabalho “Em defesa da saúde da criança: o cuidado de enfermagem e o direito à saúde no contexto da atenção primária”, defendido em 2012, sob orientação da professora Débora Falleiros de Mello, do Programa de Pós-Graduação de Enfermagem em Saúde Pública da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto (USP/RP). O resultado foi publicado no Diário Oficial da União em outubro do ano passado.

Segundo a premiada, este é o reconhecimento do trabalho desenvolvido durante o período de doutoramento, de três anos e meio. Em documento divulgado, a CAPES diz que tem o objetivo de outorgar distinção às melhores teses de doutorado defendidas nos cursos de pós-graduação reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação. Participaram as teses selecionadas em cada uma das áreas do conhecimento e foram considerados na seleção os quesitos de originalidade,  inovação e qualidade. 

Ainda de acordo com a docente, a FESP contribuiu para o sucesso de sua carreira acadêmica desde sua graduação, quando oportunizou uma formação sólida e a participação em projetos de pesquisa e extensão, iniciando enquanto aluna. Posteriormente, já como docente, a FESP procurou incentivá-la a buscar a continuidade dos estudos, além de viabilizar o amadurecimento profissional, valorizando a atuação no tripé ensino, pesquisa e extensão.

Para a doutora, o Prêmio CAPES de Tese 2013 representa uma conquista importante e gratificante, incentivando-a a continuar o seu processo de aprendizado e de construção de conhecimento, em conjunto com alunos, colegas de trabalho, profissionais de saúde e usuários dos serviços de saúde, sempre de maneira compartilhada.

Sobre a Tese

Raquel Dully explicou que no doutoramento, sua pesquisa partiu da consideração de que as práticas de saúde necessitam ser fortalecidas com a atuação dos profissionais e dos sujeitos na construção de planos de responsabilização, para uma maior integralidade da atenção e do exercício do direito à saúde, destacando as ações em favor da criança pela sua vulnerabilidade.

Diante disso, o objetivo do estudo foi compreender as experiências de enfermeiros que atuam em unidades de saúde da família na perspectiva do cuidado e da defesa do direito à saúde, buscando novos subsídios para a constituição de práticas e saberes no contexto da atenção primária em saúde da criança. “Trata-se de uma investigação de natureza qualitativa, numa perspectiva hermenêutica, a partir de entrevistas semiestruturadas gravadas com enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF) no município de Passos (MG). Os resultados demonstraram que o desempenho do enfermeiro na ESF envolve comprometimento e aprimoramento de saberes e práticas para defender e proteger os sujeitos. Nesse processo, a iniciativa, a comunicação, a habilidade e a ação de defesa implicam no estabelecimento de interações intersubjetivas para efetivar o cuidado e a advocacia em saúde. Na saúde infantil os enfermeiros devem ser agentes públicos imbuídos de observação e intervenção para respeitar, proteger e efetivar os direitos humanos na proteção da saúde da criança de modo integral e longitudinal”, detalhou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



O professor Moisés Coelho Castro, vinculado ao curso de Serviço Social da FESP desde 2007, foi aprovado para Mestrado em Direito da Universidade Estadual Paulista (UNESP), no campus de Franca (SP). Começando as aulas em março, o professor tem a previsão de defender sua dissertação em 30 meses.

“Meu projeto de pesquisa tem como tema ‘A inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho: um estudo das normas brasileiras à luz do Direito Internacional’. Esse projeto se insere na linha de pesquisa da UNESP: ‘Direito, Mercado e Relações Internacionais’, e tem como orientador o Prof. Dr. Daniel Damásio Borges", explicou.

Segundo Moisés, o projeto tem como objetivo verificar se o Brasil tem cumprido as normas internacionais relativas ao trabalho da pessoa com deficiência e se o Judiciário, especificamente, o Supremo Tribunal Federal, em sua jurisprudência, tem contribuído para a efetivação do direito ao trabalho dessas pessoas no país. Toda a pesquisa tem como referência o tema da inclusão.

Sobre os próximos passos dentro do universo acadêmico, o professor considera que é de suma importância o desenvolvimento de sua dissertação. “O Mestrado em Direito é imprescindível para a minha formação, pois meu objetivo é dar prosseguimento à minha carreira, também na área do Direito. Meu propósito é continuar meus estudos, o que inclui um futuro Doutorado em Direito”.

Advogado, especialista em Direito e Processo do Trabalho pelo Mackenzie, teólogo pelo Seminário Presbiteriano do Sul, Mestre em Teologia pelo Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper (Mackenzie), e graduado em Direito pela FESP, o professor justifica que a Fundação é o berço de sua experiência. “Indubitavelmente a FESP tem sido imprescindível para a minha formação acadêmica e profissional”.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos – FESP durante os dias 01 a 06 de dezembro de 2013, na cidade do Rio de Janeiro, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, participou do Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental. O Diretor de Pós- Graduação, Pesquisa e Extensão, Professor Doutor Eduardo Goulart Collares, presidiu a Sessão Técnica do evento e apresentou quatro artigos científicos associados ao seu projeto “O Grande Minas”, sendo um deles apresentado na sessão oral. 

O Congresso é o maior evento na área de Geologia de Engenharia e Ambiental, e é realizado de forma bianual. Este ano foram apresentados diversos simpósios, dentre eles o Simpósio Brasileiro de Cartografia Geotécnica e Geoambiental; o Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais; o Simpósio Brasileiro de controle de erosão; o Simpósio de Obras de Infra-estrutura e investigações; o Simpósio sobre Resíduos Sólidos e Áreas Contaminadas; o Simpósio de Gestão Ambiental; Simpósio sobre Mineração e Materiais de Construção. 

O Professor da FESP, Eduardo Goulart Collares, foi convidado para coordenar uma das sessões técnicas do evento, denominada: Produção e Uso da Cartografia Geotécnica e Geoambiental no Planejamento Urbano e Regional. Conquistou a aprovação de quatro artigos para apresentação, sendo um deles na categoria apresentação oral, o que segundo Collares foi uma honra, pois pouquíssimos artigos foram selecionados para apresentação oral. Destacamos também que os professores Ana Carina Zanollo Biazotti Collares, Tereza Cristina de Faria Krauss Pereira e Romulo Amaral Faustino Magri, e vários alunos do Curso de Engenharia Ambiental - FESP foram co-autores dos trabalhos apresentados. 

De acordo com Eduardo Goulart Collares este evento corresponde ao maior encontro do país na área de geotecnia, onde os principais profissionais, pesquisadores, instituições públicas e empresas da área estão presentes, principalmente agora, com a recente aprovação da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, que envolve os conhecimentos técnicos da nossa área de atuação. Lá eu tive a oportunidade de apresentar parte dos dados do Projeto Grande Minas e o interesse do pessoal presente foi muito grande, pois trata-se de um trabalho pioneiro no Brasil. 

TEXTO ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  janeiro 2021  >>
seteququsedo
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
1234567