O projeto de extensão “Ensinando a Salvar Vidas: Capacitação de Professores em Primeiros Socorros” possui o intuito de qualificar professores de escolas públicas municipais em como proceder corretamente em casos de emergência médica. Em outubro de 2018, foi sancionada a denominada Lei Lucas, que obriga todos os professores da rede pública e privada a serem capacitados em primeiros socorros.

Sob coordenação do professor Mestre Mateus Goulart Alves, o projeto conta com a execução dos extensionistas Caio Fagundes Godinho, estudante do 6º período de Medicina, e Lays Figueiredo Inácio da Silva, estudante do 6º período de Enfermagem. Além disso, há o apoio da Liga de Urgência e Emergência da Universidade do Estado de Minas Gerais.

O curso será ministrado para todos os professores da rede pública municipal do município de Passos. O curso se desenvolve em etapas, com uma aula teórica e uma prática, na qual os docentes poderão “colocar a mão na massa”. Os trabalhos sobre primeiros socorros abrangem os temas: Ressuscitação Cardiopulmonar, Obstrução de Vias Aéreas por Corpo Estranho, Queimadura, Hemorragia, Queda, Fratura, Escoriação, entre outros temas de suma importância para o pronto atendimento de possíveis acidentados. As aulas acontecem no auditório do Educandário Senhor Bom Jesus dos Passos, nos dias 07/08 e 14/08, às 18h30.

Segundo relata um dos extensionistas responsáveis pelo projeto, Caio Fagundes Godinho, “De uma maneira geral, podemos dizer que o projeto tem uma grande importância para alunos e professores da rede pública, já que os professores estarão aptos a lidar com as situações de urgência que acontecem no meio escolar, podendo controlar a situação até a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)”.

O aluno do 6º período de Medicina também ressalta que o projeto possui uma importância para a Universidade, uma vez que ele serve para colocar a Instituição em evidência, demonstrando que o conhecimento aprendido dentro das salas de aula retorna à comunidade.

 “Para nós, alunos, que estamos ministrando o curso, o projeto faz com que nos aproximemos da comunidade e desenvolvamos novas habilidades, como trabalhar em equipe e falar em público. É recompensador, pois estamos, literalmente, ensinando a salvar vidas!”, conclui o estudante.