O Projeto Grande Minas União pelas Águas da FESP – hoje unidade UEMG de Passos – ganhou o grande prêmio da 2ª edição da Feira de Ciências e Inovações Tecnológica (Feicintec) realizada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas). 

O prêmio incentiva a criação, o planejamento e a execução de projetos de inovação e segundo o CREA-MG, foram mais de 130 projetos inscritos com propostas de inovação nas áreas de engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia. Os dez primeiros colocados foram premiados com valores entre R$ 2 mil e R$ 12 mil.

“Foi muito importante. Competimos com 138 projetos das principais instituições de ensino e pesquisa do Estado de Minas Gerais, dentre elas a UFMG, UFLA, UFTM e INATEL e os trabalhos lá apresentados foram de altíssima qualidade, dentre eles muitos protótipos que já foram ou que serão patenteados. Um aspecto muito importante é que conseguimos passar aos avaliadores uma nova concepção para lidar com o planejamento e gestão ambiental em uma bacia hidrográfica”, avalia o coordenador do projeto Grande Minas, professor Dr. Eduardo Goulart Collares. 

O Presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas elogiou o empenho da equipe do projeto e chamou a atenção para a importância pedagógica do Grande Minas. “Ficamos muito orgulhosos em ver mais este reconhecimento aos nossos alunos e corpo docente. O projeto Grande Minas se destaca não só pela relevância social, mas também pela importância pedagógica, pois mobilizou estudantes, professores, pesquisadores e técnicos das mais diversas áreas na busca por soluções de um dos maiores desafios ambientais que é o uso da água”, afirma o diretor da unidade UEMG de Passos, professor Fabio Pimenta Esper Kallas. 

A entrega do prêmio de R$12 mil para o projeto da FESP – hoje unidade da UEMG de Passos - foi feita pelo engenheiro civil Jobson Andrade, presidente do CREA-MG. “As novas tecnologias são geradas nas escolas, por isso voltarmos a nossa atenção para as instituições de ensino é tão importante. A Feira é uma oportunidade ainda de promover o intercâmbio de conhecimentos”, disse o engenheiro. 

Quarenta trabalhos finalistas foram expostos durante a feira em uma proposta de integração entre profissionais, docentes e estudantes de diversas regiões. Pelo menos 200 estudantes universitários e de cursos técnicos participaram da exposição. A seleção foi feita por uma comissão de professores e profissionais do CREA com base nos relatórios de resultados quantitativos e qualitativos dos projetos. 

O GRANDE MINAS

O projeto “Grande Minas União pelas Águas, o Zoneamento Ambiental dos Afluentes Mineiros do Médio Rio Grande” começou em 2010 e envolveu mais de 50 profissionais em um estudo aprofundado que teve como resultado um banco de dados com todas as informações necessárias para planejamento de uso sustentável da água em 22 municípios que integram a bacia. 

O material será usado para elaboração, pelo Comitê de Bacia GD-7, do Plano Diretor de planejamento e gerenciamento dos recursos hídricos de forma sustentável, atendendo às exigências da Política Nacional de Recursos Hídricos. “A proposta do Projeto Grande Minas é estabelecer instrumentos que possam contribuir para a gestão ambiental e dos recursos hídricos em bacias hidrográficas. O zoneamento ambiental pode funcionar como um braço de apoio aos comitês de bacia na gestão das águas”, ressalta o coordenador do projeto, professor Eduardo Collares.

O trabalho foi desenvolvido através de parceria entre a Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG-Unidade Passos), ADEBRAS, Comitê CBH-GD7 e Governo de Minas.

Aprendizado

A apresentação do trabalho durante a feira foi feita pelas alunas de engenharia ambiental da Fundação de Ensino Superior de Passos, Thais Cristina Souza Lima, Ana Cláudia Pereira Carvalho e Ana Paula Pereira Carvalho. “Fazer parte do Projeto Grande Minas representou uma oportunidade única, ganhei experiências em áreas específicas da atuação do Engenheiro Ambiental, como o uso de técnicas de geoprocessamento; zoneamento ambiental e gestão dos recursos hídricos o que auxiliará a minha atuação no mercado de trabalho. Além disso, desenvolvi a capacidade de me expressar em público e também da escrita cientifica, o que despertou o interesse pela área acadêmica, resultando no ingresso em curso de Mestrado”, relata a estudante Monique Neves.

Para a estudante Ana Cláudia Pereira Carvalho, o projeto foi decisivo nas escolhas profissionais que fizeram. “Participar do Projeto foi fundamental na escolha de fazer um mestrado, além do mais estes quatro anos dedicados a pesquisa proporcionaram  um aprendizado grandioso, considerando o crescimento técnico e científico agregados a inúmeras experiências adquiridas neste período”, afirma. 

Já a estudante Ana Paula Pereira Carvalho, o trabalho em equipe foi o ponto alto do projeto. “Esses anos de trabalho no projeto proporcionaram grandes experiências na área técnica e científica, um dos maiores aprendizados adquiridos é o trabalho em equipe, todos integrantes realizam suas atividades de forma harmônica auxiliando uns aos outros, fazendo com que os produtos sejam gerados com altíssima qualidade”, afirma. 

Continuidade

De acordo com o coordenador do projeto Grande Minas, professor Eduardo Goulart Collares, o zoneamento ambiental está concluído, mas o projeto ainda terá outras etapas importantes pela frente. “A partir de agora precisamos trabalhar em dois pontos: o primeiro é realizar a implementação dos resultados do zoneamento na bacia do rio grande, e para isto precisamos realizar projetos para a efetivação desta ação. Alguns projetos de mestrado e de iniciação científica já estão sendo propostos neste sentido; o segundo é mobilizar outros comitês de bacia para realizarem os seus zoneamentos ambientais e dar o apoio necessário para que isto possa ser efetivado”, afirma.

FONTE: Núcleo de Comunicação e Marketing Unidade Passos



Três estudantes da FESP - hoje UEMG Unidade de Passos - foram aprovados para o programa “Ciência sem Fronteiras” e vão passar um ano estudando nos Estados Unidos. Maria Gabriela Gonçalves Reis, Bruno Reis Silveira e Yasmin Polez Rocha são estudantes de Engenharia Civil e agora fazem parte do grupo da instituição - cada vez maior - de alunos aprovados no programa de intercambio internacional. Até hoje, 17 alunos dos cursos da FESP já foram selecionados.

Os nomes das universidades onde cada um deles irá estudar serão definidos em 2015, com o início das aulas previsto para o segundo semestre.

Para a Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras, professora Marisa da Silva Lemos, o sonho de estudar no exterior pode ser uma realidade bem próxima, basta observar as oportunidades e a abertura dos editais divulgados pela instituição e pela página do Programa do governo federal. Marisa ressalta as oportunidades que o “Ciência sem Fronteiras” oferece aos alunos. “Poder cursar a graduação nas melhores universidades do mundo, agrega valor a vida profissional e pessoal de nossos alunos. Eles terão em mãos, a grande oportunidade de conhecer o mundo e ampliar os horizontes na sua formação acadêmica. Desejo toda sorte para mais estes três alunos que tiveram a coragem de sair da sua zona de conforto e enfrentar o mundo”, disse.

A Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP – CPEX é responsável pelo Programa Ciência sem Fronteiras na instituição e acompanha os alunos neste processo. “Nossa expectativa é conquistar o maior número de aprovação e acompanhar os estudantes é emocionante. Nossos alunos são comprometidos e determinados. Ao fazerem a inscrição persistem nos processos, mesmo quando estes são complexos e o resultado chega com muita precisão e alegria. Parabenizamos a todos os participantes do programa pelas conquistas alcançadas”, completa Étory Zaghi funcionário que acompanha os alunos durante os processos.

Os alunos interessados em se candidatar nos editais poderão entrar em contato com a coordenação para auxiliá-los no processo de candidatura. Local: Rua Doutor carvalho, nº 1147 / Passos. Telefones para contato: CPEX: (35) 3529 – 6033\ (35) 9811 – 8085.

Para participar do programa é necessário que o aluno preencha os requisitos exigidos pelo programa. É obrigatório para todas as chamadas que os participantes tenham nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) igual ou superior a 600 pontos, em provas realizadas no período de 2009 a 2014, apresentar teste de proficiência no idioma aceito pela instituição de destino e ter integralizado no mínimo 20% e, no máximo, 90% do currículo previsto para seu curso, no momento do início previsto da viagem de estudos. É necessário também cursar uma das áreas contempladas pelo programa e ficar atento as demais obrigatoriedades do edital.

FONTE: Núcleo de Comunicação e Marketing Unidade Passos



A Fundação de Ensino Superior de Passos - hoje unidade UEMG - divulgou nesta segunda feira (8), o resultado da 7ª. Edição do Festival Sabor de Passos, declarando como vencedor o prato “Fish Maria” criado pelo bar Passatempo Happy Hour, que faturou o prêmio de “Melhor Tira Gosto de Passos”. 

Os proprietários do Passatempo Happy Hour, o casal Sílvio Carneiro e Emilene Barbosa, dedicaram a vitória a todos os clientes que são os principais incentivadores na hora das criações dos pratos. "Trabalhamos muito para fazer um prato inesquecível que agrade ao paladar do nosso cliente. Queremos que as pessoas experimentem os pratos e voltem", comentou Emilene Barbosa, que também levou o título de melhor cozinheira do festival. 

Sílvio Carneiro completou dizendo que ao participar do Sabor de Passos, o movimento do bar aumentou com clientes novos e que sempre voltam. "Participamos de todas as edições do Sabor de Passos e até hoje temos clientes que pedem para provar pratos de anos anteriores e sempre voltam", comemorou.

Considerado o Festival Cultural Gastronômico mais famoso da região, o Sabor de Passos além de oferecer pratos incríveis também movimenta as noites passenses, gerando inúmeros empregos diretos e indiretos e ainda oferece a prática do conhecimento para alunos de diversos cursos da UEMG que fazem avaliação de práticas nutricionais, acessibilidade, aplicação de Marketing e outros. 

A premiação foi uma festa realizada no Centro Integrado de Recreação e Esportes (CIRE) e contou com a participação dos proprietários dos estabelecimentos participantes, atendentes, auxiliares, cozinheiros e outros colaboradores. 

A coordenadora do evento, professora Heliza Faria, ressalta o grande salto que ocorreu nesses 7 anos do festival. "Foram grandes melhorias que ocorreram nos estabelecimentos. Houve melhorias nos banheiros, acessibilidade, atendimento e a valorização dos profissionais como garçons, cozinheiros e de todos que trabalham neste ramo”, enfatiza. 

Segundo dados informados pelo IPFESP - Instituto de Pesquisa da FESP - responsável pela apuração dos votos, ao longo das 7 edições do festival cerca de 60 bares e restaurantes participaram do evento produzindo aproximadamente 25 mil pratos, somando mais de 100 mil votos nas cédulas de participação popular que pontuou: apresentação do prato, sabor, higiene/organização, criatividade, atendimento, banheiro e o melhor atendente do ano.

Já a premiação técnica de Melhores Práticas Nutricionais e Melhor Acessibilidade foram auferidas pelos alunos e professores dos cursos de Nutrição e Engenharia Civil, respectivamente.

Em nome da FESP a professora Cibele Kallas fez questão de parabenizar a todos os concorrentes e as equipes que trabalham no evento. “É com muita satisfação que participamos deste festival. Parabéns a Heliza, a equipe da comunicação, a equipe da engenharia, a equipe da nutrição e a todos os envolvidos neste Festival que caiu no gosto popular e que todos os anos é prestigiado pela população de Passos e região. Esperamos que a UEMG, dê continuidade a este e tantos outros projetos criados e desenvolvidos pela FESP que só trazem benefícios para a comunidade", frisou.

Além dos prêmios por categorias, os bares participantes receberam troféu de participação e o relatório detalhado de notas, resultados e opiniões de jurados e público sobre o desempenho do estabelecimento durante o festival. Este documento é uma importante fonte de informação para os participantes, que conseguem analisar com precisão, onde mais erraram ou acertaram.

Confira abaixo o resultado do Sabor de Passos 2014:

Melhor Tira Gosto de 2014: Fish, Maria! do Passatempo Happy Hour 

Melhor Cozinheira: Emilene Barbosa do Passatempo Happy Hour

Prêmio Especial do Juri: Primavera da Primus, da Primus 

Melhor Bar ou Restaurante: Esfiharia e Petiscaria Puro Sabor 

Prato Mais Criativo: Entre Tapas e Peixes, do Restaurante Esquinão da Onze

Melhor Prato inspirado na Cozinha Mineira: Chapei no Ava!, do Avalanches

Melhor Atendimento: Bar Tô no Trabalho

Melhor Banheiro: Sushi Lounge & Grill

Atendente do Ano: Paulo Soares, do Brasão Gastronomia

Melhores Práticas Nutricionais: Primus Pizzaria & Esfiharia

Melhor Acessibilidade: Prosa Mineira

Além da FESP, participaram da organização do evento a ACIP - Associação Comercial e Industrial de Passos e o Jornal Folha da Manhã. Apoio Cultural: Sign Maker Comunicação Visual, Rádio Ind FM, Ponto 10 Outdoor, Portal Virou Notícia, Guia Paparazzo, Sênior Uniformes e Polícia Militar de Minas Gerais.

FONTE: Núcleo de Comunicação e Marketing Unidade Passos



Com a proposta de trazer o regionalismo mineiro para o mundo fashion, o curso de Moda e Design da FESP, hoje unidade da UEMG, trouxe ao bloco 06 da universidade um desfile inovador, que buscou no passado e no artesanato uma coleção de encher os olhos com a temática “hand made” (feito à mão).

Dentro da disciplina projeto integrador da professora Maria Isabel Silveira o desafio para cada aluno era o de resgatar o crochê da vovó, o tear, as técnicas manuais e as inúmeras possibilidades de criação dentro do rico universo cultural das gerais. “A proposta é trazer a identidade mineira e individual de cada aluno, isso é algo muito importante para os designers de moda” comenta a professora. 

Modelos escolhidas pelos estudantes desfilaram diversas criações. “Eu me inspirei em meu pai alfaiate e em minha mãe que faz crochê, trabalhei com tecidos finos, ombreiras com fuxico e o crochê. Trouxe minha cidade Campo do Meio MG, uma cidade pequena e agradável, para as minhas peças. O curso me ajuda muito, principalmente porque já tenho um ateliê e trabalho com moda”, disse Ana Luiza Xavier aluna do 4º período.

Para avaliar os trabalhos, foram convidadas duas ex-alunas do curso, que ocupam lugares de destaque no setor confeccionista de Passos: Andrea Simão proprietária da Azarrara Lingerie, Marcia Calixto que trabalha no setor de qualidade da fábrica Reserva Natural e ainda para análise de cada criação, os estudantes contaram com Fabiana Rocha responsável pela regional SEBRAE da cidade. 

A professora responsável pela disciplina comentou a importância das profissionais presentes, “nossas convidadas fazem a apreciação dos trabalhos, são elas que dão um parecer sobre as criações assim como as dicas e as críticas para a construção do aprendizado, do conhecimento dos nossos alunos que estão em pleno processo de formação” afirma Bel.

Os futuros designers da moda souberam extrair o sentido do desafio, colocaram na passarela as lembranças da infância, as histórias de uma época distante onde a criatividade destacava o artista e suas mãos habilidosas. “Os alunos se saíram muito bem principalmente no aspecto do trabalho em equipe que é muito importante para os futuros profissionais da moda” disse Isabel Silveira feliz com o resultado.

Com cerca de 10 anos formando excelentes profissionais, o curso de Moda e Design de Passos se destaca no mercado de trabalho e atrai inúmeros empresários que buscam alunos para estágio e profissionais para criações e inovações na moda. 

FONTE: Núcleo de Comunicação e Marketing Unidade Passos



O Núcleo de Inovação Tecnológica da Fundação de Ensino Superior de Passos, agora UEMG-Unidade Passos, acaba de entrar para o Relatório Anual do Ministério de Ciência, Tecnologia. O núcleo é registrado com o nome NIT-FESP e tem como objetivos principais a disseminação da cultura de inovação dentro da universidade e a consequente proteção da propriedade intelectual desenvolvida pelos professores e alunos na instituição, o que culmina na interação Universidade, Poder Público e Empresa. 

O grupo gestor do núcleo é composto pela coordenadora professora Marisa da Silva Lemos, pelo professor Eduardo Goulart Collares, o professor César Vilela Aquino e a bolsista em Gestão de Ciência e Tecnologia da FAPEMIG, a advogada Nathália Lemos Vasconcelos.

De acordo com a professora Marisa Lemos, os Núcleos de Inovação Tecnológica são considerados os “novos propulsores” da economia nacional, e, portanto, os órgãos governamentais tem interesse de realizar monitoramento das ações e atividades dos mesmos, já que estes estimulam o desenvolvimento econômico. 

“O Governo Federal por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação institui o FORMICT – Formulário para Informações sobre a Política de Propriedade Intelectual das Instituições Científicas e Tecnológicas do Brasil, sendo um diagnóstico das atividades realizadas pelos NIT’s de todo o Brasil”, explica a professora. 

Desta forma, segundo ela, em atendimento à política de Propriedade Intelectual atual, o Núcleo de Inovação Tecnológica da FESP enviou no início deste ano o relatório de suas atividades realizadas no ano 2013.  

O Relatório – FORMICT 2013 acaba de ser publicado e divulgado no site do Ministério (www.mct.gov.br/formict) com dados do NIT-FESP, junto aos NIT’s das mais renomadas e conceituadas Universidades Federais do país.  

O documento descreve que “a participação das instituições Cientificas Tecnológicas (ICT) no processo de proteção do conhecimento e contribuição para a inovação tem crescido sistematicamente. A Missão das ICT tem evoluído para participarem na cadeia de inovação, colaborando para o desenvolvimento econômico e social do país”. 

“A divulgação dos dados do Formict é de grande importância para o NIT-FESP e para a Universidade, uma vez que coloca a Instituição no cenário nacional como uma das contribuidoras para o desenvolvimento econômico tanto regional quanto nacional. Ademais a partir deste registro as empresas e os próprios inventores passam a confiar no NIT-FESP para a criação de novos produtos e processos, para que possamos realizar mais atividades na área de Inovação em Passos”, avalia a advogada Nathália Lemos Vasconcelos, bolsista BGCT/ FAPEMIG. 

Mapa de distribuição dos NITs 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: Núcleo de Comunicação e Marketing Unidade Passos



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2019  >>
seteququsedo
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910