A Fundação de Ensino Superior de Passos FESP, no dia 20 de agosto entregou certificação de participação emitida pelo Ministério da Defesa aos estudantes e professores da instituição por participarem da última edição do Projeto Rondon 2014, "Operação Guararapes", no estado de Pernambuco, na cidade de Marial, entre os dias 17 de julho a 02 de agosto.  As Operações do Projeto Rondon ocorrem duas vezes ao ano, em janeiro e julho, num período em torno de 15 dias, os rondonistas ministram oficinas, palestras, capacitações, visitas técnicas, etc.

A entrega aconteceu na sala de Júri do Curso de Direito com a participação da professora Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, Marisa da Silva Lemos e do Coordenador do Projeto Rondon FESP, professor Itamar Teodoro de Faria. Na noite de entrega dos certificados, a equipe participante entregou a instituição FESP o troféu de participação na operação e foram apresentados pequenos vídeos com a descrição das atividades que foram realizadas. A entrega dos certificados contou com a presença do professor Gualberto Rabay que prestigiou a entrega do certificado para a aluna do Curso de Sistema de Informações Marina Rejane de Lima.

O Projeto Rondon é uma atividade de extensão universitária resultante da cooperação entre o Ministério da Defesa, instituições de Ensino Superior de todo o Brasil e a Prefeitura Municipal de cada localidade envolvida. De acordo com a Coordenadora Marisa da Silva Lemos, "estas ações de extensão contribuem para a formação do universitário como cidadão e estimula sua integração no processo de desenvolvimento social incentivando o sentido de responsabilidade coletiva e cidadania". O troféu e certificado de participação da FESP recebido do Ministério da Defesa foi entregue ao presidente do Conselho Curador Fábio Pimenta Esper Kallas. 

O Coordenador do Projeto Rondon FESP, Professor Itamar Teodoro Faria, comenta que "a entrega dos certificados de participação na Operação Guararapes do Projeto Rondon, encerra, com sucesso essa operação. É ocasião de alegria e comemoração na qual tanto a comunidade quanto nossos alunos e professores rondonistas se beneficiaram. Missão cumprida. Lição de Vida e Cidadania. Mais que Educação, compromisso com o Futuro".

Nesta operação do Projeto Rondon os participantes foram os professores Coordenadores, Rômulo Amaral Faustino Magri e a Professora Adjunta, Tânia Cristina Teles Oliveira e os alunos; Carolina Freitas de Andrade, Danilo Ferreira Soares, Laís Fernanda Silva Pádua, Lucas Leonidas Goulart Silva, Maíssa Terra Comparini, Marina Lopes Bonfim, Marina Rejane de Lima, Poliana Mara Reis Freire. 

FONTE: Texto escrito pela COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP (CPEX)



O Núcleo de Inovação Tecnológica NIT/FESP aprovou o projeto "Criação e Manutenção do Núcleo de Inovação Tecnológica das Faculdades Integradas do Sudoeste Mineiro FESP – NIT / FESP", na Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG. A proposta foi elaborada e submetida em maio de 2014 através da Coordenação do Núcleo, que foi instituído por portaria institucional em 2013.

O projeto aprovado receberá financiamento próprio durante 18 meses, estes recursos serão utilizados obrigatoriamente para o material de consumo e pagamento de uma Bolsa de Gestão em Ciência e Tecnologia. Esta vitória tem como objetivo incentivar a cultura de inovação e realização da proteção da propriedade intelectual do conhecimento científico produzido pela comunidade acadêmica na Fundação de Ensino Superior de Passos FESP.

De acordo com o Presidente do Conselho Curador da FESP, Fabio Pimenta Esper Kallas, é chegada a hora de colocarmos as universidades mais próximas do setor empresarial, oferecendo seu potencial para gerar tecnologia e soluções para o desenvolvimento de nossa cidade, estado e país. 

A proposta aprovada implementará medidas requeridas para dar sustentação aos processos e às ações de inovação tecnológica da FESP, acompanhar o processamento dos pedidos e a manutenção dos títulos de propriedade intelectual da instituição, zelar a manutenção da política institucional de estímulo à proteção das criações, licenciamento, inovação e outras formas de transferência de tecnologia.

Segundo Marisa da Silva Lemos, a evolução da criação do NIT/FESP se torna natural e necessária para a instituição, empresários e gestão pública da cidade de Passos e região. Através do Núcleo a FESP poderá oferecer apoio no que se refere à inovação tecnológica nestas três instâncias. 

O NIT/FESP tem como Coordenadora a professora Marisa da Silva Lemos, que é Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, como integrantes o professores Eduardo Goulart Collares, Diretor do Núcleo Acadêmico de Pós Graduação Pesquisa e Extensão, o professor acadêmico, Cesar Vilela de Aquino e a bolsista da FAPEMIG a advogada Nathália Lemos Vasconcelos.  Os interessados em obter maiores informações devem entrar em contato com a o Núcleo de Inovação Tecnológica / NIT FESP. Local: Rua Doutor Carvalho, nº 1147 - Bloco 2 – Bairro: Belo Horizonte / Passos - Telefones para contato: CPEX: (35) 3529 – 6032 – Sala NIT / FESP.

FONTE: Texto escrito pela COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP (CPEX)



Bel Silveira, professora do curso de Moda e Design da FESP, defendeu a tese “No vai e vem do tear manual, Carmo do Rio Claro por designers e artesãos”, conquistando o título de Mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi, situada em São Paulo (SP). A defesa aconteceu no dia 26 de março e participaram da banca a Dra. Sonia Regina Fernandes, da Universidade de São Paulo; a Dra. Agda Regina de Carvalho, da Universidade Anhembi Morumbi; e a Dra. Anna Mae Tavares Bastos Barbosa, orientadora e presidente da comissão avaliadora.

De acordo com a recém-titulada, a relevância de sua pesquisa consiste na discussão profunda de como o design tem influencia na vida das pessoas e suas formas de trabalho. A pesquisa retrata o saber artesanal, seu papel na vida das pessoas e as relações entre designers e artesãos. “O design não se limita somente a estética visual de um produto, é uma atividade projetual, portanto faz parte do nosso cotidiano. Com este estudo, buscou-se registrar o processo produtivo e criativo da artesã e do designer nos teares manuais, bem como as influências da cultura local e das infiltrações culturais no produto regional, desenvolvidos por eles com seus códigos estéticos e comunicativos”, explica a professora.

A designer acredita que a FESP abriu os caminhos para que ela conseguisse esse novo título para sua carreira acadêmica. “Além dos recursos operacionais, a FESP, por meio de seus dirigentes, em especial o presidente do Conselho Curador Fabio Pimenta Esper Kallas, o diretor  Vivaldo Silvério e a coordenadora da Faculdade de Estética, professora Tania Delfraro, sempre me deu suporte, apoiou e me deu suporte”.

Ainda segundo Bel, que também é administradora, o desenvolvimento e defesa da pesquisa somam à bagagem profissional mais conhecimento e experiência.  “Acredito que o mestrado é parte do amadurecimento de um professor, uma vez que ele nos oferece uma visão mais ampla sobre a pesquisa, o que facilita a investigação acerca de inúmeros assuntos que temos à nossa disposição. Isso facilita o conhecimento específico e estruturado de um determinado tema. Deste modo, é possível aprofundar as discussões sobre as temáticas de interesse dos alunos, bem como mostrar a eles que a pesquisa científica deixou de ser parte somente parte da academia, sendo hoje, parte da prática nas empresas”, finalizou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


O Auditório Professor Armando Righetto, Bloco 08 da FESP será, mais uma vez, o palco da noite de recital do Festival de Interpretação de Poesia. O evento, promovido pela FESP com a intenção de valorizar o estilo literário, vai acontecer nesta sexta-feira (22), a partir das 19 horas. 

Entre representantes de escolas públicas e particulares de Passos, estudantes irão recitar poemas em homenagem a Augusto dos Anjos, autor que comemora 100 anos de nascimento em 2014.

“O Festival de Poesia é um importante veículo impulsionado pela FESP para que a poesia brasileira e portuguesa seja destacada e valorizada. Em um mundo onde não temos muito tempo para ouvir e sentir, a união entre a fala e expressões, que combinadas soam com sonoridade, é uma excelente oportunidade de constatar que a nossa poesia vive nas escolas”, defende uma das coordenadoras do projeto, professora Leila Maria Suhadolnik Andrade.

Ainda segundo a organizadora do evento, o anexo 08 da FESP sempre fica lotado de estudantes, professores e familiares para assistir ao recital e torcer pelos participantes. “Todo o processo de preparação até chegar ao momento da apresentação é recheado de aprendizado e dedicação, por isso vemos tamanho sucesso deste Festival. Há um empenho maior em preparar os alunos para se apresentarem bem e valorizar os talentos natos que cada escola possui. Nem sempre é fácil fazer isto no cotidiano atribulado de aulas diárias. É preciso sensibilidade para buscar alunos que sentem necessidade de se expressar através da arte e destacá-los. As escolas que participam sabem fazer isto e o resultado surpreende!”, reforça.

De acordo com o regulamento oficial do Festival, o júri será composto por conhecedores de literatura, poesia e teatro, membros escolhidos pela comissão organizadora do evento. Serão concedidas medalhas e prêmio em dinheiro para os três primeiros colocados do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. 

A entrada é gratuita. O Auditório Professor Armando Righetto fica na Rua dos Funcionários, número 388.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG


A partir desta segunda-feira (18), uma equipe de professores e alunos da FESP vai ministrar palestras em 17 postos de saúde da família (PSF), em Passos, para levar informações sobre tipos de diabetes, prevenção, tratamento e cuidados com os pés dos pacientes. A ação faz parte da segunda fase do projeto de pesquisa “MONOFILAMENTOS DE SEMMES-WEINSTEIN: uma avaliação da sensibilidade protetora dos pés na prevenção da úlcera plantar e indicação do uso de palmilhas”, vinculado à Fundação de Amparo a Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG). 

A atividade educativa será desenvolvida até o dia 29 de agosto e, segundo a coordenação do projeto, sob responsabilidade da professora doutora Tânia Maria Delfraro Carmo e do professor, fisioterapeuta e acupunturista  Djalma Reis do Carmo, vai atingir mais de 2000 mil pessoas.

Ainda de acordo com os coordenadores, o projeto está sendo realizado em várias etapas e o objetivo principal é analisar os comportamentos de riscos associados à instalação de úlceras plantares nos portadores de Diabetes Mellitus, realizar o teste da perda da sensibilidade plantar, confeccionar e distribuir palmilhas protetoras, além de desenvolver ações educativas para diminuição dos riscos de instalação da úlcera plantar.

“Vamos contar com o apoio das equipes integrantes das unidades ESF’s e do NASF, da Prefeitura Municipal de Passos. As palestras acontecerão no período da manhã e da tarde, em diferentes bairros da cidade. Vamos exibir um vídeo de duração de 10 minutos, em seguida, a equipe executora do projeto falará sobre a temática e, depois teremos uma demonstração prática dos cuidados com os pés. Será servido no final de cada evento, um lanche com orientação nutricional para os participantes”, explicou a professora.

Fazem parte do projeto: quatro acadêmicas bolsistas dos cursos de Enfermagem e Biomedicina, três professoras, duas enfermeiras e uma nutricionista. Na primeira fase da pesquisa, foi levantado, junto aos portadores, o conhecimento sobre os fatores de risco para instalação de úlceras plantares e foi aplicado o teste dos monofilamentos de Semmes-Weinstein, que avalia a perda sensibilidade protetora dos pés. 

“Esta avaliação constitui um dos métodos mais simples, eficazes e de baixo custo para prevenção de lesões nos pés. Aplicamos em todos os portadores de diabetes cadastrados nas 17 ESF de Passos e que aceitaram participar da pesquisa. Vamos trabalhar o segundo passo e depois, na última fase do projeto, será realizado o teste de Plantigrafia Eletrônica ou Baropodometria para analisar as áreas de risco de instalação de úlcera plantar e deformidades nos pés. Aos portadores de áreas de risco de lesão plantar serão confeccionadas e distribuidas palmilhas de proteção dos pés”, elucida o coordenador Djalma Reis do Carmo.

Diabetes 

O pé diabético ou úlcera plantar é uma das complicações mais comuns entre portador de Diabetes Mellitus, tendo, como consequência, uma redução significativa na qualidade de vida dos indivíduos acometidos. “Isso acontece porque causa incapacidades e deformidades, podendo levar a amputação de dedos, do pé e de toda perna. A condição também gera elevado custo econômico para os serviços de saúde, problemas psicológicos e sociais para o indivíduo”, justificou a professora Tânia Delfraro, ainda comentando sobre o crescimento do número de atingidos pela diabetes no país. “O Brasil possui, atualmente, 5 milhões de portadores de diabetes, ocupando a 8ª posição em prevalência da doença no mundo, com estimativa de passar para a 6ª posição, chegando a alcançar 11,3% da população até 2030”.

Dessa forma, o projeto da FESP vem atender a necessidade de promover não somente a melhora na condição de pacientes que sofrem as consequencias da doença, mas também vem promover um alerta para a população acerca da gravidade das estatísticas.

“É preciso que os profissionais que integram as equipes das unidades das ESF’s estejam atentos aos sinais e sintomas da perda de sensibilidade a fim de tomarem medidas para evitar o risco de lesões nos pés. O diagnóstico precoce da diminuição da perda da sensibilidade, o tratamento oportuno e o autocuidado evitam a maioria das complicações”, completa Djalma.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  agosto 2019  >>
seteququsedo
2930311234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678