A egressa da 3ª Turma da Faculdade de Enfermagem e Obstetrícia da FESP, Dra. Ana Lúcia de Assis Simões, natural de Ituverava/SP, foi eleita no último dia 21 de maio, reitora da UFTM - Universidade Federal do Triângulo Mineiro. A notícia chegou até a FESP após publicação de matéria sobre a eleição da professora pelo jornal impresso Tribuna de Ituverava.

“Ficamos muito honrados em saber que uma egressa da FESP alcançou um cargo tão importante. A ascensão na carreira da Dra. Ana Lúcia vem ao encontro do que  sempre pregamos a cada colação de grau aqui na FESP: A formação superior não é o fim dos estudos e sim mais um passo importante na eterna estrada do saber”, comentou o presidente da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

Eleita com a maioria dos votos de alunos, professores e funcionários, a Dra. Ana Lúcia é a segunda enfermeira no Brasil a alcançar o cargo de reitora de uma Universidade Pública Federal.  

“A conquista da Dra. Ana Lúcia é mais uma prova da qualidade do curso de Enfermagem da FESP que ofereceu a ela e todos que por aqui passaram ao longo destes anos, o conhecimento necessário para dar continuidade em suas carreiras e alcançar voos mais altos, como no caso da doutora Ana Lúcia”, destacou a diretora do  núcleo acadêmico de Ciências Biomédicas e da Saúde da FESP, profa. Tânia Maria Delfraro Carmo.  

Formada pela Faculdade de Enfermagem da FESP em 1986, a Dra. Ana Lúcia faz parte da terceira turma de egressos da FEOPA – Faculdade de Enfermagem e Obstetrícia de Passos. Cursou mestrado e doutorado pela USP – Universidade de São Paulo -, e tem os cursos de especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica e Capacitação Pedagógica na área da saúde. Atualmente é vice-coordenadora do programa de pós-graduação Strictu Sensu (mestrado e doutorado) da UFTM, coordenou o Departamento de Enfermagem na Assistência Hospitalar e o curso de graduação em Enfermagem da UFTM. Foi vice-presidente da Fundação de Ensino e Pesquisa de Uberaba, realizou o curso para dirigentes universitários pela UFSC de Santa Catarina, é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Gerenciamento na Enfermagem e na Saúde e professora do curso de Enfermagem da UFTM. 

“O curso de Enfermagem, apesar de novo naquela época, contava com corpo docente competente e comprometido, e uma boa estrutura física, o que possibilitou a base sólida para o exercício da profissão. Após a conclusão do curso iniciei minha trajetória profissional e, desde 1990, estou vinculada à Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM, em Uberaba-MG, onde tenho vivenciado todas as dimensões da Enfermagem: a assistência, a gerência, o ensino e a pesquisa. Coordenei o curso de graduação em Enfermagem da UFTM por cinco anos”, explicou a Dra. Ana Lúcia

Há 23 anos trabalhando na Universidade Federal do Triângulo Mineiro, a Dra. Ana Lúcia dedicou 13 anos de sua carreira a atividades administrativas chegando ao cargo de vice-reitora da instituição e agora entra para a história da instituição que tem 60 anos de funcionamento como a primeira mulher a ocupar o cargo de reitora da Universidade.

Seu mandato à frente da reitoria da UFTM vai até 2018. “No cotidiano universitário, os desafios estão relacionados mais especificamente à gestão dos processos educacionais, à gestão de pessoas, à gestão financeiro-orçamentária, de patrimônio, aos aspectos da estrutura organizacional, ao alcance da sustentabilidade ambiental e à interlocução com a sociedade. Mas, em todo este contexto, em minha opinião, o maior desafio ainda é a formação de profissionais cidadãos éticos, críticos, humanizados, bem preparados técnico-cientificamente e responsáveis socialmente pela melhoria da qualidade de vida das pessoas”, destacou a Dra. Ana Lúcia. 

(Com informações do Jornal Tribuna de Ituverava)

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Formado pela FESP em Ciências Biológicas – Licenciatura – em 2009 e Ciências Biológicas  – Bacharelado – em 2011, o ex-aluno Maxwell Messias Ribeiro, 25 anos, deu mais um salto importante na sua carreira profissional com a conclusão do curso de Mestrado em Sistemas Aquáticos Tropicais (SAT) mantido pela Universidade Estadual de Santa Cruz, na cidade de Ilhéus, Bahia.

Maxwell explica que a área que escolheu para dissertação de seu mestrado está inserida na grande área da Ecologia, sobretudo Ecologia Aquática. A paixão por esta área de atuação foi confirmada segundo ele após ser indicado por uma das professoras da FESP, a Dra. Maria Cecília Picinato – atualmente professora na Universidade Federal do Pará – para um estágio no Instituto Oceanográfico da USP/SP onde estagiou por quatro meses conhecendo toda a rotina de pesquisas oceanográficas e estudos no mar. “Foi depois deste estágio que tive a certeza do que queria fazer na minha carreira profissional”, explicou ele.

De volta à FESP, após o estágio na USP, Maxwell escreveu sua monografia voltada para a Ecologia e Ecofisiologia de organismos aquáticos frente a possíveis contaminações ambientais sob a orientação da Dra. Maria Cecília e coorientação da Dra. Odila Rigolin de Sá. 

“Ele sempre foi um aluno dedicado, não saia do laboratório. Por três anos foi um dos responsáveis pelos nossos laboratórios, sempre o incentivamos a seguir com o mestrado e agora estamos na expectativa de sua aprovação para o Doutorado”, comentou orgulhosa a coordenadora do curso de Ciências Biológicas da FESP, Dra. Odila Rigolin de Sá.

Para Maxwell, o apoio e incentivo dos professores da FESP foi crucial para sua carreira. “Todos eles me incentivaram a seguir com os estudos principalmente a Dra. Maria Cecília, Dra. Odila Rigolin de Sá, a Me. Tânia Cristina Telles Oliveira, a Me. Nelci Stripari e o Me. Willian P. Graciano. Até hoje mantemos contato e ainda escrevemos artigos científicos juntos”, contou.

Ao falar sobre a importância de ter estudado na FESP ele concluiu: “A FESP, sem dúvida alguma contribuiu de forma decisiva para minha carreira profissional. Durante meus estudos de graduação, a Instituição sempre me possibilitou a oportunidade de vivenciar de perto a profissão "Biólogo" e crescer a cada instante. Através das incontáveis parcerias e indicações dos professores da FESP eu pude vivenciar a realidade profissional do biólogo em suas múltiplas áreas. O setor administrativo da FESP, na pessoa do professor Fábio Pimenta Esper Kallas, também foi de igual forma, fundamental para a concretização dessa carreira, atuando sempre de forma humanitária, descomplicada e proativa a cada petição realizada”, destacou.

Agora Maxwell se prepara para outro passo importante na sua vida, o doutorado. “Após finalizar a produção e publicação dos artigos resultantes do mestrado, pretendo dar sequência nos estudos iniciando o Doutorado em Ciências, Tecnologia e Gestão do Mar pelo Campus de Excelência Internacional do Mar (CEI Mar), Espanha. Para tanto, propostas de teses e orientações já têm sido estudadas”, informou.

Mestrado em Sistemas Aquáticos Tropicais

O curso abrange estudos voltados não apenas para a grande diversidade de ecossistemas aquáticos continentais, marinhos e de transição, mas também, para o conceito mais amplo de bacia de drenagem e micro ambientes aquático. 

Os estudos forçam a visão sistêmica destes ecossistemas, levando o mestrando a conhecer "O Todo" a partir do estudo "Das Partes" e suas interações. Atualmente, o mestrado em SAT conta com as seguintes linhas de pesquisa: 1) Ecologia de Comunidades e Ecossistemas Aquáticos Tropicais, 2) Gestão de Recursos Naturais, e 3) Diagnóstico e Remediação de Impactos ambientais.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



O aluno do curso de Engenharia Agronômica da FESP Bruno Brito de Almeida Rosa, 23 anos, desenvolveu um programa de computador que promete facilitar a vida de produtores de coelho. Trata-se de uma planilha que pode ser usada por pequenos criadores e proprietários de granjas para controle dos gastos de produção com todas as informações necessárias além de controle de custos. O programa está sendo difundido através da ACBC – Associação Científica Brasileira de Cunicultura (produção coelhos).

“O Bruno é mais um destes alunos que mostra paixão pelo que faz e se dedica a deixar a sua marca na história. Este programa desenvolvido por ele é o embrião de algo ainda maior que certamente ele desenvolverá ao longo de sua carreira e isso é muito bom. Fico muito feliz quando vejo um aluno da FESP colocando em prática o que aprendeu em sala de aula não apenas em benefício próprio, mas, a todos quanto interessarem. Ele está de parabéns”, disse o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

Como técnico em bem estar animal de monogástricos, Bruno conta que a criação do programa surgiu diante da necessidade de melhorar a qualidade de vida dos animais, que devem viver livres de desconforto, dor, fome, sede, ferimentos, doenças, medos e angústias para que possam expressar com liberdade seu comportamento natural. 

“Quando comecei a desenvolver o programa, busquei principalmente melhorar a qualidade de vida dos animais e para isso tive a ideia de desenvolver um programa onde o produtor pudesse acompanhar de maneira digital todas as informações sobre cada animal da granja. Muitos não acreditavam que conseguiria, mas hoje tenho a grata satisfação de ver meu programa sendo difundido através da ACBC – Associação Científica Brasileira de Cunicultura -, uma instituição aberta, sem fins lucrativos e que tem como principal objetivo estudar o aperfeiçoamento da criação de coelhos, estabelecendo  favorecendo o contato entre técnicos nacionais e internacionais para a troca de experiências ligadas a cunicultura”, esclareceu o estudante.

Cunicultura

A cunicultura trata da criação produtiva, econômica e racional do coelho. De acordo com o objetivo de cada produtor, a criação pode ser direcionada para: carne (caseira ou comercial);  pele (artesanatos ou peleterias); pelos (feltros de roupas ou acessórios); genética e melhoramento genético (venda de matrizes e de reprodutores); animais de laboratórios (testes de vacinas) ou animais de companhia (cunicultura Pet). 

A cunicultura oferece ainda diversos sub e coprodutos como o couro (indústria da moda e vestuário); as orelhas (produção de gelatina e petiscos para cães); as patas e a cauda (confecção de amuletos e chaveiros); o sangue (meio de cultura específico); o cérebro (purificação da tromboplastina); as fezes (adubação orgânica) e ainda a urina (veículo de perfumes). Enfim um produtor de coelhos tem varias finalidades de seu produto.

Na região, a cunicultura ainda é pequena, mas, pode ser uma fonte alternativa de renda principalmente para produtores rurais já que o custo da produção é relativamente baixo, não necessitando de muito espaço e de fácil entendimento. 

A planilha está disponível gratuitamente clique aqui 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Centenas de candidatos disputaram neste domingo (6) as 200 vagas disponibilizadas pela  FESP para o 2º Semestre de 2014. Segundo informações da coordenadoria de vestibular os cursos mais procurados foram Engenharia Civil e Administração de Empresas. No total, 897 candidatos se inscreveram para o vestibular e destes 537 confirmaram a participação na prova com o pagamento da taxa. A taxa de abstenção foi de apenas 2%. 

"A FESP na última década deu um salto de qualidade e quantidade de cursos. Nosso corpo docente metodologia de ensino se preparou e modernizou para receber estes novos alunos que tem sede de conhecimento e isso nos deixa orgulhosos. Ver estes candidatos disputando uma vaga na FESP através do vestibular é a maior prova de que nosso ensino tem qualidade", comentou o presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

Segundo informou a coordenadora do vestibular da FESP, o curso de Engenharia Civil foi o mais procurado com a relação de 5 candidatos/vaga, seguido de Administração de Empresas com 3 candidatos/vaga. A instituição ofereceu ainda vagas para os cursos de Gestão Comercial (Tecnólogo) e Ciências Biológicas (com ênfase em saúde pública), ambos no período noturno. 

A lista com o resultado do vestibular do 2º semestre 2014 está no portal da FESP www.fespmg.edu.br e no núcleo de vestibular. “É importante lembrar os classificados que a primeira chamada ocorrerá de 9 a 11 de julho e os candidatos excedentes ou de 2ª. Opção terão os dias 14 e 18 de julho para confirmar a matrícula. A relação dos nomes dos candidatos excedentes e de segunda opção ocorrerá diariamente no portal da FESP”, observou a coordenadora do vestibular Silvia Rodrigues.

Para os candidatos que não conseguiram se inscrever a tempo para o vestibular deste domingo, é importante entrar em contato com os atendentes do núcleo de vestibular da FESP a partir da próxima segunda-feira (7), para solicitar cadastro para aguardar na fila de cadastro de reserva. 

Em caso de desistências, a partir de 27 de julho terá início a 2a. etapa de matrículas para vagas remanescentes por meio de redação ou nota do Enem.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos – FESP/UEMG comemora 10 anos de participação no "Projeto Rondon". Desde 2005 a instituição contabiliza o envio de 25 operações com aproximadamente 200 alunos e 40 professores para diversos estados brasileiros. Todos os alunos e professores são voluntários, tendo como Coordenador Institucional o Professor Itamar Teodoro Faria.

Segundo o Coordenador do Projeto Rondon FESP, Professor Itamar Teodoro Faria, essa década de participação no Projeto é motivo de comemoração e celebração, principalmente porque efetiva, juntamente com as outras centenas de ações de Extensão Universitária da Instituição, o comprometimento maior da FESP, que é: Mais que Educação, compromisso com o futuro.

As Operações do Projeto Rondon ocorrem duas vezes ao ano, em janeiro e julho, num período em torno de 15 dias, os rondonistas ministram oficinas, palestras, capacitações, visitas técnicas, etc. Certamente, o impacto dessas ações nos municípios é enorme. Em cada município atuam equipes de duas IES diferentes. As ações desenvolvidas pelos rondonistas estão agrupadas em dois conjuntos: Conjunto A (que desenvolve ações nas áreas de Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde) e Conjunto B (que desenvolve ações nas áreas de Comunicação, Meio Ambiente, Tecnologia e Produção, Trabalho).

A próxima operação que a FESP participará será no estado de Pernambuco, na cidade de Marial / "Operação Guararapes" entre os dias 17 de julho a 02 de agosto. Os alunos atuarão nas áreas da saúde, direito, educação, comunicação social, cultura e lazer. As faculdades selecionadas são Agronomia, História, Administração, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Publicidade e Propaganda e Sistemas de Informação, da FESP.

Os participantes da Operação Guararapes do Projeto Rondon/2014 são Professor Coordenador, Rômulo Amaral Faustino Magri, Professora Adjunta, Tânia Cristina Teles Oliveira e os alunos, Carolina Freitas de Andrade, Danilo Ferreira Soares, Laís Fernanda Silva Pádua, Lucas Leonidas Goulart Silva, Maíssa Terra Comparini, Marina Lopes Bonfim, Marina Rejane de Lima, Poliana Mara Reis Freire. Todos levam a seu destino o cronograma das atividades para apoiar o desenvolvimento local e potencializar futuras ações sustentáveis na região onde irão atuar.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, Marisa da Silva Lemos declara "estas ações de extensão contribuem para a formação do universitário como cidadão e estimula sua integração no processo de desenvolvimento social incentivando o sentido de responsabilidade coletiva e cidadania".

Segundo o Presidente do Conselho Curador da Fundação de Ensino Superior de Passos, Fabio Pimenta Esper Kallas, a FESP, ao longo destes últimos 10 anos, criou uma cultura de criação e fortalecimento de projetos de extensão, visando com isto levar à comunidade ações que beneficiem em cultura, esporte, ciência e tecnologia ou lazer. Todos os projetos de extensão da FESP envolvem seus cursos e consequentemente seus alunos numa forma de ensino aprendizagem com a prática e com as experiências oriundas destes projetos. O Projeto Rondon tem este foco para colocar nossos alunos e professores em contato com as comunidades carentes de diversas regiões  do Brasil como forma de levar o conhecimento, ações e inovações para melhoria da vida destas comunidades e também criar em nosso aluno o espírito humanitário, cooperativista e solidário como forma de formação de homens e mulheres melhores para o futuro de nosso país. A FESP  tem nestes últimos 10 anos tornado exemplo de universidade que sai de suas 4 paredes e coloca seu conhecimento de forma voluntária àqueles que buscam dias melhores.

FONTE: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP (CPEX)



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2019  >>
seteququsedo
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910