Acontece no próximo domingo, dia 1º, a 8ª Edição do FESP Mountain Bike.  A competição, baseada no estilo Cross Country Olímpico - popularmente conhecido como XCO -, será na pista do Centro Integrado de Recreação e Esportes da FESP (CIRE/FESP) que oferece tudo que os atletas desta modalidade mais desejam: trechos de velocidade intercalados com trilhas cheias de obstáculos naturais e dentro de mata fechada. 

“Nosso percurso tem em média cinco quilômetros e costumo dizer que fomos privilegiados com a nossa pista, pois 80% dela fica dentro de uma mata fechada, onde aproveitamos os obstáculos naturais para compor o traçado da pista”, ressalta um dos organizadores do evento, Sérgio Henrique Machado.

O 8º FESP Mountain Bike vai trazer a Passos atletas de renome internacional que já confirmaram presença na disputa, entre eles o Campeão Sulamericano e Campeão Brasileiro de Cross Country Olímpico Rubens Donizete Valeriano (Rubinho) e o Representante Brasileiro nas Olimpíadas de Atenas, Edivando Souza Cruz, entre outros grandes ícones do esporte (veja quadro). 

“Dois atletas que disputarão o 8º FESP Montain Bike já participaram de três Olimpíadas – Atenas, Londres e Pequim – além de torneios nacionais e jogos panamericanos e sulamericanos. Outros três atletas estão se destacando no circuito nacional e são vistos como atletas promissores a conquistarem índice para disputar as Olimpíadas do Rio 2016”, observou Sérgio.

Mais de 200 atletas são aguardados neste domingo no CIRE/FESP. Para possibilitar a participação de todos, inclusive dos entusiastas, a organização do torneio informou que a prova será dividida em três baterias com categorias diferentes: às 08h30 acontece a largada 1 (bateria kids*, de percurso reduzido); às 09h30 a largada 2, para as categorias Sub 15; Sub 17; Sub 50; Sub 60; Veterano*; FESP*; Feminino Amador* e as 11h00  a largada 3, para as categorias Elite Masculino, Elite Feminino,  Junior, Sub 23, Sub 30 e Sub 40.

As categorias KIDS, FESP, Feminino Amador e Veteranos estão isentas da taxa de inscrição.

Novidade

A novidade da prova este ano ficou por conta das categorias FESP, Veterano e Feminino Amador, criadas nesta edição para atender alunos, funcionários da FESP e veteranos entusiastas do esporte.

As inscrições podem ser feitas através do site da FESP WWW.fespmg.edu.br ou no dia da prova com antecedência mínima de 30 minutos à largada. “Todos podem participar do torneio. É indispensável utilização de capacete, óculos e luva de proteção”, reforçou Sérgio lembrando ainda que os atletas devem usar protetor solar e se hidratar bem. 

Confira quem são os atletas que confirmaram presença na 8ª. Edição do FESP Mountain Bike:

1.Edivando Souza Cruz 
Representante Brasileiro nas Olimpíadas de Atenas;
Medalhista de Prata nos Jogos Panamericanos de Santo Domingos;
Duas vezes medalhista de Prata nos Jogos Sulamericanos;
Campeão Panamericano, e 
Campeão Brasileiro de Cross Country Olímpico.
 

2.Rubens Donizete Valeriano (Rubinho) 
Representante Brasileiro nas Olimpíadas de Pequin e Londres;
Medalhista Prata nos Jogos Panamericano Winipeg;
Campeão Sulamericano, e
Campeão Brasileiro de Cross Country Olímpico
 

3.Marcelo Cândido
Atualmente figura entre os melhores atletas do país, forte candidato a vaga olímpica nos Jogos do Rio/2016.
 

4.José Gabriel 
Atualmente figura entre os melhores atletas do país, forte candidato a vaga olímpica nos Jogos do Rio/2016.


5.Guilherme Muller 
Atualmente figura entre os melhores atletas do país, forte candidato a vaga olímpica nos Jogos do Rio/2016.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) realiza nesta sexta-feira (30) a 10ª Edição do Festival CANTA FESP de Interpretação de Música Popular Brasileira, com expectativa de grande público para assistir aos representantes de 14 escolas concorrentes. Os vencedores recebem prêmios em dinheiro e todas as escolas recebem troféus de participação. 

O Festival tem como objetivo difundir a MPB entre estudantes de ensino fundamental e médio, da rede pública e privada de Passos e região e já faz parte do calendário de atividades da maioria das escolas. “O Festival surgiu com a  implementação de uma nova filosofia implantada na FESP desde 2004, em atendimento à necessidade de abrir a universidade para a comunidade, viabilizando projetos de extensão em todas as áreas do saber, colocando nossos professores e alunos desenvolvendo ações que pudessem levar cultura, esporte e conhecimento a todos”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas.

Durante os 10 anos de festival, praticamente todas de Ensino Médio de Passos já passaram pelo menos duas ou três vezes pelo Festival. “As escolas municipais participam menos, pois só aceitamos a partir de 6ª série. A Escola Hilarino de Moraes, por exemplo, é uma assídua participante”, explica uma das coordenadoras do evento, professora Leila Suhadolnik Andrade. “Houve também uma evolução na qualidade dos intérpretes, na escolha de músicas cada vez mais representativas da brasilidade”, completa a professora. 

As apresentações podem ser individual ou em grupos, geralmente formado por 3 a 8 pessoas. “Neste ano teremos a participação do Coral Pequenos cantores de Passos cuja maioria dos integrantes é de alunos da escola Nazle Jabur”, explica a professora. 

Difusão de arte e cultura entre jovens

Para as organizadoras do Festival Canta FESP Interpretação é uma importante ferramenta para o enriquecimento do repertório desse público jovem. “O fato de jovens estarem cantando para jovens os estimulam posteriormente a fazer uma ‘rodinha' para cantar o que sabem e sempre rola a MPB que aprenderam nos festivais e isso pode se tornar hábito, principalmente naqueles que possuem nato o gosto pela música”, afirma a professora Silvia Maria Oliveira Soares Maia.

A professora Leila Andrade também destaca o papel social do evento. “É a valorização da musica brasileira e em decorrência, a valorização da arte, da cidadania, da brasilidade, do civismo”, destaca Leila.

CIC, Tiradentes e Colégio Del Rey participaram de todas as edições do CANTA FESP

Três escolas de Passos se destacaram pela participação efetiva em todas as 10 edições do Festival CANTAFESP de Interpretação, o Colégio Imaculada Conceição, Colégio Tiradentes da Polícia Militar e o Colégio Del Rey. “Mais que linguagem universal, o Canta FESP propicia a juventude contato com a música bem elaborada, que educa os ouvidos, desenvolvendo a sensibilidade, a socialização”, avalia a professora Orlanda Antônia do Nascimento, diretora do Colégio Del Rey, que já foi 8 vezes classificado 4 vezes campeão.

Segundo ela, a participação repercutiu na forte motivação para a participação dos alunos. “Sempre participamos, pois valorizamos as iniciativas de promoção cultural da FESP/UEMG, entendendo que desta forma está se oportunizando o desenvolvimento integral dos alunos, ganho de autoestima, além de descoberta de novos talentos”, ressalta a diretora.

O presidente do Conselho Curador da FESP também destacou a importância do Festival da Interpretação para descobrir talentos em Passos e nas cidades vizinhas. “Valorizamos o jovem, apresentamos uma alternativa saudável de como educar. Criamos alternativa cultural para os municípios. Fomos provocativos e a prova disso é que sabemos que algumas escolas já possuem seus festivais internos”, ressalta o presidente da FESP.

O Festival será na quadra do DER, localizado à Rua Doutor Carvalho, 1395 e começa a partir das 19h00, com entrada gratuita.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Um grupo de idosos alunos da UNABEM – Universidade Aberta para a Maturidade – serão avaliados durante 12 semanas em um projeto de pesquisa sobre atividade física na maturidade intitulado: “EM BUSCA DA QUALIDADE DE VIDA PARA IDOSOS – Uma vivência na Universidade Aberta para a Maturidade – UNABEM”. 

O grupo de trabalho é coordenado pela professora Nilzemar Ribeiro de Souza. “Esta é uma proposta de extensão em interface com a pesquisa, que será realizada nos próximos dois anos. O estudo será feito entre os estudantes da UNABEM, onde serão desenvolvidas ações educativas em diversas áreas”, destacou a coordenadora.

Integrante do projeto, a professora Nadia Peixoto explicou que os idosos foram submetidos a um exame complexo antes do início das atividades e ao final das 12 semanas farão novamente o exame e os resultados serão comparados. 

“Criamos um protocolo de exercícios simples que podem ser praticados em casa ou em locais com pouco espaço e com materiais aproveitados na própria residência”, ressaltou a professora de educação física para os alunos da UNABEM, Nadia Peixoto.

“É muito bom fazer os exercícios! Não tenho dificuldade nenhuma”, contou o aluno Octaviano de Abreu Andrade, de 73 anos. Segundo ele, os resultados da atividade física já podem ser notados no seu dia-a-dia: “Não tenho dificuldades para fazer os exercícios e me sinto muito bem! Outro dia, tirei um cochilo à tarde e acordei atrasado para ir ao banco, cheguei lá em apenas cinco minutos! Antes gastaria uns 20 minutos pra chegar lá”, falou entre risos.

De acordo com a coordenadora do projeto, são esperadas ao fim do estudo pelo menos três participações em congressos nacionais e internacionais, dois artigos científicos publicados em revista indexada nacional e internacional, três artigos publicados em anais de congressos.

A equipe multidisciplinar envolve também as professoras Evânia Nascimento, Vivian Freitas Silveira, Saula Chaud, Andréia Liporoni, Ana Paula Coelho, Marisa Lemos, Magaly Melo, Leila Pádua, Sílvia Maia e Nádia Peixoto que farão atividades educativas nas áreas de Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Educação Física, Direito, Fisioterapia e Serviço Social. “O profissional de uma única área não dá conta de resolver todas as questões do envelhecimento no sentido de dar mais anos de vida com qualidade”, avalia a coordenadora Nilzemar Ribeiro.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Fundação de Ensino Superior de Passos vai lançar no próximo dia 29 (quinta-feira) o resultado do projeto de pesquisa Grande Minas União pelas Águas, o Zoneamento Ambiental dos Afluentes Mineiros do Médio Rio Grande. A pesquisa apresenta um banco de dados completo que será utilizado pelo Comitê de Bacias do Médio Rio Grande, o GD7, na elaboração do Plano Diretor de planejamento e gerenciamento dos recursos hídricos de forma sustentável, atendendo às exigências da Política Nacional de Recursos Hídricos. O trabalho é desenvolvido através de parceria entre FESP, ADEBRAS, Comitê CBH-GD7 e Governo de Minas e será lançado durante o 2º Seminário sobre os Recursos Hídricos do Médio Rio Grande e 4º Workshop do Projeto Grande Minas União pelas Águas, que será na sede da AMEG (Associação dos Municípios Mineiros do Médio Rio Grande), das 08 às 17horas. “Este estudo conclusivo tem agora a missão de ultrapassar os limites da nossa bacia e pode servir de modelo para o zoneamento e gerenciamento de bacias hidrográficas de outras regiões. Do ponto de vista acadêmico, o projeto é mais uma contribuição para que FESP esteja na vanguarda da pesquisa científica em Minas Gerais”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas. 

O projeto Grande Minas foi desenvolvido em quatro anos, por uma equipe de pesquisadores formada por mais de 50 pessoas, entre professores especialistas, mestres e doutores da FESP e estudantes de diversos cursos, além de técnicos e parceiros que participaram das varias etapas do projeto. Estes pesquisadores vão apresentar este banco dados em livro eletrônico de quatro volumes, condensados um DVD que será distribuído no evento da próxima quinta-feira, na AMEG. 

O estudo mostra que a bacia apresenta problemas comuns a outras bacias hidrográficas brasileiras, como poluição de diversos cursos hídricos por esgoto doméstico e degradação de terrenos rurais por atividades agropecuárias intensivas e possui outros aspectos relevantes, considerando a iminência de uma crise energética e de disponibilidade de água, os conflitos que envolvem a delimitação do Parque Nacional da Serra da Canastra e as atividades econômicas regionais, sobretudo voltadas para a agropecuária e extração mineral. 

A Bacia do Médio Rio Grande é limitada por três importantes usinas hidroelétricas brasileiras: Usina de Furnas, Usina de Estreito e Usina Mascarenhas de Moraes e inclui parte de um dos principais parques nacionais, a Serra da Canastra. Além disso, possui aspectos relevantes que precisam ser considerados em um Plano de Gerenciamento de Recursos Hídricos como o fato de a bacia estar dividida entre os biomas de Cerrado e Mata Atlântica, que precisam ser preservados e também sua condição geológica. “A bacia se divide em duas importantes províncias geológicas do Brasil: Bacia do Paraná e Embasamento Cristalino. A primeira inclui a Formação Geológica denominada Botucatu, que compõe um dos mais importantes aquíferos do mundo (Aquífero Guaraní) e, por outro lado, deriva terrenos bastante erosivos. A segunda inclui os Grupos Canastra e Araxá que apresentam quartzitos que são amplamente explorados na região como "pedra de revestimento" que, por um lado, constituem minerações altamente impactantes e, por outro, ajudam a movimentar a economia regional”, explica o professor Eduardo Goulart Collares, coordenador do projeto.

Segundo o professor, todos estes foram aspectos tratados no zoneamento ambiental e que resultou em uma divisão da bacia em 1607 unidades ambientais, que foram classificadas quanto à sua relevância para o meio ambiente e para a preservação dos recursos hídricos e, para cada uma foram estabelecidas diretrizes para o seu controle ambiental.

Comitês de bacias são responsáveis pelo gerenciamento do uso da água

A Política Nacional de Recursos Hídricos descentralizou o planejamento e o gerenciamento dos recursos hídricos através dos comitês de bacias hidrográficas. Para a presidente do Comitê CBH-GD7, Tereza Cristina Krauss, o Projeto Grande Minas destaca a importância do papel do comitê de bacia. “Esse projeto será base para um planejamento integrado que possibilite a comunicação entre o comitê e a sociedade no âmbito da bacia, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento sustentável na região e isso só foi possível graças ao esforço conjunto de todos os envolvidos. Houve a contribuição dos segmentos representados no CBH GD7, a participação da FESP/UEMG Passos, a participação da Secretaria de Meio Ambiente do estado de Minas (SEMAD), através do FHIDRO, a participação da ADEBRAS. É essa força conjunta que faz a diferença, pois o que se precisa é reforçar a capacidade dos comitês de bacia através de importantes parcerias”, afirma. 

Retorno para a comunidade

O projeto Grande Minas foi realizado com recursos de cerca de R$1milhão, viabilizados através do FHIDRO, Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais. Para o professor Eduardo Collares, que é diretor do Núcleo Acadêmico de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, o Grande Minas é um dos maiores incentivos à pesquisa científica na região e todo o investimento será revertido para a população. “Cada centavo retorna agora para a sociedade na forma de um produto que pode contribuir em muito para a gestão ambiental da região e para a preservação dos nossos recursos hídricos, se for bem utilizado pelo poder público. Do ponto de vista pedagógico, o maior reflexo da relevância do Grande Minas é que pelo menos 40 alunos participaram da pesquisa e a maioria hoje está fazendo mestrado ou doutorado nos melhores centros de pesquisa do Brasil ou então estão muito bem empregados e trabalhando na área”, ressalta.

Foram realizados levantamentos sobre hidrografia, hidrologia, clima, geologia, geomorfologia, flora e unidades de preservação, aspectos socioeconômicos, uso e ocupação do solo, saneamento básico, usuários dos recursos hídricos e qualidade das águas nos principais afluentes.  

A área pesquisada abrange 22 municípios da região: Alpinópolis, Bom Jesus da Penha, Cássia, Capetinga, Claraval, Delfinópolis, Fortaleza de Minas, Ibiraci, Itamoji, Itaú de Minas, Jacuí, Monte Santo de Minas, Nova Resende, Passos, Pratápolis, São João Batista do Glória, São José da Barra, São Pedro da União, São Roque de Minas, São Sebastião do Paraíso, São Tomás de Aquino e Sacramento. Ainda estão inseridos dois grandes reservatórios administrados por Furnas Centrais Elétricas: o reservatório de Peixoto (231 km2) e parte do reservatório de Estreito (48 km2) em uma área total de 9.800 Km2, com população estimada de 400 mil habitantes.

O 2º Seminário sobre os Recursos Hídricos do Médio Rio Grande e 4º Workshop do Projeto Grande Minas União pelas Águas vai contar ainda com palestras e discussões de vários temas que abordam o futuro das águas de nossa região. Autoridades no assunto já confirmaram presença, como o gerente de Gestão de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA), Nelson Neto de Freitas; a Diretora de Gestão das Águas do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), Renata Maria de Araújo; o presidente do Comitê Federal do Rio Grande, Alexandre Augusto Moreira Santos e do representante da Operadora Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Eduardo Henrique Ferreira França. 

O evento é aberto ao público e gratuito. Mais informações: clique aqui

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

 



Estão abertas até o dia 3 de junho as inscrições para o MBA gratuito em Engenharia e Inovação, oferecido através da Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec), na unidade da FESP. De acordo com o coordenador do polo da UAITEC/FESP, professor José de Paula Silva, ainda há vagas remanescentes. O programa de certificação e tutoria de cursos de MBA: Engenharia e Inovação são fruto de uma parceria firmada pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e a Veduca - empresa de tecnologia voltada para a educação a distância.

No total, serão oferecidas 300 bolsas de estudo para graduados em cursos de nível superior, residentes no Estado de Minas Gerais. 

Esta é uma oportunidade para aqueles que se candidataram a uma das mil vagas oferecidas pelo Governo de Minas no início deste ano, mas que não passaram no processo seletivo, devido a grande quantidade de inscritos. No último mês de março, mil alunos iniciaram o MBA: Engenharia e Inovação.

O MBA é um curso de pós-graduação lato sensu com ênfase em gestão de projetos e foco em inovação, sendo destinado a profissionais que buscam processos de produção mais eficientes, que desejam incentivar a inovação na sua empresa ou que querem compreender e investigar as melhores práticas em gestão.

O curso tem carga horária total de 360 horas/aula, com período mínimo de um ano para conclusão. Todo o MBA será ministrado de forma gratuita, por meio de videoaulas com conteúdo elaborado por docentes e palestrantes convidados e vinculados a instituições renomadas e respeitadas no Brasil, como a escola Politécnica da Universidade de São Paulo, de Engenharia da USP São Carlos e a Universidade Federal de Santa Catarina. 

Cada disciplina contará com um professor responsável, docente da Uniseb, com mestrado ou doutorado, que auxiliará os estudantes sempre que necessário, por meio de fórum e chat.

As inscrições devem ser feitas até o dia 3 de junho, no site da Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec) e o início das aulas está previsto para o dia 8 de julho. O polo UAITEC/FESP funciona no bloco 2 da FESP, localizado na Avenida Dr. Carvalho, 1.170 das 7h às 20h. 

Fonte: Departamento de Comunicação FESP e Agência Minas.



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  junho 2019  >>
seteququsedo
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
1234567