A aluna do Curso de Engenharia Ambiental, Jéssica Karyane da Silva, retornou à FESP no dia 10 de janeiro de 2014 após intercâmbio do Programa Ciência sem Fronteiras no Canadá. A estudante esteve no país durante 1 ano e 6 meses desenvolvendo graduação, na Universidade canadense, University of the Fraser Valley, na cidade de Abbotsford, e posteriormente na University of British Columbia. O período de estudo acadêmico foi de agosto - 2012 a janeiro - 2013. 

Marisa da Silva Lemos, Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras afirma que o relato da experiência vivida pela aluna Jéssica no Canadá nos sensibiliza e estimula a instigar o maior número de alunos da FESP para participar deste intercâmbio. “Percebe-se que a estudante volta uma pessoa diferente, com um novo olhar do mundo através de novos conhecimentos e assume o compromisso de transmiti-los  aos seus colegas curso na FESP”.

Jéssica inicialmente agradece a FESP pela oportunidade única que teve em sua vida. Segundo a estudante é certo que os conhecimentos adquiridos na área de Engenharia Ambiental no exterior farão dela uma profissional diferenciada no mercado de trabalho. 

A Fundação de Ensino Superior de Passos já realizou através do Programa Ciência sem Fronteiras 11 intercâmbios de estudantes de graduação. Este ano (2014) a instituição apresenta 2 alunos aprovados para o intercâmbio previsto em maio de 2014 e outros 09 que já estão homologados para intercâmbio previsto em agosto de 2014.

A Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP – CPEX é responsável pelo Programa Ciência sem Fronteiras na instituição e conta com a assessoria do funcionário da CPEX, Étory Zaghi, para acompanhar os alunos neste processo.  

Os alunos interessados em se candidatar nos editais abertos entrar em contato com a CPEX para auxiliá-los no processo de candidatura. Local: Rua Doutor Carvalho, nº1147 – Bairro: Belo Horizonte / Passos - Telefones para contato: CPEX: (35) 3529 – 6033 \ (35) 9811 – 8085.

A aluna relata também que viver a experiência de um intercâmbio é algo inexplicável. Relata que é muito difícil descrever em palavras tudo o que viveu.

Segue abaixo na íntegra o depoimento de Jéssica: 

“Cruzei fronteiras que eu nunca imaginei cruzar, físicas, geográficas e culturais. A maioria delas foi muito além de minha imaginação. Aprendi coisas que nenhum livro poderia me ensinar porque elas simplesmente não podem ser descritas em um pedaço de papel. A cada segundo todas as minhas expectativas eram superadas. Durante esse período percebi  que não sou nem melhor, nem pior que ninguém e que essa sensação de igualdade me faz um ser humano mais humano. Reaprendi o significado de educação e respeito pelo próximo, pelas crenças, pela vida. 

Também aprendi que eles podem ter significados muito mais profundos dependendo da terra que se pisa, do lugar que se visita. Que o simples gesto de abrir a porta para o outro, por exemplo, faz uma diferença enorme no dia a dia. Aprendi que dizer: Have a nice day (tenha um bom dia) para todos, mesmo aqueles que não conheço, realmente faz com que o dia fique melhor, o meu e o dos outros! Conheci lugares, pessoas, culturas. Cresci. 

Descobri que o mundo é bem maior do que eu pensava e que vai muito além da imaginação de quem nunca arriscou ir além, e quando eu digo além, eu me refiro a romper as barreiras internas que cada um de nós possui. Aprendi muito, e ainda tenho muito a aprender. Percebi que não há verdade absoluta e que o mesmo assunto pode ser encarado de milhões de formas diferentes, dependendo de quem o descreve. Acumulei muitas riquezas imateriais, uma delas chamada de amigos. 

Fui para fazer ‘Ciência sem Fronteiras’ e fiz. No entanto, como consequência, acabei fazendo ‘Amigos sem Fronteiras’.  Hoje tenho amigos de todo o mundo: Canadá,  Estados Unidos, Coréia, Japão, Índia, Jordão, China, Austrália, Portugal, Londres, Equador, Peru, Índia, França e é claro, do Brasil.

Só tenho a agradecer por todos os momentos. Foram inesquecíveis e ficarão para sempre guardados em minha memória. Momentos que não se medem com palavras ou gestos, porque são imensuráveis: não tem forma, peso ou medida.  Só tenho a agradecer,  à FESP pela oportunidade única que tive em minha vida. A universidade, através de seu apoio prestado do começo ao fim dessa trajetória, me permitiu trazer essa imensa bagagem nas costas, que tem sabor de conhecimento. Tenho orgulho de ser abraçada de volta por essa equipe maravilhosa! 

A partir de agora, farei o meu melhor para compartilhar todos os meus aprendizados e contribuir para o desenvolvimento cientifico, social e tecnológico de nosso País”.

TEXTO ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP - CPEX



A Fundação de Ensino Superior de Passos começou a receber projetos dos interessados no primeiro Mestrado Profissional da Instituição. No final de 2013, a Fundação recebeu a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (CAPES), que avaliou como adequada a proposta do Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Serão 15 vagas disponibilizadas para a turma que começa em Março deste ano, sendo concluída em 24 meses. O encaminhamento das propostas ocorre no período que vai de 27 de Janeiro a 21 de Fevereiro.

Na avaliação, os representantes da CAPES destacaram o comprometimento e a infraestrutura da FESP; a dimensão e regime de trabalho dos docentes com doutorado e experiência em orientação; e a alta produtividade em relação à pesquisa e extensão.

“O programa de Mestrado da FESP vem sendo trabalhado já há vários anos. Fortalecemos a questão da pós-graduação lato sensu, onde hoje nós podemos contar com 16 cursos oferecidos e em seguida foram destinadas equipes para trabalharem o Mestrado nas áreas Ambiental e da Saúde, sendo que o primeiro já passou pela avaliação positiva da CAPES. Dessa forma, nós passamos então a um status diferente de Universidade. Nós podemos considerar a FESP, pelo trabalho que ela faz em nível de graduação, de pesquisa, de extensão e agora de pós-graduação stricto sensu, como uma escola que tem todas as funções de Universidade. É mais uma meta vencida, mais um trabalho de sucesso realizado pelo nosso Núcleo de Pesquisa e Extensão, dirigido pelo professor Collares, e com certeza teremos uma turma completa nesse curso visto que a nossa região carece de cursos de Mestrado, especialmente na área proposta”, defendeu o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, que completou dizendo que o Mestrado na área de Saúde deve ser aprovado ainda este ano.

A coordenadora da nova modalidade disponibilizada na FESP, professora Dra. Rita de Cássia Ribeiro Carvalho, disse que o curso terá encontros semanais às sextas-feiras e sábados, e que será direcionado, principalmente, aos profissionais que já atuam na área, e querem se qualificar ainda mais na sua função. "Mas isso não impede que possamos atender outras demandas, desde que sejam consideradas relevantes e tenham ligação com o perfil do mestrado oferecido", explica a professora que também comemorou a conquista. "Vamos alcançar as perspectivas do município e região. Estamos vivendo um momento muito feliz em nossa FESP, pois, por meio de esforço de toda uma equipe, estamos superando desafios e conquistando um novo horizonte para nossos professores e profissionais da região, e a FESP caminhando para um Centro de Excelência na Educação. Eu só tenho a agradecer o apoio do professor Fábio e do professor Eduardo Collares, por confiarem a mim a coordenação dessa empreitada, coordenação essa dirigida por eles. Quanto aos docentes, meus colegas de trabalho, agradeço o apoio e empenho, por terem me atendido em todas as solicitações e pelas contribuições na preparação da proposta. Reforço que trabalhar em equipe é fundamental para o sucesso de todos".

De acordo com a ementa, o curso com titulação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente tem o propósito de formar mestres com consciência crítica e capazes de compreender a relação entre ciência, sociedade, natureza e desenvolvimento econômico. Sendo estes profissionais capazes de elaborar, acompanhar e avaliar planos de gestão pública e privada com propósitos de desenvolvimento sustentável e de preservação ambiental, bem como realizar diagnósticos e prognósticos das inter-relações entre as atividades antrópicas e os meios físico e biótico. Deverão ser capazes, também, de desenvolver e aplicar técnicas agro-sustentáveis que contribuam para melhorias na produção agropecuária regional.

Como ainda detalhou o diretor Eduardo Collares, o Mestrado Profissional é exatamente igual ao Mestrado Acadêmico em relação à titulação. “A diferença é que o primeiro é mais direcionado aos profissionais que estão atuando no mercado. Este Mestrado tem por objetivo formar pessoas para trabalharem dentro das novas políticas públicas que estão em vigor no país, como o Estatuto da Cidade, a Política Nacional de Recursos Hídricos e, mais recentemente a Política Nacional de Saneamento de Resíduos e de Sólidos, por exemplo. Outro foco está voltado ao setor privado e envolve novas tecnologias para serem aplicadas no planejamento urbano e no desenvolvimento rural sustentável”, reforça.

Avaliação

Ainda segundo o professor Collares, o processo seletivo contempla três itens de avaliação: o currículo do candidato; um pré-projeto elaborado seguindo uma das duas linhas de pesquisa (Planejamento Municipal e Regional, e Desenvolvimento Rural); e uma entrevista. 

Para mais informações consulte o home oficial do Mestrado ou entre em contato com a Secretaria de Pós-graduação da FESP pelo número (35) 3521-4364.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



A Diretoria do Núcleo Acadêmico de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão, através da Coordenadoria de Pesquisa e Extensão da Fundação de Ensino Superior de Passos, informa à comunidade acadêmica a abertura do Edital 01/2014 - PIBIC/FAPEMIG/FESP - visando a seleção de candidatos para o preenchimento de 30 (trinta) bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o período que vai de março de 2014 até fevereiro de 2015.

Para participação neste edital, exige-se documentação e condições específicas para o professor orientador e para o aluno bolsista. Estas informações estão disponíveis no citado edital que está disponível no site da FESP. Vale ressaltar que o aluno deverá ter cursado um ano no curso de graduação, não estar cursando o último semestre do curso e não possuir vínculo empregatício. 

Informamos que conforme orientação do presidente do Comitê de Ética da FESP, professor José de Paula Silva, a partir deste ano todos os projetos deverão apresentar a declaração de “Parecer de Mérito” para que o projeto possa ser submetido à CPEX.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão, Marisa da Silva Lemos, existe uma expectativa de um número expressivo de projetos a serem submetidos este ano e acrescenta que o resultado de participação de professores e alunos em projetos de pesquisa traz como resultado publicações científicas e participação em congressos e seminários, o que resulta no diferencial do currículo dos mesmos.

O Diretor de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão, Eduardo Goulart Collares argumenta que a cada ano cresce o interesse dos alunos da FESP em participar de projetos de iniciação científica. Segundo o diretor, “o nosso aluno, a cada ano, compreende melhor o significado de um projeto de pesquisa na sua vida acadêmica e os inúmeros benefícios que trará não só a para a sua formação profissional, mas também, no seu amadurecimento enquanto cidadão”. 

Todas as orientações para participação estão disponíveis no edital e também de forma presencial na Coordenadoria de Pesquisa e Extensão da FESP, localizada no Bloco 02, na rua Dr. Carvalho, 1147, de 08h às 12h e de 14h às 18h. Telefones para contato são: (35) 3529-6033 / (35) 9811-8085 email: cpex@fespmg.edu.br

TEXTO ESCRITO POR: COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FESP



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  janeiro 2019  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910