Será no próximo dia 20 de abril, às 9h00 durante a Praça Viva, na Praça Monsenhor Messias Bragança (praça da Matriz), a abertura da Campanha de Desarmamento Infantil, um projeto da Editora Abril em convênio com a Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP) e Folha da Manhã.  Com o lema ‘Troque uma arma de brinquedo’ por revistas da Editora Abril, a campanha é direcionada a crianças de seis a 12 anos de idade, matriculados nas escolas públicas e particulares de Passos.

A campanha foi apresentada aos diretores de diversas escolas de Passos e a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer pela jornalista e professora da FESP, Arlete Porto Soares, e o representante da Editora Abril, Donizette Jacinto em reunião no auditório da FESP.  

O presidente do Conselho Curador da FESP, Professor Fabio Pimenta Esper Kallas ressaltou a relevância da Campanha pontuando que pela educação e cultura fica mais fácil chegar até as crianças e adolescentes com novas ideias e uma nova forma de encarar o mundo. “Estamos propondo novas formas de brincar, incentivando o lúdico, a imaginação. E mesmo que as crianças não tenham uma arma de brinquedo para trocar, eles vão perceber a mensagem, entender que não vale a pena ter uma arma, mesmo que de brinquedo. Ou seja, o objetivo é formar jovens com cultura, com informação e não com a força, armamento ou discórdia”, afirmou.

Carlos Antônio Parreira, diretor da Folha da Manhã, confia na adesão em grande número das escolas e alunos à Campanha que, segundo ele, é de suma importância porque vai falar de algo ainda maior que o desarmamento: a cultura de paz e a questão da não violência nas escolas. “Esperamos que a iniciativa alimente o sonho, trocando a brincadeira da violência pelas belas histórias, brincadeiras e o saber, tão importante para o crescimento saudável”, defende.

Cronograma e ações

Durante o período da campanha, serão distribuídos postos para coleta dos brinquedos em cada escola participante, assim como no prédio principal da FESP (Avenida Juca Stockler, nº 1130), Jornal Folha da Manhã (Rua 2 de Novembro) e nas Bancas de Revistas de Passos - Praça Geraldo da Silva Maia (Rosário) e Praça Monsenhor Messias Bragança (Matriz). 

Alunos de Educação Física, do Centro Acadêmico, coordenadores e demais envolvidos na campanha estarão durante dois dias em cada escola – com datas agendadas anteriormente - para motivar as crianças a uma maior participação.

Conforme foi apresentada aos diretores das escolas, a Campanha de Desarmamento Infantil pretende estimular uma “cultura de paz”, tendo como ponto de partida a doação de uma arma de brinquedo e ainda, oportunizará também aos pais que, a partir de agora, reflitam na hora de escolher um brinquedo para os seus filhos.

“Sem dúvida, além do combate à violência, a campanha trabalhará um outro ponto também fundamental que é o incentivo à leitura. Esta, com certeza, nos salva,  nos abre os horizontes”, reforçou Arlete Porto na apresentação da campanha.

Donizette Jacinto relatou que a Editora Abril vem realizando esta campanha desde 2001, em várias cidades do país, sempre com muito sucesso. “Esperamos que em Passos haja a adesão do máximo de escolas. É um momento de reflexão, cultura e entretenimento entre escola, família e comunidade”, ponderou. 

Uma coisa é certa: se depender do entusiasmo das professoras e diretoras que compareceram ao auditório da FESP para a última reunião, a campanha já pode se considerar bem sucedida. Todas elas garantiram organizar números artísticos para apresentação na praça, na manhã da abertura. Os brinquedos recolhidos nos postos de coleta serão enviados à reciclagem.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Na última quarta-feira, dia 10, o professor Fernando Piero Laugeni lançou a versão “Fácil” do sucesso “Administração da Produção”, já em segunda edição, publicado pela Editora Saraiva. Referência para estudantes e profissionais envolvidos com o tema, agora, o foco é mais prático, com mais exercícios direcionados.

A cerimônia de lançamento, que aconteceu na Biblioteca da FESP, recebeu o presidente e o vice do Conselho Curador, Fabio Kallas e Manuel Reginaldo Ferreira; o diretor do Núcleo Acadêmico de Educação, professor Anderson Jacob Rocha; o coordenador do curso de História, Edgar Oliveira; o diretor do Núcleo Acadêmico de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Vivaldo Silvério de Souza Filho; o coordenador do curso de Agronomia, professor Evandro Lemos Freire; a Coordenadora do curso de Engenharia Ambiental, Ana Carina Collares; o diretor executivo da FESP, Dr. Dácio Lemos Martins; além de demais professores, estudantes, funcionários e convidados do professor Fernando Piero Laugeni.

No seu discurso de abertura, Fabio Kallas saudou aos presentes, lembrou dos outros 10 semelhantes eventos de lançamento de livros que aconteceram no último ano, ressaltou a importância de se incentivar e investir no potencial dos professores escritores da FESP, e ainda, em nome da Instituição, oficializou o pedido de “Administração da Produção Fácil”, já sendo recorde de venda em todo o Brasil.

De acordo com Fabio Kallas este lançamento mostra que a FESP está no caminho certo, valorizando seus talentos. “O professor Fernando não é um iniciante na escrita e vem contribuir enormemente para a formação, especialmente, dos alunos da Engenharia de Produção. Nós estamos muito felizes! O professor Fernando tem um carisma extraordinário e com certeza isso faz com que seus alunos se apaixonem cada vez mais pela sua profissão”, justificou com entusiasmo.

Seguindo o discurso, Manuel Reginaldo Ferreira, agradeceu ao professor Vivaldo Silvério de Souza Filho, responsável por apresentar à Fundação de Ensino Superior de Passos, Fernando Piero Laugeni que, segundo o vice-presidente do Conselho Curador da FESP, deve ser seguido como exemplo profissional e pessoal. “O aluno ter a oportunidade de estudar com um professor que tem publicado vários livros significa que ele está aprendendo com o Papa do assunto. Estamos muito satisfeitos”.

Sob aplauso, Fernando Piero Laugeni, junto ao presidente Fabio Kallas, entregou oficialmente um exemplar de seu mais novo livro à Biblioteca, representada pela sua coordenadora, Gesiane Patrícia de Souza, a mais três alunos, que receberam seus exemplares em nome da FESP, e ao centro acadêmico do curso de Engenharia de Produção, representado também por um dos discentes do professor escritor.

Formalmente pela Saraiva há 20 anos, Fernando Piero Laugeni destacou que a forte acolhida que teve na FESP foi sua motivação para escrever a mais nova obra, também assinada por Petrônio Garcia Martins. “Este livro especificamente teve um grande incentivo da FESP. Se não fosse pela FESP este livro não existiria. Foi a Instituição que fez com que eu me interessasse novamente, quase me aposentando, em coordenar um curso, e a escrever. É por isso que este lançamento é dedicado à FESP”.

O professor ainda explicou qual foi o mote de sua nova publicação dizendo que “Administração da Produção Fácil" é um livro prêt-à-porter: você lê e usa. Está atualizado, tem o mesmo tema, porém, é de uma aplicação mais prática, mais focada, bem didática. O curso de Engenharia de Produção é de amplo espectro, atende todas as áreas, e o grande objetivo desse profissional é fazer com que as empresas trabalhem com eficiência, produtividade e qualidade, e este livro os auxilia nesta missão”.

Ainda em palavras de Fernando Piero Laugeni, escrever é desafiador porque é uma responsabilidade enorme. “Tudo aquilo que nós fizermos pra estes jovens, eles carregarão para o resto da vida. Então nos cabe fazer tudo para que eles tenham sucesso e essa é a missão do professor”.

Mary Garcia Ferreira, esposa do professor, e também professora da Engenharia de Produção da FESP, considerou que para os alunos ter um professor escritor tão próximo possibilita mais liberdade para discutir os conteúdos da disciplina. “Não há o distanciamento, a relação fica mais direta e a confiança é maior”, defende orgulhosa.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Três estudantes da Fundação de Ensino Superior de Passos foram aprovados no Programa Ciência sem Fronteiras, do Governo Federal, para graduação “sanduíche” nos Estados Unidos, França e Hungria. Os estudantes são do Curso de Engenharia Civil e o início das atividades está previsto para os meses de junho e julho. Antes de iniciar os estudos no exterior, os alunos vão fazer um curso intensivo de inglês no país de destino. Os nomes selecionados são: Guilherme Bispo, que vai estudar na Colorado University, nos Estados Unidos; Túlio Silva Soares, que irá realizar graduação na Budapest University of Technology and Economics, na Hungria, e Gabriel Bernardes Costa que aguarda o direcionamento para uma universidade francesa. 

A Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras da FESP e Coordenadora de Pesquisa e Extensão da instituição, Marisa da Silva Lemos, afirma que as universidades contempladas por estes alunos estão na lista das melhores do mundo na área de engenharia. Segundo ela, o programa vai disponibilizar um portal de estágio e empregos nas melhores empresas brasileiras para os alunos, quando retornarem ao Brasil.

Para o Diretor do Núcleo Acadêmico de Pós – Graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, Eduardo Goulart Collares, a qualificação desses alunos dará uma grande contribuição para colocar o Brasil dentre os países de ponta em relação à pesquisa científica e inovação. Atualmente ocupamos o 13º lugar mundial em produção científica e temos potencial para melhorar esta posição.

O aluno selecionado para cursar graduação na Hungria, Túlio Silva Soares, afirma que a FESP e o mercado de trabalho transformaram sua maneira de ver o mundo e que colhe os frutos de uma dedicação que só quem esteve ao seu lado sabe como foi intenso e realizador. “Estudar e trabalhar no exterior em uma cidade fantástica como Budapeste será uma grande oportunidade. Só tenho que agradecer a Deus e expressar minha imensa gratidão à FESP e em especial a Marisa da Silva Lemos, Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras da FESP e ao Jornalista/Assessor, Étory Zaghi, que em momento algum mediram esforços para me dar apoio e auxilio nos processos burocráticos de inscrição. Agradeço também aos professores do meu Curso de Inglês e, principalmente, à minha família, namorada e amigos que sempre acreditaram em mim e acompanharam minha dedicação”, disse.

O aluno, Gabriel Bernardes Costa, aprovado no edital para a França, também está animado. "A graduação sanduíche é um multiplicador de oportunidades. O aprimoramento do idioma francês é a chance de estudar em uma instituição com excelência internacional, será no mínimo incrível”, comenta.

Guilherme Thadeu Bispo, de 21 anos, esta concluindo o 9º semestre e está muito feliz com a oportunidade de estudar no exterior através do Programa Ciência sem Fronteiras, pois irá expandir seus conhecimentos e aperfeiçoar o idioma inglês. “Agradeço primeiramente a Deus, aos familiares e amigos que sempre o apoiaram, também a Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras da FESP, Marisa da Silva Lemos, ao Jornalista/Assessor, Étory Zaghi e ao estudante intercambista do Programa Ciência sem Fronteiras que está nos Estados Unidos, Eridano Valim Maia. Agradeço também aos amigos Luiz Guilherme Pimenta Pereira, Daniele Paulino Donato e Maisa Silva Mariano que sempre o ajudaram e apoiaram durante o processo”, declara o estudante. 

O Programa Ciência sem Fronteiras prevê a disponibilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que os alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior, com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. As bolsas de estudo no exterior têm como objetivo fortalecer e expandir as iniciativas em ciência, tecnologia, inovação e competitividade através da mobilidade internacional dos estudantes.

Os alunos interessados em estudar no exterior por meio do Programa Ciência sem Fronteiras / FESP, poderão obter orientações através da Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, o CPEX, na Rua 3 de Maio, número 33, Centro de Passos – Telefone (35) 3529 – 8080. 

FONTE: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP - CPEX.



O governador Anastasia reconheceu o papel articulado pelo professor Fábio Pimenta Esper Kallas junto aos estudantes em Passos na retomada das negociações pela estadualização em 2009. "Eu me lembro muito bem de ser recebido pelos estudantes da Fesp e pelo prof. Kallas em um auditório "regurgitante" de tanta gente. Foi uma grande emoção e naquele momento fiz meu compromisso. Eu não prometo muitas coisas mas todas que prometo eu cumpro e hoje estou cumprindo esta reivindicação que é legítima e importante para toda Minas Gerais”, declarou.

A absorção das fundações educacionais possibilitará a melhor gestão dos cursos e a adequada avaliação de suas necessidades e ofertas pela Uemg, que se tornará a terceira maior universidade de Minas em número de alunos, atrás das universidades federais de Minas Gerais (UFMG) e de Uberlândia (UFU).

“Feito o processo, do ponto de vista prático e concreto, significa que estamos absorvendo os funcionários, as instalações, assumindo as despesas, mas, muito mais, nós queremos um processo pedagógico cada vez mais inovador e que sustente a prosperidade e o desenvolvimento de Minas”, destacou Antonio Anastasia.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, explicou que com a estadualização, a Universidade do Estado de Minas Gerais passará a atender de forma pública e gratuita em mais seis cidades mineiras, oferecendo cursos na área de saúde, como biomedicina, enfermagem, psicologia, fisioterapia e nutrição. A absorção será feita de modo integral e definitivo.

“Eu diria que esse é o momento histórico. Mais do que o resgate de um compromisso, a estadualização das fundações representa incluir na agenda de governo, de forma definitiva, o tema do ensino superior. E esse é o tema fundamental, a ferramenta talvez mais importante para que possamos alavancar o ingresso de Minas na sociedade do conhecimento”, ressaltou o secretário.

Após a estadualização das seis fundações, o número de alunos da Uemg passará dos atuais 5.600 para 15 mil. O número de cursos de graduação oferecidos saltará de 32 para 112 graduações, e o de professores subirá de 853 para 1800. Atualmente, a Uemg também oferece cursos de pós-graduação lato sensu, mestrados em Design, Educação e Engenharia de Materiais e um de doutorado em Engenharia de Materiais.

O reitor da Uemg, Dijon Moraes Júnior, enumerou os diversos avanços pelos quais passou a universidade nos últimos anos. Além de autorizar a abertura de concurso com 590 vagas para professores, uma ação inédita para a universidade, propiciou qualificação docente. “O outro ponto que queria destacar foi a autorização do concurso para servidores. A universidade cresceu muito e precisava de ter esse apoio. O senhor também fez um gesto que pode parecer pequeno, mas determinante: autorizou para a Uemg a incorporação dos benefícios e gratificações na carreira do docente, após a inatividade, além da imediata adequação de nível de carreira após qualificação”, listou Dijon Moraes, que também leu uma mensagem de agradecimento ao governador escrita pelo primeiro reitor da Uemg, professor Aluísio Pimenta, presente na solenidade.  

Funcionários da FESP terão contratação temporária

Em entrevista coletiva após cerimônia de assinatura de projeto de Lei, Antônio Anastasia, explicou que na prática, após a publicação da lei, a estadualização significa a absorção de diversos cursos, dos alunos em dia com suas obrigações que passarão a ter ensino gratuito. Os professores também serão absorvidos e ficarão em regime de trabalho de designação até sua efetiva por meio de concurso. 

Anastasia confirmou que todos os funcionários administrativos serão demitidos e posteriormente contratados por tempo determinado, pois segundo ele, de acordo com a Constituição não é possível para o Estado contratações sem concurso. "Os funcionários administrativos vão, no primeiro momento, ser contratados e posteriormente certamente serão submetidos a concurso público", declarou.

O secretário Nárcio Rodrigues também falou em entrevista coletiva e afirmou que vai visitar todas as unidades a serem encampadas para abrir as discussões em torno do processo de implantação. "Na chegada aqui eu fui abordado por pessoas preocupadas com a absorção das equipes que hoje integram cada fundação e eu queria pedir as pessoas que fossem a Frutal para entender como foi a encampação. Não houve nenhum trauma, houve um processo tranquilo em que toda a estrutura pode ser absorvida, naturalmente com o enquadramento das regras que normatizam o funcionamento da Uemg, mas é um processo que toda a comunidade vai ganhar", declarou. 

O secretário destacou ainda o papel do professor Fábio, que segundo ele foi um grande parceiro, um excelente condutor das discussões em torno de todo o projeto e lembrou ainda que ele tem uma visão técnica ampla e também uma liderança política importante que soma forças em torno de um mesmo ideal. "O Fábio tem uma capacidade agregadora muito grande e isso foi fundamental neste processo, pois toda a equipe seguiu unida principalmente com os presidentes das demais associadas com todos eles trabalhando juntos", finalizou.

Já o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado estadual Cássio Soares, que é de Passos e assumiu a bandeira da estadualização como uma de suas principais propostas de trabalho, sempre fazendo solicitações ao Governador que se empenhasse em cumprir com a incorporação o mais breve possível. “Eu sei o quanto é difícil arcar com as despesas de um curso superior. E garanto que toda a região está feliz e comemorando pelo feito. Essa é uma de nossas principais conquistas, fruto da representatividade regional que temos hoje junto ao Governo”, afirmou.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Mais um passo no processo de estadualização do ensino superior em Minas Gerais foi dado nesta segunda-feira (08), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. O governador Antonio Anastasia assinou mensagem encaminhando à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei que prevê a absorção de seis fundações educacionais de Ensino Superior associadas à Universidade de Minas Gerais (Uemg). O objetivo da medida é difundir o conhecimento e contribuir para a produção científica em todo o Estado.

As fundações a serem absorvidas são dos municípios de Campanha, Carangola, Diamantina, Divinópolis, Ituiutaba e Passos. A incorporação, segundo o governador, é uma demanda que surgiu com a criação da Uemg, em 1989. “Desde lá até agora, decorridos quase 30 anos, tivemos muitas batalhas e dificuldades, mas nem por isso desistimos. Ao contrário, nos empenhamos, nos desdobramos, fomos ousados, corajosos e criativos para dar guarida à ansiedade maior: o ensino público de qualidade em nosso Estado”, afirmou Anastasia em seu pronunciamento para secretários de Estado, representantes das fundações de ensino superior e estudantes.

O governador disse ainda que a estadualização foi um compromisso assumido durante seu mandato e que, com o apoio dos parlamentares, até meados do próximo ano o processo deverá ser concluído.

Presidente da FESP abriu evento representando as associadas

O presidente do Conselho Curador da Fesp, professor Fábio Pimenta Esper Kallas, falou em nome das unidades a serem encampadas e começou seu pronunciamento afirmando seu orgulho e honra por ter feito parte da equipe de governo de Antônio Anastasia e ainda por ser responsável pelo projeto de estadualização das associadas. "Foi uma honra ter participado durante um ano e meio deste governo extraordinário, sério, competente e acima de tudo compromissado com a educação", declarou. 

Fabio lembrou da ADIN 2501 que retirou as associadas do Conselho Estadual de Educação e as levou ao Conselho Federal trazendo grande instabilidade e apreensão as fundações. "Desta grande dificuldade, desta falta de caminho tão grande encontramos o então vice-governador Antônio Anastasia que abriu as portas de seu gabinete e resolveu nossas dificuldades com a lei do associativismo que nos colocou com todos os direitos junto a Uemg novamente e renovou nossos sonhos de estadualização", discursou. 

O presidente do Conselho Curador declarou ainda que renasceu naquela ocasião o processo de construção da universidade pública em Minas Gerais, com a criação do Prouemg. O projeto de bolsas, segundo ele, é “invejável, justo e que ajuda o aluno realmente carente, dando a ele condições de ocupar uma vaga no ensino superior a exemplo da Fesp que hoje tem mais de 800 alunos com bolsas de até 50% do Prouemg”. 

Fábio também agradeceu aos colegas da subsecretaria e de todas as áreas do governo, especialmente a secretaria de planejamento e a advocacia do Estado pelo apoio no desenvolvimento em conjunto da estruturação do projeto.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  setembro 2020  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829301234
567891011