A CPEX, Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, informa que no ano de 2013 foram inscritos 164 alunos para concorrer aos programas que disponibilizam bolsas de iniciação científica. Este ano já foram 99 bolsas com incentivo financeiro disponibilizado aos alunos. A FESP em cinco anos alcançou um novo recorde em submissão de trabalhos de pesquisa e extensão. Os órgãos financiadores associados à instituição que incentivam a promoção ao desenvolvimento científico e tecnológico com projetos em diversas áreas são a FAPEMIG, UEMG, FESP e CNPq. 

De acordo com o Diretor do Núcleo Acadêmico de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da FESP, Eduardo Goulart Collares, o aluno da FESP amadureceu muito no decorrer destes últimos anos com relação à importância dos trabalhos de pesquisa e extensão na sua formação profissional e no seu currículo. Este número recorde de inscrições é um reflexo disso.

A FESP distribui 30 bolsas através do Programa PIBIC / FAPEMIG, 15 bolsas para o Programa BIC Júnior / FAPEMIG, 19 bolsas para o Programa PAPq / UEMG em pesquisa, 20 bolsas  para o Programa PAEx / UEMG voltado para projetos de extensão, 7 bolsas para o Programa PIBIC / FESP em pesquisa, 5 bolsas para o programa PAEx / FESP para o desenvolvimento em projetos de extensão e 3 bolsas para o programa do CNPq. 

O programa da FAPEMIG visa selecionar candidatos para o preenchimento de bolsas de Iniciação Científica, seu objetivo é induzir e promover a pesquisa e a inovação científica e tecnológica para o desenvolvimento do Estado de Minas Gerais. No ano de 2013, 45 alunos bolsistas se inscreveram.

O programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica da Universidade do Estado de Minas Gerais – PAPq / UEMG e PAEX/UEMG aconteceu entre os dias 15 à 18 de março de 2013 na FESP, com submissão de trabalhos científicos voltados a pesquisa e extensão. Foram disponibilizados 20 Bolsas de Pesquisa e 19 de Bolsas para Extensão. O objetivo do programa é promover a pesquisa e a extensão de modo a contribuir para a formação de cidadãos comprometidos com o desenvolvimento e a integração dos setores da sociedade e das regiões do estado. Este ano foram 99 inscritos para os programas.

O Programa PIBIC / CPNq tem como missão Fomentar a Ciência, Tecnologia e Inovação e atuar na formulação de suas políticas, contribuindo para o avanço das fronteiras do conhecimento, o desenvolvimento sustentável e a soberania nacional. O edital para submissão de projetos para o CNPq, está previsto para o mês de julho de 2013 e somente professores doutores podem concorrer.

A Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP, Marisa da Silva Lemos acredita que o aumento do número de submissão dos projetos este ano é resultado de uma conscientização que esta Coordenação vem realizando realizada através de palestras nos cursos de graduação sobre a importância da participação em projetos de pesquisa e extensão na vida acadêmica de nossos alunos.

Outro dado importante destes programas é que foram disponibilizados um total de 9 bolsas para pesquisadores e extensionistas, sendo 3 para professores extensionistas e 6 para professores pesquisadores.

Em 2013, a Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP, o CPEX, selecionou alunos do ensino médio para participarem do Programa de Bolsa de Iniciação Científica BIC Júnior / FAPEMIG / FESP. Foram 20 alunos do ensino público do Colégio Tiradentes inscritos para concorrer a 15 bolsas de Iniciação Científica. O objetivo do Programa é favorecer estudantes do ensino médio de escolas públicas federais, estaduais e municipais mediante processo de seleção no desenvolvimento da vocação científica, ampliando sua formação em ambientes de pesquisa. 

 

Alunos inscritos nos editais da UEMG e FAPEMIG

ANO           UEMG PESQUISA UEMG EXTENSÃO  FAPEMIG       TOTAL

2009                  62                         67                      -                129

2010                  41                         34                     27               102

2011                  34                         53                     40               127

2012                  32                         26                     37                95

2013                  60                         39                     45               164

 

FONTE: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP - CPEX



O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, apresentou as obras do Novo Campus da Fundação de Ensino Superior de Passos a um grupo de alunos do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Imaculada Conceição (CIC) de Passos.

Durante a visita institucional, que aconteceu na última terça-feira (23), os estudantes puderam conhecer as futuras instalações da FESP, localizadas no Centro Integrado de Recreação e Esportes (CIRE), e se surpreenderam com a grandeza do projeto e com a estrutura inovadora no que tange à sua construção.

Enquanto caminharam pela obra, guiados pelo professor Fabio Kallas, os futuros graduandos tiveram explicações não só de como será o Novo Campus da FESP concluído, mas também de como os três prédios estão sendo erguidos diariamente por 125 funcionários, sendo 22 deles encaminhados pela Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC).

Gilson Henrique Martins, encarregado da obra do Novo Campus, explicou aos visitantes que as salas de aula terão a lateral cercada de vidros espelhados permitindo aos alunos a visibilidade da área social do CIRE de um lado e, de outro, a paisagem verde do Parque Dr. Emílio Piantino, área cuidada pela FESP. “A intenção do professor Fabio Kallas é dar ao aluno a visibilidade da natureza sem que ele tenha sua atenção desviada”, disse o encarregado.

“A ideia que o professor Fabio teve fazendo as salas de vidro espelhado, com a vista para fora, é bem interessante. Essa obra é bastante surpreendente! Eu não imaginava que esta estrutura fosse tão grande!” Foi o que declarou o estudante Rubens Vasconcelos que ainda destacou a importância da visita como uma forma de colaborar na decisão que vai tomar em relação a sua futura profissão. “Eu estou quase certo de que vou fazer Engenharia Civil e vir aqui me deu uma boa noção pra continuar nesse rumo”, contou Rubens.

Sílvia Marina Figueira, que também está considerando a Engenharia como sua opção para graduação, concorda com o colega de que a visita ajuda a tomar a decisão final. “É impressionante. Achei bem legal porque eu não esperava ver tudo isso. Eu quero engenharia, por isso eu vim aqui conhecer, pra saber se é isso mesmo”, reforçou a aspirante Sílvia.

Assim como fizeram o grupo de alunos do CIC, toda comunidade está convidada a conhecer de perto a Fundação de Ensino Superior de Passos. A visita institucional é coordenada pela relações públicas Paula Monteiro e procura apresentar a excelência de ensino e o trabalho desenvolvido pela FESP. Os interessados podem agendar uma data entrando em contato pelo telefone (3529-6015) ou pelo e-mail: paula.monteiro@fespmg.edu.br

 

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



As irmãs Giovanna De Paula Marinho, Isabella de Paula Marinho e Micaella de Paula Marinho, acompanhadas por Fábio Fernandes Reis, no violão; Joshua Van Dijk, na bateria; Fábio Quintino de Freitas, no baixo e Thiago Henrique Wilke Souza, no acordeon, estudantes do Colégio Objetivo, venceram a nona edição do Festival Canta FESP de Interpretação de Música Popular Brasileira, 2013, com a interpretação da música “A Vida do Viajante”, de Luiz Gonzaga. Vestidas com roupas típicas do sertão nordestino, as meninas levantaram o grande público que lotou o Centro Integrado de Recreação e Esportes, o CIRE, da FESP. O local ficou completamente preenchido de estudantes e professores das 14 escolas participantes. 

O Canta FESP, já considerado evento tradicional em Passos, tem o objetivo de difundir o conhecimento da MPB entre estudantes da rede pública e privada, contribuindo para o enriquecimento do repertório desse público e também revelar talentos estudantis, o que tem tido boa repercussão.

Para a professora Leila Maria Suhaldolnik Oliveira de Andrade, uma das organizadoras do evento, o grande público que prestigiou o evento demonstra a consolidação do evento entre os jovens. Leila ainda disse que este ano as apresentações foram de alto nível e que todos os participantes competiram com grandes chances de vencer.

Concordando com a professora Leila Suhaldolnik, Matheus Grossi Aleixo, estudante do 5º período de Publicidade e Propaganda da FESP, membro do corpo de jurados, ressaltou a dificuldade que teve durante sua avaliação: foi uma disputa acirrada, as escolas vieram muito bem preparadas. 

O segundo lugar foi para a escola Dom João Sexto, de Alpinópolis, que interpretou a música “Pra Você Guardei o Amor”, de Nando Reis, e ganhou o prêmio de R$ 400,00. O terceiro para o Colégio Del Rey, de Passos, que recebeu R$ 300,00 pela interpretação da música "Disparada", de Geraldo Vandré. Foram premiados ainda o Colégio Imaculada Conceição, o Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Passos, que também levou o prêmio de Melhor Torcida, a Escola Estadual Júlia Kubitschek e a Escola Estadual São José.

As intérpretes fizeram sua estréia vitoriosa no Festival e disseram que o grande mérito foi a dedicação nos ensaios. “É a primeira vez que nós partiipamos de um Canta FESP e pra gente foi uma grande alegria. A gente ensaiou, batalhou e o que fez a diferença foi a nossa união porque a gente se esforçou pra esta aqui. A gente deu o nosso melhor”, justificou a campeã Isabella. 

No segundo semestre, a FESP realiza também Festival de Composição, para canções inéditas. O Projeto Canta FESP é um incentivo à cultura, ao lazer e ao conhecimento da história musical brasileira.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



O presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas, entregou o prêmio de melhor curta estudantil para os alunos e professores da Escola São José. A produção “O Anel”, feita para o Festival Selton Mello de Vídeo da FESP, realizado em 2011 foi vencedor da Mostra Nacional do IV Festival Internacional Estudantil de Cinema de Barra do Piraí (RJ). Os alunos responsáveis pelo vídeo receberam troféu e cheque no valor de dois mil reais.  

Durante a cerimônia, na qual estiveram presentes os coordenadores do Festival Selton Mello de Vídeo FESP, Paulo Henrique Baldan Vallim e Diovany Resende Rodrigues, o presidente Fabio Kallas felicitou a conquista dos estudantes e ressaltou que a FESP desenvolve seus projetos com o objetivo de estreitar os caminhos entre ensino básico e superior, além de difundir a cultura e a educação fora do ambiente fechado das escolas. “A prática ensina muito e é bom destacar que a qualidade das produções feitas aqui tem sido extraordinária. Isso mostra que temos talentos nas nossas escolas e que somos competitivos. A Escola São José merece os parabéns por mostrar para nós que o talento está espalhado e nós precisamos oportunizar para que cresçam”, declarou Fabio.

O diretor da Escola Estadual São José, professor Fabiano Amorim Costa orienta projetos para o Festival Selton Mello de Vídeo da FESP desde sua primeira edição e afirmou que o festival, incentiva à criatividade abrindo horizontes para os alunos. “É muito bom porque os alunos podem sair da rotina da sala de aula, despertam para novas possibilidades, como seguir uma carreira profissional como cineasta, por exemplo. Nós da escola estamos muito orgulhosos. Este prêmio é muito importante e traz reconhecimento para o trabalho dos nossos estudantes”, afirmou.

Orgulho também foi o que sentiu o estudante Jean Maia, que dirigiu e produziu o curta “O Anel”. De acordo com Jean o prêmio foi uma surpresa recebida com muito entusiasmo.  “Comemoramos com muita emoção. Queremos que isso fique como um exemplo para a galera que está vindo agora. Que este prêmio seja um incentivo para os estudantes que vão participar do Festival Selton Mello de Vídeo em 2013, para eles saberem que tem coisas além do português e da matemática que tem na sala de aula”, reforçou Jean.

Os colegas Crislei Henrique Guimarães Silva e Jean Lucas, integrantes da equipe que produziu o vídeo vencedor também estavam orgulhosos. Crislei disse que a repercussão do prêmio é grande e que é um combustível para continuar a busca pelos seus sonhos. Jean Lucas manifestou sua gratidão pela Escola São José e deixou um recado para os atuais participantes do Festival Selton Mello de Vídeo. “Tentem, usem a criatividade e mostrem que Passos tem talento e potencial para cativar e conquistar as pessoas por meio do audiovisual”, incentivou orgulhoso.

FONTE: Departamento de Comunicação e Marketing FESP/UEMG

Veja as fotos na Galeria de Imagens da FESP. CLIQUE AQUI.



Representantes do Programa Ciência sem Fronteiras, da CAPES, CNPq e Embaixada dos Estados Unidos se reuniram em Belo Horizonte no dia 20 de abril na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Campus Pampulha com os coordenadores deste programa das instituições de ensino. Como representante da coordenação deste programa na FESP, tivemos a participação do Jornalista/Assessor do setor de Relações Internacionais da CPEX/FESP, Étory Zaghi.

Étory relata que o objetivo do encontro foi discutir temas relacionados aos aspectos acadêmicos do retorno dos alunos bolsistas no exterior como: integração no campus universitário, créditos das disciplinas cursadas no exterior, relacionamento com o colegiado da instituição brasileira, informações sobre o regresso do aluno, reinserção universitária, aspectos operacionais como o apoio da instituição no Brasil, das agências financiadoras, do IIE e das universidades americanas integradas ao programa.

Estiveram presentes o Diretor do Departamento de Cultura, Educação e Imprensa da Embaixada dos Estados Unidos da América, John A. Matel, a Assessora Cultural Senior da Embaixada dos Estados Unidos da América, Vera Galante, a Coordenadora de Orientação Educacional Regional da América do Sul – Education USA, Rita Moriconi, a Consul para Minas Gerais, Merry Miller, Coordenadores e Representantes de Relações Internacionais do Programa Ciência sem Fronteiras em Universidades e Instituições mineiras e os bolsistas representantes do estado de Minas Gerais que acabaram de retornar dos Estados Unidos. 

A avaliação dos alunos foi positiva quanto à participação no Programa Ciências sem Fronteiras. Agradeceram as instituições e ao Governo Federal, que juntos proporcionaram novas possibilidades educacionais no país, motivando o desenvolvimento acadêmico e pessoal dos estudantes. Os dirigentes comentaram que o programa por estar em fase inicial, ainda é necessário realizar alguns acertos para que o funcionamento e intenções sejam acolhidos de forma rápida e operacional. De acordo com Vera Galante, representante da CAPES, o Programa Ciências sem Fronteiras está aperfeiçoando suas atividades e irá melhor a cada ano para atender a todas as solicitações e condições implicadas nos editais.

Referente aos aspectos acadêmicos abordaram as necessidades de um relacionamento maior entre os alunos e suas instituições. A ideia é que o aluno não saia do país sem um plano de trabalho, e que esteja totalmente alinhado com o colegiado de sua instituição para quando retornar seja fácil inserir os créditos das disciplinas cursadas no exterior. Sendo assim, a sugestão é reconhecer e integralizar as atividades realizadas em outros países e aplica-las no currículo do aluno. 

Eduardo Viana Vargas, Diretor de Relações Internacionais da UFMG, a instituição comenta que a instituição não autoriza a ida do aluno para o exterior sem antes ter um plano de trabalho prévio constituído, mesmo que este plano possa ser alterado no futuro. A integração entre aluno e a universidade é importante para o andamento das atividades. Comenta que os alunos da primeira chamada seguiram viagem sem plano de trabalho e encontraram algumas dificuldades pelo caminho.

Ao chegar ao país de destino os alunos terão um representante do Programa Ciência sem Fronteiras para recebê-los e orientá-los quanto as suas instalações, atividades acadêmicas, entre outras ações. Ele será o interlocutor social do aluno com a instituição no exterior. O objetivo é facilitar a integração entre as partes. Alguns alunos comentaram sobre que o retorno ao Brasil o calendário acadêmico americano termina em setembro, já no Brasil as aulas iniciam-se em agosto, mas todos conseguiram flexibilidade das instituições para reiniciar suas atividades.

Durante a reunião, Étory Zaghi, apresentou ao grupo que a instituição (FESP) possui o controle dos alunos que estão no exterior. Atualizamos e alinhamos os planos de trabalho, fazemos um diagnóstico acadêmico e pessoal das experiências vividas por eles através de questionários mensais enviados por email, utilizamos uma comunicação quase que diária através das redes sócias e grupos de discussões. Estas ações são fundamentais para o desempenho acadêmico positivo destes estudantes no exterior. 

A Capes lembra também que o programa está possibilitando a troca de conhecimentos entre o Brasil e outros países. A apresentação de novas universidades favorece o crescimento de experiências inéditas e aperfeiçoamento profissional. A intensão é adaptar métodos criativos para as nossas instituições e mercado profissional, afirma a representante da CAPES, Vera Galante. Para John A. Matel representante da Embaixada dos Estados Unidos, o diagnóstico do programa é positivo. Comenta que os resultados são surpreendentes e a integração realizada através da Presidente Dilma Rousseff com alunos e instituições parceiras são fundamentais para a concretização dos objetivos do programa.

De acordo com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESP e Coordenadora do Programa Ciência sem Fronteiras na FESP relata que a participação da FESP nesta reunião foi de fundamental importância para que possamos orientar nossos alunos com as experiências vividas no exterior pelos bolsistas participantes deste programa.

A FESP acredita que o encontro esclareceu pontos importantes para o desempenho dos alunos no exterior. O Diretor de Núcleo Acadêmico de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, Eduardo Goulart Collares, reafirma o compromisso da FESP com os seus graduandos em relação ao Programa Ciências sem Fronteiras; estamos muito empenhados em encaminhar o maior número possível de alunos para o exterior, está é uma oportunidade única e não podemos perder o “bonde”, por isto estamos capacitando cada vez mais o nosso pessoal para cumprir todos os requisitos do CNPq e orientar adequadamente os nossos alunos. 

FONTE: Coordenação de Pesquisa e Extensão da FESP - CPEX



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  janeiro 2019  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910