Professora Luciana Ricardino e Professor José de Paula coordenadora do CVT e Saúde e coordenador do CVT de Passos FESP.

O projeto “CVT e Saúde” é uma proposta de utilização da rede para difusão de conhecimento e informação, com palestras, entrevistas e exibição de reportagens produzidas pela equipe do programa de TV FESP em Ação, dirigido pela jornalista Selma Tomé, com a participação de estudantes de jornalismo e de publicidade e propaganda.

Além dos vídeos, foram realizadas videoconferências, mediadas pela jornalista Luciana Ricardino, com professores da FESP e participação de todas as 84 unidades da rede. “É um projeto muito interessante. Foi muito bom que o projeto fosse transmitido para todos os CVTs através da videoconferência, levando conhecimento à maior parte da população”, avalia o coordenador da Central de Projetos da Secretaria Estado Ciência Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Cícero Teixeira.

“O ponto forte do projeto foi a interatividade com a população que é chamada a participar das videoconferências. Estamos todos muito felizes com o resultado do projeto e com o reconhecimento de representar nosso núcleo regional entre os 7 melhores projetos”, avalia a professora Luciana Ricardino.

O coordenador do CVT da FESP, José de Paula Silva ressaltou a importância social do projeto. “A proposta do projeto é de alguma forma contribuir com a quebra do ciclo ‘pobreza-miséria-doença’, cujo CVT pode contribuir levando o mais importante: o conhecimento e o fundamental na participação dos alunos é que isto pode ser incorporado à prática porque podem conhecer uma ferramenta de comunicação importante que é a videoconferência. Para 2012 esperamos que o curso todo possa ser o parceiro através das atividades acadêmicas coordenando as ações e usando o CVT como um laboratório de prática de comunicação”, afirma. O projeto foi apresentado na semana passada, no Festival de Projetos da Rede CVT, em Belo Horizonte. “O Estado de Minas Gerais não sabe do potencial que tem com esta rede dos centros vocacionais tecnológicos que a gente chama de rede CVT. Nós somos a maior rede de CVT do Brasil pronta, preparada e situada em todo o estado”.

Fotos do evento AQUI na Galeria de Imagens da FESP

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O Secretário de Estado Ciência Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, deputado Narcio Rodrigues anunciou, durante o I Congresso Mineiro de Ensino Superior, a reestruturação da Rede CVT (Centro Vocacional Tecnológico) cujas unidades serão transformadas em pólos de ensino à distância.

A rede CVT conta atualmente com 84 unidades espalhadas por todas as regiões do Estado. Segundo Narcio, a meta é ampliar a rede para 100 CVTs até 2013 e realizar uma reestruturação na plataforma. “O que era inclusão digital será convergência digital e o que era núcleo de empreendedorismo vai passar a ser Agencia Local de Inovação em parceria com o SEBRAE e o mais importante, o que era uma sala de videoconferência serão duas salas de educação a distancia por CVT. A idéia é transformar os CVTs em pólos de Educação a Distancia em toda Minas Gerais, ampliando a oferta de línguas, cursos tecnólogos, graduação, pós-graduação e até doutorado a distancia, dar nova formação buscando conteúdos de primeiríssima qualidade para que o ensino a distancia tenha a mesma qualidade dos cursos presenciais e isso virá no bojo da reestruturação das universidades estaduais, quem vai assumir a Rede CVT é a Unimontes e a UEMG e isso virá na esteira do processo de estadualização da UEMG que vai começar em 2012, buscando já consolidar estruturas de instituições que hoje são filiadas, associadas à UEMG para ser incorporada pela estrutura da nossa universidade estadual. Cada uma, na sua área de atuação, terá a tarefa de colocar para funcionar a rede CVT como pólo de ensino à distância”, afirma o secretário.

Durante o Congresso foram expostos os projetos dos CVTS que se destacaram em 2011, entre eles o projeto do CVT da FESP que ficou entre os 7 melhores do estado.

Fotos do evento AQUI na Galeria de Imagens da FESP

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Congresso discute intercionalização do Ensino Superior.

O Congresso também marcou a assinatura de parcerias entre o Governo de Minas e a Universidade Aberta de Portugal, cuja reitora, a professora Carla Padrel de Oliveira, participou de uma importante discussão sobre a internacionalização do ensino superior através destas parcerias. “O maior desafio é encontrar os locais certos, com os currículos certos, com os programas adequados para aquilo que se pretende. Porque muitas vezes a questão da internacionalização é vista como, é preciso sair, é preciso ir para algum lugar, sem se ter a preocupação de ver se é adequado ou não para os estudantes, aos programas, e aos objetivos a que se pretende. Eu considero um desafio muito grande esse tipo de programa de internacionalização e da Ciência sem Fronteira, obviamente, pela dimensão que tem, encontrar os sítios mais adequados para que os estudantes possam aproveitar da melhor forma cumprindo os objetivos a que se propõe” disse a reitora.

O I Congresso Mineiro de Ensino Superior é uma realização da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas (Fapemig), com o apoio da Cemig, Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e do Ministério da Educação. “O que o secretario Narcio e o subsecretário Fabio estão fazendo para o Ensino Superior de Minas Gerais é o que precisa ser feito: dar as mãos, unir todas as instituições para que a gente possa avançar”, avalia a Superintendente de Inovação

Social de Minas Gerais, Lélia Inês Teixeira. A iniciativa também foi elogiada por todas as autoridades que passaram pelo plenário do auditório JK. “É um evento ímpar. É a primeira vez que a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior faz um congresso dedicado à educação superior e vinculando isso com as suas áreas mais importantes que é a educação básica por um lado, para a formação de recursos humanos qualificados e a pesquisa e a ciência de outro lado que é onde o conhecimento é gerado e pode ser transformado em riqueza para o Estado. Achei muito bom o evento, que as discussões foram muito produtivas e que é um evento que deve continuar ao longo do tempo porque essa luta pela educação, ciência e tecnologia é uma luta de muito tempo, é longa e demanda muito esforço e esse congresso tem dado uma contribuição nesse sentido”, afirma o professor Mário Neto Borges, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG).

“Eu acho que o Congresso cumpriu sua finalidade. E saímos daqui refletindo da importância de aproximar a universidade da sociedade, dos empresários, de todos os setores e o congresso cumpriu seus objetivos de forma plena”, afirmou o ex-reitor da Unimontes, professor Paulo César Gonçalves de Almeida.

“Eu espero que seja a primeira de várias. É muito importante reunir em um mesmo local os reitores que estão à frente das universidades, também os acadêmicos e de uma forma conjunta construir os melhores programas para as diferentes universidades. São várias universidade e todas diferentes com especificidades”, avalia a reitora da Universidade Aberta de Portugal, Carla Padrel.

A atuação do Fabio, na subsecretaria é mais um motivo de orgulho para nós de Passos e ter partido dele essa proposta do 1º Congresso para discutir o ensino superior em Minas Gerais, pois faltavam essas discussões e a reunião das universidades do estado, avalia o professor Manoel Reginaldo Ferreira, vice-presidente do Conselho Curador da FESP.

Fotos do evento AQUI na Galeria de Imagens da FESP

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Profa Marisa Recebe Medalha

Durante o Congresso foi lançado o selo Universidade Cidadã, para prestigiar as Instituições de Ensino Superior cujos projetos de extensão que envolvam a comunidade se destaquem. A solenidade contou com a presença do vice-governador Alberto Pinto Coelho. “O Selo Universidade Cidadão é um dos sonhos dourados do professor Darcy Ribeiro que tanto lutou pela democratização do ensino brasileiro retirando a universidade de sua torre de marfim. Ele diz: O Selo Universidade Cidadã é um claro incentivo a essa prática de extensão e universalização dos bens do conhecimento, desenvolvendo o senso de cidadania do corpo docente e o acadêmico de nossas universidades”, afirma Coelho.

Na ocasião também foi lançada a medalha Helena Antipoff, para homenagear professores que colaboram com o fortalecimento do Ensino Superior. O professor de matemática Wagner Bernardes Chagas foi o homenageado da FESP. “Fiquei muito emocionado por receber a medalha fazendo 39 anos de FESP e reconhecido neste título como serviços prestados ao estado de Minas Gerais”, disse o professor homenageado.

A professora Marisa Lemos, coordenadora do Centro de Pesquisas da FESP, foi pega de surpresa e recebeu a Medalha Helena Antipoff da presidente da UNI-BH, Sueli Baliza Dias pelo trabalho desenvolvido por ela na instituição quando foi pró-reitora. “Todo o projeto de Extensão da UNI-BH existe graças ao brilhante trabalho desenvolvido pela professora Marisa quando ela esteve na pró-reitoria”, disse.

Os professores e diretores de núcleo acadêmico da FESP Vivaldo Silvério Filho, Eduardo Goulart Collares, Manoel Reginaldo Ferreira, Tânia Delfraro e Anderson Jacob Rocha e a professora Marisa Lemos, coodenadora do Centro de Pesquisas da FESP, também participaram do evento. “Foi importante para visualizarmos em que a educação superior em Minas Gerais está contribuindo de forma importante para os avanços tecnológicos, para a questão do Ensino Superior atrelado à educação básica isso foi muito discutido aqui. O MEC está dando todo o suporte. É o primeiro passo para que a educação superior atinja todos os níveis”, afirma o professor Anderson Jacob Rocha. O Congresso Mineiro nos proporcionou uma visão macro de todas as áreas do Ensino Superior”, afirma Vivaldo Silvério de Souza Filho. “A temática foi extremamente importante para refletir o novo modelo de universidade que se pretende a nível de Minas Gerais e de Brasil”, avalia a professora Tânia Maria Delfraro.

Fotos do evento AQUI na Galeria de Imagens da FESP

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Congresso discute intercionalização do Ensino Superior.

I Congresso Mineiro de Ensino Superior reuniu autoridades do MEC, secretários de estado, reitores, professores e presidentes de instituições de fomento à pesquisa na discussão sobre os desafios e metas para a educação superior em Minas Gerais. O congresso foi realizado nos dias 27 e 28, na Cidade Administrativa Tancredo de Almeida Neves, em Belo Horizonte, e foi organizado pelo subsecretario de Estado Ciência Tecnologia e Ensino Superior, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

Durante os dois dias de evento a intensa discussão sobre o Ensino Superior aconteceu com debates, palestras e mesas-redondas sobre temas como o Plano Nacional de Educação (PNE); Educação à Distância e Educação Continuada; a Internacionalização do Ensino Superior; as Interfaces da Educação Básica com a Superior e os rumos da Pesquisa, Extensão e Inovação. “Este Congresso é um marco inaugural de incorporação do tema de Ensino Superior na agenda do governo do Estado e de estabelecimento de vínculos definitivos com o Governo Federal que marcou presença e com alianças estratégicas internacionais com a Universidade Aberta de Portugal. Então é um momento em que o governo estadual de forma efetiva coloca em sua agenda de prioridades o ensino superior uma reestruturação das universidades públicas e a estadualização completa dos campos da UEMG nos próximos anos, criando um novo ambiente para a formação de ensino superior. Vamos viver um novo tempo a partir de 2012, com o congresso organizado pelo subsecretário Fabio Kallas.Fechamos um ano em que soubemos preparar as nossas prioridades, estabelecer os nossos diagnósticos, as nossas parcerias”, afirma o secretário Narcio Rodrigues.

A abertura do evento contou com a presença do Secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa que apresentou um panorama de como está o ensino superior no país. Segundo ele, apenas o número de matrículas, nos cursos de graduação aumentou em 7,1% de 2009 a 2010 e 110,1% de 2001 a 2010, crescimento que pode ser atribuído a fatores como crescimento econômico, busca por mão de obra especializada; aumento do número de financiamento (bolsas e subsídios) aos alunos, como os programas Fies e ProUni e o aumento da oferta de vagas na rede federal. O secretário do MEC elogiou a iniciativa do congresso e o diálogo do Governo de Minas com o Governo Federal. “O secretário Narcio Rodrigues e o governador Anastasia da mesma forma o governo federal, a presidenta Dilma e o ministro Haddad os projetos são apresentados para o bem da população do estado e são projetos interessantíssimos, temos profunda afinidade, é muito bom ver o que está acontecendo na educação básica com a secretária Gazola. O Narcio é seriamente respeitado em Brasília e para nós é um prazer trabalhar com projetos em Minas e que irão avançar ainda mais o Estado”, afirma.

Fotos do evento AQUI na Galeria de Imagens da FESP

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  setembro 2020  >>
seteququsedo
31123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829301234
567891011