Com uma festa realizada no Clube Passense de Natação (CPN), que marcou a confraternização de fim de ano da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), foi oficializada na noite da última segunda-feira (19) a construção do novo campus da instituição que será uma obra moderna preocupada com a questão ambiental e irá praticamente triplicar a capacidade de salas de aula. Serão três prédios com 24 salas de aula cada.

O evento foi comandado pelo presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fabio Pimenta Esper Kallas que presidiu a frente de honra formada por diversas autoridades presentes, entre elas o Secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues. O prefeito de Guapé, Nelson Lara, representantes de diversos municípios da região, lideranças políticas e representantes do Banco do Brasil, que é o responsável por uma parceria que irá propiciar a construção do campus também estiveram presentes.

O lançamento teve início com a exibição de um vídeo institucional da FESP que mostrou o crescimento ocorrido nos últimos anos, bem como os projetos culturais, esportivos, ações sociais e projetos de pesquisa e extensão em andamento. Após o pronunciamento do presidente Fabio Kallas, do Secretário Narcio Rodrigues e do gerente do Banco do Brasil, Lanário José da Silva uma caixa simbólica foi composta com números de jornais e revista institucionais da FESP, um exemplar do jornal Folha da Manhã, com a reportagem sobre o lançamento do campus, diversos arquivos de registros audiovisuais como o programa “FESP em Ação” e diversos outros registros históricos que farão parte da pedra fundamental do novo campus. “Este é um momento histórico. A FESP tem sempre extrapolado nossas expectativas buscando o ensino de excelência, bem como a pesquisa e a extensão. Temos hoje 14 blocos espalhados pela cidade e chegou o momento. A FESP precisa ampliar. Estamos com o projeto de diversos cursos novos e precisamos de mais salas de aula. O processo desta etapa da obra começa aqui e no dia 2 de janeiro daremos início ao trabalho de construção”, disse Fabio Kallas lembrando que a estrutura com três prédios que será erguida numa área junto ao CIRE (Centro Integrado de Recreação e Esportes) totaliza aproximadamente 9 mil metros quadrados e a obra completa está orçada em cerca de 9 milhões de reais.

A obra será coordenada pelo Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, sob a responsabilidade do engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, vice-presidente do Conselho Curador e envolverá todo o Departamento de Obras da fundação que vem executando um trabalho eficiente, com rapidez e dinamismo ao longo do tempo e ainda terá a participação de grande parte dos professores da Faculdade de Engenharia bem como o acompanhamento dos estudantes. “É um sonho não só da FESP, mas de toda a cidade de Passos e região. O impacto de benefícios e os pontos positivos que trarão para os estudantes sem sombra de dúvida faz deste um dos maiores projetos que já tivemos na região.

ssinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro é um projeto moderno com a preocupação da questão ambiental, que irá envolver os alunos da Faculdade de Engenharia e os professores. A responsabilidade é grande, mas ela se torna muito prazerosa de ser cumprida porque envolve toda a comunidade da FESP trabalhando para que a fase inicial esteja pronta dentro de um ano e que lá seja alocado cerca de 5 mil alunos e que seja uma vitrine para Passos. A cidade merece esse presente”, comentou o diretor Manoel.

O grande alavanco da FESP nos últimos tempos chamou a atenção do Secretário Narcio Rodrigues que salientou que a instituição está preparada e com uma estrutura muito boa e que assim que a estadualização acontecer, provavelmente em 2014, a FESP passará a ser uma universidade pública de qualidade devido ao seu passado que permitiu essa construção de bases sólidas. “A FESP é hoje um modelo a ser seguido da oferta eficiente do ensino superior no interior de Minas Gerais. Esta obra é decisiva para preparar a FESP para alcançar o estágio tão almejado de se tornar, efetivamente, um campus da UEMG na região Sudoeste de Minas. Tenho certeza de que a experiência da instituição será a principal referência que nós tomaremos no momento de efetivar a estadualização da UEMG como um todo. Vemos que é uma associada que já compreende o papel da universidade pública para o desenvolvimento da comunidade, da promoção do desenvolvimento regional e, sobretudo para a qualidade do ensino superior, que é a grande alavanca de transformação da sociedade brasileira para o futuro”, comentou o secretário Narcio.

O investimento inicial possivelmente será feito através de linha de crédito automático do BNDES. “A operação já foi estudada no âmbito do Banco do Brasil e foi protocolada junto ao BNDES. Provavelmente será liberada no mês de janeiro”, explicou o Gerente de Governo do Banco do Brasil, Welington Morais Lima.

A FESP, por entender sua missão de educação e formação de pessoas na sua integralidade, optou por utilizar também mão de obra de presidiários que serão capacitados por professores da instituição, através do Projeto Educar e Construir, coordenado pelo professor Ivan Francklin Júnior, que é coordenador do curso de Engenharia Civil. Será uma oportunidade para os presidiários de além de adquirir aprendizado ganharem uma profissão, salário e redução de pena a ser cumprida.

O Projeto

A maquete eletrônica do novo campus foi apresentada durante a solenidade O entorno de cada prédio será destinado a pátios e estacionamentos e será

A FESP HOJE

A Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP), associada à Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) é hoje referência no ensino de toda a região do Sudoeste Mineiro. Com 23 cursos de graduação e outros tantos de pós-graduação o corpo docente é composto por professores com titulação que desenvolve um ensino alicerçado com a prática da pesquisa e extensão.

Possui 14 blocos onde funcionam além das salas de aula, departamentos administrativos, biblioteca e laboratórios. De acordo com o presidente do Conselho Curador Fábio Pimenta Esper Kallas, a FESP tem hoje uma enorme capacidade de investimento e execução de projetos. À frente da Subsecretaria de Ensino Superior, o professor Fabio trabalha para o andamento do processo de estadualização das associadas que deve começar a partir de 2012. A FESP provavelmente deve ser estadualizada em 2014. O subsecretário planeja uma transição que possa dar continuidade a uma série de investimentos realizados não só pela FESP, mas por todas as unidades associadas.

A marca da escola é hoje a Responsabilidade Social promovendo diversos projetos culturais, esportivos e de ação social que integram os estudantes junto à comunidade local e regional.

preservado ao máximo o patrimônio verde do local. “A forma do Edifício nasceu de uma avaliação do local, a situação geográfica especifica para o volume, o parque Dr Emilio Piantino com que faz divisa e a exuberância das árvores que formam a paisagem a ser ocupada pelas novas Edificações. A leve curvatura das fachadas imprime movimento que pretende adicionar um timbre diferenciado para uma solução modular simples”, explica o arquiteto.

Cada prédio consta de três pisos – térreo, 1º pavimento e 2º pavimento com acesso através de rampa e entrada em dois níveis.

 

 

 

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A construção do campus unificado da FESP vai envolver uma grande ação social na cidade de Passos com a participação de presidiários condenados que serão capacitados com curso profissionalizante e vão trabalhar no canteiro de obras. O projeto “Educar e Construir” da FESP será lançado nesta segunda-feira à noite, durante a solenidade de lançamento oficial do Projeto de Construção do Campus da FESP. “Mais uma vez a FESP promove um projeto de reinserção social. Estamos otimistas com a parceria com a administração do Presídio de Passos. Ao mesmo tempo em que contribuímos para o problema da falta de mão de obra especializada na construção civil, daremos oportunidade para que esses jovens possam adquirir uma profissão para o futuro”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

A participação do presídio de Passos vai contribuir para a redução da pena dos presos condenados que participarem do projeto. “A cada três dias trabalhados, um a menos na condenação. Esta é uma grande oportunidade porque envolve também a capacitação dos detentos que vão sair com uma profissão”, explica a psicóloga Nágila Medeiros Couto, diretora de Atendimento e Ressocialização do Presídio de Passos.

Para o Diretor Geral do Presídio de Passos, José Vicente de Souza, a ação vai atingir positivamente toda a comunidade. “Com esta proposta de ressocialização pela qualificação, o preso já sai com uma profissão, com um futuro melhor”, avalia.

“Através da Educação e do Trabalho conseguimos contribuir não só com o futuro dos presidiários, mas de toda a nossa sociedade que hoje passa por uma onda de violência e que vai receber este preso depois do cumprimento da pena”, reforça a coordenadora do Núcleo de Ensino e Profissionalização do Presídio de Passos, Kátia Pereira.

Segundo o coordenador do projeto, o engenheiro Ivan Francklin Júnior, a parceria entre FESP, o Governo do Estado, o CREA-MG (Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais), o setor industrial/empreendedor representado pela Construtora CMP e o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil resultou na elaboração de um projeto para formação e capacitação de mão de obra regional, para fomentar o desenvolvimento do setor no sudoeste mineiro. “O objetivo geral é contribuir para o desenvolvimento regional da indústria da construção civil através da formação e capacitação de profissionais de mão de obra para atuação nas diferentes áreas da construção civil  como: servente de obras, pedreiro, carpinteiro, armador de estruturas de concreto armado, ladrilheiro, pastilheiro, encanador, eletricista de instalação de edifícios de baixa tensão, pintor de obras”, explica.

O curso será dividido em 18 módulos e contempla aulas teóricas, práticas em laboratório da FEP (Faculdade de Engenharia de Passos) e práticas em canteiro de obra. Cada módulo contempla uma apostila que será entregue ao aluno. Além dos conteúdos específicos da construção civil, serão oferecidas também disciplinas de segurança do trabalho, meio ambiente, cidadania, inclusão social e inclusão digital.

Inicialmente o projeto será aplicado aos detentos condenados do presídio de Passos-MG em parceria com a SEDS – Secretaria de Estado de Defesa Social e a funcionários do setor de obras da FESP, posteriormente será aberto para funcionários do setor regional da construção civil, priorizando os funcionários da Construtora CMP. “Não haverá separação entre os presidiários e os funcionários, todos assistirão aulas práticas e teóricas em conjunto, usando, inclusive as mesmas roupas de prevenção a acidentes de trabalho quando já estiverem no canteiro de obras”, afirma o engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, diretor do Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, responsável pela construção do campus, ressaltando a importância social da integração da equipe.

Estarão envolvidos neste projeto 14 professores da FESP, além de técnicos e funcionários administrativos e pelo menos cinco estagiários de Engenharia Civil. “Para os alunos será uma grande oportunidade de participar de uma obra histórica para a FESP e para toda a região, eles poderão acompanhar todas as etapas e atividades da produção da edificação, desenvolvendo também o que nós chamamos de diário de obra, um relatório de aproveitamento de cada dia de trabalho. O trabalho no campo é muito importante para o aluno desenvolver a capacidade de interpretar o que é visto na teoria e aplicar na prática”, ressalta o engenheiro Leandro Mendes, professor e coordenador de estágio do curso de Engenharia Civil.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A Fundação de Ensino Superior de Passos, FESP, lançará oficialmente nesta segunda-feira (19) o projeto de construção do Novo Campus Universitário que vai abrigar no futuro todas as unidades da FESP, hoje espalhadas por 14 blocos diferentes pela cidade. Inicialmente, a FESP construirá 3 prédios com 24 salas de aula cada um, totalizando 72 novas salas de aula para 2013. “A FESP tem uma necessidade urgente de salas de aula, visto que estamos com novos cursos e o número de alunos vem aumentando ano a ano devido à credibilidade que nossa instituição conseguiu com esforço de seus professores e  funcionários administrativos ao longo destes últimos anos. Também será lançada a Caixa da Pedra Fundamental do Novo Campus, onde serão depositados documentos que estabelecem os fatos atuais de nossa cidade e região, comentários e mensagens dos presentes no evento.

A solenidade comemorativa será nesta segunda-feira, dia 19 de dezembro de 2011, no Clube Passense de Natação, com a presença de diversas autoridades. Este é um marco na história da FESP e de todo o sul e sudoeste do Estado. Vamos atender a este grande anseio de toda comunidade em dar à FESP um Campus que nossa escola merece, onde possamos  concentrar nossos alunos em suas atividades de aprendizado, as salas de aula, a biblioteca, os laboratórios. Esta nova estrutura oferecerá aos nossos estudantes uma condição especial de aprendizado. É um momento de grande comemoração”, afirma o presidente do Conselho Curador da FESP, professor Fábio Pimenta Esper Kallas.

O campus universitário será construído onde hoje é o Centro Integrado de Recreação e Esporte, CIRE. A obra terá início em janeiro de 2012 sob coordenação do Núcleo Acadêmico de Tecnologia e Engenharia da FESP, sob responsabilidade do engenheiro Manoel Reginaldo Ferreira, vice-presidente do Conselho Curador.

O investimento inicial será de aproximadamente R$9 milhões para viabilizar os 3 prédios que começarão a ser construídos imediatamente. Possivelmente, através de linha de crédito automático do BNDES, “A operação já foi estudada no âmbito do  Banco do Brasil e foi protocolada junto ao BNDES. Provavelmente será liberada no mẽs de janeiro”, explica o Gerente de Governo do Banco do Brasil, Welington Morais Lima.

A FESP, por entender sua missão de educação e formação de pessoas na sua integralidade, optou por utilizar também mão de obra de presidiários que serão capacitados por seus professores, através do Projeto Educar e Construir, coordenado pelo professor Ivan Francklin Júnior, ganhando assim, além do aprendizado de uma profissão, salário e redução de pena a ser cumprida.

O Projeto

O Novo Campus tem projeto assinado pelo arquiteto Sérgio Loureiro também professor da escola de Engenharia da FESP. O entorno de cada prédio será destinado a pátios e estacionamentos e será preservado ao máximo o patrimônio verde do local.

“A forma do Edifício nasceu de uma avaliação do local, a situação geográfica especifica para o volume, o parque Dr Emilio Piantino com que faz divisa e a exuberância das árvores que formam a paisagem a ser ocupada pelas novas Edificações. A leve curvatura das fachadas imprime movimento que pretende adicionar um timbre diferenciado para uma solução modular simples”, explica o arquiteto.

Cada prédio consta de 3 pisos – Térreo, 1º pavimento e 2º pavimento com acesso através de rampa e entrada em 2 níveis.

A maquete eletrônica, com detalhes do projeto será apresentada para a comunidade na segunda-feira à noite, durante o lançamento oficial do Projeto do Novo Campus.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O Laboratório de Hidráulica da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) passou recentemente por uma manutenção em seus equipamentos para conferir maior precisão e rigor nas pesquisas e experimentos realizados. Os equipamentos do laboratório foram desenvolvidos pela USP de São Carlos na década de 1970 e não são mais fabricados, sendo uma exclusividade de poucas universidades do Brasil.

Conforme o professor das disciplinas de Hidráulica dos cursos de Engenharia Civil, Ambiental e Agronômica da FESP, Vanildo Santos Teixeira Trindade somente 68 unidades estão disponíveis em universidades e centros de pesquisa de todo o Brasil. Com o Laboratório de Hidráulica os alunos podem conferir na prática as teorias apresentadas em sala de aula.

O estudo da Hidráulica se baseia na necessidade do homem em utilizar a água não só para o consumo direto, mas para diversas funções. Os equipamentos permitem a realização de uma série de experiências cujos conceitos básicos foram desenvolvidos ainda no século XVII e XIX. É possível fazer experiências referentes à vazão da água, energia, aerodinâmica e velocidade. Como em muitas universidades esses equipamentos não são disponibilizados o aluno aprende apenas na teoria sem ter uma noção mais prática e exemplificada dos conceitos teóricos.

Na FESP o aluno aprende tanto na teoria como na prática e muitas outras instituições começam a procurar a fundação solicitando uma visita ao laboratório, como escolas, cursos técnicos, como, por exemplo, o curso de Eletrotécnica de Furnas e outras. “O laboratório é fundamental para as aulas de hidráulica, pois com ele é possível aferir tudo que é ensinado em sala de aula”, ressalta o professor Vanildo.

O laboratório é dividido em dois módulos. O primeiro trabalha com o fluido experimental “água” e com o fluido manométrico “mercúrio”. No segundo o fluido experimental é “ar” e o fluido manométrico “água”.

Uma das experiências que os alunos gostam de ver na prática, conforme o professor Vanildo, é uma experiência de aerodinâmica que demonstra porque o avião se sustenta no ar. A manutenção foi realizada por um técnico que trabalha na área de hidráulica. De acordo com o professor Vanildo a precisão dos experimentos realizados no laboratório é tão alta que equipamentos mais eficazes e mais modernos só estão disponíveis no Brasil no Centro Tecnológico de Hidráulica (CTH) da USP de São Paulo.

Com o laboratório de hidráulica o aprendizado dos alunos da FESP se torna mais dinâmico e os cursos da área de engenharia podem contar com pesquisas e experimentos certificando a qualidade do ensino e pesquisa desenvolvidos na instituição.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



O arquiteto Paulo Esper Pimenta, o Paulinho Pimenta, também recebeu homenagem pelo projeto arquitetônico da Fundação de Ensino Superior de Passos.

:A placa com os dizeres: “Este prédio teve projeto arquitetônico assinado por Paulo Esper pimenta e Maristela Silva Pimenta. A construção iniciou-se em 1968 e foi inaugurada em 1974, em terreno doado pelo Município de Passos, na gestão do Dr. José Pereira dos Reis” foi descerrada nesta terça-feira, em solenidade com a presença de familiares do arquiteto, falecido em dezembro de 2000.

O prédio principal da FESP é considerado um marco da arquitetura moderna em Passos e abriga cursos e setores administrativos da Fundação.

Confira as fotos do evento na galeria de imagens da FESP AQUI.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  outubro 2019  >>
seteququsedo
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
45678910