Cinquenta trabalhos de 14 escolas do Ensino Fundamental e Médio de Passos, públicas e particulares, foram expostos ontem (27) na Feira de Ciência e Tecnologia de Passos promovida pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) dentro do I FESP INOVA. 

O projeto teve início em abril com cursos de capacitação para professores realizados no Centro Vocacional Tecnológico (CVT) e Centro de Ciências. O objetivo da capacitação foi ajudar na montagem das feiras de ciências nas escolas. O Centro de Ciências da FESP ofereceu suporte para as feiras realizadas e os melhores trabalhos foram selecionados para a apresentação na Feira de Ciência e Tecnologia de Passos.

Ao todo entre participantes e visitantes foram envolvidos mais de 150 alunos e 35 professores das escolas envolvidas. O evento teve a coordenação da professora Sônia Lúcia Modesto Zampieron e Vera Lucia Alves Oliveira. Participaram 11 alunos da FESP como monitores e 30 professores da instituição fizeram a avaliação dos trabalhos. 

De acordo com a professora Sônia, a feira promoveu a reunião e divulgação dos trabalhos desenvolvidos pelas escolas à população passense. “O caminho está em instrumentalizar a todas as escolas, e principalmente melhorar a formação dos professores atuantes na escola básica, para que sejam reais multiplicadores de formação intelectual, cultural e social de nossas crianças e adolescentes. Esse evento proporciona às escolas envolvidas a oportunidade de mostrarem as potencialidades e criatividade de seus alunos”, destacou a coordenadora.

 

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A coordenadora do Programa de Popularização da Ciência e Tecnologia, Maria da Graça Rodrigues Brant, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (SECTES) esteve presente no I FESP INOVA para conhecer a unidade do Centro Vocacional Tecnológico – CVT da FESP e inaugurar três novos polos da rede em Passos, um no Centro de Ciências, outro na Biblioteca Comunitária José Arlindo Menezes, no bairro Coimbras e outro no Projeto Amar. Maria da Graça é a coordenadora da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais em 2011.

Na oportunidade, a representante pôde perceber a interação do Centro de Ciências com o CVT que também é vinculado a SECTES. 

Segundo Maria da Graça, o Programa de Popularização da Ciência e Tecnologia tem o objetivo de mobilizar instituições de ensino e pesquisa, museus e centros de ciências, prefeituras e escolas dos municípios mineiros para a divulgação científica. “Mobilizamos por meio da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia esses objetivos. Além da população em geral, crianças e adolescentes são convidados a conhecer e discutir as aplicações e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas sobre desenvolvimento do país e da economia global”, frisou Maria da Graça.

Os novos pólos parceiros do CVT da FESP oferecerão os cursos da rede na modalidade EaD (Ensino à Distância). Ao todo serão disponibilizados cerca de 50 cursos de diferentes áreas como informática, meio ambiente, agropecuária, cidadania, empreendedorismo e primeiro emprego. “A interatividade do CVT com outras unidades como o Centro de Ciências, o Projeto Amar e a Biblioteca Comunitária faz com que o acesso aos benefícios da rede sejam expandidos e levados a um maior número de pessoas da comunidade. O trabalho do CVT da FESP vem crescendo a passos largos e os resultados são evidentes”, disse o coordenador da unidade do CVT da FESP, professor José de Paula Silva.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



A segunda edição do Congresso de Ecologia realizada dentro do I FESP INOVA, evento científico e tecnológico promovido pela Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG), está promovendo o debate de temas interessantes durante esta semana. A abertura oficial do evento aconteceu ontem (26) às 9h no Centro de Ciências Profa. Dra. Sônia Lúcia Modesto Zampieron. 

O evento promove um intercâmbio entre as pesquisas realizadas na FESP e o conhecimento de diversos pesquisadores da área de instituições de ensino superior renomadas de todo o país. Estão sendo debatidos diversos assuntos que envolvem desde ecologia de insetos, de peixes, até ecologia humana. Para a organizadora do evento professora-doutora Odila Rigolin de Sá os três dias serão de fundamental importância para o curso de Ciências Biológicas e demais cursos da FESP como o curso de Engenharia Ambiental. “Nosso curso de Ciências Biológicas tem um enfoque especial na Ecologia. Então é uma oportunidade que os alunos têm de discutir com diversos pesquisadores de várias instituições de ensino renomadas, podendo ter um incentivo e abrir novos campos de pesquisa e estudos. Esse congresso é uma homenagem aos 12 anos do curso de Ciências Biológicas e que este ano acontece junto com o I FESP INOVA”, disse Odila.

A Ecologia é o estudo das interações na natureza, analisando o ambiente e o equilíbrio entre as espécies. “Nós vivemos num ambiente e esse ambiente tem que estar equilibrado para que a gente possa ter qualidade de vida. Então desde os animais até o homem tem que haver um equilíbrio entre o meio biótico (vivo) e o meio abiótico (não-vivo)”, explica a professora.

O estudo do ambiente dos seres vivos inclui o homem. No Congresso de Ecologia várias palestras debatem a Ecologia Humana refletindo sobre o comportamento do homem no ambiente em que vive. 

Além das palestras e mini-cursos aconteceu na quarta-feira a apresentação de 40 trabalhos em formas de painel que abrange todos os tipos de seres vivos desde aqueles que vivem em ambientes sem luz, o fundo mar, por exemplo, até seres terrestres que vivem em contato com a luz. “Muitos trabalhos sobre o cerrado, sobre os recursos hídricos da região, biodiversidade, zooplâncton, entre outros”, completa Odila.

A abertura oficial do evento foi abrilhantada com a apresentação da Banda de Música do 12º Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais. O Soldado Robson Augusto Domingos, da Polícia Ambiental esteve presente na abertura e na primeira palestra do dia e constata a fundamental importância do evento para toda a comunidade. “É um evento muito importante, porque hoje Passos é uma regional e temos vários municípios que são atendidos por Passos. É importante estudar a conservação e a preservação ambiental não só por nós da Polícia Ambiental, mas por toda a comunidade”, disse o militar.

Ecologia e comportamento social

A primeira palestra do dia abordou a biodiversidade de aves que vivem em ambientes ameaçados de extinção principalmente o cerrado e a mata-atlântica. Intitulada “Padrões sociais interespecíficos em aves nos hotspots brasileiros de biodiversidade”, a palestra foi proferida pelo professor-mestre Matheus Gonçalves dos Reis, que é doutorando em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Para Matheus o estudo da Ecologia é extremamente relevante na atualidade em vista dos problemas que o ser humano vivencia, devido ao uso incorreto da natureza. “É importante para prever o futuro, por exemplo, se pragas não vão atacar a produção alimentícia”, ressaltou.

O trabalho de Matheus estuda o mutualismo ou a convivência de aves de diferentes espécies. “É um exemplo para nós, seres humanos. Se na natureza não é só o predador atacando, há também o mutualismo, um colaborando com o outro. Estudar o comportamento de algumas espécies pode ser a salvação delas”, disse Matheus. 

O aluno Murilo Soares Ferreira do curso de Engenharia Ambiental desenvolveu um trabalho com o objetivo de fazer um diagnóstico da qualidade da água de abastecimento no município de Passos. “A FESP a cada dia que passa ela cresce, não só em reconhecimento regional, mas a nível nacional. É importante que os alunos desenvolvam projetos, trabalhos, lutem por bolsas de pesquisa e extensão. Estou satisfeito com o Congresso de Ecologia”, disse Murilo.

Durante toda a semana os participantes convivem com experiências diversificadas, inclusive um estudo diferente e inovador apresentado ontem: a palestra do professor-doutor Eraldo Medeiros Costa Neto, professor da Universidade Estadual de Feira de Santa (UEFS – Bahia) que tratou o tema “Antropoentomofagia: insetos na alimentação humana”. Durante a palestra foi realizada uma atividade para produzir uma pizza de grilo. A nutrição por meio de insetos é uma oportunidade, por exemplo, para países que sofrem a escassez de alimentos, já que a reprodução dos insetos é fácil e com uma grande proliferação.

Para a professora-doutora Sônia Zampieron, coordenadora do Centro de Ciências da FESP a oportunidade para os alunos participarem de um congresso científico é muito importante e os trabalhos apresentados são de extrema qualidade. “Esse congresso tem uma importância muito grande em nível regional. Ele está tratando de questões expressamente relevantes não só dentro da Ecologia, mas dentro da questão ambiental de uma maneira geral”, disse Sônia.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Acontecerá no dia 1º de novembro, véspera do Dia de Finados, a 3ª edição do Necroturismo – Projeto Vida e Memória, uma parceria do curso de História da Fundação de Ensino Superior de Passos (FESP/UEMG) e a Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP). Durante o evento serão realizadas homenagens a personalidades da cidade de Passos como José Barbosa Andrade Silva, o Zé da Beca; Gustavo Lemos, José Figueiredo, José Neif Jabur e Messias de Pádua, o Baru de Pádua. A celebração ocorrerá no Cemitério Municipal de Passos às 20 horas.

O projeto tem como objetivos contemplar as características arquitetônicas do cemitério e exaltar a importância do homenageado na história de Passos e região. Durante a celebração o professor e coordenador do curso de História da FESP, Edgar Rodrigues de Oliveira, falará sobre os significados dos ritos de morte juntamente com a professora de História da Arte, Leila Suhadoinik, que discursará sobre a arte tumular. “Vamos fazer um passeio pela história, e dar foco nos vários tipos de ritos desde a pré historia até atualmente”, explica o professor Edgar de Oliveira.

Nesta edição o evento conta com mais uma novidade. Os alunos do 4º período de História, Jair Junior e Júlio Cesar apresentarão a música preferida de cada homenageado ao vivo no violão. 

O Necroturismo é uma atividade que cresce a cada ano ao redor do mundo. “O Necroturismo hoje é uma realidade nas grandes capitais do mundo. Hoje é uma tendência, onde contratam antropólogos, historiadores, pra pesquisa em torno dos túmulo”, afirma Edgar.

Atividades que fantasiam a imaginação do ser e que são tabus são comuns na sociedade humana. A tendência é que haja uma procura maior por este tipo de atividade conforme mitos e crenças sejam quebrados. Enquanto isso, esse evento é uma oportunidade para quem tem coragem e quer ampliar os conhecimentos.

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Sessenta estudantes se inscreveram Concurso de Fotografia do II Congresso de Ecologia que está sendo realizado no Parque Adolfo Coelho Lemos, dentro do I FESP INOVA. O objetivo foi despertar e estimular o interesse pela fotografia e incentivar sua utilização nas profissões das áreas ambientais. "O objetivo foi incentivar os estudantes de biologia a usar a fotografia no trabalho de campo, na catalogação de espécies de fauna e flora, o que de certa forma auxilia na preservação porque eles não precisam retirar amostras do meio ambiente. Além disso, despertar também o olhar, o biólogo tem que estar muito atento a tudo que está ao redor e a fotografia estimula esta percepção", avalia a coordenadora do concurso, professora Neuci Stripari.

A imagem de uma "perereca raspa-cuca", do biólogo Domício Pereira da Costa Júnior, estagiário do Centro de Ciências da FESP, foi a escolhida pelos examinadores como 1º Lugar. A segunda colocada foi a fotografia da estudante Roberta Amâncio  Vieira, de um pôr-do-sol  de cores fortes na Fazenda Beira Rio, em São João Batista do Glória e o 3ª colocada foi a foto de um beija-flor da espécie "Heliotrix auritus", em um flagrante de polinização. "A primeira chama atenção pela composição perfeita, alem de ser um sapo muito bonito por si só, a segunda me encantou pelas cores, que parecem uma obra de arte e a terceira foto foi um flagrante", avalia o biólogo Marcelo Boccia Leite, doutorando em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos - Ufscar - e um dos examinadores do concurso. 

Palestra 

No período da manhã, o biólogo Marcelo Boccia Leite proferiu palestra sobre as "Funções básicas e recursos de máquinas digitais no dia a dia de um Biólogo" em que ressaltou as possibilidades da fotografia no registro de espécies. "Além de transmitir o trabalho para o público, a fotografia também ajuda a cativar as pessoas para que tenham mais contato com a natureza", explica.

1º lugar - Domicio Pereira da Costa - reprodução 

2º lugar - foto Roberta Cristina Amancio Vieira - reprodução 

3º lugar - Domicio Pereira da Costa - reprodução 

--

Fonte: Departamento de Comunicação e Marketing



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  agosto 2019  >>
seteququsedo
2930311234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930311
2345678