29/05/2017

Redação Agência Escola

Um bate papo sobre artes gráficas com o profissional Dario Pimentel Falleiros atraiu o interesse de estudantes dos cursos de jornalismo, publicidade e propaganda e design de moda da Unidade Passos da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) para uma conversa que ocorreu na segunda-feira (22), no auditório da biblioteca, e abordou o planejamento e os recursos necessários para a elaboração de trabalhos impressos.


Dario Pimentel é autor do livro “The Big Book -  Editoração Eletrônica, Design Gráfico & Artes Digitais – volume 1”, lançado em 2015, e que reúne diversas questões para se conhecer e atuar na produção gráfica. Todas as etapas, da criação de uma publicação ao manuseio de programas e os sistemas de impressão,  foram alguns assuntos levados aos alunos que ouviram relatos e dicas de quem pesquisa e vivencia a anos o mercado gráfico.

“Tento escrever de forma didática e atualizada para atender desde iniciantes a profissionais experientes”, explica Dario, algo a ser percebido pelos leitores na leitura do “The Big Book – vol. 1”. Durante o bate papo, Dario falou de situações e citou exemplos para se desenvolver bons projetos gráficos e provocou reações dos estudantes que fizeram perguntas e pediram orientações para buscarem especialização na área gráfica.







PASSOS



Assessoria de Comunicação Institucional | UEMG Unidade Passos
26/05/2017


O evento “Aldeia da Cidadania” aconteceu no último dia 20 de maio, no município de São José da Barra, e teve participação dos profissionais do Ambulatório Escola (AMBES) da UEMG Unidade Passos.

A comunidade local teve acesso a diversos serviços gratuitos, dentre os quais estava o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Itinerante. Foram disponibilizados testagem rápida para HIV, Hepatites B, C e Sífilis, com resultado em 15 minutos, além da distribuição gratuita de insumos de prevenção (preservativo masculino e feminino), orientações coletivas acerca da prevenção e tratamento das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) AIDS e Hepatites Virais.

Realizaram 27 testagens rápidas e os encaminhamentos e providências para resultados positivos foram tomados.

Segundo a Coordenadora com Ambulatório Escola (AMBES), Cleide Augusta de Queiroz, o evento foi muito importante. “Os encaminhamentos são tratados na Estratégia de Saúde da Família (ESF) e assistidos de acordo com recomendações do Protocolo de Diretrizes Clínicas e Terapêuticas (PDCT) do Ministério da Saúde”.















Assessoria de Comunicação Institucional | UEMG Unidade Passos
26/05/2017

O Curso de Engenharia de Produção incentiva e prepara os estudantes para a realização da prova do Exame Nacional de Desempenho Estudantil (Enade), que acontecerá em 26 de novembro de 2017. A Coordenação do Curso e docentes prepararam um simulado para os alunos verificarem as dificuldades no estilo da avaliação e auxiliar os mesmos a obterem um melhor desempenho.

O primeiro simulado foi realizado no dia 20 de maio de 2017 com a participação de mais de 50 alunos do curso. O resultado do exame apresenta influência direta na qualidade e na evolução das diretrizes curriculares dos cursos.

Segundo orientações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o Enade faz parte do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), cujo objetivo é avaliar a qualidade dos cursos de formação superior.

O exame é aplicado em estudantes do primeiro e do último ano dos cursos. É obrigatória a realização da prova para os alunos concluintes.  Destacamos que o Enade não avalia o desempenho individual, mas confere a qualidade dos cursos e o rendimento de seus estudantes em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências.





23/05/2017

Gabriela Andreazi Santana - 5º Período Jornalismo - Redação Agência Escola

Na noite de quarta feira (17/05), na sala de espelhos do bloco 6 da UEMG/Passos, foi realizado um debate promovido pelos Centros Acadêmicos de Jornalismo e de Serviço social sobre “Comunicação e Sociedade”. O evento teve como objetivo abordar questões atuais sobre a forma com que as mídias retratam a produção e a reprodução de notícias na sociedade.

Dentro da semana voltada para o Serviço Social, o Centro Acadêmico do curso buscou uma parceria com o CA de Jornalismo para realizar a discussão do tema proposto com os estudantes e os professores de Comunicação Social da Universidade Jean Carllo de Souza, Frederico Daia Fimiano, Samuel Ponsoni e Adriana Dias.

Ao longo do debate, os estudantes levantaram inúmeros questionamentos sobre o tema. As discussões ocorreram de forma abrangente e democrática.



24/05/2017

A professora mestre Carolina Taciana Pinati ministrou palestra no dia 18 de maio sobre inclusão social inserida no espaço pedagógico e as carências didáticas e estruturais das instituições no tratamento aos deficientes físicos e intelectuais. A palestra, que fez parte da 15ª Semana dos Museus, promovida pelo curso de História, foi realizada no auditório do Colégio Tiradentes da Polícia Militar e contou com a presença de alunos dos cursos de Pedagogia, História e Jornalismo.

Docente e coordenadora do Núcleo de Psicopedagogia da UEMG Unidade Passos, Taciana Pinati relata a partir de suas experiências na área, a necessidade da desconstrução do senso comum em relação às limitações do aprendizado das pessoas com deficiência e os desafios da alfabetização destes indivíduos em um país onde, 38% da população correspondem a analfabetos funcionais.

Segundo a professora, a tentativa de inclusão nas escolas é feita de maneira vexatória, em um contexto de distanciamento dos demais. Afirma ainda que o fato do aluno estar matriculado na instituição não garante a devida integração dele junto à comunidade, e que para sua construção cidadã é preciso recriar o modelo educativo.

“Na maioria dos casos, devido à incapacitação de professores e coordenação, o quadro do aluno não é estudado, e, portanto, a adaptação não ocorre. Sendo a evasão, comumente o desfecho desta situação que evidencia o descaso governamental na formulação de políticas públicas que melhor acolham estes grupos. Quando você faz a diferença na vida de 30 alunos é ótimo, mas se você faz a diferença na vida de um que todos desistiram, é ainda melhor”, afirma Pinati ao reforçar que, o comprometimento do educador com o estudante, a utilização de uma didática criteriosamente adaptada e o cuidado deste como ser social dotado de atributos, torna possível sua agregação e acompanhamento no processo pedagógico.

Para ressaltar a questão de como esse ensino pode ser muito importante para os estudantes, Taciana levou a aluna Luana Aparecida Dias Marques, 11 anos, estudante do 6º ano da Escola Estadual Nazle Jabur, no bairro Santa Luzia que chegou até ela sem saber ler nem escrever. Com uma alegria contagiante, Luana disse que só poderia agradecer sua professora, e as duas eram só abraços e sorrisos, o que comoveu a platéia e não teve como segurar as lágrimas.

A professora foi saudada por palmas eufóricas que duraram mais de um minuto ao final de sua apresentação e confessou que foi gratificante participar de uma história como a de Luana “o médico quando ele salva uma vida, é uma glória para ele, mas quando você também alfabetiza, você também salva uma vida”, salienta.

Porém, não tanto quanto o depoimento dos avós da menina (levados a força pela neta até o palco). A avó chegou a chorar ao contar o quanto Carolina estava sendo extremamente importante na vida daquela família, e o quanto ela tinha a agradecer a professora, que trata com muito carinho todos os seus estudantes. (Confira entrevista com os avós no final desta matéria).

Para Andrey Paris, aluno do curso de História da UEMG foi um momento além de emocionante, impactante o depoimento de Luana e seus avós. “Percebi como a educação pode mexer positivamente com toda uma família. Entendi que o método de ensino atual deve ser refeito, pois ele tem uma visão pouco inclusiva, onde não se dá atenção às inteligências múltiplas, e sim a quem consegue assimilar e decorar mais matérias”, disse.

Nicole Ribeiro, aluna do 1º Período de Letras afirma que a palestra ajudou-a a enxergar as coisas diferentes. “Passei a pensar melhor com relação à inclusão que realmente até agora não tinha me tocado. Sabemos que a educação do país é um dos maiores problemas atuais, mas quando juntamos o problema da exclusão de crianças com algum tipo de deficiência, esse problema se intensifica. Para que haja uma harmonia escolar todos da instituição devem se preocupar e ajudar no processo de inclusão. Muitas escolas não querem mudar porque se acomodaram”, aponta.

“Luana é nossa razão de viver”
Após a palestra os avós de Luana Aparecida Dias Marques, o zelador Pedro Henrique Dias e a dona de casa Maria Geralda Reis Dias concederam esta entrevista aos alunos do Curso de Jornalismo da UEMG Unidade Passos para o projeto de extensão Foca na UEMG.

Foca na UEMG - Fala um pouco sobre sua neta?

Maria
- Eu a crio desde que nasceu, porque a minha filha Aparecida Kátia Dias, mãe de Luana precisa de ajuda para poder trabalhar. Ela é enfermeira e tem os horários muito complicados, por isso eu cuido dela. Inclusive, às vezes a Luana me chama de mãe, ela é minha vida, minha razão de viver.

Foca na UEMG - Quando a senhora percebeu que a Luana tinha dificuldades?

Maria - Sempre soubemos da possibilidade de a Luana ter alguma dificuldade. Afinal, desde que ela nasceu apresentava problemas de saúde. A complicação foi já no parto. Pelo relato médico ela estava com o cordão umbilical envolto no pescoço. No dia do seu nascimento aconteceram outros dois partos com as mesmas complicações, porém as crianças faleceram. Então, desde o nascimento, agradecemos pela sua vida e soubemos que ela seria uma criança especial. Luana toma remédio controlado e se ela não tomar desmaia. Isso gerou um certo retardo no aprendizado. A professora a encaminhou para o acompanhamento com a Carol (Carolina Taciana Pinati) do Núcleo de Psicopedagogia da UEMG Passos, onde ela tem tido o acompanhamento e se desenvolvendo muito bem. É uma parceria também com a escola.

Foca na UEMG - Ela é a única neta da senhora?

Maria - Não. Luana tem um irmão, um menino de 4 aninhos, ele é bem ativo, ele já sabe ler e escrever.

Foca na UEMG - Quais suas expectativas pra ela?

Maria - As melhores, as melhores possíveis, nossa ela é minha vida eu não consigo viver sem essa menina, ela é mais que minha filha, eu tenho dois filhos.

Foca na UEMG - Com quantos anos ela foi para o Núcleo?

Maria - Já tem três anos e vem se desenvolvendo bem lá.

Foca na UEMG - Ela frequenta em qual período?

Maria - Ela vai uma vez por semana das 10h as 11h e vai para a Nazle Jabur no período da tarde.

Foca na UEMG - Luana tem um rosto belíssimo, é alta para sua idade e diz que quer ser professora e modelo. Como vocês vão fazer para ajudá-la?

Maria - Ela terá nosso total apoio. Se por um acaso ela conseguir ser modelo, eu a acompanho para qualquer lugar do mundo. Mas isso está nas mãos de Deus.

Foca na UEMG - Pedro, como é para o senhor passar por todo o processo educacional junto com a sua neta?

Pedro - É um processo complicado, delicado, a Luana necessita de muito carinho e atenção, e infelizmente hoje, como todos precisam trabalhar, é difícil dedicar a quantidade de tempo que gostaríamos, mas como os pais dela trabalham até mais tarde, no período em que chego do trabalho, sou eu quem ensina as tarefas de casa, levo para a escola quando não estou no horário de trabalho. Vou fazer tudo que puder por ela enquanto estiver vivo.

Foca na UEMG - Hoje, vendo a Luana saudável, aprendendo e superando os seus obstáculos com tanta força e alegria como é saber que teve sua participação nesse processo, e que é muito importante na vida dela?

Pedro - Nós não temos nem como expressar, pois são tantas pessoas, tantos médicos e instrutores, como o exemplo que vimos da professora Carolina. Agradeço primeiramente a Deus e depois aos instrutores. O sentimento é de gratificação e orgulho por ver minha neta como está hoje.

Texto: alunos do 1º Período de Jornalismo (Julia Martins, Laura Oliveira Hostalácio, Lucas Ferri, Cláudia Dias, Laura Abreu, Itallo Andrade, Bárbara Carvalho, Hannah Dias, Ronilson Amorim e Jaciara Lima)
Entrevista com avó: Gabrièlle de Faria Sarro, Julia Martins, Layza Souza e Letícia Pereira
Entrevista com avô: Maria Alice Silva dos Santos e Carolina Antonino
Fotos: Maynara Aislin, Lorena Arantes

PASSOS



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  maio 2017  >>
seteququsedo
24252627282930
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930311234