Júlia Palhardi – Redação Agência Escola

Na última terça-feira, 26 de novembro, o Curso de Inglês promovido na Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, Unidade Passos, encerrou-se com a entrega de certificados para os 35 participantes. Com início em 13 de agosto, o projeto de extensão, voluntário, foi incentivado pelo PROINPE (Programa Interno de Incentivo à Pesquisa e à Extensão), sob supervisão dos professores Flávia Bottino e Sérgio Campos Gonçalves.

O projeto, intitulado “Internacionalização em casa e acesso à universidade: projeto piloto de aulas de inglês básico para alunos e população”, ofereceu noções básicas e fundamentais da língua inglesa, todas as terças-feiras, das 13h30 às 15h, para estudantes da comunidade interna e externa à UEMG. Este curso, além disso, faz parte das atividades do Grupo de Trabalho de Internacionalização da Unidade, no âmbito das atribuições do Comitê de Ações de Internacionalização (CAINTER), ligado à Assessoria de Intercâmbio e Cooperação Interinstitucional – AICI, ambos lotados na Reitoria da UEMG.

O professor responsável pelo curso, Rubens Fernando Mendes da Silva, é estudante do 4º período de Biomedicina e trabalha lecionando aulas de inglês há aproximadamente nove anos. Segundo ele, obter o conhecimento do idioma atualmente é “fundamental, sobretudo para o meio acadêmico. O inglês é a língua oficial em eventos internacionais, por exemplo. Além disso, o candidato que possui fluência acaba se destacando no mercado de trabalho”, afirmou o professor.

Com a ampla experiência no assunto, Rubens criou um material próprio para aplicar aos alunos. “Percebo que eles se comprometeram e empenharam se com as propostas sugeridas por mim ao longo dos meses. Acredito que, talvez, se tivéssemos uma carga horária mais extensa e mais infraestrutura, como recursos midiáticos, ao nosso alcance, o resultado seria ainda melhor”, considerou.

A estudante do 2º período de Estética e Cosmética, Marta Silveria Pardinho, participou do projeto e concluiu essa etapa satisfeita com os aprendizados. “O curso oferece uma base muito boa para quem está começando, mas cada aluno também deve se esforçar individualmente, fora daqui. Eu decidi participar porque pretendo fazer viagens e intercâmbio. Valeu a pena, indico para todos” contou Marta.

Rubens, por fim, declarou que pretende continuar com o projeto no próximo ano, em 2020, para desenvolver o nível de seus alunos. Quem quiser acompanhar, parte do conteúdo está na página do Instagram @goglobalBR.



Julia Moraes – Estagiária da Assessoria de Comunicação UEMG Passos

O projeto “Aplicações de tijolos ecológicos de solo-cimento, fabricados com rejeitos de mineração e resíduos de construção e demolição, para construção de moradias para famílias de baixa renda-uma alternativa para o déficit habitacional”, aprovado no edital PAEX 01/2019 busca promover a atuação da Engenharia Civil no âmbito social.

O objetivo do projeto é desenvolver tijolos a partir de rejeitos da construção civil e também de rejeitos de mineração, após esta etapa a ideia é repassar este processo de fabricação para programas como Associação de Proteção e Assistência aos Condenados.

Todo o trabalho realizado pelos bolsistas acontece no Laboratório de Materiais da Construção Civil, o responsável pela coordenação do local é o mesmo professor coordenador do projeto, o docente João Vicente Zampieron.

“Fazemos ensaios e testamos novos materiais para a indústria da construção civil, temos parcerias com empresas como a Ecoterm e também apoiamos órgãos como o CAPP (Centro de aprendizagem pró menor de Passos) que é uma entidade religiosa sem fins lucrativos”, comenta Zampieron sobre o trabalho realizado no Laboratório.

Atualmente a equipe do projeto está prestando suporte ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), onde o objetivo é organizar mutirões para a construção de casas populares. Para a realização desta atividade foi desenvolvida uma cartilha na qual se apresenta passo a passo o processo de fabricação dos tijolos, como também a forma de uso deles.

Os mutirões serão supervisionados pelos estudantes bolsistas e os tijolos disponibilizados de forma gratuita para o uso do CRAS. No dia 24 de outubro aconteceu na sede do Centro de Referência de Assistência Social uma reunião para discutir o trabalho realizado pelo projeto. Estiveram presentes representantes da Prefeitura de Passos, do Clube Lions e também dos assistentes sociais do CRAS.

“É interessantíssimo ver a Engenharia Social acontecendo e poder fazer parte disso, levando o conhecimento às pessoas e quebrando preconceitos gerados pela falta do mesmo”, afirma a estudante Vivianne Januário Correia, bolsista do projeto.

Na ocasião, ocorreu uma apresentação, que contou coma presença de representantes da Prefeitura, do Clube Lions e assistentes sociais do CRÁS, além de representantes da Comunidade e alunos da Universidade do Estado de Minas Gerais, Unidade Passos, acompanhados pelo professor coordenador do projeto e responsável pelo Laboratório de Materiais de Construção Civil da Uemg Passos,.

“No Laboratório são realizados ensaios e testes com novos materiais para essa indústria.  Hpa parcerias com empresas como a Ecoterm e também apoio a órgãos como o CAPP (Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos), que têm uma fábrica de blocos e é ajudada por meio alunos de graduação que fazem estágio e iniciação científica para melhorar os produtos que fabricam”, explica João Vicente.

A renda da venda dos tijolos é revertida para as famílias carentes do bairro Novo Horizonte. No CRÁS, há alunos de extensão que estão desenvolvendo tijolos a partir de rejeitos da construção civil e também de rejeitos de mineração.

O projeto consiste, para esta instituição, na reunião da comunidade para fazer casas populares, contribuindo com o déficit habitacional da região. Foi desenvolvida uma cartilha onde foi descrito,  passo a passo, o processo tanto para a fabricação dos tijolos como também o assentamento destes na construção de casas.

“Tais tijolos viriam gratuitamente para o CRÁS e através de um mutirão ,sob a supervisão dos alunos, construiríamos as primeiras casas. Após a transferência deste conhecimento para os moradores da região, eles atuarão como agentes multiplicadores”, pontua o coordenador do projeto.

Além da apresentação, com uma palestra rica em informações e conhecimentos, os presentes colocaram a mão na massa, participando de forma dinâmica, realizando tarefas que facilitaram todo o conteúdo técnico que aprenderam.

 Para a aluna do projeto, , discente do 8º período de Engenharia Civil, atividades e iniciativas como esse a permitem ter a oportunidade de pesquisar e implantar materiais renováveis na construção civil:



Rafaela Medolago – Estudante de Jornalismo

Assessoria de Comunicação UEMG Passos

No início de novembro, dia 02, aconteceu a primeira reunião para discutir a realização dos Jogos Universitários da Universidade do Estado de Minas Gerais (JUEMG). Várias Atléticas, de diferentes Unidades da UEMG, se encontraram no Bloco 01 da Unidade Passos.

O objetivo foi debater sobre a organização do evento que busca promover atividades esportistas com o intuito de integrar os estudantes da UEMG. O encontro teve início no período da manhã e se estendeu durante todo o dia, aconteceram palestras e grupos de discussão que refletiram sobre o modelo de gestão das Atléticas na UEMG.

“Houve a definição do modelo de competição, mudanças no regulamento, eleição da comissão organizadora e apresentação da proposta de evento por uma empresa do ramo dos eventos universitários” explica Lara Martins, estudante do 10° Período de Engenharia Ambiental e integrante da Atlética Atena.

As atividades contaram com a presença das Atléticas da Unidade Passos e também de outras Unidades, como Ibirité e Divinópolis. A empresa escolhida para ser responsável pela produção do evento é a Dibonê Produções já conhecida por produções como JUMineiro, LUP, Batuca Franca, entre outros.

“Nós vemos o JUEMG como um evento de integração da UEMG. Nós somos uma das maiores universidades de Minas Gerais e não nos conhecemos, por isso esse evento será muito importante”, comenta Bárbara Batista, integrante da Atlética GARRA e estudante do 8º período do curso de Enfermagem.



Estudante de Jornalismo - Rafaela Medolago

Assessoria de Comunicação UEMG Passos

 

O XVI Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais com a temática “Os 40 anos da virada do Serviço Social” aconteceu em Brasília, no ginásio Nilson Nelson. O evento trouxe, além de conferências com diversos temas, a exposição de pôsteres em que estudantes e professores apresentaram trabalhos acadêmicos.

Foram abordados dois artigos produzidos coletivamente na Unidade de Passos com os temas, “Os desafios do serviço social na educação” e “A questão do envelhecimento: respostas político-institucionais”, sendo o primeiro apresentado pela estudante Lauane Silva Reis, do 8º período de Serviço Social.

“Se não existir a intervenção e a presença do Assistente Social nas escolas desde os anos iniciais, as demandas apresentadas como bullying, vulnerabilidade social, violações de direitos dessas crianças e adolescentes, vão impactar diretamente na inserção do meio acadêmico”, explica Lauane ao ser questionada a respeito das abordagens do artigo.

A estudante foi acompanhada pela professora de Serviço Social, Jane Borges Lemos Mattar, “As plenárias foram muito pontuais diante da atual conjuntura que nos encontramos. A apresentação de pôsteres foi muito rica, abordando as mais variadas expressões da questão social. Em especial a questão gênero, violência e preconceito”, comenta a docente sobre o evento que aconteceu entre os dias 30 de outubro e 03 de novembro.



 

Estudante de Jornalismo - Bruna Resende Mecchi

A docente Karina Augusta Limonta Vieira expôs seu projeto aprovado pelo edital PROINPE 2019/Extensão “Cinema e educação nutricional: aprendizagem cultural alimentar na educação infantil” no primeiro Congresso Médico Estudantil de Franca (I COMEF), o evento abordou como tema a Educação em Saúde. Aconteceu nos dias 7 e 8 de novembro, juntamente com as estudantes participantes do projeto, Bianca Vieira Gonçalves e Thamara Marques Silva.

 “O objetivo do é desenvolver a formação de hábitos alimentares por meio do uso de filme, de modo que a criança aprenda culturalmente, que alimentar-se bem, se aprende também com hábitos saudáveis” comenta a docente.

 A equipe do projeto desenvolve várias atividades com o objetivo de trabalhar a questão nutricional com as crianças, como por exemplo, realização de seminários, oficinas, palestras, degustação de alimentos, entre outros. Todo o trabalho acontece com as crianças da pré-escola da Creche Comunitária Cáritas, em Passos-MG.

Os métodos utilizados pelas pesquisadoras abordam procedimentos técnicos e operativos, em busca de transformar e intervir na realidade a partir Também, exercícios práticos foram realizados, tal como exposição de filmes, jogos de memória, telefone sem fio, teatro de fantoche, colorir os alimentos saudáveis, enfim, tudo voltado para crianças da pré-escola da creche comunitária Cáritas de Passos, MG.

Os resultados divulgados por Limonta demonstram que as produções cinematográficas são relevantes para a socialização da criança, assim como a inserção dela dentro da cultura alimentar, e que as atividades que foram produzidas são a base para a construção do conhecimento do aluno sobre a alimentação saudável, adquirindo novos conceitos.



Notícias por ANO e MÊS

Calendário de Noticias e Eventos

<<  dezembro 2019  >>
seteququsedo
2526272829301
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
303112345